A Festa da Carne Seguir história

nonna.ayanny Nonna Costa

Não queria problemas com a máfia, como qualquer ser humano com juízo. Levantou-se, pagou sua conta e fitou a saída. Para seu azar pessoal, Kakashi acabara de entrar na companhia do playboy Uchiha, no entanto não o vira. Ainda. A raiva voltou com força total em Naruto e ele se viu numa encruzilhada: ou ia embora e evitava Kakashi, ou ia lá dizer tudo o que estava engasgado. Os personagens não me pertencem, mas o enredo sim. Yaoi, se não gosta, não leia. R18, se não gosta, não leia. Evite plágios. Plagiar é crime e um atestado de babaquice.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#romance #yaoi #naruto #sasunarusasu #comédia #máfia #carnaval #r18
Conto
5
3977 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

O objetivo da noite era simples, realmente muito simples. Encontrar o cara certo, levá-lo ao motel e ter, pelo menos, três orgasmos para esquecer o fora que seu ex lhe deu. Mas nenhum homem parecia digno de seu traseiro naquele bar, bem como em todos os outros por onde fora. Inferno. Era tão gostoso assim que nenhum cara naquela maldita cidade, exceto seu ex, era digno de uma transa?

Passar o carnaval inteiro sem ao menos se divertir com seus amigos não estava em seus planos, mas Kakashi tinha que ferrar com tudo ao lhe dar um fora para sair com um playboy idiota da tal máfia Uchiha.

Todos os seus conhecidos estavam se divertindo em algum lugar, mas eis que estavam na companhia daquele babaca e Naruto se recusava piamente a ir para os mesmos lugares que ele. Como pudera ter lhe trocado assim? O que fizera de tão errado assim para merecer tal consequência?

Seu ego estava tão ferido que nem a cerveja que bebia dava jeito. Não era o suficiente para ele? Só por que não era rico, influente e Uchiha? Babaca! Tomara que o pau caia quando estiver na cama com o playboy. Naruto terminou o copo de cerveja, pagou e saiu dali desgostoso, acreditando que nenhum dos bares que conhecia teria uma boa opção para afugentar a dor que sentia em seu peito.

Sentiu fome em algum momento da sua caminhada na rua movimentada, então decidiu entrar no primeiro restaurante que viu, para comer. Era até aconchegante e boêmio, com uma pegada de bar dos anos 40, tocando músicas lentas, mas provocantes. Naruto sentou-se numa mesa e pediu alguns bolinhos de carne de sol. Talvez… Pensou ao observar cada pessoa ali… Haja algum que possa lhe saciar o desejo. Num local decente, acharia pessoas decentes, talvez.

Claro que transar com alguém não era a melhor forma de se vingar do seu ex, mas se achasse ao menos alguém com o papo bom, poderia ao menos amenizar sua situação.

Enquanto comia, percebeu uma presença icônica sentada numa mesa posta no canto do restaurante, apoiava um cigarro preto entre os dedos e estava desacompanhado. Outros homens, vestidos como verdadeiros gangsters, se acomodaram numa espécie de meia lua que o sofá fazia perto daquele primeiro. Estes estavam com belas damas e afeminados rapazes em suas companhias, mas nada parecia agradar sua atenção.

Reconheceu a raça só por ver o brilhante anel de ouro branco com um rubi. Uchiha. O tal se levantou, deixando seus capangas conversando, e foi até outra mesa, sentar-se sozinho para fumar e beber em paz. Tatuagens… Existem tatuagens em suas mãos. São ramas negras com espinhos. Pediu uma bebida, alguns petiscos semelhantes aos de Naruto, e foi rapidamente atendido.

Não deve ser um Uchiha qualquer, como o que roubou o seu namorado. Deve ser um pica das galáxias só por causa de toda a aura de autoridade que ele emana em cada movimento seu. Comedido, frio, calculista e intimidante, não é lindo, mas tem muito charme. Naruto até soltou um suspiro de excitação quando o viu pentear os cabelos negros levemente compridos para trás.

Quando o viu caminhar pelo ambiente, ao arrumar o sobretudo estilo russo que usava sobre sua roupa, uma arma brilhante, parecia ser feita de prata, surgiu na lateral de sua cintura, por cima do colete. Naruto não precisou ser expert bélico para saber quem era aquela: Kusanagi, a ceifadora, e ela pertencia ao atual líder da máfia Uchiha. Todos sabiam quem era a arma por causa de descrições fidedignas da Desert Eagle .44 Magnum. O chefe sempre andava com duas armas, a faca e a pistola, mas os que sobreviveram só viram a faca e ouviram rumores de uma arma feita realmente de prata.

Mas Naruto a viu e pensou em ir embora. Não queria problemas com a máfia, como qualquer ser humano com juízo. Levantou-se, pagou sua conta e fitou a saída. Para seu azar pessoal, Kakashi acabara de entrar na companhia do playboy Uchiha, no entanto não o vira. Ainda. A raiva voltou com força total em Naruto e ele se viu numa encruzilhada: ou ia embora e evitava Kakashi, ou ia lá dizer tudo o que estava engasgado.

Não seguiu nenhum dos dois caminhos. Observou o homem sozinho comendo e curtindo a música enquanto fumava e tomou a decisão mais louca da sua vida: se Kakashi o trocou por um Uchiha qualquer, Naruto pegaria o de naipe mais alto. O homem arrumou suas roupas, arrebitou o nariz e se aproximou da mesa, contra todos os olhares de reprovação dos seguranças e medo dos acompanhantes que recebia.

-Boa noite. - chamou atenção de maneira educada e recebeu um olhar indiferente. - Passando carnaval sozinho? - questionou.

-Talvez. E você? - derrubou as cinzas sobre o cinzeiro para poder dar um trago breve.

-Talvez. - esticou a mão num cumprimento. - Naruto.

-Sasuke. - apertou por educação e por achar o homem loiro de olhos azuis, pele bronzeada e corpo com músculos agradáveis ao olhar muito interessante. - Quer alguma coisa?

Aperto de mão forte, muito bom, espero que aperte minha bunda forte assim, pensou Naruto.

-Um beijo seu. - respondeu com ousadia. - E não qualquer um. Um que seja capaz de me fazer viciar. - falou provocante.

-Não beijo ninguém de graça. - o Uchiha soltou aquela mão e acomodou-se melhor na larga poltrona onde estava sentado.

-E o que tenho que fazer para pagar pelo seu beijo, Sasuke?

Viu o homem descruzar as pernas e afastar parte de seu sobretudo, revelando uma camisa social preta com gravata de mesma cor por baixo de um colete cinza.

-Sentar no meu colo. - bateu a mão sem cigarro contra sua coxa.

Naruto fitou discretamente a mesa onde estava Kakashi e o viu lhe olhando com espanto. Sorriu de forma irônica e foi até o Uchiha, pôs uma perna de cada lado do corpo e sentou sensualmente, esfregando de leve seu traseiro do corpo alheio. Sabendo que já tinha a permissão, apenas envolveu o pescoço de Sasuke e ofereceu seus lábios.

O gosto da nicotina mesclou-se ao desejo e a fome que assumiu o corpo de ambos. Mesmo com o sabor amargo, Sasuke fazia sua língua dançar com a dele o balé das serpentes amantes e seus lábios eram o perfeito encaixe. Naruto sempre achou que Kakashi tinha o melhor beijo do mundo, mas estava regozijando de felicidade por saber que estava enganado: Sasuke Uchiha era o dono do melhor beijo do mundo e, detalhe, acompanhava a pegada mais firme também.

O cigarro foi largado no cinzeiro quando os gemidos arrastados de Naruto ecoaram nos ouvidos alheios. Agarrou aquele corpo macio como uma águia agarra sua presa e tomou a boca mais uma vez para si, sedento dele. Fazia tempo que não sentia-se tão desejoso por alguém e foi bom ter reavivado certas habilidades. Quem os assistisse de longe, afirmaria que os dois estavam transando dada forma como se beijavam intensamente e se tocavam sem pudor.

Naruto arrepiou-se ao constatar que o homem apertava realmente com força o seu traseiro por cima do jeans que usava enquanto a outra passeava por sua cintura. Sem se fazer de rogado, afundou seus dedos na cabeleira cheia, enroscando-os nos fios ondulados, e a outra mão estava descansando sobre o ombro alheio. Os dois sentiram que aquele não era um beijo normal e que havia algo há mais para eles, caso quisessem ir além.

Lamberam os lábios ao se soltarem e o Uchiha percebeu a curva sutil formada no jeans do homem loiro. Sorriu de lado e acariciou a protuberância com as costas de dois dedos, gostando da reação do outro. Espalmou e apertou de leve, fazendo Naruto gemer baixo no seu ouvido e isso o arrepiou.

Belo rapaz, pensou admirando a pele corada sutilmente e os lábios rosados, sorrindo para si por causa dos afagos entre suas pernas. Não eram todos que tinham coragem de se aproximar com tamanha ousadia de um mafioso, quiçá um chefe. Sem falar que o rapaz beijava muito bem, parecia irritado e com muita vontade de se envolver com o perigo. E pela ereção que acariciava agora, não tinha medo ou noção alguma.

Os dois se fitaram e já era evidente a vontade que surgiu repentinamente. Eram como velhos amantes que se reencontravam. Naruto escolheu bem, muito bem, assim constatou. Respirou fundo, passou as mãos pelos próprios cabelos, fazendo claro charme, e deu beijos suaves no pescoço exposto do Uchiha enquanto o olhava sensualmente.

-Você beija todo estranho assim, Naruto? - sibilou ao aproximar sua boca da dele, que lhe sorria com ousadia, e apertou com mais vontade o membro prensado pela calça jeans apertada que ele usava.

-Não… - lambeu os lábios do Uchiha. - Só o que me deixam piscando de tesão. - sussurrou vulgarmente no ouvido dele, dedicando um olhar vingativo para Kakashi, que assistia aquela cena como se fosse algo inacreditável demais para se ver.

Naruto se voltou para o homem abaixo de si e sorriu provocante. Internamente, pedia a quem quer que estivesse lhe ouvindo que aquele mafioso não fosse só propaganda, porque ia ser muito broxante mesmo. Os dois se abraçaram com força e retomaram o ósculo por alguns segundos, respirando forte.

-É claro que está piscando… Imagino que sempre fique assim quando vê um homem com alguma posse por aí. - testou. Mulheres que queriam dar o golpe em si surgiam aos montes, homens não eram diferentes.

O outro notou o tom de deboche na voz alheia e sentiu-se ofendido.

-Não estou interessado na sua carteira, seu idiota. - e daí que era um mafioso armado? Não tinha direito de lhe humilhar assim. - Estou interessado no seu pau, enterrado dentro de mim o mais fundo que puder. - esclareceu sussurrando rouco. - Não sou um puto para querer seu dinheiro… Eu quero que me coma, nem que seja na parte de trás de um carro. - foi ainda mais ousado e mexeu os quadris para que sua ereção roçasse mais na mão do outro.

Sasuke gargalhou alto quando ouviu aquelas palavras. Ah sim, finalmente alguém que valia uma noite. Fitou discretamente as pessoas do bar e percebeu que havia um homem que tentava não os olhar. Era o atual namorado do seu primo mais velho. Encurtou o olhar, meio desconfiado, e tornou a observar o loiro oferecido em seu colo.

-Não transo com ninguém de graça. - insinuou, buscando seu cigarro para dar um trago breve ao tirar a mão do meio da virilha alheia. Naruto sorriu de lado.

-E o que eu tenho que fazer para ter uma noite com você, Sasuke? - ajustou aleatoriamente a gravata dentro do colete e limpou uma sujeira imaginária do peito dele.

-Gozar, aqui e agora para mim. - desafiou soltando a fumaça enquanto falava. Mal sabia ele que nenhum desafio topado por Naruto é descumprido.

O outro achou aquilo bem ousado, principalmente por ser um local público e terem muitas pessoas lhe olhando de vez em quando, mas ao pensar que Kakashi era uma delas, não hesitou. Abriu sua calça completamente, baixou a parte frontal de sua cueca e puxou seu membro intumescido para o alcance do olhar atento de Sasuke. Acomodou-se melhor sobre as coxas que lhe sustentavam e umedeceu a boca. Ia ser uma experiência para nunca mais ser esquecida.

Começou a se masturbar enquanto sentia seu corpo ser tocado pelas mãos grandes do mafioso. Com a sua livre, tateou e acariciou os seus testículos, gemendo bem no ouvido de Sasuke, pois sua cabeça estava sobre o ombro dele. Não se importava com quem olhava, desde que Sasuke não parasse de lhe assistir.

De quando em quando, beijavam-se com lentidão e Naruto mexia sua mão naquela velocidade para acelerar, logo que os dois se fitavam. Sasuke agarrou suas coxas e o puxou para mais perto, fazendo o homem sobre seu colo abraçá-lo com um braço e esfregar aquela bunda redonda em seu membro semidesperto. Era uma visão e tanto aquela mão ir e vir, banhando-se com pré-gozo, ficando mais rígido a cada segundo.

Sasuke se sentia excitado só de saber que encontrara um homem tão maluco quanto ele próprio, porém a nível de exibição. Faria-o seu, totalmente seu, só por causa disso. Deu uma tapa leve na coxa sobre a sua e suspirou com os carinhos que recebia nos fios em sua nuca. Com certeza Naruto seria seu.

Dois minutos depois, ele pegou rapidamente o guardanapo e envolveu sua glande. Não aguentava mais. Gozou segurando-se no outro homem como podia, gemendo vergonhosamente num tom agudo. Os dois se fitaram e trocaram mais selinhos.

-Foi bom? - indagou ao ver aquele rosto sutilmente corado descansando do orgamo sobre seus ombros.

-Teria sido melhor se eu estivesse galopando em você. - respondeu, provocando risos no outro enquanto ria.

-Como pode ter certeza que eu sou tudo isso que está pensando?

-Nenhum broxa andaria por aí só com uma arma na cintura e dois seguranças a tiracolo. - comentou dando de ombros ao limpar suas mãos com um lenço e arrumar sua calça. - Ou sua autoestima é muito grande ou o seu pau é muito grande. - brincou.

-Nem um e nem outro. - Sasuke rebateu, empurrando-o para que ambos ficassem de pé. - Minha fama de bom moço me precede. - piscou um olho e se afastou.

-Não vai rolar? - Naruto perguntou em tom alto, apoiando os braços na cintura. Não conseguia acreditar: fizera aquele circo todo só para que o cara fosse embora com uns beijos?

-Tenho um assunto para resolver agora. - Sasuke pagou sua conta e acendeu outro cigarro, pois o primeiro se acabara rápido demais. Voltou para o homem ousado e envolveu a cintura dele com um braço. - Se quiser mesmo ir para a cama comigo hoje, é só me esperar aqui… - sussurrou.

-E quem me garante que não serei tapeado? - Naruto arfou quando seu pescoço foi beijado de maneira delicada.

-Não tem garantia. - Sasuke deu mais uma apertada naquela bunda que passara a gostar muito do tamanho e se soltou dele.

Foi embora dali na companhia dos dois seguranças. Tinha um homem para matar, um que desrespeitara a sua família de maneira muito explícita. Foi até o hotel onde ele estava escondido e pôs sua máscara de trabalho.

Naruto sentou-se na mesa onde antes estivera com o mafioso e respirou fundo, perguntando-se se era certo querer se vingar do seu ex com um cara que podia dar um tiro na sua cabeça, mas… Era tão excitante e Sasuke parecia ser digno da sua bunda. Quer saber, pensou, vou de cabeça nessa treta e quero ver aonde chego nisso.

Estava levemente ansioso. Gostaria muito que seus instintos não estivessem enganados e acabasse pegando um brocha que se acha o bonzão ou um cara que só aguenta uma vez. Fitou o outro lado do bar e viu Kakashi ali, conversando aos risos com o novo namorado. Naruto deitou o rosto sobre a mesa e praguejou a demora do Uchiha.

E se ele lhe desse um fora? Nunca saíra com um homem daquela estirpe antes, então não sabia o que esperar. Ia ser muito irritante se acontecesse, afinal não tinha certeza alguma.

-Naruto? - ele arregalou os olhos e gelou até a alma quando ouviu a voz de Kakashi. Ergueu seu rosto ao senti-lo se sentar ao seu lado. - Posso falar com você?

-O que quer? - esfregou o rosto para disfarçar sua palidez.

-Você sabe quem é aquele cara com quem estava agora há pouco?

-Não e nem me importo. - rebateu, cruzando os braços e as pernas.

-É um homem muito perigoso… - começou a falar.

-Eu não estou nem aí. - murmurou, mas aparentemente Kakashi não ouviu.

-Ele já fez coisas horríveis e é o líder de uma das máfias mais perigosas que se tem notícia hoje em dia. - por que ele estava se preocupando consigo se estava com outro? E principalmente da forma como os dois terminaram tudo? - É melhor você ir embora e… - sabia o que era aquilo.

-Eu vou embora, mas é para longe de você, seu merda. Com quem eu vou para a cama não lhe diz mais respeito! - levantou-se e saiu andando, sem olhar para onde ia, de modo que esbarrou em alguém. - Desculpa. - pediu e encarou a pessoa na sua frente. Sasuke. - Ah…

Kakashi engoliu em seco e saiu dali quando viu o olhar severo que o Uchiha dedicou a si, o típico olhar de quem diz “Não se meta em meus assuntos”.

-Parece que… - Naruto tentou desconversar para evitar a situação tensa, mas foi interrompido por um selinho.

-Parece que está precisando passar a noite sem pensar em muita coisa. - sussurrou rouco, vendo o homem se arrepiar, e ele deixou claro pelo olhar que era aquilo mesmo que queria. - Posso garantir isso para você. Vamos? - Naruto assentiu, sorrindo de lado.

Foram para o carro do Uchiha, um Mercedez, e dali seguiram para um apartamento num prédio de condomínio fechado, um pouco longe do centro urbano. Não era o luxo que Naruto esperava, aquela ostentação que sempre via nos filmes de máfia, mas não deixava de ser um lugar moderno. A porta foi trancada, as chaves foram deixadas sobre um balcão da cozinha e Naruto se preparou para o ataque do mafioso, mas este não veio, o que foi estranho.

Na verdade, Sasuke foi fazer um café depois de observar se o apartamento estava realmente sem ninguém ao acender as luzes de dois abajures. Naruto coçou os cabelos, sem entender o que estava acontecendo, mas não perguntou nada. Apenas verificou se seu celular estava com a bateria com carga o suficiente para emergências.

-Seu ex é aquele cara de cabelo cinza? - indagou ao retirar o casaco e deixá-lo no hall. Lá estava a faca, tipo punhal de caça, e a Kusanagi acomodadas em coldres apropriados ao redor da cintura larga. Naruto engoliu em seco, esfregou o pescoço, sentindo-se intimidado por vê-las, mas manteve-se firme.

-É. Como sabe? - Naruto cruzou os braços e sorriu para as tatuagens que surgiram quando ele dobrou as mangas para moer o grão de café. Parecia um Yakuza, mas não era. Os desenhos eram negros e meio tribais.

-Eu vi a forma como ele te olhava quando vocês conversaram. - respondeu, meio tenebroso. - Não me importo de ter sexo com você, mas não vou arrumar briga com um primo meu por sua causa. - ele o fitou e havia um semblante muito frio em seu rosto. - Eu te mato se eu achar que isso é alguma vingançazinha idiota de ex-namorado por um término mal resolvido.

Dizer que seu corpo não perdeu um pouco do calor, que ficou mais pálido e o sangue faltou seria mentira, pois estava assim mesmo ao ser descoberto. Naruto se aproximou sutilmente do mafioso. Ele havia acabado de colocar o pó numa chaleira e lhe fitava seriamente agora. Realmente, a fama faz jus ao dono dela. Ninguém passava a perna em Sasuke Uchiha, nem mesmo nesse sentido.

-Ele me trocou por outro cara sem me dar nenhum motivo. Simplesmente mandou uma mensagem dizendo que estava tudo acabado. - mostrou a conversa a ele pelo celular, mesmo sem saber se era necessário. - Eu queria me vingar mesmo… Mostrar para esse babaca que eu também posso trocá-lo por outro cara sem motivo nenhum. Que posso conseguir alguém melhor que Kakashi e passar isso na cara dele, mesmo que signifique me envolver com um mafioso. Se puder me desculpar e me deixar ir… Se não puder, eu aceito o castigo que for e…

Sasuke tocou os lábios com dois dedos e desceu suas mãos para a cintura bem moldada. Esse cara deve malhar bastante para ter um corpo praticamente esculpido, ainda que não seja a perfeição, pensou. Castigá-lo? Até poderia fazer isso, pois não gostava de terceiros interferindo em sua família, mas, por enquanto, era muito melhor transar. E aquele homem um pouco mais baixo do que si era lindo demais sorrindo para ser desperdiçado com uma vingança idiota.

Naruto engoliu em seco com o toque, mas ficou aliviado ao ver os dedos se afastarem e a boca dele ocupar o lugar. Da mesma forma que Sasuke conseguia beijá-lo com ferocidade, também sabia beijar com calma e quase carinho. Abraçaram-se sutilmente, aprofundando o ato. O loiro quase ronronou só de saber disso.

Deram-se alguns selinhos e só se soltaram quando a chaleira deu sinal de que a bebida estava pronta. Sasuke se afastou por um momento, apenas para que servisse do café numa caneca que mudou de cor ao ser preenchida, para então se encostar no balcão da cozinha e encaixar Naruto entre suas pernas para beijá-lo por mais alguns minutos, tempo de a bebida estar adequada em temperatura para o seu consumo.

-Vai me matar agora que descobriu meu plano? - perguntou fazendo manha e charme. Sasuke dava apertos sutis em suas nádegas, espalmando-as com suas mãos grandes, e isso o fazia esfregar sua virilha na dele.

-Não sei… Você parece gostoso demais para ser desperdiçado dessa forma. - comentou e Naruto mordeu o lábio num sorriso sapeca. - Você é tão gostoso quanto eu penso?

-Eu sou muito mais gostoso quanto sua mente pode imaginar. - se vangloriou antes de roubar aqueles lábios finos para si num beijo sensual. Gemeu ao sentir os dedos de Sasuke esfregando o meio de sua bunda, ainda que por cima do jeans. - E aguento muito…

-Está fazendo muito marketing de si mesmo, Naruto. E se não for tudo isso o que diz? - empurrou-o sutilmente de si para beber o café depois de adoçá-lo. O loiro, ousado que só ele, retirou sua camisa bem devagar, provocante, e passou uma mão por seu corpo definido, apertando um de seus mamilos.

-Acha que estou exagerando? - lambeu a ponta de seu dedo e deslizou pelo meio do seu peitoral. - Quer que eu tire mais? - o outro assentiu enquanto tomava um gole.

Naruto retirou seus tênis, em seguida, com demora, desfez-se da sua calça, naquela mesma exibição, e apoiou as mãos nos quadris, exibindo com orgulho sua cueca laranja estilo sunga. Deu uma volta lenta em seu próprio eixo, para que Sasuke desse uma boa olhada em sua bunda empinada e sorriu de lado. O homem lhe observava com interesse, mas ainda não tinha certeza. Um corpo malhado não garante uma noite boa de sexo.

-É… - disse simplesmente e terminou seu café, deixando as louças na pia. Pegou as roupas de Naruto e as colocou sobre um banco na frente do balcão - Parece bom. - falou com falso cinismo e isso fez o loiro rir.

Fez sinal para que o seguisse. Os dois seguiram da sala para o quarto pelo corredor curto, passando por um banheiro e uma espécie de escritório. Sasuke parou de frente a cama grande e o outro fechou a porta sorrindo.

Aquele retirou seus coldres, deixando-os sobre uma poltrona que havia no quarto, e observou o loiro caminhando pelo ambiente, analisando-o. Enquanto desabotoava o colete, Naruto chegou-se e abraçou-o por trás, beijando sutilmente a nuca exposta enquanto ousava afagar o membro de Sasuke com uma mão. Além de mafioso e com pegada, aquele cara ainda era cheiroso. Naruto sentiu-se com muita sorte mesmo.

-Ativo ou passivo? - indagou o mafioso.

-Eu gosto muito de dar, mas faço o que você quiser. - sussurrou sensualmente. Para deixar claro a suas intenções, roçou sua ereção entre as nádegas cobertas do outro. Gemeu rouco, ao constatar que Sasuke tem uma bunda macia, bem no seu ouvido.

-Teria coragem de comer o cu de alguém como eu? - Sasuke desfez o nó de sua gravata e Naruto fez questão de desabotoar a camisa para tocar logo aquele corpo. - E se eu te matasse por isso?

-Morreria feliz porque eu saberia que fiz você gozar com gosto. - beijou o pescoço escondido pelos fios negros e apertou com mais vontade o membro que se endureceu em sua mão. - E você se arrependeria depois…

-Por quê? - Sasuke abriu sua calça e sorriu ao ver a mão bronzeada entrar sem nenhuma permissão dentro dela para tocá-lo.

-Porque perderia a oportunidade de me fazer gritar enquanto me fode. - os dois se fitaram. O desejo cintilava nos olhos azuis com pupilas dilatadas. Naruto deu um selinho e acelerou a masturbação quando viu os olhos negros de Sasuke ficarem ainda mais escuros. - Eu sei que quer me fazer gritar com seu pau.

-Quero sim. - admitiu, segurando firme na cintura alheia para que aquela ereção ficasse mais perto de si. Naruto arfou. - Amanhã, vai estar sem voz. - afirmou e isso fez o corpo do loiro tremer de antecipação.

O Uchiha agarrou a cabeleira loira com força, fez Naruto parar e lhe largar. Empurrou-o para a cama ao jogá-lo e despiu-se enquanto lhe fitava em evidente desafio. O outro retirou apressadamente a cueca ao ver o corpo alvo surgir diante dos seus olhos.

Sasuke tinha muitas tatuagens, elas pareciam ganhar vida a cada movimento seu e com a luz leitosa da lua, o que só deixava o sabor de perigo ainda mais forte e excitante. O homem subiu na cama e sentou sobre o corpo deitado de maneira sensual, começando um rebolado safado sobre o membro alheio. Naruto teve que usar todo o seu autocontrole para não ter um orgasmo ali.

-Se me fizer gozar - Sasuke apertou os mamilos de Naruto com seus dedos e fê-lo gemer. - só por trás, eu vou te dar a melhor vingança da sua vida e ainda te deixo viver para contar a história depois.

-Tem lubrificante e camisinha? - perguntou apressado e Sasuke riu baixo. Indicou a cabeceira da cama. Havia uma caixinha ali.

Naruto pegou-a e notou tudo o que precisava estava ali dentro. Sasuke deitou-se de bruços, empinando bem seu traseiro branco, apoiou o tronco sobre os travesseiros e esperou em silêncio. O outro teve que respirar fundo muitas vezes para não enlouquecer com a visão sensual do corpo diante de si.

Era grande, musculoso, mas não definido como si, a pele alva era uma tela aos olhos. Engoliu em seco ao afastar as nádegas e salivou com a visão do buraco alheio com um pouco de penugem negra. Curvou-se e começou a beijar aquela pele com cheiro de homem, que fazia Naruto pirar, aproximando-se do ânus. Lambeu e beijou aquela parte com demora, apreciando os sons arrastados que Sasuke emitia. Afastou-se dali porque não suportava mais: queria meter logo.

Derramou cuidadosamente um pouco de lubrificante ali e empurrou um dedo para dentro. Sasuke não esboçou nenhuma reação, mas isso não fez Naruto parar. Meteu o segundo dedo e girou-os devagar, espalhando bem o produto pelo interior. Aquele líquido transparente escorregando pela cútis ainda mais branca de sua intimidade, pingando sobre o escroto, fazia o pênis de Naruto latejar, principalmente com o acréscimo dos sons molhados que seus dedos faziam ao entrar e sair daquele lugar.

Sem saber se podia, colocou mais um dedo e apertou mais a nádega que afastava para assistir cada reação. Sasuke se contraia sempre que ele empurrava fundo e relaxava quando retrocedia. Imagine o que fará quando for o seu membro naquele canal?

-Chega. - o outro mandou e Naruto tirou com cuidado os dedos. - Traz. - Sasuke ergueu a cabeça e chupou com ousadia os dedos melados do parceiro quando foram aproximados. Naruto gemeu baixo com aquela exibição gratuita de sensualidade. - Vamos ver, galo selvagem, se você vale a vingança. - piscou um olho.

Naruto assentiu, pôs a camisinha e como um cãozinho obediente no cio, enterrou-se de uma vez na bunda Uchiha. O aperto foi tão bem-vindo que apertou com força os lençóis para não gozar. Nunca estivera tão excitado assim por um homem antes, o que diabo era isso? Investiu uma vez e se atentou aos arfares roucos de Sasuke, pois queria achar seu ponto sensível de prazer.

Respirou fundo duas vezes para recuperar seu controle e aproveitar melhor aquela oportunidade. Enquanto estocava, abraçou o corpo e beijou com avidez os ombros nus. Lambeu a nuca e massageou com uma mão a bunda leitosa de seu, quem sabe, amante. Ia devagar, aproveitando aquele calor que reveberava em si, metendo-se o mais fundo que conseguia naquele lugar.

Sasuke mergulhou sua mão na cabeleira loira e puxou-a com alguma força, apreciando os sons roucos que o rapaz emitia ao fazer isso. Empinou um pouco para senti-lo mais profundamente e sugou os próprios lábios com o arrepio causado pela última estocada. Riu baixo e fitou Naruto. O loiro lhe sorria com verdadeira luxúria, de modo que o beijou com desejo, mas demora.

Ele fez de novo, acertou aquela parte dentro de si que fazia cada pelo do seu corpo se levantar e Sasuke gemeu um pouco mais alto, contraindo-se por causa da forma como o outro roçava seu interior. Ah sim, esse cara sabe como fazer, pensou satisfeito. Afastou mais as pernas para senti-lo mais fundo e gostou da forma como Naruto beijava o seu corpo. Carinhoso, mas muito desejoso.

-Mais forte. - mandou rouco e o outro investiu com mais intensidade. - Isso, galo selvagem! Desse jeito! - arqueou as costas e rebolou sem nenhum pudor.

Naruto soltou seu corpo para admirar o mafioso gemendo alto e totalmente arrepiado por sua causa. Se seu ego estava tão inflado que sentia seu pau latejar como consequência: nunca imaginara ter sexo com alguém da família Uchiha, muito menos com o líder dela e menos ainda que ele fosse tão sensual assim. Quem era Kakashi quando se tinha Sasuke Uchiha rebolando para si?

Encarando-lhe de forma sombria e perigosa, uma serpente negra ocupava boa parte das costas de Sasuke e por trás de si, com as asas se agigantando para os ombros e os braços, havia um falcão. Os dois animais encaravam Naruto como se este fosse um intruso, mas só de saber disso, ficou ainda mais desejoso. Como se isso explicasse sua ousadia, beijou os lábios da serpente e depois o bico do falcão, repetindo o ato diversas vezes enquanto apertava os músculos da bunda alheia. Com a pele alva ganhando uma leve coloração rosa, as tatuagens pareciam mais vívidas e isso só deixava Naruto mais excitado.

-Essa é… - arfou, apoiando-se na cintura de Sasuke para estocar com mais força. - A melhor bunda que já comi na vida! - confessou ao sentir as correntes eróticas do orgasmo se aproximando. Mal conseguia se manter de olhos abertos haja vista a pressão deliciosa que o mafioso fazia ao redor do seu membro. - Porra… Eu vou gozar…!

Naruto se curvou e procurou pelos lábios finos. Beijaram-se vigorosamente e o rapaz aproveitou a posição para brincar com os mamilos rosados de Sasuke, apertando-os e os puxando para provocá-lo. Não demoraram mais. Mais duas investidas e Naruto se derramou, abafando seu gemido nas costas largas do outro. Por causa da mão segurando os cabelos de sua nuca, ainda sentia que Sasuke não terminara, então continuou até ouvir o gemido satisfeito do outro.

Rolou para o lado arfando e sorrindo como bobo ao retirar a camisinha de si. Um ótimo orgasmo, sem sombra de dúvidas. Fitou Sasuke ao seu lado e sorriu de maneira branda. O homem saiu da posição de bruços, sentou-se sobre as coxas de Naruto e se curvou para saborear um beijo pós-orgásmico.

-Pode me matar, se quiser. - sussurrou em tom de brincadeira. Sasuke riu e engatinhou sobre a cama até que seu pênis estivesse contra o rosto do outro. - Quer que eu limpe para você?

-Eu sempre quis uma vadia que lesse meus pensamentos. - comentou apoiando-se melhor e suspirou quando viu-se sumir dentro da boca de Naruto. - Mas um vadio está de bom tamanho para mim. Principalmente um que sabe usar bem a boca.

-Gostou da minha boca? - lambia a base e o escroto com lentidão, quase esmero, como se fizesse o serviço com devoção.

-Muito… Em todos os sentidos. - as succionadas só lhe davam mais vontade de se enterrar naquele corpo bem cuidado. Assim que foi novamente chupado, segurou a cabeça de Naruto e começou a investir devagar. - Boa para conversar, para beijar, para chupar, para foder… - ele arranhava as suas coxas de pura excitação. - Espero que não tenha ninguém em casa hoje, Naruto.

Afastou-se para o outro poder respirar. Fitou suas costas e viu que ele já se encontrava muito excitado. Realmente… Um ótimo vadio.

-Por quê? - ofegou, mas não parou de lamber e chupar o pau que a pouco estava em parte dentro da sua garganta.

Era um maldito clichê: Naruto se orgulhava de conseguir engolir boas porções sem sufocar ou sentir ânsias, mas Sasuke era tão grande e largo, como o próprio corpo, que só aguentou metade. E não, ele não estava com raiva disso. Na verdade, era um rapaz bem guloso: queria tudo dentro de si o mais rápido possível.

-Porque você não volta para casa tão cedo. - afirmou e sorriu sadicamente. Ele franziu o cenho quando o corpo Uchiha saiu de perto de seu rosto e os dois voltaram a se beijar. - Não se preocupe… Eu vou garantir que não sinta vontade de ir embora.

Sasuke se colocou de joelhos e trouxe o loiro para o seu colo. Ah sim… Agora iria brincar com ele como queria. Enquanto lhe dava beijos carinhosos, espalhou lubrificante por toda a região externa do ânus.

-Quer que eu me prepare? - Naruto indagou um pouco temeroso, pois a ideia de ser rasgado ao meio não lhe era nada interessante, muito menos depois de sentir a glande de Sasuke roçar ali. - Olha… Depois que você me comer umas duas vezes, pode meter sem preparo, mas antes não rola. - avisou. - Quero dizer… Eu te tratei com carinho… Não poderia retribuir o favor? Eu posso chupar como uma vadia, mas meu traseiro é de donzela. - riu de nervoso.

-Traseiro de donzela? - Naruto assentiu, corado de vergonha por perceber o peso de suas palavras, e Sasuke gargalhou alto com a sinceridade. Isso sim era engolir o próprio orgulho masculino para evitar a dor. - Quer dizer que eu achei que ia ter sexo com uma vadia, mas vou ter com uma donzela?

-Olha… Eu sei que você é o foderoso da máfia, já deve ter arrombado muito cara e muita mulher por aí… Sei que não sou essas coisas todas para merecer um tratamento diferenciado, mas… - tagarelou, no entanto se calou ao sentir um dedo úmido o penetrar.

Não esboçou outra reação que não fosse surpresa, mas tão logo sentiu o segundo dedo começar a lhe acariciar por dentro, Naruto gemeu manhoso no ouvido de Sasuke, fazendo este adorar a atitude.

Ajoelhou-se e mexeu seus quadris para facilitar o preparo enquanto o mafioso deleitava-se de seus mamilos como se fossem feitos de doce. Beijava, lambia e chupava de maneira sensual e isso deixou Naruto em chamas. O terceiro dedo entrou e os três giravam delicadamente em si. Arfou mais, afagando os fios negros com suas mãos, e o encarou com fogo no olhar.

-Aposto que chorou ao perder a virgindade. - Sasuke provocou e Naruto corou furiosamente. Riu baixo e o beijou como desculpas pelo constrangimento. - Eu só seria rude com você se me pedisse… Você é fofo demais para eu te machucar… - gemeu rouco ao sentir a contração, era como se seus dedos fossem tragados. - Nossa… O que foi isso?

-Enfia logo! - Naruto escondeu seu rosto na curva do pescoço de Sasuke e içou seu corpo. Ele já estava de camisinha, então apenas encaixou-o onde devia. - Para de falar assim de mim que eu fico…

Sua voz foi cortada pelo brado melodioso que emitiu ao ser empalado de uma vez. Completamente preenchido, essa foi a sensação que teve e naqueles segundos de regozijo, Naruto ficou extremamente feliz de ter sido trocado. A estocada foi tão firme que seu fôlego lhe faltou pelos segundos antes de receber a segunda e a terceira.

-Meu Deus… - o Uchiha lambeu os lábios e segurou firmemente os quadris bem feitos para controlar o rebolado. - Você está de sacanagem comigo, hein? - sorriu sacana.

-Como… Assim? - não podia parar de gemer, não quando seu ponto já havia sido achado e estava sendo abusado lentamente pelo membro perfeito de Sasuke. Suas mãos arranharam os ombros que usava para se segurar e não perder o equilíbrio, pois o que sentia estava fazendo sua mente girar. - Puta merda… Você é gostoso demais!

-Eu nunca gostei de espaços apertados… Isso, rebola assim, isso mesmo! - Naruto ia e vinha, girava os quadris e afundava mais de Sasuke em si até senti suas bolas baterem contra sua bunda. - Nem mesmo desses aqui…! - meteu para ilustrar e o outro encostou a testa na sua. - Mas você é o encaixe perfeito, como se seu cú tivesse sido feito para o meu pau. Quente, macio, agradável, como se eu fosse abraçado. - Naruto concordou plenamente e choramingou. - Porra, donzela, onde esteve todos esses anos?

Não respondeu, não conseguiu, pois sua boca foi tomada pela de Sasuke. Como o sal e a pimenta que realçam o sabor, aquele beijo só deixou os dois mais excitados, de modo que se moviam com mais vigor. Naruto chocava sua pélvis com toda potência contra a de Sasuke enquanto arfava rouco e arranhava as costas dele, que não parava de apertar suas coxas e sua bunda por sua vez. Não suportariam por mais tempo. Era bom demais.

Gozaram juntos, com Naruto gemendo alto, quase agudo, ao mesmo tempo que abraçava com força os ombros nus, e mal conseguiam soltar os lábios. Naruto sorriu em deleite ao perceber que chegara ao ápice sem se tocar nenhum momento. Deu mais selinhos a Sasuke e se deitou manhosamente sobre a cama, na posição frango assado. Brincou com dois dedos em sua entrada enquanto via o Uchiha retirar a camisinha e por outra. Mais lubrificante, porém ao longo do próprio membro, e lentamente ocupou a cavidade acolhedora de novo, mantendo-o naquela posição totalmente exposta a si.

Ver-se sumir por completo era tão excitante! Naruto o comportava completamente e isso deixava Sasuke muito excitado. Ele se curvou sobre a virilha suada e piscou o olho para seu amante. Este último ergueu seu membro para o alcance da boca do outro e gemeu rouco ao ter sua glande sugada enquanto era penetrado. Puta flexibilidade Sasuke ostenta, pensou.

Havia uma sincronia entre boca e quadris, de modo que Naruto se sentia encurralado entre duas vertentes poderosas de prazer. De vez em quando, ele rebolava demoradamente, acariciando sua próstata e fazendo-o gemer arrastado. Sasuke chupava a ponta bulbosa com rapidez, fazendo o loiro enlouquecer, e apertava a cintura para manter a altura certa de acesso para si.

-Eu vou gozar logo assim. - reclamou depois de sentir uma lambida safada. - Não quero! Agora que comecei a ser comido! - Sasuke riu alto e meneou a cabeça negativamente.

-Você é uma figura. Só por isso, eu vou te fazer gozar e vai gritar para mim de novo. - o mafioso se aproximou para tomar os lábios inchados pela quantidade de beijos trocados. - Relaxe… Temos a noite inteira…

As investidas de Sasuke tornaram-se mais fortes e mais certeiras. Ele mirava exatamente naquele ponto que fazia Naruto se contorcer e gemer sem parar. Todas as suas energias estavam convergindo para os seus sentidos e isso o fazia perceber mais as coisas, como por exemplo o quanto era provocante o peito do Uchiha totalmente suado e como as duas serpentes que o adornavam tinham o olhar penetrante como o do dono.

Não parecia que era a primeira vez que tinha sexo com ele. Naruto tinha a sensação que Sasuke conhecia cada ponto sensível de seu corpo e sabia quando explorá-lo para fazê-lo sentir mais em êxtase. Era inacreditável aquilo. Mesmo que não quisesse fazer isso, Kakashi nem chegava aos pés daquele homem, de modo que comparar era até injusto.

Seu corpo foi girado sobre a cama e ajustado para ficar de quatro, com sua bunda bem empinada e exposta para os olhos famintos de Sasuke. Grande, redonda, firme, provavelmente depois de anos de academia e cuidados, apertava-o sempre que ia fundo, acertando seu ponto erógeno, e era delicioso. Ele rebolava como se sua vida dependesse disso e parecia estar precisando daquilo.

Se seus instintos não estivessem enganados, aquele homem precisava afogar alguma coisa. Aquela história da vingança contra o ex era tão real, mas ele parecia dividido entre se entregar e sentir remorso. Mas Sasuke não se importava com isso. Ia passar o carnaval resolvendo dezenas de problemas, considerava-se com muita sorte por aquele rapaz ter sentado em seu colo e feito o que fez. Não se incomodaria de tê-lo assim por bastante tempo, era melhor que qualquer vadia que já tivera pago.

Sasuke nem saiu daquele interior confortável, continuou estocando com vigor, mas desta vez masturbou Naruto para que a tensão diminuísse, pois ele estava bem contraído. Parecia preocupado com alguma coisa. Lágrimas já desciam e sua voz era uma mistura de gemidos de angústia com choramingos de prazer.

Onde realmente aquele rapaz estivera que Sasuke nunca tinha o visto antes? Todas suas reações eram inesperadas e completamente deliciosas, era como se ele só tivesse feito sexo consigo a vida toda e estivesse tão à vontade com seu membro que chorava. Triste do idiota que deixou um homem assim passar, pensou, e feliz de quem o pegou.

Com carinho, para acalmá-lo daquele quase afogamento, beijou e chupou a orelha e a parte detrás dela. Naruto gemeu baixinho e tornou a fazer carinhos na sua nuca com uma mão, pois a outra lhe ajudava a se manter de quatro. Aquilo não era normal, fazia tempo que não sentia tanto prazer, soltando sua voz e seu corpo, como quando começou o seu relacionamento com Kakashi.

-Você está tão apertado, donzela… - sussurrou suave e fê-lo se reclinar sobre si, sentando-se. Segurou as coxas com firmeza e o ajudou a subir e descer. - Nem consigo me enfiar todo… O que foi? Está doendo? - beijou o pescoço suado. O amante negou.

-É tão bom que perco a calma e eu fico pensando no meu ex as vezes… Desculpa… - respirou fundo, sentindo-se relaxar e mordeu os lábios quando Sasuke se aprofundou em si. - Você é incrível… - sussurrou e o beijou.

-Você também é. - sorriu de lado e deslizou suas mãos pela pele suada, empurrando-o para ficar de quatro de novo. - Relaxe… Eu vou te fazer gozar, então relaxe…

Naruto só concordou porque recebeu beijos em sua boca e carinhos em seu pênis duro. Era inacreditavelmente difícil se separar dos lábios Uchiha quando o dono investiu profundamente em si, com a firmeza de um velho amante. Tão forte e tão intenso que seus testículos se chocavam repetidas vezes com os do outro e a cama rangia alto agora. Naruto sentia que sua cintura iria amanhecer com marcas de dedos, de tão poderosa que era a pegada de Sasuke, mas não estava nem aí.

Apertou os olhos e os lençóis quando sentiu-o se concentrar só em sua zona erógena dentro de seu canal. Era literalmente uma surra de vara que Naruto está adorando receber. Seu corpo estava mais suado, sua respiração mais rápida e seu interior mais quente. Iria gozar na mão dele. Gemeu mais alto, quase gritando, e o fitou com carência. Sasuke lhe sorriu, mas não lhe beijou como da primeira vez: empurrou com mais velocidade e fez o fôlego de Naruto faltar.

Gozou tanto que perdeu as forças, bradando assim que conseguiu respirar, caindo estirado sobre a cama. Mas o Uchiha ainda seguiu com os movimentos, fazendo-o gozar de novo ao senti-lo quase rugir durante seu próprio orgasmo. Os dois se olharam e se beijaram com lentidão.

-Acho que quero mais… - Sasuke riu baixo ao ouvir a confissão e saiu lentamente daquele interior pulsante. Passou as mãos pelos cabelos negros e respirou fundo. Gozara tanto que sua vista ficou um pouco turva. Iria dar-lhe mais, só precisava retomar o fôlego.

Deitou-se de olhos fechados, respirando profundamente para relaxar seu corpo inteiro, e puxou um lençol para cobrir sua cintura.

-Você acha? - Naruto assentiu e procurou deitar-se sobre o corpo do outro, beijando a pele e um dos mamilos rosados, pois o outro era levemente beliscado. - Não tem certeza?

-Eu não sei se tenho mais forças… - murmurou rouco e ficou por cima, enchendo o outro de afagos. Não é porque os dois estavam tendo sexo que não podiam agir com carinho um para com o outro. - Mas fica difícil não querer rebolar com seus dedos fazendo assim…

Enquanto se beijavam, os dígitos de Sasuke dedilhavam o canal de Naruto. Realmente não conseguia resistir muito, então o masturbou rapidamente enquanto os dois se fitavam intensamente, logo que sentiu-o pronto, ele o montou, sendo penetrado devagar. Gemeu rouco, um pouco cansado, arrepiando-se ao encostar suas coxas nas dele. Seu interior estava pulsando e Naruto não sabia se era de vontade ou de dor, mas não se importou muito. O mafioso abraçou o corpo suado a sua frente e suspirou, esfregando seu rosto no do dele com intimidade.

-Vou bem devagar, não tem porque se preocupar… - Sasuke sussurrou e foi se girando os dois. Naruto afundou entre os travesseiros e gemeu baixo com os beijos em seu peito e em seu pescoço. - Seu ex-namorado é um idiota por ter te trocado.

-Vindo de você, não sei se é um elogio. - comentou e acariciou os fios negros sutilmente molhados pelo suor. - Quero dizer… É um criminoso. Não é um exemplo de caráter e fidelidade.

Sasuke encurtou o olhar e Naruto percebeu a merda que dissera. Tentou se retratar, mas nada do que bolava parecia ser adequado depois do insulto horrível que dissera ao homem que lhe dera três orgasmos incríveis e podia fuzilá-lo. Ficou tão nervoso que o mafioso sentiu o canal apertar demais ao seu entorno e isso o incomodou.

-Hei. - colocou um braço de cada lado do corpo dele e deu um beijo na boca carnuda. - Relaxe. Já ouvi coisa pior de gente mais sem noção, donzela. - Naruto engoliu em seco. - Não vou matá-lo por dizer quase a verdade.

-Quase? - meio que por instinto, abraçou-o e beijou a pele alva, ansiando amenizar o problema.

-Meu caráter não é dos melhores, mas eu sou fiel. - falou sério. - Só estou transando contigo porque eu estou solteiro e você também. Não faço este tipo de merda com as pessoas porque eu nunca traio quem eu gosto. - Sasuke suspirou ao sentir o aperto folgar e sorriu de lado. - Se você fosse meu, me trairia?

-Eu não teria motivos. - o ir e vir começou daquela forma gostosa e Naruto se arrepiou de novo, sentindo seu corpo aquecer e o desejo voltar. - Você é bom para mim… Pelo menos nesse quesito.

-Ótimo. Já é um começo. - beijaram-se por baixo dos lençóis ficando ainda mais íntimos do que estavam, se é que é possível algo assim.

Continuaram noite adentro até que ambos foram vencidos pelo êxtase e pela exaustão.

Naruto acordou apenas no dia seguinte quando o sol já brilhava forte. Sua garganta estava seca por causa da quantidade de vezes que gemera alto na noite anterior, como o outro prometera. Olhou em volta e se percebeu sozinho no quarto, mas havia vozes pelo apartamento. Procurou por suas roupas, mas não achou, de modo que vestiu a camisa de botões de Sasuke. Era muito grande para si, mas tinha vantagem: cobria sua nudez. Lembrou-se de que deixara tudo na cozinha. Caminhou pelo ambiente e achou sua cueca. Pelo menos não estaria totalmente exposto.

Saiu do quarto silenciosamente, sentindo o costumeiro incômodo em sua entrada por causa da quantidade e da qualidade de vezes que transara por ali, seguiu pelo corredor pisando levemente no chão e parou na porta de acesso à sala e à cozinha.

Sasuke estava ali conversando com outros homens e seu semblante não era dos melhores, parecia uma mescla de cansaço, de impaciência com raiva. Deveria ir? Viu suas roupas dobradas sobre o balcão da cozinha. Precisava ir, porém seria notado.

É mais fácil aceitar uma mulher caminhando com a roupa do cara que ela transou na noite anterior, mas um homem? Estranho é pouco para definir. Se fosse silencioso, ninguém o veria. Pelo menos era assim nos filmes.

-Chefe… Estamos sendo vigiados. - um deles percebeu sua presença e lhe denunciou. Naruto sentiu seu corpo gelar ao ver Sasuke lhe encarar severamente e fazer sinal para que se aproximasse. - Olha só… Um cara…

Mesmo que fosse errado para o momento, o mafioso fica muito charmoso de terno preto simples e cara de malvado, mas tentaria não transparecer isso para não haver más interpretações.

Contra suas expectativas, Sasuke circundou a cintura com seu braço e puxou Naruto para si, dando-lhe um selinho demorado enquanto a outra mão sustentava o cigarro entre os dedos. Ainda que o cheiro de nicotina fosse suave, Naruto não gostou muito do beijo por causa do gosto que a droga deixa, mas não conseguiu evitar dar mais um. Os dois se fitaram com muita intimidade.

-Acordou cedo. - comentou e Naruto percebeu que eram apenas oito horas. Era verão. O sol sempre é forte no verão. - Dormiu bem? - Sasuke indagou e ele assentiu. - Não sente dor…? - negou rapidamente, evitando que o homem dissesse algo mais constrangedor que o momento que viviam diante daqueles homens. - Pessoal, este é Naruto. - apresentou-lhe.

Alguns disseram “Bom dia, como vai?”, outros apenas balançaram a cabeça positivamente e uns apenas sussurraram “Oi”.

-Onde estão minhas roupas? - questionou num tom baixo. - Eu preciso delas para ir…

-Ir para onde? - Sasuke interrompeu.

-Minha casa… Você está ocupado e eu não quero atrapalhá-lo. - explicou.

-Volta para o quarto. - sussurrou o pedido. - A gente conversa daqui a pouco. - Naruto franziu o cenho e Sasuke sorriu. - Não vou te trancar, só quero realmente conversar com você. Depois te dou uma carona.

-Ok. - Naruto fitou todos aqueles homens e reconheceu o atual namorado de Kakashi sentado no sofá. Segurou o rosto de Sasuke entre suas mãos e o beijou lentamente. - Vou esperar. - falou provocante.

Saiu quase rebolando e ficou no quarto como pedido. Iria se vingar daquele idiota um pedaço de cada vez. Kakashi não perdia por não esperar. Deitou-se e fechou os olhos. Nem percebeu quando dormiu de novo, mas ouviu o Uchiha entrar.

Naruto esfregou os olhos e bocejou. Ele trazia suas roupas, mas ao invés de entregá-las normalmente, jogou-as sobre o loiro, despertando-o de vez. Sasuke dobrou as mangas de sua camisa branca e retirou a gravata para enrolá-la na mão.

-O que foi…? - ele viu a aura praticamente mortal ao redor do outro, por isso saltou logo da cama e foi para o canto do quarto, segurando suas roupas como se fosse um escudo. - Eu fiz alguma coisa de errado?

Sasuke se aproximou lentamente, retirou o punhal de dentro do coldre e o girou na mão até segurá-lo com firmeza.

-Nunca mais faça aquilo na frente dos meus convidados, ouviu? - era por causa do beijo? Merda! Ninguém sabia que ele se deitava com homens e agora ferrara tudo? Levou uma tapa na cara e isso o assustou. - Eu te disse que te mataria ao invés de arrumar briga com meu primo.

Puta que pariu. Sasuke percebeu a intenção da sua ousadia. Oh merda. Naruto olhou para todos os lados procurando um saída para a sinuca de bico que se metera, mas estava ali, encurralado num apartamento cheio de mafiosos. É cada burrada que a pessoa faz.

-Me desculpe… Eu queria fazer aquilo, mas não achei que ia perceber… Eu estou muito irritado ainda e… - repentinamente a faca foi cravada na parede bem ao lado de sua cabeça. Naruto empalideceu totalmente.

Sasuke o puxou para um abraço e o apertou.

-Te dou duas opções. - sussurrou no ouvido. - Ou some daqui com essa vingança e faz o impossível para que eu nunca mais veja essa sua cara fofa ou esquece essa merda de vingança e começa a sair comigo para que a gente possa se pegar de forma oficial.

Naruto o encarou com espanto e Sasuke riu baixo.

-Achou mesmo que eu ia te matar por que meu primo te corneou e você me beijou na frente dele? Depois da transa de ontem? - ele assentiu e isso só fez o Uchiha rir mais. - Você é uma figura.

-Mas você disse…

-Só estava te testando. - piscou um olho e o soltou. - Toma um banho e se veste, a gente vai almoçar. Depois te levo para sua casa. - deu-lhe um beijo suave. - Pense bem em suas duas opções. Elas podem mudar tudo.

Sasuke saiu e Naruto foi para o banheiro. Que loucura! Achou que ia morrer, mas eis que estava bem vivo e com um mafioso foderoso gamado em si. O que escolheria? Kakashi ainda merecia sofrer, mas Sasuke… Quando viu novamente na sala conversando com seus capangas, Naruto ficou pensando se valeria à pena se envolver com um homem que vivia do crime.

Durante o almoço, ouviu sobre prejuízos nos negócios legais da família Uchiha, algo como ladrões de cargas, e isso estava deixando o homem furioso. Valeria mesmo sair com um deles e acabar virando cúmplice? Mesmo que só por um dia ou por uma semana, ligariam seu nome à pessoa em algum momento.

De tanto pensar, nem percebeu-se na porta de sua casa.

-Chegamos, como prometi. Não sou o tipo de cara mal que mantém pessoas em cativeiro sem um bom motivo. - sorriu sugestivamente. - Ainda que seu traseiro e sua boca sejam motivos suficientes.

Naruto riu agradecido, soltou seu cinto para beijá-lo um pouco antes de sair do veículo e suspirou.

-Já tem a minha resposta? - perguntou depois de lhe dar vários selinhos.

-Preciso dá-la agora? - ele passou uma mão pelo peitoral coberto em forma de carinho.

-Eu vou viajar em três horas. - avisou, deslizando sua mão pelas costas de Naruto. - Vou passar o resto do carnaval no Caribe. Meus pais estão lá e vai ter o noivado do meu irmão com a filha de uma família que era nossa rival, mas agora são nossos aliados por causa do amor pela moça.

-Que lindo! - Naruto arregalou os olhos. Quer dizer que até entre os maus, as histórias lindas de amor acontecem? - Parece até uma história de filme de Hollywood.

-Eu sei. Fiz até uma homenagem para eles nesse estilo para mostrar no jantar de noivado. Eu amo muito meu irmão mais velho, aí… Já viu. - suspirou. - Então… Eu vou viajar e quero te levar comigo.

Naruto encurtou o olhar.

-Você sabe que a gente só transou, né? Tipo, melhor sexo da minha vida, mas não estou apaixonado ou nada do tipo.

-Está de sacanagem comigo? - Sasuke riu alto. - Já foi no Caribe alguma vez na sua vida? - negou. - Aquele lugar é afrodisíaco. Eu quero que vá para eu ter uma transa decente à noite e uma companhia adequada para conversar de dia. - meneou a cabeça negativamente. - Eu não me apaixono. Não tenho um coração para isso.

-Então quer me levar numa lua-de-mel sem casamento e sem me apresentar aos seus pais como completos estranhos?

-Exatamente. - beijou-o brevemente.

Deveria ir? O que sabia sobre Sasuke? Nada. E o que ele sabia sobre si? Nada. O que os dois sabiam sobre os dois? Que davam certo na cama e não conseguiam parar de se beijar. Se aquilo fosse virar uma amizade, havia começado totalmente errado, mas quem estava julgando? Um pouco de aventura poderia fazer bem ao seu coração, talvez.

-Pode me pegar em duas horas? Preciso fazer as malas e comprar umas cuecas bonitas. - Naruto sorriu sapeca ao dizer a brincadeira e Sasuke riu.

-Como se fosse precisar delas quando nos trancarmos no meu quarto.

Os dois riram e se beijaram novamente.

-Serão quantos dias? - está cada vez mais difícil não beijá-lo, constatou Naruto.

-Uma semana.

-Vou passar uma semana inteira com completos estranhos só por que você é bom de cama? - Sasuke assentiu, pois esta era a lógica. - Isso não está sendo rápido demais?

-Está dizendo não a Sasuke Uchiha? - ele encurtou o olhar e Naruto gargalhou. - Você tem noção do tamanho do perigo, rapaz?

-Eu rio na cara do perigo. - e acrescentou uma risada espontânea à sua fala, que Sasuke passou a achar linda. - Desculpa… Você é muito gostoso, mas eu me recuso. - deu um selinho nele. - Desculpa desapontá-lo.

-Tudo bem, não estou chateado. Eu entendo. - Naruto saiu do carro, sorrindo todo o tempo em agradecimento pela compreensão. - Se cuida, Naruto. - buzinou quando partiu e ele acenou em adeus.

-Eu podia ao menos ter pego o telefone dele. - murmurou para si mesmo. - Burro, ‘cê é muito burro, Naruto. - revirou os olhos, indignado com sua própria estupidez.

Foi para casa e teve que lidar com seus pais enlouquecidos de preocupação por causa da hora que saíra e da hora que voltara. Eles não se preocupavam quando Naruto dizia que ia passar um ou dois dias fora de casa, porque este sempre ligava para avisar que estava vivo, ao menos, e era em boa parte das horas prudente. O filho narrou toda a sua desventura para eles, evitando os detalhes sórdidos da transa ardente, mas não omitiu que tivera relações com o chefe da máfia Uchiha e que ele lhe convidara para uma viagem no Caribe.

Seus pais ficaram bem em saber que o filho fora ajuizado e Kushina, depois do almoço, quando Minato fora cochilar um pouco, quis saber por que Naruto estava até cantarolando. Até onde ela se recordava, o rapaz estava destroçado por causa do término com Kakashi. Tudo fez sentido quando ele lhe contou o quanto o cara com quem dormira fora diferente, por assim dizer.

Os dias correram e o feriado acabou. Naruto voltou para seu trabalho no mercadinho da esquina, em ao estilo “Doc’s”, mas não conseguia se esquecer de certo mafioso. Gostaria de vê-lo de novo, mas fora bem burro ao não pegar seu telefone.

Estava guardando alguns produtos numa prateleira quando ouviu a porta ser aberta. Olhou para a entrada e não conseguiu evitar que seus olhos se arregalassem e sua boca se abrisse muito ao ver Sasuke parado ali, com as mãos na cintura, observando a loja por trás de seus óculos escuros. O cara estava ali?! De verdade? E sozinho!

-Naruto Uzumaki apareça! - Sasuke mandou em voz alta. - Não me faça ir até a prateleira de molhos e enlatados. - baixou os óculos ao ver a cabeleira loira. Sorriu de lado quando o rapaz usando a farda do supermercado apareceu.

-Como me achou? - Naruto observou a gerente, que lhe olhava com estranheza, e depois encarou o homem que se aproximava.

-Sou da Máfia, lembra? - chegou-se bem perto dele e retirou seus óculos. - Interroguei algumas pessoas.

-Quem?

-Sua mãe. - riu baixo. - Fui na sua rua, errei de casa três vezes antes de achar a certa. Imaginei que você pudesse estar lá, mas quem me recebeu foi Dona Kushina e uma xícara fumegante de chá. - explicou.

-Ahm… - fitou sua chefe. - Me dá cinco minutos? - pediu e a mulher assentiu. Naruto fez sinal para que o Uchiha lhe seguisse e os dois foram para os fundos, onde estava o estoque. - Não acredito que me procurou. - olhou-o com admiração. - Foi mesmo para o Caribe? Nem está bronzeado.

-Fui, mas passei todo o tempo fugindo do sol. - Sasuke escorou-se em umas caixas e fitou o rapaz. - Eu te procurei pessoalmente porque não tinha seu telefone. Burrice, né?

-Nem me fale. - Naruto riu e escreveu num papelzinho que retirou do seu bloquinho de anotar preço o número do seu celular. Entregou-o e sorriu mais. - Agora pode me ligar. - Sasuke o salvou em seu aparelho e fez ligação só para testar. - Não agora.

O outro riu e os dois passaram alguns minutos se olhando, sem saber bem o que iriam conversar. O mafioso suspirou e segurou a mão do outro, puxando-o lentamente para si. Naruto envolveu o pescoço alheio com seus braços e aceitou o beijo delicado que recebeu.

-Como você está? - perguntou.

-Bem… - Naruto suspirou, retirando alguns fios da frente da testa alheia. - E você?

-Bem, mas pensando no seu traseiro. - o outro gargalhou. - Não que eu seja tarado… É só que certas coisas são impossíveis de esquecer. - murmurou antes de beijá-lo. - Posso ir na sua casa na quinta?

-Fazer o quê? - Naruto perguntou antes de ser beijado novamente.

-Bater um papo contigo, provar da comida da sua mãe, olhar para tua cara, sei lá… - deu de ombros. Naruto concordou, pois também queria vê-lo.

E aquela foi a primeira das muitas visitas do mafioso em sua casa. Sempre que ia na presença dos pais de Naruto, levava flores para a mãe de Naruto ou convidava-os para algum passeio, mas quando os dois estavam sozinhos, o loiro fazia questão de se ocupar com Sasuke da melhor forma que conhecia: passavam todo o tempo conversando sobre todo tipo de assunto que viesse à mente e, em raras ocasiões de grande tensão, os dois se tocavam um pouco. Sexo? Só no apartamento do Uchiha, nunca na casa do Uzumaki.

Conversavam por mensagens e ligações também. Depois de um ano, os dois viajaram para o casamento do tal irmão mais velho de Sasuke e ali Naruto foi apresentado à família Uchiha, de modo que foi tão bem acolhido que estranhou. Mal sabia ele que os pais de Sasuke estavam de planos com o mais velho para tentar unir os dois. Por hora, a amizade se sobressaiu acima do desejo sexual e eles simplesmente aceitaram isso.

Mas a vida era um maldito e curioso clichê para Naruto, então simplesmente aconteceu: de tanto gostar, se envolver e cultivar a amizade, floresceu o amor e os dois se apaixonaram. Claro que Naruto se apaixonou primeiro, pois realmente Sasuke era um corpo sem alma, mas o loiro tinha espírito e amor suficiente para os dois. A vida realmente é um clichê.

Os encontros esporádicos para jantar, conversar ou ter relações transformaram-se numa necessidade constante. Eles brigavam por causa da saudade e da distância, por causa dos ciúmes de Naruto e da insensibilidade de Sasuke, mas no fim o querer de um pelo outro era mais forte e eles se perdoavam. O rumo foi certo. Juntaram as escovas de dentes de vez.

-Eu gostaria de fazer um brinde ao melhor irmão que eu tenho, que por azar é o único, de modo que é ruim comparar com outros. - todos riram e Sasuke ergueu o dedo médio para seu irmão Itachi. - Você sempre foi uma montanha vazia e congelada, mas agora se converteu num vulcão poderoso e eu sei que essa mudança se deu por causa dessa pessoa incrível que achou num bar no carnaval há quatro anos. - Naruto corou e apertou mais a mão do marido. - Eu não sei se é doente ou doido por querer alguém como Sasuke, mas saiba que achou um homem de verdade para a vida inteira. - agora foi a vez de Sasuke corar furiosamente e todos baterem palmas. - Bem-vindo aos Uchihas, Naruto, e seja muito feliz, Sasuke.

O caçula não resistiu. Saiu de seu lugar, deixando a taça, e foi dar um abraço apertado no mais velho. Os dois choraram emocionados e todos berraram de felicidade.

-Você merece, maninho, o homem com quem casou. Merece todo o amor e o carinho que ele lhe tem porque você sempre foi o que mais precisou. - sussurrou. - Agora vá ser feliz!

-Valeu, Itachi…

-Eu disse que ia me vingar daquele filme maldito que me fez chorar por uma semana!

Os dois gargalharam divertidos e Sasuke voltou para o seu marido, vendo todos se divertirem na festa de casamento ao som da banda e de conversas animadas. Sentou-se um pouco distante e suspirou ao enxugar os olhos com o lenço que trazia dentro do terno negro muito elegante. Naruto estava de laranja e isso não incomodava mais o marido. Se acostumou com o gosto curioso pela cor no primeiro ano de namoro.

Buscou um cigarro em seu paletó e o acendeu com o isqueiro que ganhara de presente de aniversário de Naruto. Era de ferro, um pouco comum, mas estava tudo bem. Amava-o só por causa da mensagem talhada ali “Eu vou ser sempre o seu fogo. N”.

-Boa noite. - Naruto se levantou de sua cadeira e foi até Sasuke. - Passando o carnaval sozinho? - brincou.

-Talvez. E você? - deu um trago e guardou o objeto. Afastou o cigarro e lançou a fumaça para longe do marido.

-Talvez. - sorriu de lado, brincalhão. - Naruto, seu marido. - se apresentou e Sasuke descruzou as pernas para que ele pudesse lhe montar e lhe abraçar.

-Sasuke, seu marido. - os dois se beijaram com paixão, aproveitando que ninguém os importunaria agora. - Quer alguma coisa? - sussurrou feliz pelo momento.

-Minha lua-de-mel. - respondeu exigente. Naruto era sempre muito exigente em seus pedidos. Mordeu o lábio e gemeu no ouvido alheio. - Eu tenho uma surpresa para você. Uma especial...

-Huumm… Vou só dar uma conferida suave… - Sasuke deslizou a mão por baixo do paletó laranja e sentiu algo diferente no traseiro durinho de seu marido. Afagou o encontro das nádegas e percebeu algo vibrando. - É o que estou pensando que é? - Naruto assentiu, rindo baixinho. - Há quanto tempo está com isso?

-Depois que joguei o meu buquê, - gemeu baixo de novo quando Sasuke empurrou novamente o plug para dentro, pois metade estava fora. - fui no banheiro e coloquei pensando em você…

-Eu já disse o quanto amo as suas surpresas? - só agora entendeu por que Naruto estava com o rosto levemente corado durante a cerimônia de oficialização.

Beijaram-se sensualmente de novo. O Uchiha deu um trago longo no cigarro e lançou para longe, mas Naruto puxou seu rosto para outro beijo e acabou jogando o resto da fumaça dentro da boca ávida. O loiro quase sufocou, tossindo por receber repentinamente a nicotina.

-Já disse para não me beijar quando eu estiver tragando, Naruto. - afagou suas costas e sorriu ao vê-lo melhorar. Ele pediu desculpas com o olhar e aceitou a taça com água que Sasuke ofereceu. - Então… Está com um plug e doido para dar para mim?

-Toma. - tirou do bolso do paletó o controle. - A vibração está bem baixa porque se não você ia notar, mas pode… - nem precisou terminar, Sasuke havia aumentado a intensidade e isso fez Naruto gemer e obrigar o marido a apertar sua bunda para que o plug não saísse. - Se não me levar para o quarto agora, faço você me comer na frente da sua mãe… - resmungou, agoniado.

-Eu não me importo nem um pouco. - lambeu os lábios, largando o cigarro no cinzeiro, e trouxe seu marido para mais perto de si. - Ela já viu mesmo…

Naruto riu ao se lembrar do caso. Dona Mikoto não sabia com o que se espantava mais: com o fato de seu genro ser tão escandaloso e não se importar de transar na mesa da sala ou com o fato de que seu filho só lhe deu alguma satisfação quatro horas depois, pois sua saudade do namorado era maior que qualquer constrangimento. Os dois eram malucos.

-Não é minha culpa se você tinha viajado e passado um mês longe de mim… Um dildo jamais mataria a minha vontade de você. - começou manhoso.

-Claro que não. Não é sua culpa se estava com tanta saudade que quando cheguei, você estava vestido numa das minhas camisas favoritas e todo pronto para mim… Foi praticamente uma consequência do acaso. - mordeu a orelha de forma sensual e Naruto gemeu, assentindo.

-Nem é minha culpa se você me faz gritar quando estamos na minha posição favorita e isso atraiu sua mãe. - beijaram-se lentamente ao passo que Sasuke diminuía o volume das vibrações para não acontecer um constrangimento.

Os dois se levantaram ainda se beijando e se encostaram na mesa que estava por perto. Naruto subiu com cuidado, por causa do plug, e acomodou Sasuke entre suas pernas. Tornaram a se beijar com calma, mas muito carinho, se afagando por dentro dos paletós, mas foram interrompidos por um pigarro forte e conhecido.

-Eu espero que não estejam planejando fugir para ter sexo. - Dona Kushina cruzou os braços e encurtou o olhar.

Sasuke nunca teve medo de nada e nem de ninguém, nunca baixou sua crista ante desafios, tampouco deixou sua postura arrogante de homem superior, mas isso muda sempre que está perto de Dona Kushina. Seu Minato, esposo dela, é um sogro maravilhoso e muito complacente, mas sua sogra consegue por medo no homem sem alma. Soube disso quando foi pedir Naruto em namoro e ela disse que só aceitava se os dois passassem seis meses sem transar e sem ousadias.

Ou aceita ou esqueça o meu filho, foi o que ela disse. Se uma feirante tinha coragem de enfrentar o mais perigoso mafioso por seu filho, ela deve ser respeitada. Sasuke a obedeceu tal como Naruto e assim ganhou sua confiança. Transar na frente da sua mãe até que ia, mas na frente da de Naruto era assinar seu próprio divórcio antes do tempo.

-Bom… - Naruto fitou o seu ventre coçou os cabelos ao perceber que estava com um bojo sutil formado. - Acho que… Eu preciso ir ao banheiro. - desconversou e saiu dali às pressas.

Kushina fitou o genro e suspirou. Puxou-o para um abraço apertado e sorriu. O outro ficou sem saber o que fizera de certo, mas gostou do sorriso.

-Prometa-me que nunca vai envolvê-lo em seus assuntos. - ela falou um pouco angustiada. - Nenhuma mãe quer ver o filho preso ou morto.

-Eu prometo, Dona Kushina. Naruto nunca soube e nunca saberá o que faço realmente da vida. - beijou suas mãos e apertou-as.

-Obrigada. Eu sei que vai cuidar do meu menininho. Quando ele perdeu o padrinho para aqueles ladrões, eu soube que você fez questão de levá-los à cadeia ao invés de matá-los… Ainda que Mikoto tenha me dito que depois você os matou na prisão… - Sasuke fitou Minato e este apenas deu de ombros.

-O que minha esposa está dizendo é que… - seu sogro apertou seu ombro. - Quando vimos você dar todo o suporte ao nosso filho no enterro de Jiraya, soubemos que você era a pessoa certa para estar com Naruto. Todos sempre o viram com maus olhos por ser gay e amar um homem que bebia demais, mas você foi diferente de todos. - Minato sorriu e Sasuke corou ao baixar o olhar, sentindo a mão paterna afagando seus cabelos. - Deixo meu único filho em suas mãos.

Lembrou da ocasião. Naruto lhe ligara desesperado, aos berros, pois seu padrinho tão amado estava em seus braços, jorrando sangue. Sasuke abandonou a reunião em que estava e foi atrás de Naruto. Quando soube do acontecido, caçou os ladrões em cada beco sujo da cidade e os levou à justiça, como seu namorado pedira. Tivera que o segurar firme durante o enterro, pois ele estava inconsolável e desesperado. Não queria saber de ninguém, só de seus pais, mas Sasuke continuou indo vê-lo sempre que tinha tempo.

Numa noite, em seu apartamento, recebeu a visita de Naruto e tudo o que ele disse foi “Estou com medo de ficar sozinho”. Desde aquele dia, seu namorado passou a residir por alguns dias naquele apartamento, principalmente quando o Uchiha não estava viajando, para lidar melhor com o luto. Kushina e Minato ficaram mais aliviados quando sabiam que seu filho estava sob os cuidados do mafioso, pois ele era muito gentil e amava demais Naruto.

Foram tempos sombrios para seu namorado, mas foram superados pelas boas memórias que Naruto tinha de seu padrinho. Isso o ajudou a superar a morte dele e seguir em frente. E nada deixou Sasuke mais feliz que saber disso e estar ao seu lado.

-Eu que agradeço por não afastarem-no de mim quando souberam que sou o chefe da máfia Uchiha. - murmurou, agindo quase como criança. - Eu não sei o que faria se Naruto tivesse me deixado.

-Eu não faria e nem permitiria que Kushina fizesse! - Minato riu e Sasuke o olhou. - Meu filho te ama tanto que seria capaz de nos convencer a aceitá-lo.

-Ele é capaz sim.

Os dois abraçaram com carinho o Uchiha e deixaram-no quase explodindo de alegria por ser plenamente aceito. Tinha que contar ao seu marido. Procurou-o pelos banheiros do hotel onde a festa ocorria, mas só o achou no último, o mais afastado e sem ninguém.

-Naruto? - chamou e suspirou de alívio ao ouvir o toque do celular do outro. Nunca ouvir a voz do grupo k-pop BTS lhe foi tão agradável. - Pensei que tinham te sequestrado.

Desligou o celular e foi até o box onde via as pernas laranja de seu marido. Empurrou a porta, mas ela não saiu do lugar. Franziu o cenho e bateu de leve.

-Espera um minuto. - a voz ofegante ecoou. - Já saio.

-É o número 2? - perguntou.

-Não… - ouviu um arfar.

-Abre, se não quiser que eu arrombe.

Ouviu a tranca ser retirada e a porta foi aberta. Sasuke entrou e se deparou com Naruto de costas, respirando fundo e de calças arriadas até os tornozelos, apoiava-se na parede com um braço e o outro mexia rápido. Aproximou-se por trás e observou o que se passava por cima do ombro de seu marido.

Ele estava se masturbando e parecia com pressa. Sasuke meneou a cabeça negativamente e suspirou. Gentilmente o abraçou na altura da cintura e os dois se fitaram, dando-se um selinho.

-Vai se machucar assim, sabia? - Sasuke segurou o punho nervoso e Naruto ofegou fitando o marido. Os dois se beijaram quando o Uchiha apertou o escroto macio. - Deixa comigo… Sempre consigo te fazer gozar rápido quando tem pressa.

-Só não reclamo porque você também sabe segurar orgasmo. - abriu os botões de sua camisa ao virar de frente para o marido. Beijaram-se um pouco enquanto Sasuke retirava os sapatos e baixava sua calça e a cueca. Naruto lambeu dois dedos, mas o Uchiha negou. - Mas vai…

-Não vai. Acha que é o único com surpresas? - piscou um olho e mostrou a camisinha. Naruto bateu palmas como um bobo e fez o outro rir. - Fique à vontade para ir como quiser.

Mal pôs o preservativo, logo já estava se enterrando em seu marido, fazendo-o segurar-se na porta com um braço e no corpo a sua frente com o outro, enquanto circundava a cintura de Naruto com uma perna. Umas das satisfações particulares de Sasuke é ver seu atual marido lhe penetrar com tanto ardor e fogo, gemendo rouco, quase choramingando. As vezes, gozava só por vê-lo tão entregue a si, chamando seu nome e todo corado.

Ele investia com rapidez, indo muito fundo em si, esmagava sua bunda com as mãos e lhe beijava com muito ardor, preenchendo completamente o canal de Sasuke, estimulando-o.

-Rebola… - pediu ofegante e Sasuke assim o fez, apertando-se no ato por saber o quanto isso o deixava louco. - Ah, amor…! Tão bom…! - fitou-o quase carente e o beijou desejoso, saboreando a boca apaixonada. - Posso ir mais forte?

-Sem medo. - sussurrou, abraçando com os dois braços agora e o puxando para mais perto com a perna. - Sabe que só fico bem quando está satisfeito… - beijou a nuca suada.

-Pois fodeu… Você sabe como eu realmente me satisfaço. - brincou e estocou mais forte, acertando o tão familiar ponto de prazer de seu marido. O gemido rouco dele em seu ouvido foi ainda mais afrodisíaco do que esperava.

-Eu sei bem. - Sasuke riu baixo e chupou três dedos seus. Enquanto seu marido metia a todo vigor em si, retirou o plug daquele canal e acomodou-os ali, fazendo Naruto gemer de surpresa. - Mais fundo? - perguntou o encarando e o loiro assentiu.

Empurrou da mesma forma que seu marido lhe penetrava e começou a afagar a região sensível, fazendo Naruto abafar um gemido mais alto em seu ombro. Sasuke entregou outra camisinha a Naruto e este entendeu, colocando-o rapidamente no marido, pois queria evitar transtornos caso acontecessem. Os dois tornaram a se beijar enquanto as investidas ecoavam pelo banheiro vazio.

-Bem aí! - soltou a nádega esquerda para abraçar o pescoço de Sasuke e rebolar contra os dedos longos, enquanto investia naquela velocidade no canal apertado de seu marido. - Aí, Sasuke! - choramingou.

-Não. Não aqui... - mordeu a orelha e empurrou mais, esfregando um ponto mais dentro com vontade. Naruto gemeu de forma muda, quase perdeu o fôlego ao se contrair e foi ainda mais dentro de Sasuke, fazendo-o se arrepiar. - É aqui o meu lugar especial.

Naruto assentiu com lágrimas nos olhos e continuou naquela loucura com seu marido. Gostava muito de estar dentro de Sasuke, mas enlouquecia com seu marido dentro de si, por isso de vez em quando, pedia a ele por aquela carícia simultânea. Impossível não gozar com Sasuke lhe pressionando seu ponto mais débil.

-Vou gozar, amor, vou gozar…! - avisou apressado, movendo seus quadris tão rápido e forte que a acústica do banheiro fazia os sons se repetirem num loop infinito. - Sasuke! - chamou mais agoniado pela libertação.

-Relaxa… Está de camisinha. - lembrou, beijou a orelha suada e afagou mais o interior contraído de seu marido. - Quero te ouvir gozar. - avisou.

Com uma estocada mais profunda, terminou. Não desviou um só momento os olhos dos negros brilhantes e gemeu longamente, agarrando o corpo com força. Sasuke também gozou, abraçado ao marido suado, mas não ferozmente como Naruto, que já estava muito estimulado. Este caiu sentado na privada, sem forças, vendo Sasuke arrumar o terno impecavelmente.

-Como consegue...? - perguntou ofegante, procurando energia para arrumar a calça. Ele retirou a camisinha de si e jogou no lixo junto da de Sasuke.

-Consigo o quê? - amarrou os sapatos, um pé de cada vez, apoiando-os entre as pernas de Naruto, sobre a privada.

-É só você me dá uns beijos sensuais, umas apertadas na minha bunda, uns sussurros no meu ouvido e eu fico duro que nem rocha… Agora eu acabei de te comer gostoso e você está como se nem tivesse entrado aqui.

Sasuke arqueou uma sobrancelha e saiu do banheiro para lavar o rosto e as mãos. Fitou-se pelo espelho: realmente continuava impecável, assim ninguém descobriria o que fizeram. Naruto veio atrás, fez o mesmo e ainda molhou sutilmente seus cabelos, jogando-os para trás. O Uchiha fitou o marido e viu certa indignação nos olhos azuis.

-Está irritado por que não estou surtando de tesão por você? - perguntou como se fosse difícil demais para acreditar que seu marido dissera aquilo. O ciúme de Naruto as vezes extrapolava os níveis normais do absurdo.

-Estou. - fez bico e cruzou os braços.

-Para com isso, é difícil eu ficar indignado com você quando faz essa cara. - falou sério.

-Essa é a intenção. - Naruto chegou mais perto e manteve a postura emburrada fofa.

Sasuke esfregou o rosto e se encostou na pia, sem acreditar que estava tendo uma DR depois de ter sexo com seu marido. Naruto era realmente inacreditável. Ficava sempre reparando em detalhes sem noção, como por exemplo da vez que brigaram porque Sasuke não estava olhando-o dançar numa festa. Ele tinha ido para uma reunião de negócios e levado Naruto para não deixá-lo sozinho num sábado à noite. Como podia deixar de prestar atenção à conversa importante que tivera?

Outra vez, Naruto insistira que eles deviam ir a uma feira numa cidadezinha praiana quando foram ao Caribe de novo e havia uma exposição de estátuas de madeira. Muitos casais estavam comprando colares de madeira em formato de coração que se complementam e Naruto queria um par, mas não tinha a letra S e ele quase fez barraco por isso. Sasuke teve que deixá-lo sozinho como um estranho para evitar a treta. Por causa de um maldito colar sem a letra S, os dois brigaram por dois meses.

-Você sabe que estamos no meio da festa do nosso casamento, que somos os noivos e que temos que estar lá fora com os convidados, não é? - perguntou retoricamente.

-Claro que sei, não sou idiota. - rolou os olhos. - Mas isso não justifica o fato de que não está excitado por mim.

Precisou respirar bem fundo para não fazer uma besteira muito grande ali, como dar um soco em Naruto ou, pior, fodê-lo até desmaiar.

-Só me diga uma coisa, Naruto. - tentou mais uma vez. - Como são as nossas rapidinhas?

-Eu sou o ativo. - respondeu descruzando os braços. - Não porque eu seja rápido, mas porque eu sei que… - arregalou os olhos ao perceber a merda que estava fazendo.

-Que? - Sasuke insistiu.

Naruto corou como resposta.

-Pois é, Naruto. - o outro sorriu vitorioso. - Quando eu me excito, mas sou o ativo, a gente vira dois porcos no cio e só paramos depois de, no mínimo, uma hora, porque você é tarado por mim e não se conforma com um orgasmo no meu pau! E eu sou um viciado pelo seu rabo e não me conformo de não deixá-lo arrombado. - explicou de forma quase didática. - O que vai acontecer se eu desligar o meu super controle aqui dentro do banheiro?

-Eu já entendi. - Naruto resmungou, se sentindo mais idiota do que pensava. Os dois se abraçaram, mais para consolar a birra do loiro do que por qualquer outro motivo, e saíram do banheiro. Como fora por menos de 10 minutos, ninguém deu por falta dos dois. - Desculpa. Eu me esqueci desse detalhe sobre a gente. - sussurrou no ouvido dele.

Os dois se fitaram e se deram um selinho breve quando chegaram perto do bolo. Nem perceberam que os fotógrafos contratados para registrar a festa estavam ali tirando várias fotos. Naruto abraçou Sasuke e suspirou.

-Mas você ficou excitado enquanto fazíamos? - perguntou baixinho, quase de forma tímida, para que ninguém soubesse da conversa. - Tipo… De verdade mesmo? Ou foi só para me ajudar a voltar logo?

Aquela insegurança… Remanescentes de certo namoro idiota. O Uchiha abraçou-o mais intimamente, acariciou os cabelos loiros com demora e acomodou o rosto mais lindo do mundo sobre o seu ombro. Odiava quando Naruto duvidava de si mesmo nesse quesito…

-Eu fiz o que fiz por vários motivos. - Naruto o olhava atento. - Porque te amo, porque eu quis, porque sua mãe me mataria por você não estar na festa, porque a gente é casado e pode se pegar rapidinho no banheiro do buffet. - os dois riram muito.

-Depois daquela ameaça de mamãe… - ele sussurrou e Sasuke sorriu por sentir que seu marido estava de volta. - A gente tinha que se pegar mesmo para diminuir a tensão.

Sasuke riu baixo e afagou mais os cabelos de seu marido enquanto sentia Naruto massagear suas costas por cima do paletó.

-E, se serve de consolo, o que com certeza serve… Mesmo que eu tenha gozado, eu estou excitado. - Sasuke confessou. Os dois nem perceberam, mas dançavam uma música lenta, com as mãos entrelaçadas. - Mas não fisicamente, porque tenho que manter a compostura. Sabe que tenho uma fama de frio a zelar. Eu sou tarado por você, esqueceu? Tudo o que faz me dá tesão. Teu andar, teu olhar, teu beijo, teus carinhos, teu cheiro…

-Não começa… - Naruto afundou o rosto na clavícula alheia. - Porque se eu ficar excitado, quero do seu jeito. - murmurou manhoso e viu seu marido assentir.

-Espera chegarmos em casa… - sussurrou a promessa e Naruto arregalou os olhos. - Que foi? - os dois pararam.

-Esqueci sua surpresa no banheiro. - eles riram baixo. - Vou buscar. - Naruto deu um selinho nele e saiu.

Dois minutos depois, enquanto Sasuke comia um pouco, seu marido voltou e escondeu, ao abraçá-lo, o controle no bolso da calça.

-Cadê? - Sasuke perguntou de forma safada.

-Onde deve estar. - Naruto piscou um olho e riu de forma sapeca.

-Estou pensando seriamente de acabar tudo, mandar todo mundo embora e te pegar aqui mesmo. - ofereceu-lhe salgadinhos.

-Nem pensar. - comeu um e colocou outro na boca do Uchiha, pois este começara a fumar e ocupara as mãos com o cigarro e o isqueiro, sem perceber que era alvo de fotos. - Você me prometeu que nossa primeira vez de casados seria na sua cama gigante com o colchão penas de gansos. - lembrou. - Nem pense em fugir da sua promessa, Sr. Uchiha.

Os dois comeram e dançaram juntos durante a festa toda. Era visível a felicidade e isso comovia os pais de ambos. Os olhos de Naruto cintilavam sempre que Sasuke lhe sorria, pois descobrira ser a coisa mais difícil do mundo para este homem fazer. Sempre quisera ser o motivo da alegria de alguém.

-Quer alguma coisa para beber? - outra dança lenta e Naruto não respondeu. Queria ficar daquele jeito até o fim da música e Sasuke percebeu isso pelo olhar de seu marido.

Só se soltaram quando uma animada começou e os dois saíram da pista para os mais jovens se divertirem. Sasuke lhe deu um beijo e foi até as mesas de comida buscar algo. Naruto suspirou, sentindo-se o homem mais feliz do mundo até que…

-Naruto. - seu corpo tensionou e ele se virou lentamente. Era Kakashi. Engoliu em seco e tentou sorrir naturalmente. - Meus parabéns. - abraçou-o e ele continuou sem saber o que fazer. - Fico feliz que tenha se casado.

-Valeu. - disse um pouco nervoso.

-Olha… Eu sei que nos conhecemos há muito tempo e muita coisa rolou entre a gente… Eu sei que deixei algumas pontas soltas, então eu só queria lhe dizer me desculpe por tudo o que te fiz. Eu realmente sinto muito. Obito me contou o quanto sofreu depois do nosso término, que foi bem difícil para você superar porque era bem apegado a mim e…

-É o quê? - como se ressurgisse das trevas, sua ousadia explodiu em seu peito.

Como depois de quatro anos aquele babaca de merda vinha lhe dizer aquilo?! Que ele sofrera e simplesmente pedir desculpas?! Que tipo de ser humano patético faria isso no dia mais feliz da sua vida?

-Bom… Obito me disse que você sofreu, ficou meio depressivo, se envolveu com Sasuke para meio que me superar e aí me esquecer, mas… - aquele tom de voz presunçoso estava lhe irritando. Tinha se esquecido porque odiava tanto Kakashi Hatake. - Quando te abracei e te senti tenso, percebi que ainda…

Ele parou de falar e deu de ombros.

-Ainda o quê?

-Sente algo por mim.

Naruto arregalou os olhos e apertou os punhos.

-Quem é você para dizer que eu ainda sinto algo por você? - falou tão alto que todos pararam a festa e os olharam.

-Eu tinha me esquecido o quanto é barraqueiro… - Kakashi sussurrou nervoso. - Estão todos nos encarando, Naruto.

-E daí?! - apontou o indicador para ele e respirou fundo. - Eu não sinto nada por você, exceto desprezo! Eu fiquei com raiva porque me trocou por um Uchiha qualquer, mas quer saber?! Obrigado! Muito obrigado! Se você não tivesse me largado, eu jamais teria sentado no colo do cara mais incrível do mundo, que não só me valoriza e me respeita, como me ama e decidiu construir uma vida comigo, ao contrário de você, seu merda!

Sasuke tomou um gole do coquetel que mandara fazer para Naruto. Pensou em apartar a briga para que seu marido não se estressasse, mas ao vê-lo desabafar, desistiu. Sempre quis saber por que Naruto era tão inseguro, coisa que só a terapeuta e o pai dele sabem.

-Do que está falando? - Kakashi se afastou um passo e procurou alguém que pudesse parar o outro. - Eu te amava e te respei…

-Não, não me amava! Se me amasse, não teria me traído, porque eu era suficiente para você! A gente fez planos! Íamos morar juntos e ter uma vida juntos, mas você largou tudo pelo primeiro idiota que apareceu na sua frente!

Kakashi revirou os olhos e suspirou.

-Era impossível aturar o seu ciúme, Naruto. E você fazia show em todos os lugares, por todos os motivos que existissem na Terra! Você é exigente demais e um completo sem noção! Me ligava toda hora, enchia meu saco querendo saber sempre onde eu estava, com quem eu estava e o que fazia! Quem ia querer ficar com essa sanguessuga que você é?! Ninguém quer uma pessoa assim! Eu tinha motivos de sobra para te largar, seu idiota! A culpa não é minha se você me perdeu!

Naruto sentiu o nó de lágrimas se formar em sua garganta ao ouvir aquelas palavras. Olhou em volta procurando por alguém que dissesse que era tudo mentira, mas as pessoas pareciam não se aproximar. Engoliu em seco com dificuldade e arregalou os olhos ao ver Sasuke surgir de braços abertos.

Afundou-se naquele abraço sem pensar duas vezes. Segurou-o com firmeza entre seus braços e tentou não chorar, mas estava difícil. Os dois se fitaram e o Uchiha sorriu de maneira doce, afagando o rosto quase choroso do seu marido.

-Não chore por causa dele, ouviu?

-Mas… Doi muito… - sussurrou.

-Ele não merece suas lágrimas. - não deu outra. Naruto começou a chorar baixinho e isso fez cada músculo de Sasuke arder.

O Uchiha encarou Kakashi como se pudesse matá-lo só com o olhar. Itachi, que estava ocupado demais brincando com sua filha, viu sua esposa o chamar e indicar o irmão. Percebeu Naruto chorando em seus braços e Sasuke prestes a empunhar a Kusanagi. Se havia alguma razão para o seu cunhado chorar e não fosse o seu irmão, essa razão seria obliterada da face da Terra nem que fosse na marra e aí que estava o perigo.

Correu rápido para ele e ficou em sua frente, impedindo-o de ir adiante. Sasuke o encarou e percebeu o olhar determinado do irmão mais velho. Aos poucos, a família Uchiha foi se aglomerando por perto.

-Não faça isso… - Itachi sussurrou. - Quer acabar com este cara? - Sasuke assentiu. - Faça do meu jeito dessa vez, por Naruto. - apontou o rapaz um pouco afastado e cabisbaixo. - É o seu casamento e você sabe o quanto Naruto pediu para viver este momento com você, Sasuke. - viu a mão ir se afastando da arma e por isso respirou fundo. - Seu dia não merece ser estragado por uma morte… E Naruto… - fitou-o. - Ele precisa disso.

O líder respirou fundo, arrumou suas roupas e assentiu. Encarou Kakashi e estendeu a mão em cumprimento. Mesmo com temor, o outro aceitou. Os dois apertaram com firmeza e Sasuke se aproximou mais para dar uma tapinha leve no ombro dele.

Naruto estranhou tal postura. Não era comum de seu marido agir assim. Ele o estaria apoiando depois de tudo o que dissera contra si? Chegou mais perto dos dois, sem perceber o sorriso triunfante de Itachi, e fitou Sasuke.

-Obrigado por ser esse completo idiota que você é. Realmente, se você não tivesse perdido Naruto, ele nunca teria a primeira melhor transa da vida dele. E, modéstia à parte, foi por minha causa. - Kakashi fitou-o se sentindo ofendido. - Foi o início de tudo! A gente se pegou, se gostou, se apaixonou, brigou para caralho e agora estamos casando! E adivinha quem é o sortudo da história? - segurou-o pelos ombros e suspirou.

-Você? - sugeriu.

-Naruto, é claro. - revirou os olhos. - Imagina que merda de vida ele teria se tivesse ficado com você? - todos suspiraram e Itachi segurou o riso. - Ele pode não parecer, mas é o cara mais sábio que eu conheço. Naruto escolheu a mim, um homem empreendedor, rico, influente, ótimo amante, marido compreensivo, apaixonado, atencioso e fiel! Exatamente tudo o que você não é! Olha que cara esperto! Quem diria?

Sasuke soltou Kakashi e foi até Naruto para abraçá-lo e beijá-lo com paixão, fazendo todos, inclusive seu marido, se surpreender.

-E vou te dizer, Kakashi. Naruto é um ciumento, exigente, barraqueiro, sanguessuga sem noção, mas ele é doce, gentil, alegre, fiel, simpático, determinado, apaixonado, protetor, assume todas as suas responsabilidades, é muito fofo e… - respirou fundo. - Eu quero uma pessoa assim para ficar comigo.

Todos gritaram e bateram palmas. Sasuke fitou o rosto de seu marido e ali estava o semblante mais adorável de agradecimento do mundo inteiro. Deu um beijo carinhoso na testa dele enquanto afagava a cabeleira macia e Naruto riu. Ele tomou fôlego e fitou Kakashi.

-Acha mesmo que eu sofri e fiquei depressivo com um homem desse ao meu lado? - o Uzumaki enxugou suas lágrimas com o lenço que Sasuke lhe deu. - Eu nunca me sinto assim com ele.

Depois dessa, Obito teve que tirar Kakashi dali antes que os capangas de Sasuke, que tratavam Naruto como parte da família, resolvessem fazer o que o chefe não fez.

Depois dessa, os noivos não foram mais encontrados e ninguém nem se preocupou em procurar. Eles precisavam um do outro mais agora do que nunca. A festa continuou sem eles, por mais que Kushina achasse ruim e Dona Mikoto tentasse acalmá-la.

Deitados sobre a cama, no apartamento onde tudo começara, Naruto se recuperava do primeiro orgasmo. Não se aguentaram. Depois daquelas declarações atribuladas de amor, estava escrito no olhar de ambos que não iam esperar pelo dia seguinte para decidirem onde passariam a lua-de-mel. Enquanto tinha seu pênis chupado dentro do carro, Sasuke decidiu que levaria seu marido para o apartamento onde Naruto morou durante o noivado.

Dada a rotina macabra que tinha como líder da máfia e a promessa que fizera a Minato quando pediu o filho dele em casamento, Sasuke o deixava lá, longe de tudo e de todos, protegido dos perigos que sua vida pode trazer. Aquele lugar se tornou um porto de paz e aconchego para o Uchiha sempre que este estava irritado ou estressado, pois o seu homem estava lá e nada lhe deixava mais feliz. Depois de quase matar um homem em seu próprio casamento, aquele era o lugar certo para estar com Naruto.

Ao entrarem e trancarem a porta, foram se despindo enquanto seguiam para o quarto. Não tinham pressa, ainda que fosse urgente estarem se amando. Nus e excitados, Sasuke tomou Naruto em posição de noiva e só aí entrou no quarto, acomodando-o sobre a cama. E finalmente haviam parado para conversar.

-Me promete que não vai matá-lo? - Naruto pediu e Sasuke assentiu, deslizando os dedos pelo torso bronzeado por baixo do edredom. - Fala sério? - apoiou-se sobre o peito dele.

-Un-hum… - deu-lhe um beijo. - Só o fato de ele não te ter já é punição suficiente. - Naruto corou rindo e montou seu marido. - Eu posso ter essa visão e ele não.

-Qual visão? - Naruto começou a se masturbar com lentidão e Sasuke fez o mesmo, em igual velocidade. Lambeu os lábios ao fixar seus olhos negros na ponta rosada ficando brilhante a cada vez que o polegar de seu marido passava por cima.

-Você, por cima e nu. - mordeu o lábio inferior ao esfregar seu membro entre as nádegas torneadas com uma investida. Naruto sorriu e fez Sasuke masturbá-lo em seu lugar, enquanto sua mão acariciava o membro do seu marido.

-Ele nunca me deixava ir por cima. - comentou, deslizando a mão pelo corpo tatuado dele e gemeu baixinho ao sentir sua glande ser apertada com carinho. Mexeu seu corpo num rebolado lento, investindo contra a mão de seu marido e contraindo os músculos de sua bunda para sentir melhor o membro dele. - E eu sempre quis.

-Azar dele. - deu de ombros e deslizou a mão pelas nádegas durinhas. Achou o orifício umedecido pelo lubrificante e empurrou lentamente dois dedos, como sabia que ele gostava. Deleitou-se com o gemido arrastado. - E sorte a minha.

-Eu quero você… - Naruto pediu manhoso quando o terceiro dedo juntou-se aos outros para massagear seu interior. - Chega de dedos… - resmungou e puxou a mão de Sasuke de si. Beijou-o com gosto e suspirou apaixonado ao entrelaçar sua mão com a dele.

-Ponho a camisinha? - o Uchiha indagou e Naruto negou, corado. - A gente nunca faz sem… Por que quer mudar isso agora? - beijou o rosto vermelho e acariciou-o com as mãos.

-Somos casados agora… - chupou o pescoço de seu marido e arranhou a região onde ficava a cabeça de uma das serpentes. - Não tem problema se estivermos em casa, sem compromisso algum e você quiser me engravidar. - segurou o riso. - Vai ter que assumir a responsabilidade mesmo.

-Quer dizer que agora que casou comigo, quer dar o golpe do baú? - Naruto fez uma cômica cara de “Fui pego!” e Sasuke roçou os dentes na pele suada do peito amorenado. - Vai ficar grávido e me largar na primeira oportunidade?

-Bem que eu queria ficar grávido. - passou uma mão pelo seu ventre ao abraçar o corpo a sua frente quando o Uchiha se sentou. - Não custa nada tentar. - deu de ombros.

-Então deixa eu afogar o seu interior de porra só como teste inicial. Depois bolamos o seu cronograma de fertilidade e trepamos loucamente. - os dois riram e se beijaram com paixão enquanto se davam carinho. - Chega de papo de filho… Vamos guardar as camisinhas para emergências agora.

-Que tipo de emergência? - Naruto ficou de joelhos e gemeu rouco quando a ponta de seu membro foi beijada e sugada por seu marido.

-Sexo em banheiros, aviões e quando eu estiver em reunião, ou quando eu quiser te visitar no seu trabalho. - sugeriu.

Naruto riu assentindo e içou os quadris. Encaixou o pênis de Sasuke em si e desceu devagar, arfando baixo e apertando os olhos. O Uchiha começou a distribuir beijos suaves e carícias pelo corpo suado, ajudando a diminuir a tensão, dando uma atenção especial aos mamilos eretos. Suspiraram juntos quando as coxas se encontraram.

-Eu te amo. - Sasuke disse e se deitou. Naruto relaxou mais ao ouvir suas palavras e, como consequência, gemeu por senti-lo melhor dentro de si. - Eu te amo muito. - repetiu e empurrou-se contra a bunda grande. - Eu te amo. - começou a investir, segurando firme os quadris de Naruto, e o encarou intensamente.

Naruto gemeu alto de prazer, não conteve sua voz um só instante, pois queria deixar tudo aquilo fluir. Galopou com força e desejo, apertando os mamilos rosados de seu marido entre os dedos, choramingou por causa da profundidade que Sasuke ia e a forma como ele ia. Sentiu seus mamilos serem chupados e por isso abriu os olhos: o moreno estava sentado, ajudando Naruto a galopar, enquanto dava carinhos àquela parte.

-Eu te amo tanto! - falou alto, sentindo-se livre, e isso fez o Uchiha rir e tornar a se deitar. Deixou que seu marido se mexesse como quisesse, mas não parou de afagar sua glande ou os seus mamilos. - Eu te amo, Sasuke! - já estava com lágrimas nos olhos e era um misto de prazer e alegria. - Eu te amo para caralho!

O outro gargalhou e empurrou com vontade, fazendo a cama ranger por causa da força dos movimentos. Naruto gritava agora e apertava muito os ombros de Sasuke, que serviam de apoio para ele. Ia gozar! Seu marido ia gozar dentro de si e estava louco por isso.

-Porra, donzela! - Naruto choramingou ao ouvir o apelido obsceno. Sasuke só o chamava assim na cama. - Eu te amo demais! Puta que pariu, como é que você consegue ser tão gostoso e ainda ser meu?!

-Caralho, Sasuke, você está maior! Que delícia, amor! - galopou de novo, furiosamente, enquanto sua bunda era apertada com força, querendo sentir aquele prazer insano que só seu marido podia lhe dar. - Eu só sou assim porque você é meu! - curvou-se sutilmente e beijou a boca sedenta. Sasuke gemeu rouco com o movimento. - Eu sou gostoso?

-É. - lá vem as brincadeiras do seu amante. Sasuke colocou os braços embaixo da sua cabeça e viu Naruto se erguer, ficando de pé sobre a cama e exibindo seu cu de forma provocante.

-Tem certeza? - soltou suas nádegas e fitou o marido, que estava respirando forte como um touro. Ele assentiu e ficou sério, com o semblante muito parecido de quando está irritado. - Não quer ter 100% de certeza?

Naruto gemeu quando o viu só mexer dois dedos, chamando. Essa coisa de ser mafioso atiçava os desejos mais malucos de sua mente e ele acabava se enxergando como pervertido. Mas o que diabo podia fazer se seu marido fazia a mesma cara de homem mal quando está violentamente excitado e quando está puto da vida? É difícil lidar.

Assim que sentou sobre o rosto do outro, gemeu apressado. Ele enfiava a língua repetidas vezes e chupava com força o seu canal, como se estivesse praticamente o comendo. Naruto teve que apertar a base do seu pau para não gozar.

-Para… - pediu quase sem voz. - Para, amor… - pendeu o corpo para frente, buscando controle. - Eu vou gozar, amor… Para, Sasuke, por favor… - língua tocava numa das partes sensíveis de seu canal e isso o fez choramingar. - Não! Assim não! Eu quero seu pau! Para, amor! - pediu nervoso, tentando sair dali, mas Sasuke lhe prendera pelas pernas. - Se me fizer gozar, eu vou para a casa da minha mãe! - ameaçou e finalmente o outro lhe soltou.

Naruto foi apressado para a cintura de Sasuke e se empalou lentamente, gemeu alto porque seu interior pulsava, clamando pelo orgasmo. Precisou de alguns segundos respirando fundo para se conter e aproveitar por mais tempo. Os dois se fitaram e Sasuke sorriu pequeno.

-Desculpa… - murmurou e tocou gentilmente o rosto suado. Naruto engoliu em seco e arfou, pois podia soltar seu membro com segurança. - Desculpa. - mandou um beijo no ar e seu marido sorriu timidamente, como se não quisesse sorrir. - Eu não resisto a você.

-Eu sei… - mandou um beijo de volta e Sasuke o pegou para levar ao coração. Naruto riu mais e girou os quadris. - Você e o meu cu tem uma relação de amor muito forte. - ondulou seus movimentos começando a sentir o prazer voltar com força total.

-Nem me fale. Eu quero ver. - segurou as panturrilhas de seu marido e ele dobrou as pernas, de modo que sua intimidade ficou ainda mais exposta. Sasuke sugou o ar por entre os dentes e acariciou o períneo com carinho. - Mais rápido. - pediu.

Naruto assentiu e foi a vez de Sasuke dobrar as pernas para dar apoio ao outro. O galope fez toda a cama sacudir e o Uchiha igualar seus sons guturais com os gemidos roucos de seu marido. Seu membro pulsava com urgência dentro da cavidade quente e agradável e dava para perceber pela forma como Naruto lhe olhava que ele sabia disso.

-Goza dentro. - pediu manhoso, voltando a posição inicial. - Eu quero dentro. - os dois se abraçaram e o loiro pode rebolar com mais pressa, quase agoniado.

Sasuke riu e o beijou sensualmente. Só sendo louco para não atender aquele pedido. Mais algumas estocadas e Naruto sentiu seu canal ser banhado pelos jatos fortes do esperma quente de seu marido. Arfou de deleite e não o retirou de si. Beijaram-se com demora.

Foi deitado e sentiu que seu marido ainda estava duro por si. Cruzou suas pernas ao redor da cintura alva, permitindo que Sasuke entrasse mais em si e suspirou apaixonado. Adorava a expressão de pós-orgasmo dele, principalmente quando indicava que ele ainda estava faminto.

Ele ainda empurrou mais vezes até ver Naruto se contorcer num gemido mudo e sujar as barrigas de ambos com seu sêmen. Ofegaram juntos e se agarraram, sem se desconectar. Fora muito intenso e ambos sabiam disso.

-Este é o melhor carnaval da minha vida. Qual o melhor carnaval da sua vida, Sasuke? - Naruto indagou.

-O do Caribe, que passei com você, porque foi o nosso primeiro juntos. E nele eu soube que se você não fosse meu, seria um ótimo amigo. - Sasuke respondeu respirando fundo e lentamente para recuperar o fôlego perdido no último orgasmo. - Quando a gente transou na cadeira de praia, de tarde, eu senti que algo muito mais forte que o meu pênis com o seu cu se conectara. Os nossos corações. - Naruto o beijou apaixonado e Sasuke aproveitou para tirá-lo da cama em seu colo e levá-lo dali.

-Não sei o que vou fazer com você… - resmungou corado por causa da declaração. - Sempre me deixa envergonhado. - beijou o rosto com carinho e percebeu que saíam do quarto. - Aonde vamos?

-Vou te comer na mesa de jantar da cozinha - ele arregalou os olhos. - Ou prefere na varanda?

-Varanda! - fitou o lado de fora. - Não! Espera… - encurtou o olhar. - Na janela da sala. - sugeriu.

-Feito. - os dois riram e foram para lá. Se alguém vê, bom… Nenhum deles estava preocupado. Era a festa da carne, afinal.

8 de Março de 2019 às 02:05 0 Denunciar Insira 7
Fim

Conheça o autor

Nonna Costa Outros perfis onde publico minhas histórias NyahFanfiction (onde posto fanfiction do fandom Naruto) - https://fanfiction.com.br/u/533620/ Watt: https://www.wattpad.com/user/Nonna2317 Nesses perfis, vão encontrar mais histórias minhas.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~