Meu amigo Yeollie Seguir história

abo-dream Projeto Abo Dream

Baekhyun, um jovem empresário, esperava de tudo quando foi forçado a adotar um cachorro no canil municipal, menos que ele se transformasse em um ser humano no meio da sua sala.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#metamorfo #fluffy #humanbaek #hybridchan #hybrid #lemon #yaoi #chanbaek
1
3695 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 1

MEU AMIGO YEOLLIE

CAPÍTULO UM

Fanfic por hlovescy

Betado por baekyeoliee_

Capa por bbangguk_

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Dizem que as melhores coisas em nossas vidas chegam de surpresa. Recentemente Baekhyun passou a acreditar nessa afirmação.

Byun Baekhyun, um jovem empresário de 28 anos, dono de uma pequena empresa de tecnologia. Ele vive para garantir que sua empresa prospere e acredita ser casado com seu emprego. Sua constante agenda lotada não deixa espaços para algo além de suas reuniões e um dia na semana para sair com seus amigos.

É por isso que, em uma sexta-feira à noite, durante sua saída semanal ao bar com seus amigos, Baekhyun novamente é obrigado a escutar que ele precisa arrumar uma namorada.

— Pela última vez, eu estou bem sozinho, Jongdae — Baekhyun resmungou.

Kim Jongdae, chefe da área de marketing e a dor de cabeça constante do Byun. Eles se conheceram quando ainda eram pequenos, pois a família do Kim havia se mudado para a casa ao lado da sua e desde então ele nunca mais teve sossego.

— Não é todo mundo que tem a sorte de ter uma Kwon Chaewon em nossas vidas — comentou brincando.

As bochechas de Jongdae coraram, fazendo que o trio na mesa risse.

Era ainda uma surpresa que, o sempre tímido, Kim Jongdae, tinha finalmente tomado coragem e se declarado para uma das garçonetes do restaurante que eles almoçavam todo dia.

— Jongdae está certo. Não é saudável ficar tantas horas trabalhando — Kyungsoo, seu outro melhor amigo, retrucou.

Do Kyungsoo, chefe da área de recursos humanos. Baekhyun e ele tiveram uma matéria em comum na faculdade e desde então eles estavam juntos. Ele também era a auto denominada "consciência" de seu chefe e o responsável por contratar suas secretarias.

Baekhyun deu um gole de cerveja para esquecer o porquê de andar tão estressado ultimamente. Sua secretária, contratada há três meses, estava começando a demonstrar um interesse mais que profissional e o Byun, na tentativa de não perder outra secretária, começou a ficar distante no intuito de desmotivá-la, porém isso acarretou problemas para si mesmo e ele andava estressado com o acúmulo de contratos para revisar.

Baekhyun sabia que seus amigos tinham boas intenções, mas ele estava bem daquele jeito. Sem falar como seu tempo era corrido e na maioria das vezes não conseguia descansar. Arranjar algum tipo de relacionamento agora, quando sua empresa ainda estava caminhando para o sucesso, estava fora de cogitação.

— Eu agradeço a preocupação, de verdade, mas estou bem sozinho.

E ao falar isso, Baekhyun levantou-se da mesa, despediu-se e saiu do bar em direção ao ponto de táxi mais próximo. Sabendo que ia beber, ele deixou o carro no estacionamento da empresa enquanto ia se encontrar com os amigos de táxi. Baekhyun só havia tomado três cervejas e ainda se considerava sóbrio, mas ele preferia não arriscar.

Para melhorar ainda mais sua noite, Baekhyun sentiu gotas caírem em sua pele. E em poucos minutos uma chuva forte fazia-se presente na região. Correndo para não se molhar, o Byun entrou no primeiro táxi disponível e falou rapidamente o endereço para o motorista. O caminho até sua casa foi feito vagarosamente e o empresário observava as luzes da cidade passarem pela janela.

Baekhyun chegou em casa molhado, cansado e estressado. O motorista do táxi cobrou mais do que devia, suas meias estavam molhadas e sua consciência pesava por ter abandonado seus amigos daquele jeito, porém ele não conseguiu evitar. Fazia meses que eles estavam com aquela conversa de que Baekhyun deveria arrumar alguém.

O Byun não ia negar que de vez em quando se sentia solitário. Como seria bom ter alguém o esperando em casa quando ele voltava cansado do trabalho, porém sua empresa ainda estava se estabilizando no mercado e ele sabia como seu tempo era limitado, então arranjar alguém agora seria irresponsável de sua parte.

Cansado, o Byun apenas trocou de roupa e caiu na cama. Ele pediria desculpas no dia seguinte, com certeza seus amigos entenderiam como ele estava estressado naqueles últimos dias.

Sua empresa estava no processo de conseguir um acordo com uma das filiais da Amazon para poder vender seus produtos online e isso estava fazendo que as poucas horas de sono que Baekhyun tinha fossem diminuídas ainda mais.

Uma semana após sua ida ao bar com os amigos, Baekhyun está novamente no trabalho quando recebeu uma mensagem de texto de seu irmão, Baekbeom, pedindo para que o Byun saísse mais cedo do trabalho, pois eles tinham um lugar para ir.

Baekhyun, curioso sobre tal lugar, apenas concordou e saiu do trabalho mais cedo naquele dia, pedindo para sua secretária mandar a pauta das próximas reuniões por e-mail. Ele esperava que ela obedecesse dessa vez ao invés de o ignorar como aquela manhã, quando ele pediu os arquivos dos investidores.

Talvez estivesse na hora de pedir para Kyungsoo trocar sua secretária novamente.

Ele saiu de sua empresa e logo percebeu o carro, um modelo velho que Baekbeom se recusava a trocar, estacionado perto da entrada. Baekhyun correu até o veículo e abriu a porta com um sorriso, pois fazia tempo que ele não passava um tempo com seu irmão mais velho.

Baekbeom não havia mudado nesse tempo em que eles não se falaram, ainda parecia um cópia mais velha do próprio Baekhyun. Ele se preparou mentalmente para o discurso que ele tinha certeza que viria, pois seu irmão era o defensor número um da causa "pare de trabalhar tanto", principalmente quando fazia meses desde que eles conversaram cara a cara.

Já dentro do carro, Baekhyun colocou o cinto observou seu irmão dar partida no motor em silêncio.

— Seus amigos me ligaram ontem — comentou o Byun mais velho.

Baekhyun teve que resistir a vontade de xingar Jongdae em voz alta, porque ele tinha certeza que o Kim tinha sido o fofoqueiro. Ele agradecia a preocupação, mas era a sua vida e as suas escolhas.

— Você tem passado muito tempo trabalhando, irmãozinho. — Como Baekhyun odiava esse apelido. — Eu entendo que você quer prosperar, mas você precisa arranjar tempo para si mesmo também.

Baekhyun estava começando a se arrepender de ter entrado naquele carro. Desde que ele havia passado uma semana no hospital, já que havia ficado doente e continuou a trabalhar como sempre, o que fez com que seu corpo enfraquecesse e desmaiasse durante uma reunião.

— E passar muito tempo sozinho não é bom — seu irmão continuou com o discurso. — Você precisa de companhia, seu apartamento é grande demais apenas para você.

O mais novo nem estava prestando mais atenção no que seu irmão dizia, se ele estivesse se sentindo muito solitário já teria arrumado alguém há muito tempo, mas ele andava tão ocupado que não tinha tempo para sentir nada além de constante estresse. Ele apenas concordava e torcia logo para que eles chegassem ao seu destino.

— E eu sei que você não tem vontade nenhuma de arranjar uma namorada, por isso resolvi te trazer aqui para a segunda opção — disse apontando para algo fora do carro assim que eles estacionaram.

Baekhyun nem percebeu que o veículo havia parado. Ao olhar pela janela, deparou com um galpão grande e uma placa "Canil Municipal" escrita em letras garrafais.

Não.

De jeito nenhum.

— Se você acha que vai me fazer adotar um bicho, você está muito enganado.

Só de imaginar a sujeira em seu apartamento e o tanto de pelos que cairia em seu sofá ou em suas roupas era o suficiente para ele detestar a ideia de ter um animal de estimação.

— Vamos lá. Vai que você encontra um que queira levar? — seu irmão disse.

Baekhyun duvidava que isso fosse acontecer, mas desceu do carro mesmo assim para aliviar sua consciência, e fazer com que seu irmão ficasse quieto também.

— Eu vou dar uma olhada, mas duvido que eu encontre um que me agrade — falou ao fechar a porta do veículo.

Ele entrou no local, que fedia a urina de cachorro e jornal, e foi até o recepcionista para pedir para ver os animais. O local parecia nunca ter visto uma limpeza antes, com suas paredes sujas e cheias de mofo, porém ele tentou ser simpático ao chamar a atenção do funcionário que mal parecia ter saído da escola.

Com certeza deve estar fazendo estágio para ganhar nota, pensou o Byun ao ver a cara de entediado do rapaz e o crachá escrito Zitao com letras tortas.

— Olá. Será que teria como eu ver os animais que estão disponíveis para adoção? — pediu com um sorriso.

O garoto o encarou por alguns segundos antes de responder:

— Que tipo de bicho você está procurando?

Isso fez Baekhyun parar e pensar.

Ele não tinha nenhuma vontade de ter um animal de estimação, mas se isso fizesse com que seu irmão e seus amigos pararem de encher o saco então ele faria um sacrifício.

— Um gato, por favor — respondeu o Byun.

Se fosse para ter um animal de estimação então Baekhyun iria escolher, sem dúvidas, um gato. São animais elegantes, independentes e o que o empresário mais gostava neles: faziam suas necessidades sem que ele precisasse os levar para passear.

Com sua agenda sempre lotada, era inviável que o Byun conseguisse tirar tempo o suficiente para levar um cachorro para andar duas vezes ao dia.

— É só entrar por aquela porta — disse apontando para uma porta de ferro fechada. — Se tiver alguma dúvida é só gritar que eu respondo.

Baekhyun deu um sorriso falso e agradeceu, porém ele xingava o atendente por dentro.

Quando ele abriu a tal porta, parecia que o cheiro de urina havia triplicado e junto veio o barulho horrível de latidos. Ele percebeu que a jaula dos gatos ficava a esquerda enquanto as dos cachorros ficavam do lado oposto. As primeiras eram de filhotes, entretanto o Byun estava a procura de algum animal já adulto, pois filhotes em sua opinião eram agitados demais.

Ele andou mais para o fundo do galpão atrás de algum animal que tocasse o seu coração o suficiente para que ele pudesse ir embora dali logo.

Ele se deparou com um gato listrado cinza com patas brancas. Ele era de tamanho médio e parecia ter o pelo curto, o que era um ponto positivo para o Byun. Não querendo olhar os outros porque o empresário tinha pressa em sair dali Baekhyun decidiu ficar com aquele mesmo.

— Eu já escolhi um! — gritou para o recepcionista. — O que eu faço agora?

— Pegue a chave perto do extintor e abra a gaiola — Zitao gritou de volta. — Depois é só trazer o bicho para mim.

Baekhyun fez uma careta ao perceber que iria ter que pegar o animal no colo que provavelmente tinha pulgas e estragaria seu terno novo.

Ele andou até o extintor para pegar a chave e reparou em uma jaula pequena que ficava no canto separada das demais. Não conseguindo controlar sua curiosidade, ele se aproximou e viu que no canto encolhido havia um labrador preto dormindo.

— Por que esse está separado? — indagou para si mesmo.

O Byun chegou a conclusão que devia ser por alguma doença e que o cão estava ali para não contaminar os outros animais, ele ia se afastar para evitar de contrair alguma coisa quando percebeu a placa pendurada no canto da jaula.

"Animais para sacrifício"

Seu olhar voltou para o animal que tinha acabado de acordar e que agora olhava para o Byun como se pedisse por ajuda.

— Não, de jeito nenhum — começou a falar sozinho ao se afastar da gaiola.

Ele não iria cair naquele truque. Byun Baekhyun é um empresário ocupado que não tem tempo para um animal de estimação que provavelmente precisa de cuidados especiais.

Ele segurou a chave e estava voltando para o gato que ele queria quando resolveu olhar para trás mais uma vez. Só para aliviar sua consciência e se convencer que não estava fazendo nada de errado.

O cachorro estava em pé e continuava a olhar para ele entre as grades.

— Que droga! — disse ao dar meia volta e ir em direção ao labrador.

Byun Baekhyun, você já foi menos mole.

O processo de adoção foi feito rapidamente e ele fingiu não ouvir a risada alta que seu irmão soltou quando ele apareceu segurando um cachorro com uma mão e um saco de ração com a outra.

— Eu não quero ouvir uma palavra sobre esse assunto — disse ao entrar no carro.

Seu orgulho não permitiria ouvir gracinhas sobre o que ele tinha acabado de fazer após ter deixado explícito que não tinha nenhuma vontade de ter um animal de estimação.

O cachorro estava deitado no banco de trás e parecia desinteressado na conversa dos dois.

— Eu não ia dizer nada — Baekbeom disse sorrindo enquanto ligava o carro.

Baekhyun ficou emburrado no banco do passageiro durante todo o trajeto até a sua casa. Por causa do seu coração mole, o Byun teria agora que mudar toda a sua rotina para encaixar passeios diários, visitas ao veterinário e ao pet shop.

— Mas e aí? Como você vai chamar o pulguento? — seu irmão perguntou brincando.

Ele ia responder que ainda não havia decidido um nome quando sentiu um cheiro ruim vindo do banco de trás. Eles se viraram para ver uma mancha escura surgir no banco onde o cão estava deitado.

Seu irmão olhou para o animal horrorizado.

— Ah não! Baekhyun, ele fez xixi no meu carro — seu irmão reclamou.

O empresário riu e se virou para fazer um carinho em seu cachorro que levantou a cabeça ao ver sua mão se aproximando.

— Até que você não é tão ruim assim.

Ter um animal de estimação poderia ter seus lados bons afinal de contas.

25 de Abril de 2019 às 22:05 0 Denunciar Insira 119
Leia o próximo capítulo Capítulo 2

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!