Como Tentar Não se Apaixonar pelo Novo Inquilino Seguir história

stteffannydenny55 fujoshi dahora

Era o assunto do momento. Nunca na vizinhança de Smalltown havia aparecido um anjo. Todas as "senhoras" estavam "quentes". O motivo disso, era um homem de 1,85 de altura, cabelos negros e longos. Suas sobrancelhas eram perfeitamente alinhadas. Sua pele era lisa e clara, seus olhos eram da cor castanho claro. Seus lábios eram avermelhados. Toda a sua pessoa passava um ar de frieza. Era uma verdadeira jade. Só havia um problema. Ele acabara de ser tornar o inquilino da pessoa mais odiada em Smalltown. As senhoras de Smalltown eram todas solteiras. A maioria estava na casa dos 55. Cada uma tinha seu modo de ganhar a vida. A maioria gostava de oferecer suas casas para jovens moços morarem. A nova peça de jade que estava mexendo com a cabeça das senhoras, era Yan Quon, o novo inquilino da proprietária mais odiada em Smalltown: Xin Qian.


Romance Romance adulto jovem Para maiores de 18 apenas.
0
3.0mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um Homem Misterioso Aparece

A cidade estava calma. Na rua, os pequenos raios de sol refletiam no asfalto. Um vento gélido podia ser sentido. Não havia muitas pessoas na rua, alguns gatos e cachorros passavam sem se importar com o fato das janelas ainda estarem fechadas.


Na rua São Valentin, havia muitas casas. O que as tornavam incomum era o fato de todas as suas donas serem mulheres. Mas havia uma casa e um pessoa que era diferente das demais. Seu nome era Xin Qian, uma moça de aproximadamente dezenove anos de idade e sua casa agora acomodava o mais famoso e incrível Yan Quon. Fazia cerca de três horas que o novo inquilino chegara e invadira sua casa.


Ontem às quatro horas da manhã, um barulho acordou toda a pacífica e calma Smalltown. Os cachorros latiam freneticamente, os gatos miavam cada vez mais alto, parecia que o apocalipse estava para acontecer. Mas na verdade era só Yan Quon chegando.


Como lá fora estava um reboliço, todas as senhoras da rua abriram suas janelas para ver o que estava acontecendo. Algumas já até tinham descido a escada e pegado um porrete para bater no possível ladrão.


As senhoras abriram suas janelas na esperança de ver o que estava acontecendo, mas seus olhos se depararam apenas com uma rua vazia. Somente os cachorros e os gatos estavam fazendo companhia na rua.


"O que está acontecendo?" Perguntou uma senhora que estava de camisola.

Talvez seja um cachorro ou uma cobra. Disse outra senhora.


Todas estavam esperando por algo que não estavam vendo. Quando estavam prestes a fechar suas janelas. No fim da rua veio um barulho.


O barulho se assemelhava ao som de rodas. Todas as senhoras olhavam com curiosidade.


Cinco segundos depois surge um homem, usando uma roupa longa de cor branca com detalhes azuis. Tinha em torno de 1,85 de altura, seu cabelo estava jogado para trás, mas podia se perceber que era longo. Suas sobrancelhas eram alinhadas. Seu nariz era fino e dava uma suavidade ao rosto. Seus lábios eram avermelhados, passando a sensação de serem implorados para beijar, beliscar e chupar. Em seus olhos castanhos via se uma frieza e uma selvageria capaz de despertar o lado animal de todos os seres humanos.


Nessa hora todas as senhoras choraram por entre as pernas.


O homem vinha dando passos largos e rápidos. Parando para pensar o tempo estava nublado. O vento não estava muito forte, podia ver uma vez ou outra um clarão no céu. Num piscar de olhos começou a chover.


As senhoras nem viram a chuva se aproximar. Os olhos de todas agora olhavam para o homem na rua todo encharcado. Como sua roupa era branca, e tinha começado a chover, a cena que as senhoras estavam vendo não era fácil de aguentar.

Um homem todo molhado, sua roupa agora transparente evidenciava seu abdômen definido, suas belas coxas e seu braço definido. O cabelo que antes estava atrás, agora estava na frente devido ao fato do belo homem ter corrido para procurar abrigo.


Todas as senhoras ficaram loucas. Rapidamente elas fecharam suas janelas e desceram para abrir a porta o mais rápido possível. Quem abrisse a porta primeiro seria a sortuda de ter um Deus desse em casa.


Dez segundos de passaram, as senhoras abriram suas portas e o que restava na rua apenas era a enchente corrente, que corria livremente por entre a calçada.


Todas as senhoras estavam aturdidas, pensando para onde o belo homem poderia ter ido. Passado uns três minutos elas decidiram dormir. Com certeza no dia seguinte elas teriam mais informações sobre o homem misterioso.


No fundo da rua, havia uma casa de dois andares, era uma casa um pouco antiga, mas tinha um toque de requinte e vivacidade. Havia apenas um problema:


1- Yan viu a janela da casa aberta e pulou para dentro. Quando sentiu que a chuva havia parado de cair sobre sua cabeça, ele suspirou de alívio, mas meio seguinte depois ele ouviu um som e sentiu algo tocar sua testa. Impaciente ele tocou esse " algo" e percebeu que era o cano de uma espingarda.


"Qual o seu último desejo?". Foi a última coisa que Yan Quon ouviu antes de desmaiar.

11 de Junho de 2019 às 14:26 0 Denunciar Insira 0
Continua…

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~