Recepção Seguir história

shikamaterasu Dani

Depois algum tempo, Izuna retorna para casa por causa da Páscoa e tem uma recepção calorosa do namorado.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#yaoi #lemon #naruto #au #pwp #uchiha #universo-alternativo #senju #tobiizu #tobirama #izuna #izutobi
Conto
0
3.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Notas iniciais:

_________________

Mais uma loucura minha que vira fanfic. Boa leitura e Feliz Páscoa.

_________________

Ele estava finalmente em casa. Depois de tanto tempo longe, lidando com reuniões extensas e documentação interminável, Izuna Uchiha teria alguns dias de folga por conta do feriado. A decisão de pegar trabalho extra nas semanas anteriores para não precisar lidar com eles em casa tinha se mostrado eficiente.

Não foram as conhecidas ruas que seus olhos capturavam quando entrou na cidade, ou mesmo as placas com os nomes, tampouco a fachada da casa que o deram a certeza de estar de volta. Foi aquele homem de cabelos claros o esperando na cama. E vestido de coelhinho. Uau. Por essa recepção, Izuna não esperava. Não que estivesse reclamando, apenas era inesperado. Ficou alguns segundos parado na porta do quarto admirando as curvas já conhecidas, mas que agora estavam dentro daquela fantasia. Tobirama já era naturalmente sensual; vestido naquilo, então...

— Vai só olhar? – quis saber.

Estalou o elástico da meia calça, mordendo o lábio inferior e sem tirar os olhos dele. Algo na parte de baixo de Izuna pulsou com essa cena diante de si; aquele simples barulho soando tão erótico agora. Mesmo assim, ele não saiu do lugar.

— Ok, vou te buscar.

Então ele saiu da cama, dando a Izuna uma visão melhor ainda de seu corpo. Bem que poderia ter ido até o namorado, porém ele era tão sensual tomando a iniciativa que Izuna preferiu deixá-lo vir. E ele veio. Um logo beijo saudoso e carregado de desejo foi dado, enquanto mãos prendiam nuca e adentravam fios de cabelo. Praticamente um mês longe um do outro por causa do trabalho de Izuna resultavam em carícias calorosas, uma saudade que mensagens de texto e chamadas de vídeo não eram capazes de cessar.

Tobirama era quem comandava a situação, o deixando louco através do beijo, porém Izuna decidiu que deveria mostrar um pouco de liderança. O levou de volta à cama, o fazendo recuar e o empurrando em seguida. Teve grande satisfação num arfar que ele deu ao tombar no colchão – Tobirama achava sexy quando Izuna se impunha. O Uchiha usou a pequena brecha que conseguiu para desabotoar a camisa, não demorando a exibir o peitoral e nem a ser puxado rumo ao seu coelhinho; ele parecia mais ávido por seu corpo do que de costume. Seria uma Páscoa maravilhosa, sem dúvida.

O corpo de Izuna foi liberto de grande parte das roupas – ficando apenas de cueca – por Tobirama, que logo teve parte do seu à mercê dos lábios dele. Emitia sons manhosos e excitantes sob os toques daquela boca macia e habilidosa. A fantasia podia ser facilmente removida, apesar de cobrir apenas parte do corpo, mas Izuna preferiu apenas usar a abertura que a parte de baixo possuía. Conseguindo ter acesso ao desperto membro do namorado, o ofereceu uma massagem lenta nos primeiros segundos e se deliciou com a expressão de prazer naquele rosto perfeito antes de descer para um contato mais íntimo.

Abocanhar de uma vez e não se demorar em um lento vai-e-vem certamente deve ter surpreendido Tobirama, embora já soubesse que Izuna não seguia padrões em suas performances sexuais. Sentiu o rabo de cavalo que costuma usar ser agarrado, e deixou-se ser guiado. Tê-lo reassumindo o controle aos poucos não era ruim, mas ainda assim, Izuna resolveu parar porque ainda não era o momento de Tobirama vir.

— Eu que mando, coelhinho. – respondeu com um meio sorriso, ainda olhando de baixo enquanto pressionava a ponta do membro dele.

Levantou para se posicionar melhor entre as pernas de Tobirama, passando a mão por uma delas cobertas pela meia calça. Aquilo era realmente sexy. Voltou a estalar o elástico, alargando o sorriso ao voltar a ouvir tal som, antes de alcançar o lubrificante no móvel ao lado da cama. Tinha pensado em virá-lo e usar a língua naquela entrada pulsante a qual agora pressionava seus dedos, mas o lubrificante estava se mostrando bem mais eficiente que saliva – e o risco de machucar Tobirama era praticamente nulo.

A cada ida e vinda dos dedos de Izuna, Tobirama se contorcia embaixo dele, uma visão tão incrível quanto excitante a qual não se prendeu por muito tempo. Com seu parceiro pronto para recebê-lo, Izuna agora dava atenção ao próprio membro quando se desfez da última peça de roupa. O que ele não esperava, era que Tobirama fosse ficar por cima de repente. Num movimento rápido, eram as costas de Izuna em contato com o colchão, sendo firmemente preso pelas pernas alheias.

— Eu assumo daqui. – o de cima disse, prendendo também as mãos dele com agilidade.

Voltou a beijá-lo rapidamente, antes de se permitir ser penetrado. Tobirama gostava que Izuna tomasse a iniciativa, mas também era excitante ditar os movimentos. Além disso, era o retorno do Uchiha para casa. Ele certamente vinha trabalhando demais e agora que estavam juntos de novo e compartilhando esse momento de intimidade, merecia todo o prazer que Tobirama poderia oferecer.

Afrouxou o aperto nas mãos de Izuna, entrelaçando-as às suas, enquanto se movimentava lentamente sentado nele. Quando aumentou um pouco a velocidade, assim como os próprios gemidos, permitiu que Izuna o tocasse. Apertando coxa e nádegas, ele passou a conduzir parte dos movimentos. Como Tobirama era mais alto, achou melhor inverter as posições de novo para obter mais mobilidade nas estocadas.

E lá estava o Uchiha por cima outra vez, um pouco mais agressivo enquanto aumentava as estocadas. Decidiu abrir um pouco mais as pernas de Tobirama, encaixando uma em cada ombro. Tal posição lhe permitia adentrá-lo completamente, aumentando o barulho de carne se chocando e atingindo a próstata alheia. Nessa dança indecente, o contato visual era mantido e significava um adicional àquele momento erótico. Poder olhar aquele rosto suado e vermelho, os olhos semicerrados pelo prazer em direção aos seus era um privilégio que só Izuna tinha. Considerava-se um homem de sorte por namorar Tobirama Senju, o qual pensava o mesmo de si sobre namorar Izuna.

Um tempo depois, Tobirama apertava as pernas ao redor de Izuna, puxando os longos e escuros cabelos que já não eram mais presos por um rabo de cavalo. Sabia que Izuna achava isso excitante, bem como ouvir seus gemidos de perto e a demonstração de que disputava o controle da situação.

— Izu... – gemeu. — Eu tô vindo.

— Venha. – sussurrou e deu um tapa na bunda dele.

Gostou de ouvir o som manhoso que Tobirama emitiu em resposta. Lambeu e mordeu o queixo dele em seguida, logo o beijando nos lábios. Tomou o membro dele nas mãos com um ritmo semelhante às estocadas e não demorou a se sujar com o líquido dele, bem como a preenchê-lo com o seu.

Levou algum tempo para se retirar dele devagar. Ainda ofegante, tombou para o lado e só quis apreciar o pós-sexo junto do namorado, que aos poucos veio ficar abraçado com ele. Recuperando as energias, eles conversavam sobre o futuro. Tobirama tinha os cabelos acariciados por Izuna, que já tinha o livrado das orelhas de coelho que faziam parte da fantasia.

— Estamos prontos. – o Uchiha disse de repente.

— Pra quê? – Tobirama quis saber.

— Pra tudo.

A resposta de Izuna se mostrava tão vaga quanto sua afirmação inicial. Ele apenas fez sinal de que precisava se levantar, se meteu num roupão de banho que mais tarde seria útil à sua verdadeira função. Tobirama o olhava, confuso, mexendo em algo na mala. Segundos depois, o Uchiha se apoiou em um joelho na frente dele e revelou um anel dentro de uma caixinha.

— Quer casar comigo? – propôs, observando a expressão de choque do outro. — Eu sei que não é tão romântico quanto eu tinha planejado, mas eu não quero esperar mais. Você precisa saber que eu quero tudo: casamento, filhos e o que quer que isso envolva.

Pouco importava se Izuna tinha feito a proposta um tempo após o sexo, vestindo roupão de banho, a ele, que ainda vestia a fantasia de coelhinho suja de porra. Aceitou com emoção, olhando o anel ser colocado em seu dedo e beijou seu noivo. Riu quando Izuna prometeu que faria isso direito, com o romantismo que o momento pedia. Embora concordasse que uma reprise seria muito bem-vinda, Tobirama deixou Izuna saber que aquilo já era perfeito simplesmente por ter acontecido. Ele quis dar uma recepção maravilhosa ao Uchiha, aproveitando a época de Páscoa, mas outra vez, fora surpreendido por aquele com quem desejava passar o resto da vida.

_________________

Notas finais:

_________________

Tudo começou porque eu vi fanart do Sasuke de coelhinho, aí automaticamente pensei no Izuna. Só que eu nunca vi Tobirama de coelhinho, apenas me lembrei de uma fanfic onde Izuna o chamava assim (a fanfic foi excluída, então nem posso mandar o link). Beleza, era pra ser pura safadeza. Só que eu taquei um momento fofo no final porque eu simplesmente não me aguento escrevendo sobre meu shipp. Obrigada quem leu e até a próxima.

22 de Abril de 2019 às 02:38 0 Denunciar Insira 119
Fim

Conheça o autor

Dani • Uchiha stan •

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~