Borderline Seguir história

v.alcantara Vinícius de Alcântara

''Embora aprecie a solidão, teme desesperadamente o abandono Que o leva à ações imprudentes e impensadas Que podem causar marcas e feridas que jamais serão apagadas''


Poesia Todo o público.
Conto
0
696 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Borderline

Incompreendido, até por si mesmo,

Com tendências egoístas e de apego obsessivo,

Tendo a si mesmo como inimigo íntimo.

Embora aprecie a solidão, teme desesperadamente o abandono

Que o leva à ações imprudentes e impensadas

Que podem causar marcas e feridas que jamais serão

apagadas e que por sua mente,

à todo instante serão condenas.

Mas não lhe resta muito,

já que a sua insuficiência faz com que as pessoas percam o interesse

E sua desconfiança e paranoia o faz desconfiar

até dos amigos mais próximos, fazendo com que se afastem

A sensação de abandono invoca o monstro que há dentro de si

Uma fera terrível e assustadora,

Que dispara palavras mais afiadas do que a lâmina de uma espada

que causa estragos irreparáveis,

embora inevitáveis.


Seu peito é esmagado por constantes sentimentos de vazio

Como se um buraco negro sugasse seus sonhos

E todas suas emoções fossem atiradas de uma vez no ventilador

Ele procura em outra pessoa algo que lhe complete

e preencha o seu vazio existencial

E quando encontra, a ama ou a odeia intensamente ao ponto de colocá-la em um pedestal

Não demora para que o ciúmes e a desconfiança mostrem suas garras

O que o faz agir de forma estúpida, beirando o surto

Então ele decide ir embora

Para evitar conflitos, ele se isola em seu mundo escuro, vazio e triste.








7 de Março de 2019 às 04:55 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~