GO! Gigantiaía Omáda Seguir história

igor-morais-costa Igor Morais

A jornada de um príncipe bastardo para realizar o ultimo desejo de sua falecida mãe. E como resultado ele agora se encontra no lugar mais perigoso do mundo, rumo a cidade das lendas antigas.


Ação Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#romance #fantasia #aventura #gore #herotico
4
4256 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Jornada

Os ventos de verão sopravam rumo a oeste e junto desses ventos um barco, com um peixe de asas prateadas como símbolo, que seguia rumo a cidade de Portia, a capital de Maremind.

Do mastro já se podia avistar a cidade, sem perder tempo, o marujo no mastro grita:

TERRA A VISTAA!!

Os marujos com alegria dão gargalhadas de felicidade dizendo coisas como: “finalmente”, “RARA terra finalmente! ”. Eles provavelmente estavam no mar por muito tempo, então era de se esperar que estivessem animados.

-HaHaHa não se animem rapazes, estamos apenas de passagem, nada mais que uma semana.

Um homem que estava no timão fala isso com uma cara de realização. Aquele era o capitão, um homem com 2m de altura, de cabelos branco que chegavam até a cintura, seu nome era Robert e tinha cerca de 55 anos, mas era mais musculoso e forte do que toda sua tripulação.

Vestia um sobretudo vermelho sangue, suas calças eram rasgadas e em sua cintura havia uma cimitarra, no punho da espada havia uma cabeça de touro feita de metal. Não usava sapato, logo, andava descalço, seu estilo era estranho, mas ninguém ousava falar nada, afinal quem falasse, seria jogado para os tubarões.

Enquanto isso na zona comercial de Portia, um grande alvoroço podia ser visto em frente a uma loja de armas, várias garotas estavam na entrada, bom, isso ainda era pouco, afinal os dois príncipes do reino estavam lá.

Um estava na porta impedindo as garotas de entrarem e outro estava olhando espadas. O que estava olhando as espadas era o príncipe mais velho e o motivo daquele alvoroço todo, ele tinha cabelos curtos e loiros, era extremamente requisitado pelo povo e pelas mulheres. Sua personalidade não era das melhores, seus pensamentos eram “tudo que eu quero eu tenho” e “por que se importar com plebeus”, em resumo o pior herdeiro possível para o reino.

O que estava na porta era seu meio irmão, ele era quase o oposto do seu irmão mais velho, tinha olhos na cor purpura e cabelos negros como a noite, não era tão requisitado pelas mulheres e não era tão querido pelo povo por causa de ser filho de uma empregada. Sua personalidade era o oposto da de seu irmão, ele não discriminava ninguém, mas mesmo assim não ficava enturmando com o povo, em resumo, sua personalidade era neutra.

-Quer andar rápido com isso Ark?!

-HAHAHA. Calma, calma irmãozinho, você está reclamando o dia todo.

-Claro que eu to reclamando, você fica me usando como porteiro em todo lugar que você entra. E por que você está comprando uma espada? Você ganhou uma no seu aniversário!

-Isaac, Isaac, você viu aquela espada não viu?

-Sim, eu vi, o que ela tem que você não gostou?

-Aiai você me conhece tão bem irmão. Primeiro, ela é uma espada curta, não combina com meu estilo, segundo, ela é muito simples e não tem detalhes ou um símbolo que impõem respeito!

-Você é um idiota mimado, eu ficaria feliz de apenas ganhar algo no meu aniversário. Aaaaaa parem de me empurrar imbecis!

Isaac podia ser indiferente em relação ao povo, mas paciência tem limite. Ele empurra uma menina nas outras e fecha a porta batendo-a com força.

-RARA, por que tanta raiva irmão?

Com um sorriso amedrontador Isaac se aproxima de Ark e responde:

-Porque você sempre me usa como proteção? Seu príncipe idiota!

-Ok, ok! Agora... pode me soltar?

-Tsk idiota.

Isaac solta o colarinho de Ark e fica observando o fuzuê do lado de fora pela vitrine da loja.

Além da loja de espadas, eles ainda foram em diversas lojas, sempre perseguidos por garotas. Ark era o típico príncipe mimado que vai comprando tudo que lhe convêm, mesmo que mais da metade dessas coisas não iriam servir de nada a ele.

Os dois acabaram voltando tarde para o castelo. Eles saíram da carruagem e foram recepcionados pelas empregadas com o seguinte anuncio:

-Príncipe Ark, sua mãe requisita sua presença.

-O que ela quer agora?

-Ela não falou o motivo, meu príncipe, apenas falou para te dar esse recado quando chegasse.

-Então Isaac, o que você acha que ela quer?

-Bom, provavelmente é algo como “você não pode ficar o dia todo fora de casa” ou “você é o príncipe herdeiro não fique junto daquele bastardo”, coisas do tipo.

-Nossa que bela visão você tem da minha mãe, ela iria adorar ouvir isso de você.

-Claro que iria, e ela iria adorar cortar minha cabeça também. Bom, tenho que ir ver o pai, boa sorte.

-Valeu, e você sabe o que ele quer?

-Não, mas logo vou saber.

Os irmãos se separam, Ark indo para sua mãe e Isaac ao seu pai. Mais cedo antes de sair com Ark, Isaac foi abordado por seu pai que disse que precisava falar com ele sobre um assunto muito sério. Isaac foi caminhando pelo palácio, que estava iluminado com um fogo mágico, que nunca se apagava. O castelo era ligeiramente grande, então depois de algum tempo de caminhada ele chega aos jardins do castelo, as flores do jardim eram extremamente belas.

Na maior parte, as flores eram compostas por rosas e violetas, havia um espiral e nela se localizava as flores, no meio desse espiral havia um altar e nesse altar a estátua do primeiro rei de Maremind. Essa estátua usava uma armadura e segurava uma Guan Dao, uma espécie de lança, e na frente dessa estátua estava Gladíolos, o atual rei do império. Ele era grande com cabelos negros, sua pele era igual a de seus filhos, branca, usava uma camisa branca de mangas longas e por cima um sobre-tudo azul feito com o pelo dos ursos marinhos.

Isaac calmamente o aborda:

-Pai!

-Humm, vejo que está de volta Isaac.

-Sim, eu voltei pai.

Gladíolos se vira para a direção de seu filho com um grande sorriso no rosto e pergunta:

-Como foi com Ark?

Isaac caminha na direção do altar e se senta em um dos degraus da escada falando:

-O de sempre. Ele realmente não gostou do seu presente, aí ele acabou comprando outras três espadas, Que idiota!

-Hoho eu já imaginava, que pena que ele puxou a personalidade da Mirela (atual Rainha).

-Então, o que o senhor queria falar comigo?

Rapidamente a expressão de Gladíolos endurece e ele fala:

-Bom, filho, eu sei que os últimos anos tem sido difícil para você por causa da morte de sua mãe, eu também sei que nada do que aconteceu com você nesse castelo foi justo, então como um presente de aniversário, que vale por todos os outros, eu quero te dar uma missão especial que vai te tirar daqui e vai mudar sua vida.

A face de Isaac entrou em choque no momento em que seu pai começou a falar de sua mãe. A expressão de alegria que estava em sua cara virou uma mistura de raiva e descontentamento.

-Não, você não sabe de nada, não sabe o que eu passei e não ouse falar da minha mãe como se ela importasse.

-Eu sei que errei, e por isso quero consertar as coisas.

-Consertar as coisas?! Me mandando para uma missão?! Que belo pai você é!

-Escute Isaac, isso é sobre sua mãe. Ela antes de morrer me pediu para lhe dar uma mensagem.

A expressão de Isaac muda e ele fica mais calmo.

-Uma men...sagem?

-Sim.

-Você acha que eu vou cair nessa mentira pai?

-Eu não mentiria para você sobre uma coisa dessas Isaac! Não me esqueci dessa mensagem um dia se quer!

...

-A mensagem foi: “Isaac meu filho, eu sei que deve ter sido duro todos esses anos, mas eu queria que pelo menos você passasse um pouco de tempo com esse rei idiota, e o perdoasse pelo menos um pouco...”

A expressão no rosto de Isaac se transformou, ele não queria acreditar, mas seu coração e seus instintos já haviam sidos pegos naquelas palavras.

-“...eu queria que você conhecesse esse seu pai idiota, então por isso eu o fiz prometer que só lhe passaria essa mensagem no seu aniversário de 18 anos, agora, escute bem meu filho, eu não sou das terras de Maremind e sim de uma terra chamada Florentia, uma cidade localizada depois do mar dos cem mil monstros. Ela é uma terra bonita e bela, mas mesmo assim ainda existem perigos lá, esse foi um dos motivos de eu ter ido embora de minha terra, mas agora, mesmo depois de morta, eu tenho um pedido a lhe fazer meu filho, eu quero que você conheça minha história, minha terra, e seus antepassados, por isso eu quero que você vá para lá e conheça tudo. Esse é meu único e último presente para você meu filho, e meus parabéns pelos seus 18 anos.”

Gladíolos esteve falando de olhos fechados o tempo todo desde que começou a recitar as últimas mensagens de Floriana. Quando abriu os olhos ele viu Isaac de cabeça abaixada com olhos escorrendo lagrimas.

-Obrigado, pai.

-...

-Eu aceito essa proposta. Eu irei até Florentia!

Um leve sorriso aparece na cara de Gladíolos.

-Quando eu posso ir?

-Bom, eu já preparei tudo com antecedência caso você aceitasse, então amanhã você já poderá ir.

-Obrigado pai.

A relação de Isaac e seu pai era na sua maior parte do tempo boa, mas Isaac não aceitava seu pai falar e nem tocar no nome de sua mãe. Isso se devia pelo fato de Gladíolos ter expulsado Floriana do castelo depois de descobrir que ela estava gravida, por causa disso ela foi morta na frente de Isaac que criou um rancor por seu pai e pela rainha, que na visão de Isaac havia influenciado seu pai. O rancor por seu pai com o tempo diminuiu, mas o seu rancor pela rainha apenas cresceu.

Depois dessa conversa com seu pai, os dois partem para a sala de jantar, Isaac como ainda estava abalado por causa do ocorrido, decidiu ir direto para seu quarto. Seu quarto era o menor cômodo castelo, era apertado e só tinha espaço para uma cama e um guarda roupa.

Ao chegar em seu quarto e deitar em sua cama, sem qualquer hesitação, ele cai em um silencioso e profundo sono. +

19 de Abril de 2019 às 12:33 3 Denunciar Insira 4
Leia o próximo capítulo Rumo ao Mar

Comentar algo

Publique!
God AIZ God AIZ
VOLTEI NO PRIMEIRO CAP. PRA PEDIR O QUARTO!!! CADEêêê IGOR!! ASHAUSHUSHASU
30 de Maio de 2019 às 13:20
Karimy Karimy
Olá! Escrevo-lhe por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela: 1)Acento: "ultimo" em vez de "último"; "rumo a cidade de Portia" em vez de "rumo à cidade de Portia"; "TERRA A VISTAA" em vez de "TERRA À VISTAAA". 2)Grafia: "assas prateadas" quando se quer dizer "asas prateadas". 3)Estrutura: ", ele seguia rumo a cidade de Portia" em vez de ". Ele seguia rumo..."; o que vem antes dessa frase representa um tipo de pensamento, depois esse pensamento se encerra e começa esse outro, que fala sobre o rumo do barco. Quando encerramos uma linha de raciocínio em uma frase, devemos usar um ponto e quando mudamos de assunto, devemos usar um ponto e iniciar o que vier a seguir em um parágrafo novo. "Os marujos com uma alegria" em vez de "Os marujos com alegria". 4)Uso de dois tempos verbais, como "sopravam" — no pretérito — e "grita" — no presente. É importante escolher apenas um tempo verbal para a narração e se manter nele durante a história. 5)Vírgula: "Eles provavelmente estavam no mar por muito tempo então era de se esperar" em vez de "Eles provavelmente estavam no mar por muito tempo, então era de se esperar". Falta de vírgula em vocativos, como em "não se animem rapazes estamos apenas" em vez de "não se animem, rapazes, estamos apenas". Falta de vírgula em "estamos apenas de passagem nada mais que uma semana" em vez de "estamos apenas de passagem, nada mais que uma semana". Obs.: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e a ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
27 de Abril de 2019 às 06:35

~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 8 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!