Antes do Dia Chegar Seguir história

yumie-uchiha Amanda E.

Ela saiu escondido de uma missão para vê-lo. Tinha se arriscado até o fim. Porque por ele, valia a pena todo o risco. Principalmente antes que aquele dia chegasse...


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#uchiha #hyuuga #hinata #itahina #itachi #naruto
1
4.5mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único


Ela corria. Não tinha mais forças. Sentiu tontura. O chakra estava quase no fim. Mas ainda assim ela corria. Corria porque sabia que esta poderia, não, seria a sua última oportunidade. A densa floresta não permitia que a luz do sol iluminasse seu interior. Não que isso fosse adiantar de alguma coisa agora que o reino da Lua pouco a pouco tornava-se soberano no céu.

Estava frio. Teve uma leve vertigem. Ela sentia que algo estava muito errado e isso não tinha nenhuma relação com o pequeno sentimento de culpa que a acompanhava desde que saiu soturnamente do acampamento. Tecnicamente, pensou consigo, não estava enganando ninguém pois ela ainda estava com em sua tenda com seu time, ou um clone seu.

O sol deitava-se lentamente no horizonte e sem ele vinham sombras de mal agouro projetadas através das sapientes árvores. Eles estavam aqui bem antes do primeiro de nós e ainda estarão quando o último partir. Elas eram as únicas que sabiam onde a garota vai e por que se dirigia para lá. E seria melhor para todos se essa informação continuasse assim.

Percebeu que algo se moveu a sua direita. Nuvens escuraras projetavam-se no céu. Com um giro rápido e preciso atirou uma kunai na direção suspeita. Ouviu um barulho e um movimento atrás dos arbustos. Praguejou. A perna do pequeno cervo ficaria ruim por dias. Cuidadosamente se aproximou e cuidou da melhor forma possível do ferimento, mas ainda assim não tinha tempo a perder. Voltando a prender seus sedosos cabelos negros - agora embaraçados e molhados pelo suor - pôs-se a correr novamente. Já estava atrasada e sabia por experiência própria que de si nunca era tolerado atrasos. Nunca era tolerado nada menos do que a perfeição.

Por que tinha que ser num lugar tão longe? Xingava mentalmente já conhecendo a resposta. Não poderia da margem a erro ou a ser pega melhor dizendo. Seu corpo travou por um instante. Dois corpos a manter, dois byakugan a nutrir, sentiu seu chakra exaurindo-se rapidamente. Desativou sua linhagem e prosseguiu, estava "às cegas" a partir de agora...

Em dado momento ela parou. Ofegante. Alerta. Esgueirou-se mais profundamente na copa da árvore em que se encontrava e esperou. E continuou esperando por mais um longo período até que só a escuridão restasse.

Mais adiante uma cratera abria-se no chão. Era relativamente grande, sua circunferência media aproximadamente três metros de diâmetro e o fundo não era visto. A jovem de olhos de lua suspirou resignada, estava muito atrasada. Geralmente sempre chega bem antes da passagem começar a abrir.

Saindo de seu esconderijo improvisado, sentou-se no chão recostada no tronco de um pinheiro e aguardou. Estava agitada. Tinha pressa em chegar ao seu destino, mas sabia que deveria respeitar o tempo do jutsu fazer efeito. O céu fechou-se completamente. Durante aproximadamente os 15 minutos seguintes uma placa de pedra ergueu-se. Era inteiramente feita de mármore com escritos em alto relevo de um antigo poema:

 

あなたはここに戻って来ることができます

そして、あなたが探しているものを見つけることはありません

または、あなたの名誉を私に固執

そして、別の日になります

 

(Podes daqui voltar

E nunca o que procura achar

Ou manche-me com sua honra

E mais um dia terá)

 

“Manche-me com sua honra...” Riu-se em pensamento. Os antigos eram mesmo ligados as baboseiras de clã e pureza que não faziam mais sentido atualmente. Trovões caíram. Divagações a parte, a bela morena cortou a palma da mão esquerda do mesmo lugar de sempre e esperou até que uma pequena quantidade de sangue se acumulasse. Espalhando-o por toda a canhota, colocou a mão em cima do mármore frio e continuou a poesia:

“Escolhi meu sangue deixar e por esse portal passar. Toma-me a honra de outrora e depressa mais um dia me dás.”

Outra vertigem, mais forte. O liquido vermelho brilhou contra o branco da placa e a rachou, abrindo uma passagem para um grande templo. Era feito todo do mesmo mármore branco com partes da mais negra obsidiana. Havia aqui e acolá partes feitas com os mais preciosos rubis e detalhes em ouro. Tudo esbanjava riqueza e poder.

Entrando no grande templo que contrastava violentamente com a densa floresta que o rodeava, não poderia encontrar algo mais ricamente decorado. Estava limpíssimo.

Ignorando quaisquer outros detalhes tão costumeiramente vistos, a bela Hyuuga correu direto para o segundo andar da construção. Passou veloz e silenciosa por salas de treinamento, casas de banho, dormitórios e só parou quando estava diante da última porta.

Levemente cansada e consciente de seu atraso ainda assim hesitava. O êxtase de vê-lo novamente a deixava num tupor entorpecente entre a mais plena calma e o mais profundo medo. Após longo segundos, entrou... E mal havia entrado ouviu a voz amável, porém severa.

"Pensei que teria que abrir a porta. Está atrasada." O homem de longos cabelos negros encontrava-se sentado numa grande escrivaninha com alguns poucos pergaminhos. Quando a viu entrar não moveu um músculo. Como estava, ficou. Inclusive com seu temido Sharingan ativo.

"Desculpe. Foi difícil sair do acampamento. Naruto pode ser bem irritante as vezes." Ele a analisava ferrenho. Avaliando a verdade em suas palavras.

"Detesto quando se explica, Hinata. Estamos a tanto tempo longe que já se esqueceu de nossos treinamentos?" Suspirou vendo-a se envergonhar. "Existem coisas que nunca mudam." Pensou enquanto desligava sua linhagem "O caminho foi tranquilo?" Perguntou levantando-se e estendeu a mão para ampará-la quando a mesma desequilibrou.

"O de sempre... Parece preocupado. Há algo errado?" Perguntou lhe sorrindo

"Nada além do comum..." Disse simplesmente após uma sombra escura passar em seus olhos.

"Konoha está chegando perto. E Sasuke também" Comentou ao chegar no ambiente secreto.

"Eu sei. Mas hoje não é um dia para ser ninja nem um informante, Hime." Falou abraçando-a por trás.

"Uchihas. Sempre apressados" Riu-se do modo afobado que ele a despia.

"Não somos apressados. Só estou reivindicando o que é meu por direito" Resmungou desabotoando sua própria blusa.

"Não tenho dono, Itachi" Respondeu dando-lhe um tapa na mão e continuando a tirar-lhe a blusa.

"E mesmo assim seu coração me pertence. Como o meu pertence a você. Uma troca junta não acha?" Sussurrou apertando-a contra os lenções da cama abaixo de si.

"Nos executariam se descobrissem..." Comentou tentando manter o fio de sanidade que ainda tinha.

"Então aproveitaremos enquanto esse dia não chega!" Disse por fim, calando qualquer dúvida que a jovem perolada ainda tivesse com um beijo.

E enquanto a chuva começava a cair na noite lá fora eles se amaram como se não houvesse amanhã... Mas o amanhã sempre chega.

Ela acordou com sinais de mal agouro. Apesar de sentir que a noite que passou foi uma das mais maravilhosas que já teve. Tinha uma sensação permanente que ela seria a última. E isso piorou quando tateou o lado da cama e não encontrou seu amado.

Foi até a antessala e o encontrou devidamente vestido arrumando seu estojo de armas. Algo definitivamente errado.

"Que horas são?" Perguntou evasiva.

"Quase seis da manhã." Respondeu sem olhá-la.

"Ainda temos tempo então..." Tentou dialogar, mesmo sabendo que era quase impossível.

"Receio que não, Hina. Sasuke está chegando e com ele o meu destino." Ditou solene.

"E eu? EU TAMBÉM SOU IMPORTANTE! ESSA SUA OBCESSÃO POR ESSA MISSÃO SÓ TRARÁ MAIS DOR" Gritou desesperada.

"Eu sei" Respondeu pesaroso colocando seu manto negro com nuvens vermelhas.

"Sabe que eu fugiria com você, não sabe? Sabe que iria até o fim do mundo, ao inferno se necessário, pra ficarmos juntos?" Indagou chorosa seguindo-o enquanto o Uchiha ia para o segundo andar.

"Eu sei, Hime. Eu sei" Vestiu o chapéu tão conhecido.

"Então por que não fica?" Indagou. Ela estava machucada. Ferida. Ele sabia.

"Se tivéssemos em uma outra vida, em um mundo sem guerras ou maldade, eu ficaria contigo, Hime. Mas neste em que vivemos, tenho que fazer a única coisa que posso por ti. Te manter viva." A beijou colocando-a num genjutsu por fim.

Quando acordou finalmente, Hinata sabia que o havia perdido para sempre. Ele se encontrou com o irmão. Eles lutaram entre si. Ele se sacrificou. Ela sabia disso e o amou como nunca.

Ela voltou para dentro, vestiu sua roupa costumeira, voltou para a frente do Templo e esperou. Agora deveria ser mais fria do que nunca. Teria que interpretar seu melhor papel. Os deuses sabiam o quanto isso seria difícil.

Ela pôs-se a andar no modo automático. Não sabia como agir. Ainda a ficha não tinha caído. Ele partira, ela a deixara para trás. Uma dor correu seu peito junto com o raio que partiu o horizonte. A chuva começou e com ela as suas lágrimas. Ele havia partido e ela não viu o resultado do exame de gravidez que estava em cima da escrivaninha quando chegou.




- notas -


Demorei, mas cheguei. Realmente me perdoem a demora mas realmente tentei fazer essa fanfic de coração. Ela é para o Amigo secreto do grupo do face Curtidores da SH/BR. Apesar disso é uma ItaHina kkkkk (minha primeira) Espero que gostem.... Principalmente vc: Carolina Monteiro <3 <3 

HAHAHAHAHHAHAHAH to sentindo que isso tá horrível (e sem nexo), mas realmente fiz com carinho <3

28 de Novembro de 2018 às 15:06 0 Denunciar Insira 0
Fim

Conheça o autor

Amanda E. Patiently waiting for my demise 'cause my success can't be quantified. I can do anything, yeah! - Nice : The Carters Todas minhas fanfics sao postadas no Spirit, Nyah, FF.net, Inkspired e Wattpad com o nicki yumie-uchiha.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~