The Observer Seguir história

luna_the_killer Luna the

^~^~^~^~^~^~POSTADA TAMBÉM NO SPIRIT E NO WATTPAD COM O MESMO NOME~^^~^~^~^~^~^~^ São poucas as vezes que algo bom pode acontecer com alguém como eu, com um monstro como eu, porém as vezes a vida resolve nos mostrar o quanto ela pode ser boa com alguém. Marta foi a prova viva disso, o meu sofrimento com sua partida, foi uma grande contribuição a minha situação atual. E mesmo depois de tudo aquilo eu nunca pensei que a vida pudesse me agraciar novamente com sua bondade... Como eu te amo minha menina...


Horror Para maiores de 18 apenas.

#Marble-Hornets
1
822 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo 1

 

📷

Eu já estou cansada dessa merda, por que minha mãe teve que se casar com um babaca como o Richard? Que além de chefe de polícia era um tremendo de um idiota que não deixava a mãe dela trabalhar, pois oque ele recebê na polícia já era o "suficiente" e que minha mãe "precisa" cuidar do Vicente...

Que merda! Por causa daquele babaca, que faz de tudo pra que minha vida seja um inferno sem fim, eu estou de castigo! Ele fica fazendo a cabeça da minha mãe contra mim!

'Ai Martinha a Thana tá pintando o cabelo com cor de homem.'

Ele teve quase um infarto fulminante quando me viu chegar da escola com uma amiga, vez todo um discurso sobre como homossexuais vão para o inferno, eu que não posso ficar usando roupas curtas e que eu tenho que ir mais pra igreja. Será que ele tem noção do quanto ele é chato?!

"Olha Thana eu sei que você queria ir conosco a essa festa, porém você precisa entender que não pode sair desrespeitando o seu pai assim..."

"Ele não é o meu pai!"

Ela me olhou chocada por alguns instantes para logo aderir uma feição de desgosto

" É realmente uma pena que pense assim Thana, por isso você vai ter deixar o sótão todo limpo até voltarmos"

Mais que caralho!

"Está bem Marta..."

Fazia anos que eu já não a chamava de mãe, só de pensar em chamar ela assim me embrulha o estômago de uma forma

Nem esperei que eles fossem embora para pegar a porra do meu fone e começar a arrumar o caralho do sótão.

Coloquei em uma playlist chamada Tsukiakari (luar), que tem algum minhas músicas mais tristes ( pra dar aquela animada).

"Fight Song"

Sempre gostei dessas música...

'Como um pequeno barco no oceano

Enviando grandes ondas em movimento

Como uma única palavra

Pode fazer um coração se abrir

Eu posso ter apenas um fósforo

Mas posso fazer uma explosão'

Peguei uma caixa empoeirada, cheia de revistas de moda (tipo Voge) que minha mãe comprou e nunca leu, levei ela para garagem (deixaria oque ia jogar fora ali e depois ia me livrar daquilo).

'E todas aquelas coisas que eu não disse

Bolas demolidoras dentro do meu cérebro

Vou gritar bem alto hoje à noite

Você pode ouvir minha voz?'

Uma caixa cheia de brinquedos e roupinhas de bebê velhas do Vicente que ele nunca nem viu, direto para garagem.

'Desta vez esta é a minha música de guerra

Pegue de volta a música da minha vida

Provar que esta é a música certa

Meus poderes estão ligados

À partir de agora eu vou ser forte

Eu vou cantar a minha música de guerra

E eu realmente não me importo

Se ninguém mais acredita

Porque eu ainda tenho

Muita força em mim'

Peguei uma caixa cheia de coisas que a Marta usava pra costurar, Moldes, linhas, tecido, agulhas essas coisas, (o sonho dela era abrir uma boutique com as suas criações) e parei um segundo para pensar antes de jogar ela na garagem sem dó.

'Perdendo amigos e perseguindo o sono

Todo mundo está preocupado comigo

No fundo, eles dizem que estou no fundo do poço

E fazem dois anos

Que eu sinto falta da minha casa

Mas há um fogo queimando em meus ossos

E eu ainda acredito, eu ainda acredito

E todas aquelas coisas que eu não disse

Bolas demolidoras dentro do meu cérebro

Vou gritar bem alto hoje à noite

Você pode ouvir minha voz desta vez?

Este é a minha música de guerra

Pegue de volta a música da minha vida

Provar que esta é a música certa

Meus poderes estão ligados

À partir de agora eu vou ser forte

Eu vou cantar a minha música de guerra

E eu realmente não me importo

Se ninguém mais acredita

Porque eu ainda tenho

Muita força em mim

Muita força em mim'

Tinha só mais uma caixa no sótão mais era tão bonita que eu decidi que ficaria com ela, guardei ela em meu quarto e fui levar as coisas para a frente de casa pra depois comer alguma coisa.

'Como um pequeno barco no oceano

Com ondas grandes em movimento

Gosto como uma única palavra

Pode fazer um coração se abrir

Eu posso ter apenas um fósforo

Mas posso fazer uma explosão

Esta é a minha música de guerra

Pegue de volta a música da minha vida

Prove que esta é a música certa

Meus poderes estão ligados

A partir de agora eu vou ser forte

Eu vou cantar a minha música de guerra

E eu realmente não me importo

Se ninguém mais acredita

Porque eu ainda tenho

Muita força em mim

Agora eu ainda tenho muita força em mim'

Depois que eu terminei de jogar aquelas tralhas fora e comer uns pedaços de pizza que tinha na geladeira fui ao meu quarto ver oque tinha naquela caixinha.

'Esta é a minha música de guerra

Pegue de volta a música da minha vida

Prove que esta é a música certa

Meus poderes estão ligados

A partir de agora eu vou ser forte

Eu vou cantar a minha música de guerra

E eu realmente não me importo

Se ninguém mais acredita

Porque eu ainda tenho

Muita força em mim

Agora eu ainda tenho muita força em mim'

Eu chorava baixinho mesmo sabendo que não havia ninguém para me ouvir, eu havia descoberto.

Agora eu sei quem é o meu pai...

📷

Isso era muito estranho, sabe saber que seu pai é o Slenderman... Porra!! Isso é confuso pra caralho!

Estava tudo ali, provas concretas que diziam claramente de quem ela era filha do Slenderman. Por que caralhos a puta da sua mãe não disse que ela era filha de um assassino? Tá falando daquele jeito ficava meio óbvio o motivo daquele segredo todo.

'Mais será que isso tem haver com aquele dia?'

"Marta estava sentada na cadeira em frente à sala da diretora aguardando que a recebesse. Sua filha havia arrumado encrenca com alguns dos seus 'amiguinhos' da escola.

"Senhora Kala..."

Uma voz autoritária a tirou de suas preocupações com sua filha e a possibilidade dela se tornar como o pai.

Entrou na sala dentro da sala da diretora, vendo que sua filha, que possuía um olhar selvagem, já estava presente no recinto e sentou-se em uma das cadeiras muitos confortáveis que tinham defronte a mesa da diretora.

"Olha senhora Kala eu sei o quanto é difícil criar uma criança sozinha, mais eu não posso admitir esse tipo de comportamento nessa instituição de ensino e gostaria que a senhora procurasse outra intuição para o ensino de vossa filha."

"Me desculpe Diretora Levitan por questionar a sua decisão mais o que minha filha fez que justifique essas medidas tão drásticas?"

"A vossa filha teve a audácia de quase partir o crânio de um dos nossos melhores alunos com uma cadeira e como se isso já não fosse ruim o suficiente ela ainda furou o braço de uma de nossas profissionais mais qualificada com um lápis quando a mesma tentou a segurou, você tem sorte de eu não chamar a polícia!"

"Mas qual o motivo da agressão?"

"Não temos certeza, mas de acordo com a professora que estava presente no local disse que ela estava brincando com o colega quando de repente ela o atacou."

"MENTIROSA!! A CULPA NÃO FOI MINHA ELE ME PROVOU!"

E foi quando ela viu algo se mexendo na parte de trás das costas da sua filha era quase como se tivesse algo que quisesse sair, como se tivesse tentáculos querendo sair.

"Cale a boca Thana nos vamos pra casa! Senhora Levitan eu peso desculpas pelo inconveniente que minha filha causou e amanhã mesmo eu venho pegar os documentos referentes a expulsão"

Se levantou da cadeira e levou Thana praticamente arrastada até a casa que dividia com seu marido Richard que estava no trabalho, já pensando na bronca que iria dar na sua filha

"Thana Kala! Por que você bateu no seu amigo? Você ficou louca por um acaso? Será que em algum momento você parou para pensar no que poderia acontecer comigo? O que o seu pai vai pensar quando souber?"

"ELE NÃO É O MEU PAI!"

"ELE É SIM! PODE NÃO SER DE SANGUE MAIS ELE TE AMA ASSIM MESMO!"

"NÃO AMA NÃO! E MESMO SE AMASSE EU NÃO GOSTO DELE!"

O som de um tapa foi ouvido, e para Thana tudo ficou escuro."

'As vezes me pergunto o que aconteceu depois daquilo'

Agora que ela tinha as provas de que não pertencia aquele lugar, Thana iria fugir para encontrar o seu pai e se tornar uma assassina como ele. Thana Kala iria fugir para a floresta em busca de SplendorMan, que pelo o que sabia era mais fácil de encontrar (e menos maligno também.)

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

Thana Kala tinha tudo pronto para poder ir em busca de seu tio SplendorMan para poder se tornar uma assassina melhor que seu pai, o grande e poderoso Slenderman. Mas as coisas não funcionam como nós queremos que funcionem. Faltava apenas uma coisa para poder finalmente fugir daquela casa o iPod, que havia comprado a uns dois anos graças a alguns empregos de verão que havia conseguido estava escondido em algum lugar no quarto da sua mãe, já que não poderia levar o celular sem o risco de ser rastreada e sempre que ficava nervosa de mais a música a acalmava.

'Seu irmão mais novo nunca te diz, mas ele te ama tanto

Você disse que sua mãe só sorria no programa de TV dela

Você só está feliz quando sua cabeça arrependida está cheia de heroína

Eu espero que você chegue até o dia que você tiver 28 anos de idade'

Já com a mochila nas costas Thana revirava o quarto da sua mãe quando ouviu o que para si parecia uma discussão entre o seu padrasto e sua mãe.

BARULHO DE TIRO! SOM DE ALGO CAINDO E UM CHORO DE SUA MÃE!

Thana não viu mais nada...

'Você está gotejando como um nascer do sol saturado

Você está derramando como uma pia transbordando

Você está rasgado em cada extremidade mas você é uma obra-prima

E eu estou rasgando as páginas e a tinta'

Foi aí que pela primeira vez depois de tantos anos Thana sentiu algo crescer dentro de suas costas, sentia também que seus olhos estavam fechados como se as pálpebras estivessem coladas umas nas outras porém a Kala consegui ver completamente bem.

"THANAAA CORRREEEE!!! AAAAHHGGGHHHDHEBKHGGD!!"

Apesar de não saber oque caralhos era aquilo em suas costas Thana sabia que estava saindo e puta que pariu como aquela merda dói a para um senhor caralho! Thana também percebeu que seus ossos dos braços e pernas começar a crescer fazendo com que os seus músculos se esticarem e sua pele se tornar branca.

Passos...

"E não é que a sua mãe estava falando a verdade ao seu respeito? Você é mesmo um monstro!"

Com a arma na mão Richard Borba andava ao redor da Thana com uma empolgação psicótica.

"Eu nunca pensei que você fosse mesmo filha de um... hurg... Assassino como aquele. Eu só achava que você era uma putinha perturbada."

Ele ria...

"Olha Thana se você for uma menina boazinha eu deixo você ser minha mulher a partir de agora, que acha hein? Não parece um ótimo acordo? Você vai dar essa bucetinha e esse rabinho lindos para mim e em troca eu vou te foder em todos os cantos dessa casa igual eu fazia com a sua mãe."

Somente um segundo foi necessário para que um dos tentáculos pegassem Richard pelo pescoço e o jogar pela janela do quarto ( que ficava no segundo andar). Foi quando o pânico invadiu a sua mente em uma onda avassaladora que a desestabilizou por completo fazendo com que voltasse ao normal quase que instantaneamente.

'Tudo é azul

Suas pílulas, suas mãos, seus jeans

E agora eu estou coberta com as cores

Despedaçada pelas costuras

E isso é triste

E isso é triste'

Tacou o foda-se pro iPod e saiu correndo da casa em direção a estação de metrô onde compro a passagem de um trem que saia a 00:30 para uma cidade pequena dos EUA que tinha um grande número de assassinatos que nunca foram resolvidos. Já eram 11:45 e Thana estava lutando contra o sono que queria se apoderar de sí, quando percebeu uma coisa no banco ao seu lado havia um mp3 azul bem velhinho e gasto.

'Alguem deve ter esquecido!'

Pegou o aparelho diminuto, colocou os fones que guardará na mochila e viu que as só tinha cinco músicas ali e nenhuma era conhecida por ela.

'Tudo é cinza

Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos

E agora ele está tão desprovido de cor

Ele não sabe o que isso significa

E ele é triste

E ele é triste'

Tinha que admitir eram músicas boas, lentas, porém boas graças a elas que conseguiu ficar acordada até o seu trem as 00:30. O vagão estava silencioso, a viagem seria longa e tinha um tempo para tirar um cochilo bem longo.

'Você era uma visão maravilhosa de manhã, quando a luz entrou

Eu sei que eu só senti a religião quando estava deitada com você

Você disse que você nunca será perdoado até que seus amigos também sejam

E eu ainda estou acordando todas as manhãs, mas não é com você'

5:00 DA MANHÃ

O trem tinha acabado de chegar ao seu destino ouviu falar que tinha uma floresta perto e que muitas crianças desapareciam por ali, quando chegou a única cafeteira da cidade Thana sentiu o medo dos moradores em relação a ela, tudo bem que não estava em seu melhor estado mais nada digno de olhares de puro terror aquilo era estranho.

"O que vai querer?"

O atendente apesar da tentativa de parecer tranquilo, provavelmente para manter o emprego, ele estava em panico seria cômico se não fosse trágico.

"Um suco de laranja e uns ovos com bacon."

Ele saiu o mais rápido possível de perto de mim sem parecer um maluco desesperado. Isso a divertia de uma forma um tanto quanto surreal, mas era melhor não chamar atenção a si mesma, portanto pegou o Mp3 achado na estação e voltou a escutar música.

'Você está gotejando como um nascer do sol saturado

Você está derramando como uma pia transbordando

Você está rasgado em cada extremidade mas você é uma obra-prima

E eu estou rasgando as páginas e a tinta

Tudo é azul

Suas pílulas, suas mãos, seus jeans

E agora eu estou coberta com as cores

Despedaçada pelas costuras

E isso é triste

E isso é triste

Tudo é cinza

Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos

E agora ele está tão desprovido de cor

Ele não sabe o que isso significa

E ele é triste

E ele é triste

Você era vermelho e gostava de mim porque eu era azul

Você me tocou e de repente eu era um céu lilás

Então você decidiu que roxo apenas não era para você

Tudo é azul

Suas pílulas, suas mãos, seus jeans

E agora eu estou coberta com as cores

Despedaçada pelas costuras

E isso é triste

E isso é triste

Tudo é cinza

Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos

E agora ele está tão desprovido de cor

Ele não sabe o que isso significa

E ele é triste

E ele é triste

Tudo é azul

Tudo é azul

Tudo é azul

Tudo é azul'

"Aqui está."

Até que para um café de quinta em um fim de mundo a comida era ate que aceitável, apesar de ter um suave gosto de papelão.

"Ei amigo, se sabe pra que lado fica a floresta? E tem algum lugar onde eu possa comprar equipamento para camping?"

Todo mundo que estava na cafeteria parou de falar depois dessa, foi engraçado, me fez sorrir.

"Hummm... Se você seguir ao sul por uns 10km você já consegue ver a floresta."

"Tem alguma loja de conveniência por aqui? "

"Tem sim... Segue na direção da floresta, um pouco antes de você chegar vai ter uma. "

Ele é horrível dando informações.

"Obrigado, quanto eu te devo? "

Eu já estava pegando a carteira quando ele começou a dizer em puro desespero que não precisava, então eu só peguei as minhas coisas e fui embora recitando em minha mente um poema que eu sonhei uma vez.

'Quem é você?

Sou um anjo...

Onde estão suas asas?

Dei para a pureza...

E onde está a pureza?

Na ave que canta para o silêncio...

Onde mora o silêncio?

Vive no vazio e no tempo que passa lento ...

E porque lento ele corre?

Pra fazer crianças criadas pela infância esse povo jovem que logo morre.

E porque o tempo leva todos ?

Pq todos e tudo tem seu tempo.

Então tudo é tempo?

Não. tudo é um contratempo que nos faz vivos ligados a morte que é nos dada pelo nascimento.

Entendo!

Não entende... Por que nada será tão bem compreendido!

Haam?

há de existir muito entre duvida e a certeza sobre oque sabemos das estelas e as coisas da natureza.

Então tudo é incertezas?

Somos de certo seres incertos e

pensantes que vivem pensando que sabem decerto.

E onde está a certeza de tudo?

Talvez não hajas certeza pois a cada dia surge novas perguntas.

Então somos interrogações?

Talvez duvidas afirmadas sem razões...

Se não temos a certeza e nem somos interrogação , porque existe a razão?

Pra termos uma causa e uma procura...

Então porque se diz ser Anjo?

Pra não ter a razão de ser um homem....'

Eu sempre quis saber de onde eu tirei ele, aquele sonho tinha sido tão estranho.Capítulo 3 slenderGirl:

Thana Kala tinha tudo pronto para poder ir em busca de seu tio SplendorMan para poder se tornar uma assassina melhor que seu pai, o grande e poderoso Slenderman. Mas as coisas não funcionam como nós queremos que funcionem. Faltava apenas uma coisa para poder finalmente fugir daquela casa o iPod, que havia comprado a uns dois anos graças a alguns empregos de verão que havia conseguido estava escondido em algum lugar no quarto da sua mãe, já que não poderia levar o celular sem o risco de ser rastreada e sempre que ficava nervosa de mais a música a acalmava.

'Seu irmão mais novo nunca te diz, mas ele te ama tanto

Você disse que sua mãe só sorria no programa de TV dela

Você só está feliz quando sua cabeça arrependida está cheia de heroína

Eu espero que você chegue até o dia que você tiver 28 anos de idade'

Já com a mochila nas costas Thana revirava o quarto da sua mãe quando ouviu o que para si parecia uma discussão entre o seu padrasto e sua mãe.

BARULHO DE TIRO! SOM DE ALGO CAINDO E UM CHORO DE SUA MÃE!

Thana não viu mais nada...

'Você está gotejando como um nascer do sol saturado

Você está derramando como uma pia transbordando

Você está rasgado em cada extremidade mas você é uma obra-prima

E eu estou rasgando as páginas e a tinta'

Foi aí que pela primeira vez depois de tantos anos Thana sentiu algo crescer dentro de suas costas, sentia também que seus olhos estavam fechados como se as pálpebras estivessem coladas umas nas outras porém a Kala consegui ver completamente bem.

"THANAAA CORRREEEE!!! AAAAHHGGGHHHDHEBKHGGD!!"

Apesar de não saber oque caralhos era aquilo em suas costas Thana sabia que estava saindo e puta que pariu como aquela merda dói a para um senhor caralho! Thana também percebeu que seus ossos dos braços e pernas começar a crescer fazendo com que os seus músculos se esticarem e sua pele se tornar branca.

Passos...

"E não é que a sua mãe estava falando a verdade ao seu respeito? Você é mesmo um monstro!"

Com a arma na mão Richard Borba andava ao redor da Thana com uma empolgação psicótica.

"Eu nunca pensei que você fosse mesmo filha de um... hurg... Assassino como aquele. Eu só achava que você era uma putinha perturbada."

Ele ria...

"Olha Thana se você for uma menina boazinha eu deixo você ser minha mulher a partir de agora, que acha hein? Não parece um ótimo acordo? Você vai dar essa bucetinha e esse rabinho lindos para mim e em troca eu vou te foder em todos os cantos dessa casa igual eu fazia com a sua mãe."

Somente um segundo foi necessário para que um dos tentáculos pegassem Richard pelo pescoço e o jogar pela janela do quarto ( que ficava no segundo andar). Foi quando o pânico invadiu a sua mente em uma onda avassaladora que a desestabilizou por completo fazendo com que voltasse ao normal quase que instantaneamente.

'Tudo é azul

Suas pílulas, suas mãos, seus jeans

E agora eu estou coberta com as cores

Despedaçada pelas costuras

E isso é triste

E isso é triste'

Tacou o foda-se pro iPod e saiu correndo da casa em direção a estação de metrô onde compro a passagem de um trem que saia a 00:30 para uma cidade pequena dos EUA que tinha um grande número de assassinatos que nunca foram resolvidos. Já eram 11:45 e Thana estava lutando contra o sono que queria se apoderar de sí, quando percebeu uma coisa no banco ao seu lado havia um mp3 azul bem velhinho e gasto.

'Alguem deve ter esquecido!'

Pegou o aparelho diminuto, colocou os fones que guardará na mochila e viu que as só tinha cinco músicas ali e nenhuma era conhecida por ela.

'Tudo é cinza

Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos

E agora ele está tão desprovido de cor

Ele não sabe o que isso significa

E ele é triste

E ele é triste'

Tinha que admitir eram músicas boas, lentas, porém boas graças a elas que conseguiu ficar acordada até o seu trem as 00:30. O vagão estava silencioso, a viagem seria longa e tinha um tempo para tirar um cochilo bem longo.

'Você era uma visão maravilhosa de manhã, quando a luz entrou

Eu sei que eu só senti a religião quando estava deitada com você

Você disse que você nunca será perdoado até que seus amigos também sejam

E eu ainda estou acordando todas as manhãs, mas não é com você'

5:00 DA MANHÃ

O trem tinha acabado de chegar ao seu destino ouviu falar que tinha uma floresta perto e que muitas crianças desapareciam por ali, quando chegou a única cafeteira da cidade Thana sentiu o medo dos moradores em relação a ela, tudo bem que não estava em seu melhor estado mais nada digno de olhares de puro terror aquilo era estranho.

"O que vai querer?"

O atendente apesar da tentativa de parecer tranquilo, provavelmente para manter o emprego, ele estava em panico seria cômico se não fosse trágico.

"Um suco de laranja e uns ovos com bacon."

Ele saiu o mais rápido possível de perto de mim sem parecer um maluco desesperado. Isso a divertia de uma forma um tanto quanto surreal, mas era melhor não chamar atenção a si mesma, portanto pegou o Mp3 achado na estação e voltou a escutar música.

'Você está gotejando como um nascer do sol saturado

Você está derramando como uma pia transbordando

Você está rasgado em cada extremidade mas você é uma obra-prima

E eu estou rasgando as páginas e a tinta

Tudo é azul

Suas pílulas, suas mãos, seus jeans

E agora eu estou coberta com as cores

Despedaçada pelas costuras

E isso é triste

E isso é triste

Tudo é cinza

Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos

E agora ele está tão desprovido de cor

Ele não sabe o que isso significa

E ele é triste

E ele é triste

Você era vermelho e gostava de mim porque eu era azul

Você me tocou e de repente eu era um céu lilás

Então você decidiu que roxo apenas não era para você

Tudo é azul

Suas pílulas, suas mãos, seus jeans

E agora eu estou coberta com as cores

Despedaçada pelas costuras

E isso é triste

E isso é triste

Tudo é cinza

Seu cabelo, sua fumaça, seus sonhos

E agora ele está tão desprovido de cor

Ele não sabe o que isso significa

E ele é triste

E ele é triste

Tudo é azul

Tudo é azul

Tudo é azul

Tudo é azul'

"Aqui está."

Até que para um café de quinta em um fim de mundo a comida era ate que aceitável, apesar de ter um suave gosto de papelão.

"Ei amigo, se sabe pra que lado fica a floresta? E tem algum lugar onde eu possa comprar equipamento para camping?"

Todo mundo que estava na cafeteria parou de falar depois dessa, foi engraçado, me fez sorrir.

"Hummm... Se você seguir ao sul por uns 10km você já consegue ver a floresta."

"Tem alguma loja de conveniência por aqui? "

"Tem sim... Segue na direção da floresta, um pouco antes de você chegar vai ter uma. "

Ele é horrível dando informações.

"Obrigado, quanto eu te devo? "

Eu já estava pegando a carteira quando ele começou a dizer em puro desespero que não precisava, então eu só peguei as minhas coisas e fui embora recitando em minha mente um poema que eu sonhei uma vez.

'Quem é você?

Sou um anjo...

Onde estão suas asas?

Dei para a pureza...

E onde está a pureza?

Na ave que canta para o silêncio...

Onde mora o silêncio?

Vive no vazio e no tempo que passa lento ...

E porque lento ele corre?

Pra fazer crianças criadas pela infância esse povo jovem que logo morre.

E porque o tempo leva todos ?

Pq todos e tudo tem seu tempo.

Então tudo é tempo?

Não. tudo é um contratempo que nos faz vivos ligados a morte que é nos dada pelo nascimento.

Entendo!

Não entende... Por que nada será tão bem compreendido!

Haam?

há de existir muito entre duvida e a certeza sobre oque sabemos das estelas e as coisas da natureza.

Então tudo é incertezas?

Somos de certo seres incertos e

pensantes que vivem pensando que sabem decerto.

E onde está a certeza de tudo?

Talvez não hajas certeza pois a cada dia surge novas perguntas.

Então somos interrogações?

Talvez duvidas afirmadas sem razões...

Se não temos a certeza e nem somos interrogação , porque existe a razão?

Pra termos uma causa e uma procura...

Então porque se diz ser Anjo?

Pra não ter a razão de ser um homem....'

Eu sempre quis saber de onde eu tirei ele, aquele sonho tinha sido tão estranho. 

^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^^

25 de Fevereiro de 2019 às 21:51 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Capítulo 2

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas