Dois Amigos e Um Pato? Seguir história

nonna.ayanny Nonna Costa

É assim: conta a história de dois pseudoamigos - porque é assim que eu, a Narradora, trato eles, e é assim que eles se tratam entre si - e que moram juntos há anos. Naruto é personal trainer, baixinha, gorda e ensina para outras pessoas gordas a terem uma vida saudável e gorda. Sasuke é um bombeiro conhecido como “Ser que Não é Gente” - e semelhantes apelidos -, muito alto, que quase se transformou num fisiculturista porque Naruto o obrigou a ser assim. Eles adotaram um pato como filho, que se chama Astolfo - não ria, é um nome bonito. Eu acho. - e basicamente é esta a história. Avisos: Naruto não me pertence, mas o enredo e os personagens originais sim. Por favor, evitem plágio. É crime e um atestado de inabilidade criativa. Contém Linguagem Imprópria, cenas de Sexo Explícito e temas como Gordofobia e Traumas, se não gosta, não leia. Possui quebra da Quarta Parede, se não gosta, não leia. Alguns personagens tiveram seus gêneros modificados por causa da trama, se não gosta, não leia.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#romance #drama #amizade #naruto #sasunaru #comédia #universoalternativo #Pato
8
4525 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

A Chegada de Astolfo

Bom, como Marcela Jackson cumpriu com seu acordo, vulgo pacto com a dona das Capirocats, eu venho aqui postar a minha parte. Como muitos já devem saber, caso não saibam, fiquem sabendo agora, eu estou indefinidamente sem computador, o que significa que não terei um ritmo muito adequado de postagens dos capítulos dessa fanfic. Venho trabalhando nela há quase dois anos em segredo e, particularmente, gostei muito do resultado, mas estou um tanto assustada com a receptividade que ela terá e, pretendo - se meus problemas não me afetarem - não desistir dela nem tão cedo, porque me divirto tanto lendo quanto escrevendo-a. Espero que gostem do que eu aprontei nas entocas :3 Sem mais delongas, EU VOS APRESENTO ASTOLFO <3


Não tenho muita certeza do que me aconteceu. De repente, senti um sacolejo muito forte e não vi mais minha mãe e nem meus 8 irmãos e irmãs. Estou sozinho nessa rua e não conheço nada. Quero dizer, como posso conhecer? Faz só sete dias que nasci e eu sou um patinho, amarelinho, frágil e pequenino. Se der um vento forte demais aqui, eu saio voando e olha que nem tenho pernas para isso. Preciso de ajuda, mas tenho medo.

O jeito é eu me esconder aqui, no meio dessas coisas fedidas para me proteger do frio enquanto decido o que fazer. Este mundo é gigantesco e parece que vai me engolir a qualquer momento. É escuro. O céu é escuro. Eu lembro que quando nasci, mamãe me disse que o mundo era perigoso para patinhos e que nunca deveríamos deixar nossos pais enquanto fôssemos pequenos. Nunca saí de perto dela, mas alguém me tirou. Eu só lembro de luvas brancas.

As luvas brancas levaram a minha mãe e nunca mais eu a vi. Dois dias depois, levaram os meus irmãos e eu fiquei sozinho, no escuro, com frio e medo. Foi quando senti o sacolejo e tudo ficou muito molhado e sufocante. Biquei a caixa até que ela abrisse e me deparei com água. Mamãe nos ensinou a nadar, disse que todos os patos precisavam nadar para viver, então eu nadei.

Quando emergi, não estava mais no ninho, mas num local com muita água de cheiro ruim, escuro e cheio de humanos. Tive dificuldade de sair porque tinha muitas coisas no meu caminho, eu vi um rato morto e outro vivo comendo o morto. Ele me olhou com ódio e disse que me mataria. Corri o mais rápido que pude, gritando por minha mãe, mas eu só estava me enganando.

Caminhei debaixo de chuva por mais um dia inteiro e está escuro de novo. Acho que essa caixa pode me proteger dos ratos. E das mãos brancas. Vou ficar embaixo dela. Sinto-me muito fraquinho e ofegante, mal consigo me manter de olhos abertos, meus pés doem.

Ouço barulhos. São passos humanos. Minha proteção é retirada e tudo o que vejo é um humano muito alto, muito grande, com cara de que mataria um pobre patinho indefeso e ele carrega um saco preto na mão. Meu pai foi embora num saco preto. Mamãe me disse que sacos pretos são ruins, porque eles nos levam para um tal de lixo e o lixo é ruim.

Começo a implorar por piedade, mas acho que este gigante não entende o que eu digo. Ele vai me pegar. Me pegou! Socorro! Socorro! Espera… É quentinho.

-Hei, pequeno, o que houve com você? - ele tem uma voz poderosa, uma voz de pai. Olho-o e vejo que os olhos são pretos, mas não são ruins como os sacos. São olhos brilhantes. Os cabelos dele são pretos. Deve ser meu pai. Meu pai era preto. - Te machucaram?

Sim, papai. Tiram meus pais e meus irmãos de mim. E estou com fome. Poderia cuidar de mim? Por favor. Prometo ser bonzinho e obediente.

-Você não tem ninguém, não é? Está sozinho nessa merda de vida. Vou cuidar de você. - seu dedo deslizou por minha cabeça e eu me sinto ainda mais feliz e seguro.

Esfrego-me mais nele, procurando aquele calor tão bom, continuo agradecendo por ele ter me colocado ali e não ter me machucado. O homem grande deixa o saco preto e me leva. Entramos num lugar que chamou de casa e lá dentro havia uma mulher.

Ela berrou ao me ver e me tomou nos braços, aninhando-me num canto macio e quentinho, como era a barriga de minha mãe. Ela tem cabelos amarelos como eu. Deve ser minha mãe. Fico feliz por ela ser minha mãe. Meu pai é tão bom que me conseguiu uma mãe e um lar. Eles me dão comida e muito carinho. Sinto-me tão feliz que não paro de piar agradecimentos.

Pena que eles não me entendem.

-Nós vamos ficar com ele, né? - mamãe disse. - Tipo, ele já é nosso filho. Não tem discussão e nem acordos aqui. - decidiu e nem se intimidou pelo olhar de papai. Papai parece ser um homem bem durão e forte. Quero ser como ele quando eu crescer. - O nome vai ser Astolfo. - avisou.

-Astolfo? - eu me chamo Astolfo? Adorei! Mamãe, adorei meu nome! Amo você! Astolfo, Astolfo, Astolfo, é um nome legal. - Você nem sabe se é macho! E por que Astolfo?

-Porque eu sou a mãe e eu escolho o nome e eu sei que é um macho porque eu sou a mãe.

Viu? Mamãe é minha mamãe e sabe que sou um menino. Que sou Astolfo. Então, satisfação em te conhecer. Sou Astolfo e essa é a minha família: minha mamãe Naruto e meu papai Sasuke. Eles parecem malucos, e acho que são mesmo, mas são muito legais, porque me adotaram. Até mais.




15 de Dezembro de 2018 às 16:35 0 Denunciar Insira 2
Leia o próximo capítulo Começando essa Patosquada

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!