Olhos niilistas Seguir história

gabriel-regis- Gabriel Regis

''Tudo será reduzido a poeira cósmica e deixará de existir E por fim, existirá o nada, o vazio E o silêncio...''


Poesia Todo o público.
Conto
2
3971 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Olhos niilistas

De que vale a vida de um homem que vive a vida

sem objetivos?

Sou um homem maldito,

Atormentado por demônios 

que matam e roubam meus sonhos

                                                                                    

Das estrelas que brilham no céu noturno

ao maior dos buracos negros, tudo morrerá

Até o universo irá morrer

Levando com ele todas as esperanças do mundo;

Filosofias, deuses, crenças, mitologias, entes queridos,

até a pessoa que chamamos de ''verdadeiro amor''...

Tudo será reduzido a poeira cósmica e deixará de existir

E por fim, existirá o nada, o vazio

E o silêncio...

                                                                                  

De que me vale ambições e conquistas?

Por que terei algum propósito

quando a vida não passa de um acaso?

Por que eu me orgulharia de ser reconhecido como escritor

se tudo que escrevo é melancolia e dor?

De que me vale a fama se vermes e parasitas 

se alimentarão das minhas entranhas?

                                                                                                            

Meus olhos ofuscados já não mais enxergam propósitos,

meus planos foram dissolvidos na névoa

que se encontra em mim

que não me encontro no mundo

Já não temo mais a escuridão,

Ela me conforta

A solidão e a morte me revigoram

              

Sou um homem mórbido e a existência

é a minha enfermidade

Como poderei ter paz se a todo momento

a minha alma grita:

''Esses malditos olhos niilistas... 

Arranque-os e jogue-os aos porcos!''?


3 de Fevereiro de 2019 às 06:56 0 Denunciar Insira 124
Fim

Conheça o autor

Gabriel Regis https://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=206184

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~