Voyage de Noces Seguir história

baek baobao

Viagem à Paris fora a escolha em que ambos fizeram há um ano quando selaram os anéis de noivado. Baekhyun escolheu a cidade, uma vez que viu em um filme a paisagem do lugar e lembrou o quanto a arquitetura do local o marcou. E sempre se imaginou com o seu marido aproveitando a capital na sua lua de mel. Não teve outra, Chanyeol teve de aceitar e decidiu enfrentar seus medos, tudo por amor.


Fanfiction Romance adulto jovem Todo o público.

#romance #chanbaek #exo #baekyeol #baekhyun #chanyeol #viagem
2
4139 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Paris


Pela janela da aeronave só podia ser visto nuvens pinceladas em um céu azul. Chanyeol estava impaciente ao lado de Baekhyun, que dormia tranquilo a viagem toda. Às vezes, ele ficava indignado como o seu marido podia dormir tão tranquilamente, era só Baekhyun se sentar no assento do avião, que logo fechava os olhos e apagava. Park sorriu ao perceber o seu último pensamento. “Marido”. Isso mesmo, Baekhyun não era mais apenas um namorado, agora ambos estavam comprometidos de papel passado. A animação com a viagem de lua de mel era tanta, que Chanyeol não conseguia pregar os olhos a viagem toda da Coréia até a tão sonhada França, local onde os dois sonhavam em passar a lua de mel. Claro que o medo de altura era inevitável, Park olhava para as nuvens com certa inquietação. Mas ao mesmo tempo com um sorriso de orelha a orelha. Não podia negar, estava feliz.

O avião pousou no aeroporto de Paris e Chanyeol apressadamente tratou de acordar Baekhyun.

“Baekhyun?” disse o cutucando incessantemente, o sono de Baekhyun era muito pesado e Park sabia disso como ninguém.

“Vamos, acorde.” Continuou cutucando e elevando um pouco mais a voz.

Dessa vez o efeito foi positivo, Byun acordou lentamente. Ele abriu os olhos devargar, bocejou e se espreguiçou, parecia que finalmente ele iria se espertar. Mas logo ele se aconchegou nos braços de Park para dormir novamente, o maior apenas revirou o olho.

“Byun uma barata” gritou Chanyeol com um sorriso no rosto.

Baekhyun em apenas um salto se levantou, fazendo movimentos com a mão como se estivesse tirando algo do corpo. Ele arregalou os olhos, ainda sem entender nada. Bastaram alguns segundos para que ele percebesse a movimentação de saída das pessoas do avião e finalmente olhar para seu marido que não parava de rir.

“Chegamos, não é?” Byun perguntou apenas para confirmar, dando um soco no ombro de Chanyeol.

“Sim, sim. Vamos” Chanyeol se enroscou no menor, de modo que conseguiu sair dos assentos e ficar em pé no corredor. Byun, que estava no assento do corredor, riu com a pressa do marido de sair daquele avião. Chanyeol sempre conseguia arrancar de Baekhyun um mínimo de sorriso que fosse quando estavam juntos, era impossível ficar sério ao lado dele.

“Pegou sua máquina? Não seja louco de esquecer isso de novo” disse Byun, pegando sua mala de mão e indo para o corredor, ficando ao lado de Chanyeol que o olhava sem graça. Park tinha um imenso amor por sua câmera fotográfica e andava com ela por todo o canto, mas sua memória era péssima e ele vivia a esquecendo em qualquer lugar.

“Dessa vez não irei esquecer, já está aqui.” Park falou, pegando a máquina em cima do local apropriado para colocar malas pequenas. Byun estreitou os olhos, pois o maior ia esquecer o objeto se ele não houvesse o lembrado. Chan sorriu mostrando os dentes, como se não tivesse sido pego.

Byun colocou a mão na cabeça balançando negativamente. Um leve sorriso saiu de seus lábios e ele podia sentir que Park retribuía o sorriso sem mesmo o olhar diretamente.

Assim que os dois saíram do avião, trataram de pegar suas respectivas malas, e foram para a entrada do aeroporto com olhos maravilhados com toda a extensão da área. Byun logo saiu de sua distração e avistou um táxi para se deslocarem do aeroporto até o hotel que iriam ficar. Enquanto Baekhyun estava distraído caminhando até o taxista, Chanyeol pegou rapidamente sua máquina e fotografou o menor. Podia ser um ângulo ruim, mas Park deu um zoom na câmera e registrou exatamente o que queria. Chan sorriu com o resultado e guardou a fotografia com o máximo de cuidado em sua mochila dentro de sua agenda.

Byun virou-se para o Park que estava registrando tudo o que via pela frente com a sua máquina, chamou-o assim que combinou com o taxista. As malas foram devidamente guardadas no carro e só restava o maior para que pudessem ir embora. “Chanyeol?” Assim que o chamou, Park guardou sua câmera e caminhou até o táxi.

Adentraram no automóvel alegres, a viagem estava apenas começando.

��

O caminho até o hotel foi bem tranquilo, Chanyeol e Baekhyun vieram conversando sobre o que iriam fazer nesse primeiro dia. O maior havia bolado várias coisas. Primeiro iriam a um restaurante, pois estava morrendo de fome, após isso iriam caminhar pela cidade pra ver o que tinha de interessante pelas ruas de Paris. Durante o tempo em que Chanyeol tagarelava, Baekhyun apenas o olhava sem prestar atenção no que ele falava. Byun o admirava silenciosamente, depois de tantos problemas que passaram para estar juntos, finalmente estavam casados.

Ele ria do marido, não do que ele falava, mas de seu jeitinho frenético de fazer as coisas. Chanyeol gesticulava inúmeras vezes enquanto falava e raramente tomava folego entre uma palavra e outra. Ele até pensou em comentar com o marido que os dois iriam ficar ali por dez dias e que poderiam fazer as coisas com mais calma, mas ele desistiu porque adorava ver animação de Chanyeol.

Assim que chegaram ao hotel, deixaram suas malas no canto do quarto e foram tomar banho juntos. Logo após de prontos, decidiram que iriam a pé. Próximo do hotel havia um restaurante que já tinham ouvido falar, Kyungsoo tinha dado uma boa recomendação desse lugar.

“Você já sabe o que vai pedir?” Chanyeol perguntou ao Baekhyun, Park já havia feito o seu pedido, agora estava apenas degustando de um vinho.

“Não, são tantas opções que fico em dúvida.” Chan sorriu com a resposta.

“Faça como eu. Feche os olhos, aponte na opção, e peça esse ao garçom. Simples. Você não fica em dúvida e ainda por cima experimenta um prato novo.” Park sorriu se gabando com a sua solução.

“E se cair em uma opção ruim?” Byun sorriu.

“Aí você come mesmo assim” Chanyeol riu alto com o próprio comentário. Fora tão contagiante que Baekhyun riu mesmo achando tosco o projeto de piada.

Apesar de a ideia ser a mais maluca, Baek fez o que o marido havia sugerido. Não importava o quanto Byun achava as ideias de Park absurdas, ele sempre as seguia. A opção sorteada foi um prato de Cassoulet, ele logo se espantou com a quantidade de ingredientes que tinha na refeição.

“Eu não vou comer isso não” Baekhyun retrucou.

“Deixa eu ver” Chanyeol tirou o cardápio de sua mão e começou a rir quando viu a quantidade de coisas que vinha na sopa. “Foi o trato Byun”.

Baekhyun suspirou uma vez, duas vezes e, por fim, revirou os olhos.

“Tá bom, Chanyeol” Park percebeu um leve tom de irritação de Baekhyun.

“Eu te ajudo a comer” Disse Chanyeol, passando a mão no braço de Baekhyun que estava sobre a mesa e arrancando um leve sorriso do rosto do marido.

��

Os dois resolveram apenas andar pela cidade naquele fim de tarde. Chanyeol logo percebeu uma movimentação na rua e ao fundo um parque de diversões.

“Que tal?” Disse Chanyeol olhando para Baek, que andava agarrado ao seu braço, e gesticulou indicando o parque que estava logo à frente.

Byun apenas anuiu, aconchegado nos braços do marido. Os dois caminharam até a entrada e compraram os ingressos. Assim que entraram Chanyeol avistou uma barraca de tiro ao alvo, empolgando-se com a mesma empolgação que uma criança de sete anos.

“Até parece que nunca foi em um parque” Baek comentou mais pra si mesmo, já que Chanyeol estava excitado demais para prestar atenção no que o menor dizia.

“Olha Byun” Chanyeol apontava animado para um dos doces que estava na prateleira como alvo. “É aquele doce que você gosta” Baek sorriu, entrando aos poucos na animação de Chanyeol.

“Duvido você conseguir esse pra mim” Baekhyun desafiou.

Park não respondeu, ele apenas fez um biquinho e arregalou os olhos, balançando a cabeça indicando que aceitava o desafio do menor. Ele pegou a arma e mirou no alvo, mas a primeira tentativa foi falha. Baek riu, apoiando os cotovelos na bancada e esperando a próxima tentativa. Chanyeol mais uma vez engatilhou, se preparou, mirou e errou.

“Você me desconcentra Baek” Ele olhou para o marido que ria.

“Tudo bem, então vou ficar de costas” Baekhyun se virou, com sinismo no olhar, pois ele sabia que o grandão não iria acertar.

Era a última tentativa, mas Chanyeol era muito ruim de mira e mais uma vez não conseguira acertar.

“Minha vez” Baekhyun se virou novamente e pegou a arma. Na primeira tentativa o menor acerta o alvo e, sem olhar para o marido, lança um sorriso de canto de boca. O prêmio é entregue e o Chanyeol recebe, Baek permaneceu sem olhar para Park enquanto se preparava para sua segunda tentativa. Ele logo mirou em outro doce e mais uma vez acertou, dessa vez o prêmio foi entregue em suas mãos.

“Sabe eu não ia atirar” Byun sabia que Chanyeol não gostava de perder, mesmo que não estivesse competindo. “Mas aí, eu me lembrei disso aqui” Byun tirou uma foto do bolso de sua jaqueta vermelha e mostrou para Park, que arregalou os olhos no mesmo instante. Era a mesma fotografia que o maior havia tirado horas antes no aeroporto.

“É meu novo amuleto” Disse Chanyeol arrancando a foto das mãos de Baek e a colocando dentro de sua carteira.

“A minha bunda?” Baekhyun riu.

“Tava no ângulo ideal” disse o grandão.

Baekhyun balançou a cabeça sorrindo. Os dois namoraram por três anos antes de se casarem, mas mesmo assim Baek ainda se surpreendia com o jeito espontâneo e brincalhão do marido. “Tudo bem então. Quer trocar?” Disse Baek referindo-se ao seu doce favorito, que estava nas mãos de Chanyeol.

Park resmungou algo que Byun não pode ouvir e logo lhe entregou o doce, pegando o outro em troca.

“Que tal se a gente for a outro brinquedo?” Baekhyun se aproximou lentamente e agarrou a jaqueta do rapaz, abrindo um sorriso de canto de boca. Ele puxou o grandão para mais perto, encostando seu rosto na do garoto. “Deixo-te ganhar mais tarde” sussurrou no ouvido do maior. Chanyeol logo abriu um enorme sorriso com a provocação do baixinho e voltou com toda a animação mais uma vez.

Byun deslizou a mão que agarrava a jaqueta do maior até finalmente encostar-se a mão de Chanyeol. Os dedos foram entrelaçados e, com os olhares fixos um no outro, as mãos se apertaram mais fortes uma contra a outra, eliminando qualquer espaço que poderia ter.

Imediatamente Chanyeol puxou Byun para o outro lado do parque. “Calma Chan”. O menor tropeçava com a pressa do maior.

Assim que chegaram próximo ao outro brinquedo Baek ficou surpreso. “A roda gigante?” o menor franziu o cenho “Você morre de medo de altura, quase não veio pra lua de mel porque teria que subir em um avião”.

Chanyeol engoliu em seco, lembrando-se da viagem. “Eu sei” ele acariciou a mão de Baek com o polegar, sorrindo sem desviar o olhar da roda gigante. “Mas eu quero ir aí com você” ele baixou a cabeça para olhar Baek, que sorriu sem o encarar diretamente, isso fez com que Park se animasse mais ainda para subir no brinquedo que tanto temia.

Os dois subiram e se acomodaram no banco do brinquedo. Aos poucos o assento subia para acomodar outras pessoas na roda gigante. Percebendo o nervosismo de Chanyeol, Baek agarrou o braço do maior e aconchegou sua cabeça no ombro do marido. Park sorriu sem desviar o olhar do horizonte e declinou o pescoço até deixar sua cabeça apoiada na de Baek e com a outra mão ele acariciou o joelho do menor. Em um silêncio absoluto, os dois permaneceram naquela posição por um bom tempo. Até que finalmente Chanyeol se pronunciou.

“Byun”

“Hum”

“Paris é tão bonita”

“Sim”

Os dois não saíram por nenhum momento da posição em que se encontravam. Ambos estavam perfeitamente aninhados um ao outro e completamente relaxados.

“Sabe por que eu subi naquele avião mais uma vez, tirei foto da sua bundinha linda e estou aqui nessa roda gigante em Paris?”.

Baek sorriu “Por quê?”.

A mão de Chanyeol, que estava sobre o joelho do menor, foi deslizando pela perna de Baek, passando por seu braço até encontrar o pescoço exposto pela cabeça inclinada, onde repousou em um carinho suave no vai e vem de seu dedo anelar sobre a pele do menor “Porque eu te amo”. Byun sorriu com muita ternura ao maior. “Mas também...” Chanyeol fez uma pausa. “Porque eu quero visitar a Torre Eiffel” Park disse prendendo o riso ao ver a cara do menor. Baekhyun ficou sem expressão, mas em questão de segundos, caiu em uma gargalhada. Baek não conseguia acreditar em como o maior podia passar de um lado romântico, para o lado piadista em uma mesma frase. Chanyeol não tinha jeito mesmo. 

15 de Dezembro de 2018 às 18:38 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas