Entre Flores Seguir história

anastarkk Ana Stark

Otabek não imaginava que naquele dia iria encontrar o ômega que mudaria sua vida. ATENÇÃO: Universo Alternativo de Yuri on Ice, os personagens da história não me pertencem. || OtaYuri || Yaoi || Homem x Homem ||


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#bl #boys-love #yaoi #omegaverse #alfa #ômega #abo #yuri-on-ice #yuri #otabek #otayuri
0
454 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único

Raras eram as vezes que Otabek era considerado alfa, mesmo tendo um porte digno da classe o seu jeito não condizia com seu gênero, desde mais novo o alfa sempre fora muito calmo, diferente do seu irmão. Jean era o tipo de alfa que ia sozinho para uma festa, mas nunca sai desacompanhado. Otabek, por outro lado, não gostava muito esse tipo de interação humana, o alfa preferia ficar em casa lendo um bom livro.

Naquela manhã o moreno achou que seria como qualquer outra, somente um dia calmo na floricultura, mas quando chegou no seu estabelecimento ele viu que estava totalmente enganado. Ao lado da porta tinha alguém de cabeça abaixada e abraçando os próprios joelhos.

- Ei tudo bem com você? - mesmo não conhecendo quem estava ali, o alfa tinha uma certa preocupação. Passou alguns minutos e nada de resposta, ele se aproximou e o cheiro de pêssego se fez presente. - Ei...

Ah, Otabek não estava preparado para aquilo...

O ômega levantou a cabeça e a primeira coisa que Otabek reparou foi os olhos, aqueles olhos que pareciam decifrar sua alma. Os fios loiros cobrindo parte do rosto e os olhos ainda encarando o alfa.

- Ah, tudo bem com você? - Otabek perguntou novamente, agora tendo a atenção do loiro voltada para si.

- Sim, agora me deixa em paz - o loiro de fato foi rude, mas Otabek não ligou, pois não sabia o que o ômega havia passado para ficar assim. O alfa então notou o qual machucado a face do outro parecia. O canto de seus lábios tinha resquícios de sangue, e seu olho tinha uma cor arroxeada.

- Você está ferido - o alfa se aproximou, mas ao ver que o ômega se encolheu ele rapidamente parou - Eu não vou te machucar, só quero te ajudar.

- Não se aproximealfa.

- Então vamos só entrar, lá dentro está mais quente - tentou convencer, mas o loiro ainda estava acuado. Mas um vento frio fez o ômega concordar, afinal seu corpo era mais sensível às baixas temperaturas.

Otabek tentou oferecer ajuda para o loiro se levantar, mas a mesma foi negada, ele ainda não confiava no alfa. Aos murmúrios de dor o ômega se levantou e seguiu para a entrada onde foi indicada. O moreno se afastou e seguiu em direção a outro cômodo, o loiro olhou em volta reparando nas diversas flores que havia ali, eram de fato maravilhosas.

Minutos depois o alfa retorna com uma pequena caixinha nas mãos e colocando em cima do balcão, o mesmo da a volta no balcão trazendo de lá uma cadeira. O moreno indicou para o ômega se sentar, que mesmo acanhado e um tanto desconfiado decidiu acatar o pedido.

- Eu só vou cuidar dos seus ferimentos 'tá? - indagou e o outro meneiou a cabeça em confirmação. Depois do consentimento o alfa se ajoelhou na frente do outro e começou então a cuidar dos ferimentos do loiro, o ômega o observava em todo momento que era feito o procedimento.

- Prontinho - disse ao finalizar e deu um sorriso, sorriso esse que fez o ômega levemente corar.

- O-obrigado, e me desculpe por antes - o ômega parecia mesmo envergonhado por sua atitude, mas era de se esperar, afinal sempre que confiava demais acabava se machucando.

- Só desculpo se me disser seu nome - respondeu gentil ainda mantendo o sorriso nos lábios, e isso de certa forma acalentou o coraçãozinho do ômega, vendo a demora do outro o alfa decidiu continuar - Eu sou Otabek.

- Yuri - falou depois de um certo tempo.

- Muito prazer Yuri.

[...]

Dias e semanas tinham se passado após o ocorrido e depois de uma longa conversa o alfa convidou o loiro para trabalhar contigo, Yuri não teve como negar, pois estava mesmo sem emprego e por fim decidiu aceitar. O loiro também havia perdido o lugar onde morava e Otabek acabou por convidar o mesmo a morar contigo, o ômega ficou com receio em aceitar, não era pra menos, já que seria uma ômega e um alfa morando juntos sem nenhum envolvimento romântico.

Seria perigoso?

Yuri acreditava que sim, mas desde que conheceu o alfa ele sempre fora muito respeitoso contigo, mas o perigo não foi o alfa em si e sim suasanidade.Ver o alfa somente de calça moletom no primeiro dia foi difícil, mas não foi a intenção de Otabek, o alfa apenas esqueceu que agora tinha companhia em casa e como de costume vestiu apenas a calça moletom, deixando assim seu tronco totalmente exposto. Yuri ficou quase uma semana sem conseguir encarar o alfa.

Naquela manhã de sábado o ômega acordou mais cedo que o normal pois sentia seu corpo arder em chamas, caminhou até o banheiro com certa dificuldade e deixou a banheira encher, Yuri já tinha ideia do que poderia ser, mas queria que estivesse errado.

(In)felizmente não estava.

Quando sentiu um líquido escorrer entre suas pernas o ômega teve a certeza.

Seu cio havia chegado.

Com tanto trabalho na floricultura o ômega simplesmente se esqueceu de comprar seus remédios, Yuri retirou toda a roupa do seu corpo e entrou na banheira, a água estava gelada e isso o acalmou, mas ele sabia que aquilo era temporário. Acontece que um ômega só suprime seu cio a base de remédios e masturbação ouum alfa.

Yuri não pensou muito quando fechou os olhos começando a se masturbar e sua mente lhe fez chamar o nome um tanto conhecido por ele, seu corpo desejava aquele alfa,fundo e forte,mas o ômega tinha receio que o sentimento que sentia não fosse recíproco.

O ômega estava tão concentrado que nem ao menos reparou quando o alfa entrou no local, Otabek acordou com o cheiro do ômega dominando seu quarto e com sua audição apurada conseguiu escutar Yuri o chamando.

Mas não um chamado qualquer, eraexcitaçãoque tinha na voz do ômega, o alfa caminhou a passos largos até o quarto ao lado e quando entrou no local sentiu seu corpo estremecer ao escutar o gemido do ômega. No banheiro encontrou o ômega dentro da banheira enquanto se masturbava, sua presença não tinha sido notada até então e com isso o alfa ficou apreciando a vista.

-Alfa -Otabek sentiu uma fisgada no seu baixo ventre e seu membro despertar - Beka me ajuda por favor.

Suspirando fundo o alfa se aproximou mais do loiro, sem dizer uma palavra Otabek pegou o ômega nos seus braços e levando-o até o quarto, colocou-o cuidadosamente sobre a cama e se afastou minimamente. Yuri apenas observou o alfa passar as mãos entre os fios negros enquanto andava de um lado para outro no quarto, o ômega encolheu as pernas e envolveu seus braços.

- Yuri você tem certeza? Eu não quero que faça isso apenas por instinto - Yuri se levantou e caminhou até o alfa parando em sua frente, levou uma das mãos ao rosto do moreno acariciando sua bochecha.

- Eu quero isso, eu quero você! Na verdade sempre quis - dito isso o alfa acabou com a distância entre seus corpos, enlaçando os braços na cintura do ômega e começando assim um beijo intenso e necessitado, o alfa pediu passagem para sua língua, que logo foi cedida, e assim se tornando o ósculo mais intenso e profundo. Otabek deu impulso nas pernas do loiro, que entendeu o recado e as envolveu em torno da cintura do alfa, o moreno caminho até a cama sem cessar o beijo, deitou o corpo do outro no colchão macio ficando entre suas pernas. O ar faltou e o ósculo se rompeu, Otabek começou a beijar e morder o pescoço alvo, com certeza deixaria marcas no outro dias, mas era isso que ele queria.

-Tão gostoso...

A voz do alfa rente ao seu ouvido era de fato excitante, as bocas se encontraram novamente, Yuri levou as mãos na nuca do alfa e arranhou levemente o local, tal ato provocou ainda mais o moreno que simulou uma estocada fazendo assim o loiro gemer.

- Beka por favor...

- O que você querbabe? Hum? Diz pro seu alfa - o moreno disse próximo a orelha do loiro e deu uma leve mordida no lóbulo.

- Beka eu preciso de você.

- Precisa como hein? Como você me quer? - Otabek já não aguentava mais, mas estava gostando de provocar o ômega.

-Fundoeforte- disse manhoso quando sentiu o alfa simular outra estocada, apenas o tecido da calça do alfa que separava seus corpos - Me mostra do que você é capazalfa.

Ah, ele iria mostrar...

Otabek se levantou da cama apenas para retirar a calça, voltando em seguida, ao ver o alfa totalmente nu as bochechas do loiro se tornaram rubras, o moreno apenas riu pela reação do ômega. Sem nenhum aviso prévio o alfa levou seu membro até a entrada do loiro penetrando-o de uma vez, mesmo com a lubrificação natural Yuri soltou um longo gemido. Otabek ficou parado até o loiro lhe dar permissão para se movimentar, o alfa começou a se movimentar de maneira lenta. Algo que não tirava o prazer, mas o loiro o queriafundoeforte.

- Me fode direito porra - o ômega gritou, Otabek não ficou com raiva da ousadia do ômega, mas ainda assim soltou um rosnado. Otabek começou a se movimentar mais rápido e o loiro apenas gritava de prazer, quando sentiu sou próstata ser atingida o loiro arranhou as costas do alfa com força e gemeu - Isso... Ah... Beka - o moreno começou a acertar aquele ponto repetidas vezes sentindo as paredes internas do ômega apertando seu falo.

- E assim que você gostababe? Hum?

O ômega não respondeu, apenas puxou o alfa para um beijo, e os gemidos agora sendo abafados pelos lábios alheio. O alfa afastou seus lábios, mas antes deixando uma mordida no lábio inferior do loiro. Seus olhares se conectaram e ambos sabiam o que cada um pensava.

- Faça - o loiro ditou firme em meios aos gemidos, pois o alfa ainda continuava o fodendo.

- Yuri você..

- Sim, eu tenho certeza. Beka me morda, me faça seu - ao ouvir isso o alfa sorriu largo, continuou a estocar o ômega cada vez mais forte e gradativamente aumentava a velocidade, ao sentir seu ápice próximo levou uma das mãos ao membro do loiro, que até então estava esquecido, começando a movimentar o membro de acordo com a velocidade de suas estocadas. O ômega se desfez em sua mão, sujando seus corpos com os resquícios seminais, o alfa veio logo em seguida quando o nó se formou fazendo ele se desfazer dentro do loiro. As pressas do alfa apareceram e ele as fincou no pescoço do ômega, que por sua vez gritou de dor e prazer, ambos os sentimentos se misturando.

Otabek afastou sua boca do pescoço do loiro observandosua obra de arte,quando o nó se desfez e o alfa se deitou do lado de Yuri, puxando-o para si. Ambos ficaram em silêncio, apenas aproveitando a companhia um do outro até que o alfa decidiu se pronunciar.

- Desde o momento que te vi entre aquelas flores eu sabia. Você seria meu.Meu ômega.

-Meu alfa.

22 de Junho de 2019 às 02:28 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~