Monstruoso Mundo Seguir história

willver Willver Hst

Quando acordei, percebi que estava em um outro mundo, cheio de monstros e de criaturas que vão além de sua imaginação.


Conto Todo o público.

#pedadelo #monstros #conto #suspense #original
Conto
0
4355 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Eu estava no meu quarto relaxando, deitado na cama assistido TV em um simples dia de férias, a noite chegou mais rápido que eu podia imaginar. Já com um pouco de sono, fui comer e escovar os dentes (o básico antes de dormir), e me deitei e voltei a assistir. Até que, de repente, desmaiei de sono.

Quando acordei, percebi que estava em um outro mundo, cheio de monstros e de criaturas que vão além de sua imaginação, logo pensei: “Nossa! Será que a realidade onde eu vivia era apenas um sonho do qual eu não queria acordar? ”

Fui olhar em volta para tentar descobrir onde estava e que mundo era aquele. Verifiquei minha aparência em um espelho que estava perto de mim. Foi aí que me toquei, eu também era um mostro. Em minhas mãos no lugar dos dedos, haviam garras enormes e afiadas; meu corpo estava coberto por uma grossa camada de pelos, meus olhos se comparavam a um lobo caçando um cervo na calada da noite; e minhas pernas estavam dobradas, como se fossem quatro pernas em vez de duas que era o normal em minha outra realidade.

Ali perto, haviam mais dois monstros. Um deles era um rato de laboratório superdesenvolvido e enorme, como se tivesse tomado um soro que o fizesse ficar com uns dois ou três metros de altura, enquanto o outro era um espécime de mandioca gigante. Os dois conversavam (universo alternativo, quem diria?), sobre uma tal de Lola, sobre onde ela poderia estar, onde iria acontecer o convescote (o que vinha a ser um convescote?) e se um tal de Dedé iria aparecer logo, pois eles iriam se atrasar para o evento que era muito importante no qual eles não poderiam faltar. Disseram ainda que o evento seria na tenda de um tal Romeu Umbigo que se localizava mais a leste do cento daquele local.

Então, apareceu a tal de Lola, e, meu deus que medo! Eu quase me caguei de tanto com o susto que tive. Ela era uma monstra de rosto humano da minha realidade que eu acreditava ser real, mas o corpo era coberto por umas folhas e tinha as mãos e os pés terminados em garras afiadíssimas que sem dúvida cortariam o metal mais resistente que existisse ou pudessem fabricar. Ela falava um jeito brincalhão e desajeitado com uma cesta na mão. Poderia ser a cesta para convescote? Ou poderia ser para outra coisa? Como para aquele evento mais importante que eles não poderiam faltar.

Continuaram a caminhar e eu os segui de longe. Depois de um tempo, chegaram a uma lojinha que parecia ser do tal Romeu. Percebi que outro mostro se juntou aos três, o tão falado Dedé. Ele tinha o dorso em forma circular e era coberto de que me aparentava ser chiclete ou goma, tinha quatro braços e não possuía nenhum tipo de pernas ou algum tipo de mecanismo de locomoção.

E logo outro monstro se juntou a eles, até que enfim era o tal Romeu apareceu. Ele tinha olhos de lesmas, uma TV que aparecia uma boca em movimento de fala e a cabeça coberta de uma espécie de cogumelos que se espalhavam também pelo corpo, duas pernas vestidas em uma malha cintilante e sapatos de palhaço. A impressão que tive foi que ele parecia ser um bom empreendedor e seu negócio era o único da região.

E o evento era mesmo o tal convescote. Eles serviram pneu assado, sanduiche de lesma, e o mais nojento por fim, sopa de lodo com pneu cozido. Os monstros atacaram a comida ferozmente, suas enormes bocas se abrindo, os dentes afiados reluzindo em seu tom amarelado enquanto comiam com voracidade, lançando restos para todos os lados e se sujando todos no processo. Quase vomitei depois de ver isso, foi tanto, mais tanto nojo que desmaiei. E pareceu, a meu ver, que era um pesadelo muito forte. Devo ter feito algum barulho, pois logo os olhos ávidos se voltaram na minha direção e os passos ecoaram, ritmados e ensurdecedores.  Acordei gritando com minha mãe tentando me acalmar e eu muito envergonhado disso. Felizmente, tudo não havia passado de um sonho, e a minha realidade ainda era a mesma a qual estava acostumado.

28 de Novembro de 2018 às 14:59 0 Denunciar Insira 3
Fim

Conheça o autor

Willver Hst Eu sou um escritor novato, então se não conseguir corresponder as suas expectativas, me perdoe.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas