littlefatpanda Josi (littlefatpanda)

Caleb recém havia completado os doze anos quando conheceu Alex. Três anos mais tarde, não podia acreditar que ainda caísse nos jogos travessos do garoto. Tinha o coração mole, repetia a si mesmo, por deixar-se cair nas ladainhas depressivas de Alex e achar estas justificáveis o suficiente para as traquinagens do garoto mais velho. Nem mesmo seus amigos seguiam a onda do maluco toda vez que o mesmo decidia arrombar algum lugar proibido ou roubar doces de lojas de conveniência. Em meio a sorrisos genuínos e olhares desconfortáveis, Caleb não demorou a perceber que suas ações eram explicadas a partir das borboletas no estômago, que teimavam em atrapalhar seu julgamento e a quebrar, pouco a pouco, a muralha de pedra que criara em torno de seu coração.


LGBT+ Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#adolescentes #colégio #drogas #álcool #gay #bl #jovens #comédia #drama #amizade #romance
8
4.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo

2020

Alex é maluco.

Ele tem a mania irritante de meter-nos em confusão, tanto as que envolvem fogo e gelo, quanto as que envolvem paraquedas e cigarros roubados. É o tipo de pessoa que tem a ideia de invadir o colégio durante a noite, mas também é o tipo de pessoa que dá no pé na primeira impressão de que seremos pegos. Alex, resumidamente, é o pior tipo de pessoa que existe.

É três anos mais velho que eu, visíveis pela altura e pela altura apenas, porque a mente se encontra três anos atrás da data em seu documento de identidade verdadeiro. Sem um pingo de senso comum em seu corpo, não consegue discernir o que é certo e o que é errado. Acaba por burlar todas as regras e incentivar-nos a quebrá-las. E o pior de tudo é que ele nem ao menos se importa!

Claro, quando seu pai não está por perto. 

Dono do sorriso mais ridiculamente perfeito, Alex é o tipo de cara que todos querem como amigo. O tipo de parceria para loucuras que todos querem para festas, concertos e rolês. Isso, claro, porque ninguém sabe sobre a caixinha de argumentos que ele guarda embaixo da cama, nem tampouco do tesouro enterrado em uma garrafa no seu jardim. Se ele deixasse visível para o mundo o lado sombrio que o faz despertar no meio da noite e perambular pela cidade, ninguém se atreveria a se aproximar. 

Exceto, talvez, eu. 

Porque se Alex é o maluco, acho seguro afirmar que eu sou o idiota.

3 de Janeiro de 2019 às 09:15 0 Denunciar Insira Seguir história
120
Leia o próximo capítulo I. De todos os lugares do mundo

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 19 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!