Perdoe-me Seguir história

lirinha lira dan

Elaine é uma operária de uma empresa de pecuária, que recebe muito poucos fundos monetários, a qual possuía uma família necessitada composta por dois irmãos infantes para sustentar.


Horror Histórias de fantasmas Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#almas #fazenda #ovelha #maldição #caprino #drama #terror
0
508 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Terças-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Elaine

—Estamos morrendo de fome—sincronizadamente disseram os irmãos jovens e desnutridos com a barriga roncando de fome.
—acalmem-se, vou trabalhar agora, a noite trago uma surpresa para vocês—disse elaine com o seu belo sorriso branco como flocos de neve.
Na fazenda, elaine estava no setor de ovelhas arando o campo com seus companheiros Kevin, samantha e Cláudio.
—Calor do inferno, estou ficando toda molhadinha— falou Samantha com sua roupa coberta de suor visívelmente marcada.
—Pelo menos vamos ganhar por hora extra nessa merda— disse Cláudio com a cara estufada de raiva e vermelha tratando o capim.
—Não suporto mais, receber calos nas mãos em troca de míseros trocados!— Exclamou irritado kevin com os seus braços juntos.
—Perdoem-me amigos por vocês estarem nesta situação lamentável, pelo menos temos uns aos outros— Disse a doce e gentil Elaine para seus amigos irritados por trabalhar como desgraçados.
—Hm, ela tem razão— Falou Cláudio o mais irritado com a situação que os 4 amigos se encontravam.
—Sempre nos acalmando e nos dando motivos para continuar não é Elaine?— Disse samantha se acalmando com as palavras de Elaine e vendo seu doce sorriso
Elaine e Samantha foram para o criadouro verificar se todas as ovelhas estavam em seus devidos cercados (separadamente por cores das Lãs)
elaine estava anotando e percebeu que faltava uma ovelha de lã vermelha, logo ela foi procurar pelo Caprino perdido, procurou, procurou, procurou, até que, elaine viu a ovelha a beira de um penhasco e correu para leva-la de volta.
—Ovelhinha, perdoe-me, por não notar que você estava distante, acalme-se e vamos voltar— disse elaine engatinhando para a ovelha cujo estava a beira do precipício.
enquanto Elaine se aproximava do animal, o penhasco rachava cada vez mais, porém, ela não escutava o som, e sequer sentia o chão tremer.
—Peguei você!, agora vamos voltar— Falou elaine com alegria segurando a ovelha.
Segundos após ela se levantar com o animal , a beira do penhasco rachou por inteiro deixando Elaine cair com a ovelha em seus braços, *skretch* foi o som que ecoou do precipício indicando a morte da doce Elaine e da ovelha vermelha.
Porém, aquela ovelha havia uma maldição passada de geração em geração, que caso algum corpo sem a alma humana que estivesse próxima da alma do caprino morto, a alma humana seria sugada para o corpo da ovelha e sua lã vermelha iria aumentar conforme a quantidade de sangue derramada presente no ambiente.
A alma da ovelha subia para os céus para ser julgada em um julgamento de reencarnação e a alma de Elaine assumiu o corpo do caprino, Elaine acordou com uma enorme dor de cabeça e completamente perdida, logo ela não sabia que não estava mais em seu próprio corpo.

11 de Junho de 2019 às 14:14 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Desespero

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas