A Safe Place to Fall Seguir história

min_lolla I'm Aeri

Existia uma rivalidade entre Baekhyun e Chanyeol que era do conhecimento de toda a escola. Mas um simples ato pode mudar toda a visão disturbada que eles tinham um do outro.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#colegial #chanbaek #exo #baekyeol #baekhyun #chanyeol #sulay #ot12
16
4527 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

I

A sala de aula estava em silêncio, até Jongin abrir sua mochila e tira de lá seu estojo de lápis que tinha vários chaveiros e um saquinho de batatas igualmente barulhenta. Kyungsoo, que estava tentado ler um livro, sem cerimônia se vira para trás pegando tanto o estojo quanto o salgadinho e os joga dentro da mochila de Jongin com uma expressão nada amigável e antes de se vira para frente lançou um olhar ameaçador ao moreno que tinha um bico nos lábios o encarando de uma forma infantil demais para a sua idade. Yixing, Junmyeon e Tao estavam conversando entre si sobre Vídeos Games. Já Chanyeol tentava distrair sua mente estudando seu livro de matemática.

Tinha acontecido de novo. Diferente das outras vezes, ele resolveu não contar aos seus amigos, isso não iria resolver nadar, só tenderia a ficar pior.

Um grupo de seis garotos, entraram na sala de aula, uns rindo e outros sérios. Os olhos de Baekhyun brilharam ao ver Chanyeol sentando em seu lugar de sempre, sozinho. Se ele não estivesse rodeado por seus amigos, significava que ele não contou a eles o que ocorrera antes. A medida que dava passos lentos em direção a Chanyeol seu sorriso ficava maior. Parou em frente sua carteira e esperou o outro percebesse sua presença. Chanyeol ergueu seus olhos encarando Baekhyun sem expressão.

— Chanyeol. – O mais novo não gostou de como seu nome saiu dos lábios de Baekhyun. – Espero que não tenha ficado muito magoado pelo o que eu te disse mais cedo. – Baekhyun falou sorrindo falso.

Kyungsoo se posicionou atrás de Chanyeol, encarando Baekhyun com os olhos semicerrados.

— Fica tranquilo. – A voz de Chanyeol se fez presente na sala que, agora, estava totalmente em silêncio. – Me acostumei com suas palavras nada doces.

O sorriso de Byun vacilou por um segundo antes de abaixa os olhos e olhar Chanyeol novamente.

— Isso me conforta.

— Se olhar matasse, você já estaria morto, Baekhyun. – Luhan falou sarcástico, olhando diretamente para Kyungsoo que continuava só observando.

—Uma pena, não? – Kyungsoo encarou o chinês de forma neutra, mas seu olhar era frio como gelo.

Luhan continuou com o sorriso em lábios enquanto devolvi o olhar de Kyungsoo. Ficaram alguns segundos se encarando, até a voz de Baekhyun soar novamente.

— Bem... – Chamou a atenção dos demais ali. – Do fundo do meu coração – colocou a mão sobre o peito teatralmente –, espero que não tenha ficado ofendido, sobre a minha total falta de sensibilidade sobre a separação de seus pais. – No final, Baekhyun deu um sorriso maldoso.

A postura de Chanyeol vacilou por menos de um segundo, mas continuou com a mesma expressão. Deu um último sorriso forçado se levantando e saiu caminhando para fora da sala de aula, ao mesmo tempo em que a professora entrava.

— Senhor Park! – A professora chamou, mas foi ignorada como os amigos dele também foram.

E antes que Kyungsoo pudesse parti para cima de Baekhyun, que o olhava sínico, Jongin o puxou pelos ombros o arrastando até sua carteira fazendo Kyungsoo se sentar à força. Todos se sentaram e tentarão prestar a devida atenção na aula, mas foi em vão.

 

 

Já no intervalo os amigos do Park saíram à sua procura pelo colégio, e o encontraram atrás da escola escorado em uma árvore com a cabeça apoiada nas pernas encolhidas contra seu corpo. Foram a passos lentos até ele.

— Chanyeol. – Junmyeon chamou se ajoelhando em frente a Chanyeol que levantou a cabeça mostrando os olhos vermelhos, mas sem nenhum sinal de lágrimas.

— Eu estou bem. – Deu um sorriso fraco.

— Não liga para o que aquele babaca fala, hyung. – Jongin se pronunciou em pé ao lado de Junmyeon.

— Quando eu pegar aquele nanico por aquele cabelo engomadinho... – Kyungsoo ameaçou olhando sério para o nada.

— Como se você fosse muito alto – Yixing falou automaticamente, arregalando os olhos ao se dar conta do que acabou de falar e saiu de perto de Kyungsoo antes que o punho do menor acertasse seu braço.

— Seu filho da...

— Hey! – Junmyeon o repreendeu. Kyungsoo revirou os olhos em resposta.

— Foco. – Tao pediu e todos voltaram a atenção para Chanyeol – Você está bem mesmo? Está tudo bem se chorar. Ninguém aqui vai te julgar. Todos concordaram com a cabeça.

— Eu estou bem. Fiquem tranquilos. – O Park se levantou, limpando a sujeira de sua roupa. – Prometi a mim mesmo que não ia mais chorar por causa disso, ainda mais quando é Byun Baekhyun que o traz à tona.

— Ótimo. – Junmyeon sorriu largo. – Agora vamos, porque eu não quero chegar atrasado na aula.

 

 

Não era nenhum segredo o fato de Baekhyun e Chanyeol viverem igual cão e gato. E toda essa história de grupos rivais era totalmente sem sentindo na cabeça de ambos os garotos – com exceção de Baekhyun e Luhan.

Tudo começou com boatos e história inventadas por alunos que não tinham nada de melhor para fazer da vida. O “grupo do Junmyeon” existia desde o 9º ano. Ouve alguns boatos que eles seriam os novos valentões da escola por Chanyeol ser gigante, Tao praticar artes marciais, Kyungsoo, que apesar do tamanho, era bastante agressivo com seus amigos e os outros que quando queriam eram bem intimidadores. No entanto os alunos logo perceberam que eles não passavam de alunos que só estavam ali para estudar e nada mais.

Então, no ano seguinte, se forma o “grupo do Yifan” e, assim como o outro grupo, ele começou com boatos. Yifan que intimava qualquer um com um simples olhar e raramente abria a boca para falar, Sehun sempre com a expressão séria, sorria somente na presença do namorado – Luhan. Mas eles também não deram muita importância para todas aquelas conversas com seus nomes. Contundo, uma dessas histórias sem sentindo irritou Baekhyun e ele não conseguiu – e nem quis – ignorar como as outras.

Algumas garotas saíram espalhando para a escola que Chanyeol havia falado sobre Baekhyun ser gay e que ele devia ser fodido por quase todos de seu grupo. Claro que o Byun foi tirar satisfações com Chanyeol que alegou nem ouvir dessa história. Mas Baekhyun não acreditou nele, e daquele dia em diante nunca mais deixou Park em paz, sempre procurando algo para implicar o outro que dificilmente revidava. Essa desavença deles foi até mesmo parar na diretoria.

E saber sobre a separação dos pais de Chanyeol foi um prato e cheio para Baekhyun que depois da descoberta sempre procurava provoca-lo com aquilo e sentia um prazer enorme quando via que aquilo afetava o outro. Com o tempo ele acabou sabendo que de fato não fora Chanyeol que havia começado aquele boato sobre si, mas no pouco tempo que teve para provocar o maior ele se sentia bem com aquilo. Não que ele e o resto de seus amigos começaram a atazanar a vida de todos daquela escola, porque Baekhyun tinha prazer em fazer aquilo somente com Chanyeol. Luhan apenas se divertia curtindo da cara de Kyungsoo, já que o Do era todo estressadinho. Mas não passava disso, diversão.

 

 

Chanyeol chegou em sua casa e tiro seus tênis subindo direto para seu quarto sabendo que a casa estava totalmente vazia. Largou sua mochila ao lado da porta e se jogou em sua cama afundando seu rosto no travesseiro. Ficou desse jeito por longos minutos pensando em tudo e ao mesmo tempo em nada. Depois de um tempo ele levantou e tomou um banho rápido e foi à cozinha esquentar seu almoço.

Após comer ele se sentou no sofá sem saber o que fazer pelo resto do seu dia. Não tinha mais vontade de sair de casa como antes, mas odiava o silêncio e a solidão da casa quando ficava o dia todo nela esperando sua mãe chegar à noite.

Ele não a culpava por isso, entedia que ela precisava trabalhar dobrado agora que sustentava a casa sozinha, apesar de ter ajuda do ex-marido, não era fácil ser mãe solteira quando se passa a vida toda tendo ajuda financeira e emocional.

Depois da separação de seus pais Chanyeol resolveu ir morar com sua mãe, mas ainda mantinha contanto com seu pai diariamente. Fazia uma semana que eles tinham se separado legalmente. Foi difícil para Chanyeol aceitar que seus pais estavam se separando, ele sempre teve a certeza de que eles ficariam juntos até ficarem velhinhos. O Park tinha como base o relacionamento de seus pais para o seu futuramente, ele queria alguém como seu pai tinha sua mãe, para todos os momentos, nos difíceis e nos fáceis, mesmo se ele estivesse errado ela estava lá para lhe dizer como fazer o certo e concertar o errado.

Talvez foi toda essa fascinação que fez Chanyeol não enxergar como o casamento de seus pais havia caído na mesmice, que a comunicação entre eles era mínima e de como eles não tinham mais tempo um para o outro. Então seu pai pediu o divórcio e sua mãe, claro, não aceitou logo de primeira, ela relutou um pouco, até seu pai sentar com ela e falar os motivos que o levou a tomar aquela decisão. Ele não queria ficar preso a uma relação tão fria, como também não queria isso para ela. Não houve traição, até porque ele a amava, mesmo sendo diferente do de antes, e respeitava tanto ela quanto aos anos que passou ao seu lado e, principalmente, por Chanyeol. Nunca se perdoaria se falhasse como pai para seu único filho, que o via como um exemplo.

Cansado de ficar pensando nesse assunto, Chanyeol liga para Junmyeon. No terceiro toque ele atende.

— Fala. – O Kim atendeu com a voz um pouco ofegante.

— O que você está fazendo? – Chanyeol perguntou desconfiado.

— Nada do seu interesse. – Prendeu a respiração.

Chanyeol fez uma careta por imaginar o que estava fazendo Junmyeon ficar naquele estado.

— Por favor – implorou fechando os olhos com força –, não me diga que você está, neste exato momento, tendo relação sexual com o Yixing.

— Não estou – Junmyeon respondeu rápido demais. – Um minuto.

Chanyeol ouviu vozes discutindo e reconheceu a voz de Yixing ao fundo. Após uns segundos com os dois discutindo, Junmyeon voltou a falar com Chanyeol.

— O que você quer? – Sua voz estava levemente irritada.

— Desculpa atrapalhar vocês – Chanyeol não conseguiu evitar sorrir travesso –, mas eu estou morrendo de tédio e não tenho nada para fazer.

– E como isso é problema meu? – Junmyeon o interrompeu mostrando sua irritação.

– Então – Chanyeol continuou como se não tivesse acabado de ser cortado – eu pensei que você, sendo a pessoa maravilhosa que é, poderia sair comigo. Mas não achei que estaria ocupado com Yixing.

— Por que não ligou para o Kyungsoo?

— Se eu ligasse e ele estivesse ocupado, assim como você estava, você acha que ele ao menos atenderia? Ou me deixaria falar mais do que duas palavras?

Junmyeon suspirou do outro lado da linha, sabendo que outro estava certo.

— Me dê meia hora e nos encontramos naquela sorveteria perto da escola. – Desligou na cara de Chanyeol sem se despedi ou esperar uma resposta.

Chanyeol deu um pequeno sorriso triste ao se sentir culpado por atrapalhar Junmyeon. E sentia uma pontinha de inveja também, por também querer uma companhia mais íntima.

Chanyeol estava muito carente e necessitado. Ele precisava de alguém ao seu lado como nunca. E Junmyeon era aquele amigo que o animaria a esse ponto, o mais velho sempre fazia de tudo para ver as pessoas ao seu redor felizes. E isso era tudo o que o Park precisa naquele momento.

 

3 de Novembro de 2018 às 01:57 0 Denunciar Insira 6
Continua… Novo capítulo A cada 15 dias.

Conheça o autor

I'm Aeri Only EXO

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~