Dia de folga Seguir história

linest LiNest

Shouto e Inasa precisam de um dia de folga da vida adulta para cuidarem um do outro. Ou basicamente sexo cheio de sentimento.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#bnha #boku-no-hero #boku-no-hero-academia #inatodo #inasa-yoarashi #todoroki-shouto #sexo-com-sentimento #aka-meus-filhos-merecem-ser-felizes #future-fic
Conto
1
4814 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Preguiça boa

♤Notas Iniciais♤


Disclaimer: Boku no Hero Academia não me pertence e é de autoria completa e total do Kohei Horikoshi. (Porque se fosse minha eu faria todo mundo muito mais gay e Kiribaku seria oficialnente canon)


Aviso para menções muito, MUITO sutis do abuso do Endeavor, mas nada que estrague o clima, pois it's an exclusive fluffy party!


Essa fic foi inspirada na música Coffee da beabadobebe. Recomendo dar uma escutada pra captar o clima.


Espero que gostem e tenham uma boa leitura ♡





Já passava das quatro da manhã quando Shouto abriu a porta do apartamento. Desamarrou as botas na entrada antes de atravessar o limiar do corredor, o corpo dolorido de mais um dia de trabalho protestando com cada passo dado. Ele não achou que chegaria tão tarde, o caso que sua equipe havia sido designada para cuidar não era excepcionalmente complicado, apenas uma apreensão de cargas de contrabando regional, toda a operação já tendo sido verificada pela equipe de inteligência restando apenas a execução rápida do plano. Em tese seria algo rápido, feito na calada da noite sem muito alarde, mas houve uma troca de última hora dos vigias do porto e, sem o aviso prévio da operação em andamento para a segurança local, o alarme foi acionado e Todoroki e sua equipe se viram obrigados a improvisar; a operação deixando de ser sigilosa e virando uma ofensiva aberta. Shouto odiava ofensivas abertas.


Com um suspiro cansado, jogou as chaves na mesa da cozinha junto com a bolsa do uniforme e o casaco. Se arrastou até o quarto, fazendo uma careta ao notar a luz fraca que saia pela fresta; Inasa ainda estava acordado? Devagar, Shouto abriu a porta pronto para questionar o namorado, mas seu rosto suavizou.


Como esperado, Inasa estava dormindo, o corpo largo meio contorcido em uma posição sentada na cama, uma perna pra fora do colchão e as costas apoiada na cabeceira, um livro grosso sobre pedagogia estava aberto no seu colo e a cabeça pendia para frente, peito subindo e descendo em uma respiração calma. Era obviamente uma posição desconfortável, ainda assim Inasa não pareceu incomodado, seu rosto livre de qualquer linha de incômodo. Mas Shouto sabia que o homem mais alto acordaria no dia seguinte com alguma torção no pescoço se ficasse assim por mais tempo, então gentilmente pegou o livro, marcando a página em uma reflexão tardia, e o colocou na mesa de apoio ao lado da cama. Inasa não se mexeu e Shouto aproveitou o momento para olhar para o outro, porque parecia que já fazia algum tempo desde a última vez em que ele conseguiu olhar para seu namorado por mais do que dois minutos. O moreno não havia se barbeado fazia um dia ou dois, mas Inasa era o tipo de cara que ficava bem de barba enquanto Shouto parecia um garoto esperando por seu bigode decidir crescer um dia – para o desgosto do seu pai. Foi depois de alguns segundos sonolentos que ele notou que Inasa ainda estava vestido também, jeans e camisa, mas seus pés estavam descalços. Se pergunta se Inasa havia tentando esperar por ele. Provavelmente sim. Talvez seu namorado imaginou que, depois que ele terminasse seu relatório, os dois poderiam ter passado mais de vinte minutos acordados juntos pela primeira vez em uma semana. Exceto que Todoroki conseguiu estragar tudo não verificando se todos os detalhes do plano estavam de fato conforme o esperado, e se metido em confronto com um grupo de tráfico fazendo com que um trabalho simples fugisse do controle. Suspirando, Todoroki se esforça e empurra todos os pensamentos desnecessários para o fundo da sua mente cansada, os deixando para quando não estivesse lutando contra o peso do próprio corpo para continuar se mantendo em pé por tempo suficiente para tirar a calça sem cair. Hoje à noite ele só quer dormir.


Jogando a calça de lado com um chute, Shouto toca o ombro de Inasa, dando um leve aperto.


“Inasa.”


“Hmmm.”


“Inasa.” chamou novamente e deu uma sacudidela que fez a cabeça de Inasa pender para o lado com o movimento abrupto. Shouto até tentou ser gentil, mas nunca foi bom nisso. ”Vamos, você tem que se deitar direito.”


Abrindo os olhos, Inasa encara o homem de cabelos bicolores com uma careta contrariada antes de se mover, jogando a outra perna para fora e sentando na beirada da cama, esfregando o rosto com as duas mãos. Shouto quase se sente culpado, quase.


“Que horas são?” Inasa pergunta, a voz rouca com sono.


“Quatro e pouco.”


A resposta chama a atenção de Inasa que levanta a cabeça e olha para ele com olhos menos nublados de sono. Duas mãos grandes se enrolam em suas coxas nuas e Shouto se permite ser puxado para frente até ficar entre as pernas do namorado. “Algo deu errado?”


“Sim, mas nada que não desse pra resolver.” Shouto passa a mão pelo cabelo curto de Inasa, a outra acariciando a lateral do pescoço grosso em resposta às carícias circulares dos polegares de Inasa na pele suave das suas coxas. É um ato principalmente sem qualquer conotação sexual, mas ainda faz com que algo quente puxe na barriga de Shouto. “Como estão indo os estudos?”


“Urgh.” é a resposta cansada de Inasa e Shouto bufa com diversão igualmente cansada. Eles sorriem um para o outro e se beijam. É um beijo casto, apenas um roçar de lábios, mas não é um segundo depois e Shouto está sentado nas coxas de Inasa, a boca aberta em um beijo preguiçoso, línguas se movendo sem pressa, ou muito entusiasmo já que ambos estão cansados demais para fazer qualquer coisa exagerada, mas isso não impede o pênis meio duro de Shouto dar um pulso satisfeito quando Inasa morde seu lábio inferior.


Com um grunhido, Inasa segura a parte de trás das coxas de Shouto e aperta, se levantando e o erguendo junto com ele. Todoroki tem meio segundo para entender o que está acontecendo antes de sentir suas costas baterem no colchão, Inasa tendo o jogado no meio da cama. Ele ignora os protestos dos músculos em seus ombros enquanto se apoia nos braços, franzindo o cenho para o namorado; pelo menos Inasa tem a decência de parecer um pouco envergonhado, sorrindo culpado para Shouto antes do seu rosto ser engolido pelo tecido da camiseta quando o moreno a tira, as calças saindo logo em seguida deixando um Inasa só de cueca na frente de Shouto, o pênis já duro bem delineado pelo tecido branco o cobrindo. Porra, seu namorado é gostoso.


“Vem aqui.” Todoroki chama, a voz grossa com excitação.


Inasa não demora dois segundo para obedecer; a boca na sua em um beijo faminto e o corpo largo e forte do homem mais alto cobrindo o de Shouto, afastando qualquer possibilidade de frio graças ao calor da pele do mesmo. Mantendo Inasa perto com um braço ao redor do seu pescoço, Shouto desliza a outra mão para baixo, entre eles, e acaricia levemente a pele bronzeada do peito de Inasa, usando as unhas em seguida em um vai e vem carinhoso, sorrindo com o estremecimento do moreno quando toca um dos seus mamilos, e engole o gemido de Inasa quando ele dá um aperto brincalhão no duro bico escuro. Eles quebram o beijo e olham um para o outro ofegantes. Nenhum dos dois vai conseguir durar por muito tempo, ambos sabem disso, e mesmo que as preliminares sejam divertidas, eles não estão com muita vontade de esticar sua transa.


Shouto desliza a mão pelo peito de Inasa novamente, amando a sensação de formigamento dos cabelos macios contra as pontas dos seus dedos, as linhas definidas do abdômen sarado, saboreando a respiração engasgada de Inasa contra seus lábios quando contorna o umbigo dele com carinho antes de descer mais a palma. Shouto faz uma pausa no cós da cueca de Inasa antes de continuar, os dedos atravessando a barreira do tecido, Inasa inala bruscamente quando ele esfrega a cabeça de seu pênis, mas não reage. Shouto mantém seu toque gentil, provocativo, e balança os quadris lentamente para que o outro homem possa sentir seu pênis contra a coxa dele. Os dedos de Inasa se contraem nos quadris de Shouto pouco antes dele deslizar as duas mãos sob a cueca e agarrar sua bunda em um aperto firme.


Shouto envolve seus dedos completamente em torno do pau de Inasa então, movendo o punho para cima e para baixo lentamente, no ritmo do movimento de seus quadris. A respiração do seu namorado está ficando mais rápida e Inasa move a mão para que seu dedo esteja roçando a sua entrada toda vez que Shouto se mexer. É enlouquecedor.


Ambos estão quietos, os sons que seus corpos fazem juntos são o único ruído no quarto, e Todoroki acha isso insuportavelmente excitante. Ele quer e sabe o que Inasa quer e não precisa falar sobre isso. Ele pode pegar o que lhe é dado e entregar o que é pedido sem hesitar graças a confiança construída através da intimidade e do respeito. Lambendo os lábios, Shouto puxa o pau de Inasa para fora da cueca com uma mão, a outra puxando o cós em uma tentativa desajeitada de tirar a peça. Ele já está levantando os quadris para Inasa fazer o mesmo quando ambos percebem que seria mais fácil se cada um tirasse a sua própria roupa intima. Shouto puxa as pernas apoiando os pés na cama, fechando as coxas e tirando rapidamente a cueca enquanto Inasa fica de joelhos no colchão e arrasta o tecido pelo resto da extensão de suas coxas grossas, puxando e jogando a peça no ar quando chega a seus pés.


Shouto estica o pescoço para alcançar os lábios de Inasa, beijando-o profundamente, ele envolve os braços em volta do pescoço do namorado novamente, cravando os dedos nos ombros largos. Inasa se apoia no cotovelo direito, curvando o corpo na direção de Shouto, mas antes que possa voltar a deitar em cima do outro homem, ele se afasta. Todoroki quase pergunta para onde o moreno está indo, mas logo depois ele está de volta, uma garrafa de lubrificante e dois preservativos na mão.


Eles param de se mover abruptamente para olhar um para o outro. Shouto vê a pergunta e a hesitação nos olhos de Inasa, sabe que já faz algum tempo desde a última vez que foram mais longe do que um boquete ou uma punheta. Ele poderia manter as coisas assim, um único aceno negativo sendo o suficiente, mas Shouto abre as pernas em um convite mudo e sente seu pau pulsar com a fome que incendeia os olhos de Inasa. Ele estende a mão e pega os preservativos do moreno, abrindo e desenrolando um em seu pênis antes de esticar as pernas ainda mais, engatando a perna direita bem alto nos quadris de Inasa. Inasa geme, abrindo a tampa do lubrificante com o polegar e se inclinando entre eles, sentando-se em suas coxas para poder usar as duas mãos. Shouto engasga quando o líquido frio toca sua pele, mas empurra seus quadris para frente quando Inasa gentilmente afunda um dedo dentro dele, ele observa o rosto de Inasa quando o moreno puxa o dedo para fora e então desliza de volta para dentro com dois, o abrindo com golpes rápidos e cuidadosos até que o roçar de uma das pontas dos dedos toca sua próstata e Shouto não consegue impedir que o nome de Inasa escape, quebrando o silêncio na sala.


"Shouto", Inasa murmura. Todoroki apenas segura o lençol com força, a respiração ofegante. Merda, fazia um tempo que ele não sentia aquele tipo de prazer. Depois de algum tempo tentando recuperar o sentido, ele se senta um pouco trêmulo para colocar a camisinha no pênis de Inasa, gemendo quando os dedos grandes do homem mais alto deslizam mais fundo em sua bunda com o movimento. Quando termina, Shouto se inclina para trás, relutantemente soltando o pau de Inasa.


"Você é lindo, você sabe não é?" sussurra Inasa. Ele está deslizando a mão para cima e para baixo na parte interna da coxa de Todoroki em um toque reverente e Todoroki estremece. "Eu ainda não consigo acreditar que você está aqui comigo."


"Eu quero estar", Shouto diz. Eu sempre vou querer, completou silenciosamente.


Shouto olha para Inasa quando ele coloca a cabeça de seu pau na entrada de Shouto e acena positivamente para o olhar questionador do namorado, encorajando. Inasa pressiona para a frente e é lento, tão lento, e o corpo de Todoroki arqueia contra o dele, tentando se aproximar, deslizando os braços em torno dos ombros largos de Inasa para obter mais impulso.


"Porra, você é tão apertado." Inasa grunhe, abaixando a cabeça para beijar o queixo de Shouto, seu pescoço.


“Não sei como, com um tamanho como o seu." Shouto ofega, sorrindo sacana parra o homem acima dele. Inasa ri, livre e alto, beijando o seu queixo mais uma vez antes de empurrar os quadris, movendo-se lentamente de novo.


“Eu amo você.” Inasa sussurra em seu ouvido. As palavras mais difíceis saindo, como sempre, tão facilmente da sua boca.


Os braços de Shouto se apertaram ao redor de Inasa e de repente ele se sente sombrio. Ele morde o lábio, suprimindo as palavras que estão prestes a sair antes que ele esteja realmente pronto para dizê-las e não permite a pergunta se formando no fundo da sua consciência, o ‘quando será que eu-’, finalizar sua sentença. Em vez disso, ele desliza uma mão para baixo, para pressionar contra o coração de Inasa, sentindo a batida galopante por alguns segundos antes de continuar a deslizar a mão pela lateral do corpo esculpido de Inasa, parando logo acima de onde suas pernas estão enroladas em volta da cintura do moreno.


Eles ficam quietos novamente, ouvindo os sons que seus corpos fazem enquanto se movem juntos. Inasa está totalmente dentro dele agora, grande, pulsante e quente, e tudo bem, Shouto sabe que o pênis de Inasa não é ridiculamente grande, mas ele nunca se acostumou com o quão grosso seu namorado é e parece que cada pedaço dele está sendo forçado a esticar quando Inasa se move. É tão bom. Deve ser a largura do corpo de Inasa acima do seu, a diferença em sua altura e tamanhos, que atraiu Shouto em primeiro lugar – talvez tenha o atraído por mais tempo do que poderia admitir para si mesmo, antes dos dois se tornarem amigos – fazendo-o se sentir pequeno e protegido e querido; tudo ao mesmo tempo. Shouto já está ansioso para a queimadura em suas pernas que sentirá amanhã.


A percepção de quão próximo de gozar ele está atinge Todoroki como um trem e ele estica a mão entre seus corpos suados para a envolver em torno de seu pau. Ele nem percebe que fechou os olhos até que eles se abriram quando a mão de Inasa se junta a dele, o levando para mais perto ainda do ápice. A boca de Inasa está aberta, a respiração um grunhido ofegante, e seus olhos estão fechados e sua pele está tão quente que quase parece queimar ao toque. Vê-lo assim, perto do limite por causa de Shouto, é sempre avassalador. Ele o ama, realmente o ama.


"Inasa." Shouto geme.


"Vamos. Goza pra mim, Shouto." responde Inasa e, estupidamente, é isso que faz Todoroki ultrapassar o limite. Seu nome na voz de Inasa.


Quando ele abre os olhos novamente, Inasa está olhando para ele com uma expressão vulnerável, Shouto levanta o quadril para encontrar seus impulsos e Inasa começa a empurrar mais rápido, colocando toda a sua força em cada investida, mãos plantadas no colchão de cada lado da cabeça dele, as pontas vermelhas e brancas de seus cabelos tocando a pele bronzeada. Todoroki acredita que ele poderia passar a eternidade assim, assistindo Inasa à beira do êxtase, mas Inasa grita seu nome e dá uma última investida, se enterrando profundamente dentro dele; seus olhos revirando em êxtase antes de fecharem e sua boca aberta – e isso, isso é o que Shouto quer assistir para sempre.


Eu amo você, Shouto pensa em delírio e chega a abrir a boca para dar voz as palavras, mas elas engasgam em sua garganta e ele as engole de volta. Se contenta em ficar abraçado a Inasa, passando as mãos sobre a pele suada e sentindo as mãos grandes acariciando os seus cabelos, ouvindo as palavras carinhosas e elogios amorosos sussurrados em seus ouvidos.


Talvez um dia ele possa dizer as três palavras, talvez um dia ele não terá medo do que elas poderão fazer para ele, medo do sussurro dos demônios do seu passado dizendo que não vale a pena arriscar. Por ele vale, Shouto grita teimosamente em resposta, porque é a verdade, porque ele sabe que Inasa vale o risco. Mas por enquanto Shouto se permite afogar no prazer cru do sentimento, a voz de Inasa o embalando para dormir, seu corpo ainda tremendo do seu orgasmo.


É perfeito.




Shouto acordou com o som da chuva. Olhou para o despertador sonolento, os números demorando pra focar, e ele não conseguiu ver exatamente graças ao livro de Inasa que tampava os dois últimos dígitos, mas reconheceu o gordo oito verde no começo da sequencia e gemeu irritado. Estava cedo demais pra um sábado de folga.


Após tentar por alguns minutos voltar a dormir sem sucesso, o homem com cabelos bicolores se arrastou para fora da cama quente, se desvencilhando dos braços fortes de Inasa que soltou um ronco alto em protesto, mas pareceu achar o travesseiro de Shouto um substituto adequado para agarrar. Shouto bufou divertido e puxou uma calça de moletom da pilha de roupas sujas no canto do quarto – se ele não estivesse ainda dormente do sexo que fizeram e tivesse tido mais do que duas horas de sono, Shouto tinha certeza que teria a capacidade tomar decisões melhores, talvez até se incomodado com a bagunça; o resultado de semanas sem tempo para nada, mas naquele estado ele não encontrou forças para dar a mínima.


Ele sai do quarto, bocejando em seu caminho para a cozinha, os olhos ardendo com sono e seus músculos doloridos clamando por café. Mecanicamente coloca a água e a cápsula na máquina de café, e pegou dois copos porque sabe que Inasa acordaria logo, seu namorado sendo irritantemente matinal. Distraido, Shouto assiste enquanto o líquido negro cai no recipiente transparente, o cheiro forte dominando o ar e fazendo seu corpo relaxar. Quando foi o suficiente, Shouto desligou a maquina e pegou os copos, sorvendo um pouco o líquido quente de um deles com satisfação. Seus amigos sempre estremeciam quando viam Shouto bebendo café puro e escaldante, se era por um ou ambos os motivos ele não tinha certeza, mas Shouto não se incomodava, aquela era a vantagem de se ter uma individualidade capaz de regular a temperatura do corpo.


Ele tomou mais alguns goles de café e colocou o copo do namorado na bancada, se virando para abrir o armário e pegar o pote de açúcar e o saco de marshmallows. Todoroki já havia se acostumado com os gostos estranhos de Inasa impulsionados pelo vício em doces do homem mais alto, então nem mesmo piscou enquanto adicionava uma quantidade exagerada de açúcar e cinco cubos de marshmallows no líquido preto, ouvindo passos arrastados atrás dele e um riso sonolento. Ele nunca entenderia como alguém conseguiu ter a capacidade de estar de bom humor antes das dez, era o tipo de habilidade que apenas pessoas como Midoriya e Iida pareciam cultivar na época da escola, e não foi até que ele e Inasa começassem a morar juntso que a ideia de sentir qualquer coisa além de irritação ao acordar em horários tão impróprios soasse mais como uma possibilidade do que pura loucura. Todoroki, claro, ainda odiava acordar tão cedo, mas seus lábios teimosamente se curvaram em um pequeno sorriso com o som. Inasa era apenas contagioso.


Braços fortes cercaram sua cintura por trás e lábios tocaram seu pescoço, a respiração quente contra a pele do lado mais frio do seu corpo fazendo Shouto estremecer deliciosamente.


“Dia.”


“Bom dia. Fiz café.”


“Hmm, perfeito.” Inasa cantarolou apreciativo e deu outro beijo no pescoço do namorado. “Dia de folga?”


“Dia de folga. Você?” Shouto se afastou, girando nos braços de Inasa para ficar de frente para o moreno e sentar na bancada da cozinha, abrindo as pernas quando Inasa se aproximou para dar espaço para ele se encaixar. Observou o outro homem bebendo o café que havia preparado, a pura satisfação com o liquido doentiamente doce escrita em seu rosto, e sentiu orgulho. Era algo pequeno, cotidiano, mas mesmo assim era importante para Shouto.


Foi depois de mais alguns goles que Inasa respondeu: “Sim. Eu já cobri a maior parte do que vai cair na prova de admissão pra fazer o estágio na escola, além de que também não estou afim de ver qualquer livro na minha frente por algum tempo.” Inasa resmungou e Shouto bufou divertido, dando um beijo na testa do moreno como recompensa tardia pelo esforço que Inasa estava colocando em sua nova carreira. Foi um pouco repentino quando o ex super-herói anunciou que estava largando a agência em que os dois e a maioria dos seus amigos trabalhavam para entrar na faculdade de pedagogia. Inasa queria ser um professor para o choque de muitos, menos de Shouto, Camie e, surpreendentemente, Bakugou.


“O filho da puta gosta de pirralhos remelentos.” declarou o loiro mau humorado com um dar de ombros desinteressados. Bem, ele não estava errado.


“Eu fico feliz por ele ter achado algo que realmente queira fazer, mas ainda acho que é uma pena.” Midoriya disse, meio melancólico. “Ele era o melhor parceiro pro Todoroki, suas peculiariedades sendo perfeitas juntas.” O que também era verdade. Mesmo que já tenha se passado meses desde a aposentadoria de Inasa no cenário heroico, Shouto não foi capaz de encontrar outro parceiro tão bom quanto o namorado. Mas ele estava feliz em ver Inasa tão animado com a ideia de ajudar novos pequenos heróis a encontrarem seu caminho, Shouto não era um fã de crianças e não podia fingir se importar muito com elas, mas ele sabia que Inasa seria o melhor professor que qualquer um poderia ter.


Eles ficaram em silêncio confortável, cada um bebendo seu café e aproveitando o calor um do outro. Aquele era um dia raro em que ambos não precisavam se apressar, não havendo nada para se fazer. Sem mundo para salvar e sem folhas de caderno para preencher. E sem demônios do passado, Shouto pensou, se sentindo em paz. Otimista que aquele seria um bom dia.


“Dia da preguiça?” Inasa perguntou depois que eles terminaram e lavaram os copos.


“Ok.” Shouto respondeu sem hesitar. Fazia tempo que ele aprendera a não se sentir culpado pelos seus dias da preguiça.


Eles voltaram pra cama amarrotada ignorando as roupas espalhadas no chão e o interruptor, deixando o quarto continuar no escuro. Tiraram as roupas e deitaram nus embaixo das cobertas, ouvindo o som da chuva lá fora e trocando beijos preguiçosos até voltarem a dormir.



♤NOTAS FINAIS♤


VAMOS TODOS DAR A MÃO E GRITAR AMÉM PELA EXISTÊNCIA DE INATODO! GENTE COMO AMO MEUS FILHOS! Sério, to tão feliz de ter escrito essa fic porque fiquei o tempo todo com um calorzinho no peito enquanto via meus filhos sendo felizes juntos. Inasa/Shouto/Felicidade é meu ot3 ok? E sério, escutem a música na qual a fic foi inspirada, ela é muito InaTodo!


Tmb amei poder trabalhar alguns dos meus headcanons durante a composição disso aqui como o Inasa amando doces. São hdc que serão citados em futuras fics de InaTodo, com certeza.


E bem, o que acharam desse Shouto mais leve? Como escrevi a fic no futuro resolvi amadurecer um pouco meu bb e sempre o imaginei sendo mais aberto e expressivo após alguns anos dd terapia e de convivencia com bons amigos de verdade sabe? Então por isso esse meu Shouto sorri mais e é mais confiante, mas é claro que um Todoroki sem problemas de comunicação e para expressar suas emoções não seria um Todoroki que se preze, né, então adicionei algumas questões das quais ele ainda precisa trabalhar, mas hey isso já é um grande começo!


Tmb tentei deixar a fic fluida apesar do uso tanto do nome quanto do sobrenome do Shouto, inicialmente eu planejava usar só o nome, mas ai Todoroki acabou deslizando pra página e né ¯\_(ツ)_/¯ mas como tmb tem gente que só conhece o personagem por Todoroki então acho que pode ter sido até bom.


Okay, acho que é isso, fiz meu melhor pra fazer justiça pro meu otp <3


Comentários e criticas construtivas são aempre bem vindas ;3<br>

See ya~


19 de Novembro de 2018 às 22:21 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

LiNest Meu nome é Aline, também conhecida como Linest e eu estou realmente feliz por poder compartilhar meu trabalho com tanta gente agora!!! Você só precisa saber 3 fatos sobre mim: Amo Angst. Sou Nerd. Sou Army.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~