senna-andrade1542496206 Senna Andrade

História conta sobre a fascinante jornada de um jovem chamado Jack Rember.


Fantasia Épico Impróprio para crianças menores de 13 anos.
0
4.8mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

O velho cinza

 






Logo após a visita ao seu neto o velho homem saiu da torre do sal e começou a andar, mas a frente a uns dez metros pegou seu cavalo, ele era grande e negro todo ele, montou se e partiu. A taberna favorita de seu outro neto ficava do outro lado da cidade, dez minutos a cavalo seria o suficiente.  Pensou o velho já montado e galopando.

    O velho era na verdade Riikard Rember herdeiro da família Rember que outrora um dia governava um império, mas desde os tempos antigos não se via glória no nome Rember.

    Atravessou várias ruas, e a grande estrada do castelo, passou por alguns pedestres quase que esbarrando e estava com muita pressa pois o que acontecera dias atrás não foi muito bom para o reino, todos quando o viam saiam de perto, diziam todos: “o velho cinza traz sangue”, chegando a taberna deixou seu cavalo negro amarrado a um poste que tinha uma placa com um nome e um desenho de rato. Era a maior taverna da cidade era conhecida como o Rato Negro. Abriu a porta e deu o primeiro passo com suas botas marrom acinzentadas, a agitação que acontecia parou, todos olharam o forasteiro, quando ele tirou o capuz todos voltaram a seus copos e bebidas, mas a música parou, de dentro do balcão saiu um homem de meia idade, moreno e meio roliço sua blusa quase não cobria sua barriga.

_____ Não queremos problema velho cinza. Disse o homem num tom determinado.

_____ Vim atrás de um jovem, atrás do Grande Ken. Disse mais determinado ainda.

_____ Ele se encontra lá no fundo, sentado com algumas garotas, mas repito não queremos confusão.

_____ Não se preocupe eu e o grandão somos velhos conhecidos.

O velho se retirou e partiu até a mesa que se encontrava o seu Neto.

    Andou mais um pouco e viu duas garotas uma estava ao seu lado e o outro sentado no seu colo a que estava ao lado tinha lábios grossos e era de um moreno claro quase o mesmo tom de pele de Ken a outra era mais branca mas tinha os cabelos castanhos. Ambas estavam vestidos de mantos marrom e vestido verde bege já Ken estava somente com uma blusa marrom fina de algodão com um desenho de três torres brancas numa estampa de escudo atrás.

    Ken era um jovem forte e atlético era bem alto talvez tão alto quanto o avô, era moreno e tinha cabelos bem curtos bem diferente de Jack, tinha os olhos castanhos claros uma herança de família da parte materna sua mãe era uma kiani vinda dos reinos centrais de Asagh, povo cujos os olhos castanhos claros eram comuns. Mesmo assim Ken tinha uma parte dos Rember nele: A sua personalidade ele era um jovem alegre e sempre disposto a ajudar, mas por outro lado era egoísta e às vezes arrogante chamava a si mesmo de o homem mais forte de Mildak e talvez até do reino. Uma vez o rei para tentar humilhá lo chamou todos os grandes cavaleiros e fez um grande torneio de lutas corpo a corpo, Ken venceu a todos e a sua fama cresceu ainda mais juntamente com a ira do rei em relação a Ken.

_____ Ken Rember? O homem de cinza disse se aproximando.

_____ Você? O grandalhão falou

_____ Senhoritas podem nos deixar a sóis? O velho sorriu.

Ambas as jovens saíram e se retiraram e Ken continuou fitando o avô.

_____ O que faz aqui vovô? Disse Ken num tom frio e calmo

_____ Tenho que conversar com você é um dos únicos em que confio.

_____ Pelo que eu sei o senhor trabalha para o rei. Eu e ele não nos damos muito bem o senhor sabe disso. Falou Ken tomando um gole do copo de cerveja que estava a mesa.

_____ Sei disso, mas minha conversa é primeiro com você.

_____ O que houve? Uma visita sua não era esperada.

_____ A guerra está por vir Ken, Preciso que proteja o reino, preciso que proteja Jack. Disse em um tom sombrio

_____ Jack que se vire ele já é um homem feito, aliás eu o queria mandar ele em uma viagem até o oriente para conhecer o mundo.

_____ Não poderá fazer isso, a guerra está chegando.

_____ Que guerra?, quem são nossos inimigos? Ken já estava impaciente.

_____ O reino de Hauhan a leste daqui houve uma revolução, um homem louco chamado Reiner Walter tomou o poder. E eu não deveria dizer isso mas ele é o mesmo homem que matou o pai de Jack e ele também matou seu pai.

         Ken bateu com os punhos na mesa._____ Tive sair às pressas de Hauhan, ele é um tirano louco e odeia os Rember. Reiner não sabe quem eu sou, mas ele sabe que ainda há sobreviventes da última guerra meus filhos lutaram contra ele e o cegaram um dos olhos, eles morreram, Infelizmente,

seu único filho também morreu e tenho certeza que ele irá querer vingança.

_____ Mas isso não é motivo para se declarar uma guerra assim do nada. Os reinos do sudeste são aliados.

_____ Exatamente. Mas Reiner não é um homem burro ele usará o pretexto de vingança para atacar Nasen( se lê neisen ) mas o seu real motivo é pra tomar as montanhas de Rembelym.

_____ O que ele quer? Ouro, prata,pedras preciosas?

_____ Reiner quer ser o Senhor das terras do leste e não podemos permitir isso. Ele irá nos atacar, convoque todas as tropas, todos homens, coloque mil arqueiros na estrada ao leste qualquer movimentação deve ser de seu conhecimento Não podemos permitir que Reiner avance.

_____ Farei isso vovô. Ken tomou mais um gole de cerveja.

        Enquanto conversavam dois homens vestidos de cota de malha com espadas e escudos a postos aproximavam se

_____ Riikard Rember o rei ordena que se apresente ao trono imediatamente.

O velho se levantou da cadeira e olhou para trás

_____ Senhores, esperem me lá fora já irei de encontro ao rei.

_____ Imediatamente. O outro homem falou com uma voz mais forte

_____ E se eu recusar? O velho pareceu jogar as palavras para ver a resposta.

_____ Temos ordens de levá-lo a força se necessário.

         O velho fitou ken e falou

_____ Parece que nossa conversa acaba aqui meu querido Ken.

O velho se levantou pôs de volta seu capuz e saiu andando, ao ultrapassar os guardas esses o acompanharam. Quase chegando a saída o velho ouve a voz de Ken.

_____ Nós nos veremos novamente?!

_____ Sim ainda nos veremos. Ele disse isso e se foi saiu da taberna mas não antes de comprimentar o senhor do balcão com um aceno de cabeça. Abriu a porta e montou em seu cavalo negro os outros dois guardas também tinham montarias mas não eram nem de perto grandes quanto o negro cavalo do homem cinza.

        Cavalgaram até a estrada do castelo e entraram, No salão do rei, Riikard saiu do seu cavalo e ordenou a um dos criados do pátio que cuidassem dele. Andou mais um pouco por uma calçada de pedra  e atingiu a sala do trono.Dois guardas estavam de pé com lanças fazendo um X, o velho cinza andou e ao chegar à frente dos guarda eles abriram a passagem e o velho entrou.

_____ Meu velho amigo. Uma voz de cima falou.

_____ É bom e também é ruim vê-lo novamente Riikard. Continuou a voz de cima

_____ Meu rei. É uma honra vê-lo novamente. Disse o velho cinza.

_____ Deixamos as saudações de lado venha ao pátio e ao jardim caminharemos.

O velho e o outro homem então saíram da sala do trono e foram ao pátio, deram uma volta para a esquerda sem falar nada e pronto estavam em um jardim rodeado por pedras brancas.

_____ O que aconteceu Riikard? O rei perguntou.

_____ Aylwin meu caro uma guerra se aproxima.

_____ Mas isso é um ultraje. Quem são nossos inimigos?

_____ O reino de Hauhan.

_____ O reino de Hauhan sempre foi aliado ao nosso reino. Disse o rei desacreditando.

_____ Eu vi majestade, houve uma revolução, um homem chamado Reiner da família Walter tomou o poder, e ele em breve marchará para cá.

_____ Esse Reiner quem ele pensa que é para ameaçar a soberania de Nasen! O rei falou em um tom de mediocridade.

_____ Senhor não subestime Walter. O velho cinza o alertou.

_____ Não o subestimei se é guerra que ele quer, ele a terá. O rei falou enquanto caminhava a passos devagar.

_____ Já alertei Lord Rember sobre isso e ele já está preparando as defesas.

_____ Seu neto?! Aquele moleque é um vagabundo bêbado, deixarei as defesas com alguém mais responsável. Agradeço a informação Riikard mas estou no controle aqui, que esse tal de Reiner tente atacar ele morrerá antes de pôr os pés em Mildak.

_____ Majestade. Riikard inclinou a cabeça e se retirou visto que já tinham dado uma visita inteira no jardim.

Tolo ele vai matar a todos nós. Riikard pensou andando em direção ao seu cavalo, deu uma moeda ao garoto que cuidou do alazão e sai cavalgando.

O rei era Aylwin Lynom, um homem de meia idade, cabelos loiros, barba marrom e os olhos azuis como os mares, era alto não tão quanto o velho cinza mas era robusto, e também teimoso. Para onde ele iria era o que estava pensando, teve uma ideia de ir até a torre do sal rever velhos amigos mas desistiu, preferiu ir até a rua dos cavaleiros, que ficava a duas quadras do castelo real, parou a frente de uma casa meio velha, tinha paredes todas de madeira, talvez a casa mais pobre do bairro todo, a rua dos cavaleiros era conhecida por sua beleza, as casas eram feitas de pedras, na sua maioria brancas, mas aquela em especial era de madeira que por sinal era só uma casa simples sem adorno ou pintura com uma porta no meio.

_____ James Evelyn. TOC! TOC! TOC!. Um velho amigo bate a porta.

A porta se abriu e uma mulher de cabelos castanhos com uma criança no colo se apresentava.

_____ Velho Riikard!

_____ Magge Cavelier! O velho cinza falou

_____ Agora é Magge Evelyn. A mulher respondeu.

_____ E quem é essa criança no seu colo? tem a cara do James, e os olhos da mãe.

_____ Ele se chama Hayden Evelyn, e um dia será tão bom cavaleiro quanto o pai.

_____ Posso entrar? Onde James está? O velho cinza perguntou.

_____ Ele está lá dentro teve um dia cansativo ontem. Mas entre vou preparar um pouco de chá.

_____ Desculpe se não for muito incômodo, só um pouco de vinho por favor.O velho disse

_____ Está bem, aguarde chamarei James e já lhe trarei o vinho.

_____ Obrigado Magge. Agradeceu o velho com um pequeno aceno de cabeça.

       Magge Cavelier era a filha de um importante Lord do reino e ele a conhecia desde pequena, e alegrava ao saber que se casara com James Evelyn, um homem honrado e honesto acima de tudo, e ainda tiveram um filho, a vida de James melhorara muito depois de conhecê-lo, ele era apenas um garoto, da idade do seu neto atualmente, franzino para a idade e pobre de nascimento, tudo que almejava era ser pelo menos um escudeiro, mas aí está finalmente um cavaleiro, lágrimas de felicidade e alegria corriam somente por dentro de Riikard, o seu exterior parecia inabalável, mas sabia com certeza que estava no local certo, James Evelyn era o homem perfeito para sua missão, só restava saber se iria aceitar, certamente aquela era uma tarefa muito perigosa e provavelmente a chance de sucesso é muito baixa, quem sabe aquele seria seu último encontro com o cavaleiro. Sentou se em uma cadeira perto da mesa e esperou, até que finalmente surgiu um homem a sua frente, na sua mão tinha uma jarra e duas taças de metal, o homem olhou para o velho, sorriu e perguntou:

_____ Então meu caro que jornada me aguarda.

21 de Novembro de 2018 às 20:40 1 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Uma estrela caída

Comentar algo

Publique!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 2 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!

Histórias relacionadas