AFIADO COMO LÂMINA- O caminho da espada Seguir história

rukia-katoku Rukia Katoku

Duas famílias influentes, um clã poderoso e uma princesa habilidosa...Mesmo no mundo moderno, ainda existem guerreiros das sombras, e o clã do dragão liderado por Ryu Hayabusa é uma prova disso.Depois de um estranho acontecimento no vilarejo, a princesa Futaba esta prestes a ter uma grande batalha em sua vida...



Fanfiction Jogos Para maiores de 18 apenas. © tecmo e rukiakatoku

#ninja #luta #fanfics #romance #385
0
2728 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Paz momentânea

Em uma das melhores casas da aldeia estava a princesa do clã ninja, Futaba Hatori e se despia para tomar um banho com a ajuda de sua criada mais antiga.

- Obrigada Myiori

- Por nada princesa

- Por que tanta formalidade, Myiori?

- Como assim?

- Sabe do que eu estou falando

- Sou uma mera servia...

- ERRADO! – levanta um pouco a voz. – você me criou depois que minha mãe morreu isso significa muito para mim, você não é uma serva e sim parte da minha família, pena que você não me enxerga dessa forma. – da às costas.

- Prin... Futaba! Não é verdade, não tive o prazer que tive em conviver todos esses anos com você. – a mulher de meia idade sorri e Futaba também.

- Você entende agora Myiori, você não é qualquer pessoa, é minha segunda mãe.

- Me sinto honrada, princesa.

- E é FUTABA, para você Myiori. – ambas sorriem, Futaba beija o rosto de sua antiga babá e vai se lavar.

*

Ia ter um festival na aldeia, uma peça ia ser exibida e a humilde princesa seria protagonista, o Kabuki ia ser apresentado e todos do vilarejo estavam presentes. Uma música é cantada com uma bela voz feminina, era Futaba.

No fim da peça ela revência o público que a aplaude acompanhado de assobios e flores lançadas no palco. Em seu camarim ela retira a maquiagem branca, pesada e troca o quimono verde com estampa florida por um preto com estampa de flores de cerejeira e arrumou um arranjo em seus cabelos longos e negros depois segue para a festa, sua antiga babá a observa e ao ser notada ganha um sorriso amigo.

- Você está linda... Quer algo?

- Não, obrigada – sorrindo recusa educadamente. Ela sai deixando-a só.

Futaba vai para o festival e cumprimenta as crianças, músicas são tocadas pelos instrumentos, ao vivo, e os moradores dançam. Ryu a encontra e dançam juntos uma música alegre e agitada.

- Você se lembra da primeira vez que me tirou para dançar? – pergunta Futaba.

- Como me esqueceria? – responde ele.

*Flashback on*

Futaba dançava com as crianças e depois foi convidada por um dos 3 de seus amigos, um daqueles que sempre brincou e saía para caçar.

Sorri e dançava como uma criança enquanto seu pai estava não muito longe dali observando, batendo palma e bebendo saquê. Eles param um pouco de dançar.

- Tem bons faisões nessa época do ano – Diz Shun.

- Podemos caçar um dia desses – Futaba.

Uma amiga dela os observava de longe, Futaba percebe e diz sussurrando ao amigo:

- Miyuki adoraria dançar com você.

- Será?

- Com certeza.

- Mas...

- Vou sentar um pouco.

Enquanto Miyuki e Shun dançavam, Futaba fingiu que não tinha notado que Ryu a observava de longe. Quando Shun deixou Futaba para ir dançar com sua amiga ela olha para Ryu com uma expressão neutra, continuam a se olharem, observarem, flertarem...

De repente outra amiga de Futaba aparece querendo conversar, mas ela tenta não tirar os olhos de Ryu e faz isso, até finalmente sua amiga conseguir desviar sua atenção.

- Ei! Futaba! – alerta a amiga que senta na cadeira ao lado da mesa e percebe o flerte da amiga princesa e a obriga a olhar para si. – Desde quando apaixonada por ele?

- Ah? O quê?

- Não tenta esconder isso de mim! escrito na sua cara!

- Para com isso...

- Preciso ir.

Quando sua amiga sai de repente sem dar explicações Futaba estranha, mas deixa pra lá e então procura pelo olhar de Ryu, mas não o encontrou. Ele não estava mais lá. Enquanto o procurava com seus olhos, ouve:

- Entediada, princesa?

- Ryu?! – olha pra ele fixamente e sua respiração fica curta. – e você?

- O que é que tem?

- Tam... também parece entediado... – gagueja um pouco ao falar. – deveria tirar alguém para dançar... – desvia o olhar dele e olha para o chão. – Tem muitas moças.... Que... Iriam querer sua companhia – não o encarava.

- Não sei se está certa disso, mas não custa tentar. – pausa – Princesa Futaba, quer dançar? – reverencia, estende a mão. Isso a surpreende, mas a deixa feliz.

- É cla.. claro. – gagueja um pouco e sorri discretamente.

Pegando na mão dele começam a dançar e entre vários momentos ficam bem próximos um do outro e no flerte quase se beijam devido a proximidade.

- Se divertindo agora, princesa? – sussurra.

- Sim... e você? – sussurra também

- Mais, impossível.

- Hayabusa...

- O que foi?

- Eu só... – a voz não sai, por fim diz. – Nada.

A expressão no rosto de Ryu é de decepção, pois queria ouvir uma coisa dela.

- Mestre Ryu! - Momiji chama – preciso lhe falar.

- Eu tenho que ir. – diz ele para Futaba.

Ao que parecia o assunto era sério, Futaba apenas o observava.

- Futaba! – seu pai a chama.

- Titi-ue!...

- Sente ao meu lado. – e ela vai.

*Flashback off*

Um beijo surge à proximidade dos lábios, o festival foi divertido, ambos bebem e trocam de pares na dança e no fim retornaram para a casa e se deitam no tatame onde compartilham conversas e toques eróticos.

No dia seguinte não era dia de dar aula para as crianças então ela foi praticar com a sua kodachi na floresta não muito longe da vila, mas o suficiente para ter privacidade longe dos olhos dos moradores. Futaba se movimentava como em uma dança, seus cabelos longos até o quadril esvoaçantes balançavam ante os golpes que aplicava no ar. Então, de repente percebe que tem alguém em seu encalço e foge pulando entre as árvores assim se afastando mais.

Enquanto isso Joe Hayabusa repousava em sua casa.

- Momiji.

- Hi! Hayabusa-sama!

- Onde está Ryu e Futaba? Tenho que falar com eles.

- Sinto muito, não sei onde estão.

Futaba, depois de correr muito parou e ficou na posição pronta para defender o golpe e consegue. Ela da um sorriso maroto, recua e diz:

- Nunca esperei menos de você...

Por debaixo do traje negro do ninja lendário estava Ryu que retira sua máscara revelando o rosto bonito.

- Decepcionada?

- Muito pelo contrário... – toca em seu corpo, Ryu percebe a intenção da esposa, ainda faziam pouco tempo que estavam casados, uns dois meses, mas queriam passar o máximo de tempo juntos, que fora a noite era bem raro terem um tempo durante o dia.

Os lábios eram tão próximos do rosto dele, só ameaçando beijá-lo enquanto a mão menor e delicada acariciava o peito a cintura e o quadril. Ele lhe toca os braços e cintura dela segurando firme, mas devagar ela então segura o rosto masculino e beija-lhe os lábios vorazmente, Ryu retribui da mesma forma e tão logo suas roupas são deixadas de lado.

Encostada contra a árvore ele suspende uma das pernas dela assim instintivamente fazendo-a enlaçar em sua cintura e automaticamente abrindo mais espaço para penetrá-la.

- Ah... ah... – morde o lábio inferior, o cheiro dele a fazia querer mais que ele se fundisse a ela. – Aaaaaaaaahhhhhh!

Um orgasmo ainda mais forte do que teve em sua lua de mel, mas ainda não tinham terminado. Agora de costas para ele o seus seios estavam sendo esmagados pela casaca da árvore, por alguma razão não sentia dor ali, ainda não tinha testado aquela posição, um pouco de sangue escorreu, mas eles não pararam, quando terminou Ryu percebe o líquido rubro e diz:

- Acho que fui longe demais.

Agora de frente pra ele, diz:

- Ah! – ele dá as costas para ela, Futaba ainda suspirava se aproximou dele e tocou em suas costas com a ponta dos dedos e respondeu. – tudo bem, eu bem...

Ele vira a cabeça para trás e responde:

- Eu machuquei você.

- Não. – o abraça por trás. – Eu já te causei tantos ferimentos então é justo que me faça algum também.

- Não faria isso com você.

- Mas eu quero, já tenho tantas cicatrizes... Quero uma em mim feita por você.

Fica de frente para ela e toca em suas costas deslizando até o quadril, ela também repete a ação.

- Eu já fiz. – responde ele.

Ela oferece os lábios para ele beijar e é atendida. Ficam ali mais um pouco, se deitam no chão debaixo da mesma árvore onde, novamente, se entregam um ao outro.

*

Momiji vê o movimento entre as árvores acima e de repente o vulto some.

- O clã Aranha Negra!

*

O casal comentava enquanto terminava de se vestir.

- O clã Aranha Negra mal tem se movido. – diz Ryu.

- Não podemos baixar nossa guarda, não sabemos o que podem estar tramando. Ryu!

- O que?

- Não vamos permitir que firam o nosso povo.

- É claro que não! – a beija nos lábios de forma doce. - É hora de voltar.

Ao retornarem um mensageiro os encontram logo na entrada do vilarejo e diz:

- Hime-sama, mestre Ryu! Hayabusa-sama está requisitando a presença de vocês!

Um olha para o outro e seguem até a casa de Joe Hayabusa e ao chegarem Futaba se ajoelha em senza¹ e encosta a testa no chão, no sentido de total respeito.

- É bom ver que está com saúde, querido sogro.

Joe não responde, Ryu se aproxima mais até chegar poucos centímetros da cortina transparente e se abaixa apoiando-se em um dos joelhos. Futaba ergueu sua cabeça, apoiou suas mãos nas coxas e permanecia imóvel.

- Titi-uê... – diz Ryu

- ONDE VOCÊS ESTAVAM? – eles ficam em silêncio – VOCÊS SABIAM QUE UM DOS ESPIÕES DO CLÃ ARANHA NEGRA ESTAVA RONDANDO POR AQUI? Momiji viu um deles hoje a tarde!!!

- O quê???? – diz Futaba.

- Momiji conseguiu segui-lo? – pergunta Ryu.

- Não, mas ao que parece ele pode ter seguido para o leste. Os outros tentaram seguir também, mas perderam seu rastro.

Futaba, preocupada e pensativa abaixa a cabeça.

- E onde vocês estavam???? – questiona – Se algum de vocês estivesse aqui poderiam ter alcançado e capturado! – pausa, ele estava de costas para ambos, mas falava. – Ryu! Como líder do clã, não pode descuidar de suas responsabilidades e Hime-sama, o que seu pai diria se a visse agora?

Futaba desvia o olhar para o lado.

- Não vai acontecer de novo – diz Ryu.

- Tratem de descobrirem o que eles querer o mais rápido possível! Agora vão!

Depois de cumprimentarem o ancião os dois saem e no caminham comentam:

- Nosso erro foi tão grande assim? O que exatamente fizemos de errado?

- Ignore meu pai.

- Sei que nos afastamos muita da vila, mas não esperávamos nada assim tão descuidado do Aranha Negra.

- Não pense mais nisso, Futaba.

- É claro! Vai que Joe Hayabusa pensa que seu filho se casou com uma incompetente.

- Futaba! – ele a segura pelo braço.

- Ele citar o meu pai naquele momento não foi coincidência! Porque eu sei o que Hanzo Hatori diria. – enfatiza quando diz o nome do pai. Ela toca em seu peito de forma carinhosa, dessa forma se aproximando mais. – Por mais que eu tenha me esforçado, nunca serei como meu pai, mas me comprometo a uma coisa, nunca deixarei ninguém manchar o nome dessa casa, nem que custe a minha vida.

- Sabe que não está sozinha...

Com as mãos agora em volta da cintura dela um beijo surge com o flerte.

19 de Abril de 2019 às 15:13 0 Denunciar Insira 0
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

Rukia Katoku gosto de videogames e animes.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~