Damian Seguir história

dude Sofia Macedo

E se de repente tudo mudasse, de uma vida de estudante sem graça, para uma vida cheia de vampiros, lobisomens e bruxas. Meus pais mortos por um acidente de carro, filha única. E logo irei desfrutar de tudo isso, sem ter o que falar. Boquiaberta estou, logo na casa dos Füller isso foi acontecer comigo, será que isto é destino? Ou foi apenas sorte? Ou será azar? O que aconteceu para eu vir parar aqui, quem sou eu, de verdade?


Aventura Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#adventure
0
1203 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 1 - Parte 1

Eu sinto algo molhado tocando meus tornozelos. Eu olho para baixo e vejo que meus pés estão emaranhados em grama molhada.

Eu provavelmente tropecei sem perceber, porque estou sobre uma cama de musgo. A noite está escura e eu estou no meio da floresta.

Eu posso ouvir um lobo uivando à distância. A chuva leve mas constante continua caindo sobre mim.

Uma sensação de perigo iminente me toma, como um sentimento de ansiedade que está à espreita para me paralisar.

Mas eu não posso deixar essas emoções levarem o melhor de mim.

Estou tentando me livrar desse mato ao redor dos meus tornozelos, para conseguir correr mais rápido, para longe dessa floresta sinistra.

Minhas unhas agora estão pretas de lama, mas não é hora de me preocupar com isso.

A chuva rapidamente se transforma em uma garoa que encharca toda a minha roupa, grudando o tecido no meu corpo, deixando uma sensação desagradável.

Eu finalmente consigo me levantar e correr mais rápido possível. O terror se espalha por mim porque tenho a horrível sensação de que estou sendo seguida.

Eu avanço com dificuldade. Eu não consigo ver muita coisa nessa escuridão. E minhas roupas estão atrapalhando os meus movimentos.

Mesmo que eu sempre tenha adorado roupas vintage, me pergunto por que raios estou vestida desse jeito...

Não é a roupa ideal para usar se você vai correr pela floresta. E está me impedindo de correr mais depressa.

Então ergo minhas anáguas o mais alto possível e prendendo-as no meu espartilho porque o que quer que esteja me perseguindo, está se aproximando rapidamente.

Estou tentando descobrir o que ou quem pode ser. É um homem ou um animal? Eu só posso ver uma sombra.

Na correria meu coque caiu. Meus cabelos molhados escorrem pelos meus olhos me impedindo de enxergar bem.

Os ramos das árvores estão roçando meus braços e rosto, mas não consigo parar. Eu tenho que fugir, custe o que custar...

Eu sinto a sombra se aproximando. É o rosto de um homem, tenho certeza disso agora.

Eu me viro para tentar ter um vislumbre de seu rosto, mas não consigo ver nada. É apenas uma sombra escura na escuridão da noite.

Eu quase grito, vejo sua silhueta tão perto e ainda assim não consigo distinguir seu rosto.

Eu tenho a impressão de que estou de frente para um monstro, o que me assusta ainda mais...

Eu só consigo distinguir seu longo casaco escuro varrendo o chão. E seus botões dourados brilhando no meio da noite.

Eu começo a correr de novo e de repente noto uma luz. Está vindo de uma casa que eu posso ver à distância.

Por alguma razão desconhecida isso me dá coragem. Eu consigo superar o homem que está me perseguindo.

O que ele quer de mim? O que ele quer de uma aluna da Universidade de Londres? Eu não entendo...

Enquanto eu me faço essa pergunta eu olho para o meu medalhão, que seguro com força enquanto corro pela noite.

Estranhamente sinto que esta joia de ouro fino, gravado em ambos os lados é um talismã e está me protegendo.

É difícil explicar, mas esse medalhão no meu pescoço é a única coisa que me dá forças para continuar correndo.

O homem ainda está se aproximando de mim e quase posso sentir sua respiração em meu pescoço. Uma respiração gelada que me dá arrepios...

Eu tenho que fazer algo porque não vou conseguir continuar correndo por muito mais tempo.

Eu sinto que minhas pernas estão prestes a ceder... Eu tenho que agir.

Eu procuro ao redor por um tronco alto o suficiente para subir.

Infelizmente está tão escuro que mal consigo ver algo... De qualquer forma tenho certeza de que cairia.

Meus olhos então focam na luz fraca piscando na janela. Me refugiar na casa parece ser minha única opção.

Mas eu não posso desacelerar. A distância entre a sombra e eu está diminuindo.

Ele vai conseguir me tocar a qualquer momento! Ele está tão perto de mim, mas ainda não consigo ver o seu rosto.

No entanto, tenho a sensação de que ele sabe exatamente quem eu sou. Como pode?

É um sentimento muito estranho e desagradável.

Talvez ele tenha me confundido com outra pessoa?

Eu gostaria de tentar falar com ele e perguntar o que ele quer de mim.

Mas quando abro a boca nenhum som sai. Como se meu medo tivesse sugado toda minha voz, me deixando literalmente muda.

Eu seguro meu medalhão com mais força, como se minha vida dependesse disso, implorando para que ele me dê força suficiente para alcançar a casa cuja luz parece ser minha única esperança.

Sinto minha força se esvaindo e o homem está se aproximando perigosamente, pronto para agarrar meu braço a qualquer momento. Estou pronta para...

De repente, um animal gigantesco aparece do nada obstruindo o caminho.

Quando eu olho de perto percebo que é um lobo. Mas há algo de estranho em seus olhos, algo quase... quase que humano!

6 de Abril de 2019 às 01:31 1 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Capítulo 1 - Parte 2

Comentar algo

Publique!
Karimy Karimy
Olá! Escrevo a você por causa do Sistema de Verificação do Inkspired. Caso ainda não conheça, o Sistema de Verificação existe para ajudar os leitores a encontrarem boas histórias no quesito ortografia e gramática; verificar sua história significa colocá-la entre as melhores com relação a isso. A Verificação não é necessária caso não tenha interesse em obtê-la, então, se não quiser modificar sua história, pode ignorar esta mensagem. E se tiver interesse em verificar outra história sua, pode contratar o serviço através do Serviços de Autopublicação. Sua história foi colocada em revisão pelos seguintes apontamentos retirados dela. 1)Vírgula incorreta em "de uma vida de estudante sem graça, para uma vida". Falta de vírgula antes da conjunção adversativa "mas". Falta de vírgula em oração invertida em "Enquanto eu me faço essa pergunta eu olho para o meu medalhão" em vez de "Enquanto eu me faço essa pergunta, eu olho para o meu medalhão"; "gravado em ambos os lados é um talismã" em vez de "gravado em ambos os lados. É um talismã"; "tenho que fazer algo porque não vou conseguir continuar" em vez de "tenho que fazer algo, porque não vou conseguir continuar". 2)Verbo faltando e preposição incorreta em "Meus pais mortos por um acidente de carro, filha única" em vez de "Meus pais foram mortos em um acidente de carro, sou filha única". "será que isto é destino" em vez de "será que isso é destino". "e prendendo-as no meu espartilho" em vez de "e prendo-as no meu espartilho". "A distância entre a sombra e eu" em vez de "A distância entra a sombra e mim". 3)Emprego incorreto da crase em "à distância" em vez de "à distância" (com "distância" a crase apenas é empregada se a distância estiver especificada, por exemplo: "à distância de 10 metros"). Obs.: os apontamentos acima são exemplos, há mais o que ser revisado na história além deles. Aconselho que procure um beta reader; é sempre bom ter alguém para ler nosso trabalho e apontar o que acertamos e o que podemos melhorar, assim como ajudar-nos com a gramática e ortografia. Caso se interesse, esse recurso também é disponibilizado pelo Inkspired através do Serviços de Autopublicação. Além disso, também temos o blog Tecendo Histórias, que dá dicas sobre construção narrativa e poética, e o blog Esquadrão da Revisão, que dá dicas de português. Confira! Bom... Basta responder esta mensagem quando tiver revisado a história, então farei uma nova verificação.
13 de Abril de 2019 às 10:14
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 4 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas