Mais uma de Amor Seguir história

babylovers Babylovers

Palavras naquele momento eram desnecessárias, apenas a conversa pelos olhares era o suficiente. A comida servida por Jongin era uma das especiarias do local onde estavam. Aproveitavam do momento com algumas risadas e olhares cúmplices. O que mais poderiam querer além de estar um ao lado do outro? Nada. Apenas a eternidade para que possam desfrutar do que o amor e a vida lhes ofereciam.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas. © Todos os Direitos Reservados

#romance #fluffy #exo #jongin #sekai #sehun #kaihun #dia-dos-namorados
3
4548 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Verdadeiro

Apenas uma semana para o dia dos namorados.

Sehun estava tão ansioso. Jongin tinha prometido que faria algo especial.

Há exatamente um mês atrás, Kim Jongin, melhor amigo, namorado e companheiro de Sehun lhe perguntara o que iria querer de Dia dos namorados. Sehun de imediato não pode responder. 

E após passar um tempo pensando no que poderia querer, não chegara a nenhuma conclusão, tudo o que queria já tinha. Uma casa ou apartamento que dividia com seu companheiro desde os tempos de faculdade, um namorado maravilhoso e atencioso, que por mais que tivesse seus defeitos, era perfeito aos seus olhos. Sempre soube passar pelas dificuldades no relacionamento juntamente com o outro. Sempre estiveram um ao lado do outro. Então respondera:

"Jonginnie, eu já tenho tudo o que quero e preciso comigo, não quero nada, nada a mais do que ter você ao meu lado eternamente, ou até que o nosso eterno tenha um fim. Tudo o que posso querer é apenas passar mais tempo com você."

Naquele momento Jongin permanecera calado, olhava atentamente para o rosto de Sehun. Ambos deitados na cama, olhando um para o outro. Tinha seus olhos brilhosos pela resposta que recebera, mas queria fazer algo especial. Então apenas lhe respondeu, dizendo:

"Tudo bem meu amor, lhe farei algo especial, apenas espere."

Desde então Sehun apenas lhe perguntava o que ele faria, mas a resposta era sempre a mesma, "apenas tenha paciência Sehunnie, você saberá na hora certa.”.

E agora a uma semana do "evento especial", sua ansiedade parecera piorar. 

- Vamos Jonginnie, me diz o que você vai fazer! – O mais novo perturbava seu namorado. Estavam conversando por telefone, apenas por insistência de Sehun. 

- Sehun! Já falei pra esperar, na hora certa vai saber. – O moreno suspirava, ele também estava ansioso. E a insistência do mais novo em querer saber só o deixava mais apreensivo. – Agora vou desligar amor. Tenho um monte de papelada aqui pra ver e resolver. Beijos, até mais tarde.

E logo depois ao receber um “tudo bem.” De forma suspirada de Sehun por mais uma derrotar em não conseguir o que queria, desligou.

O restante do dia passava rapidamente. Rapidamente para Jongin, pois para Sehun, não. Este dedilhava sobre a mesa do seu escritório, apesar de um monte de casos para resolver, olhava para o nada. Queria tanto poder estar com o mais velho em casa. E a cada vez que olhava o relógio, parecia que o tempo regredia, ao invés de adiantar. Era um suspiro atrás do outro. Seu namorado queria deixá-lo louco, só podia. Ele sabia o tanto que era curioso, e esse suspense todo o deixava cada vez pior, mas Sehun conhecia o namorado também, sabia que este não cederia nunca. Não até o dia. E isso o frustrava. Só queria saber o que o outro iria fazer, era querer muito? Era. Afinal, assim toda a surpresa seria estragada. 

Apesar de não gostar muito de surpresas, gostava das que Jongin sempre lhe fazia. Era sempre tão carinhoso e romântico. Algumas vezes não, mas gostava também. Não poderia negar, gostava de tudo no moreno. Era um completo bobo apaixonado. 

x

Jongin estava em seu escritório, analisava toda aquela papelada em sua mesa. E mesmo com tanto trabalho, sua mente estava na surpresa que faria a Sehun. Nesta última semana resolveria os últimos detalhes. 

Deixou alguns dos papéis que estava em sua mão sobre a mesa e espreguiçou-se. Aquele seria mais um dia cheio no trabalho e ainda teria que ficar ouvindo Sehun perguntando sobre a surpresa. 

Sua vontade era contar logo, mas assim toda a magia da surpresa se perderia. E estava decidido a não contar. Só faltava uma semana, aguentaria e tudo sairia como planejava.

Sehun estava impaciente, queria logo que a semana terminasse e todo o suspense de Jongin acabasse, mas decidiu ser paciente e não insistiria mais em querer saber do que se trataria, mesmo que a curiosidade o corroesse. Afundava-se cada vez mais na cadeira em que estava. Não tinha cabeça para o trabalho. Por que tinha que ser um maldito curioso? Isso não o deixava fazer nada. Só conseguia dormir, pois, tinha o moreno consigo, mas se não morasse com ele nem dormir conseguiria apenas pensando nessa maldita surpresa. Exagero? Sim, mas ele era assim.

x

Quatro dias depois

 

Quatro dias já haviam se passado. Como Sehun havia prometido, não perturbou o moreno com suas perguntas constantes sobre o que ele faria. Jongin tinha estranhado o silencio do mais novo, naquele dia já estava preparado, mesmo com o dia cansativo, estressante. E que ainda teve que terminar de resolver as coisas da surpresa. Sehun estava inquieto, sabia, mas não lhe perturbou como sempre. Mas percebeu que o mais novo fazia aquele sacrifício por si. E naquele dia o dengoso Oh Sehun parecia pior.  Desde então nenhuma pergunta sobre a surpresa, porem os dengos e manhas piorou. 

Era assim, era uma forma inconsciente de ter o que queria. Mas já estava acostumado e sabia lidar bem com as situações. 

Faltavam três dias. Sehun fazia suas contas mentais, riscando um dia a menos a cada passado. Era a única coisa que poderia fazer além de esperar. 

Como de costume, tomavam café da manhã naquele momento. Sehun tinha um bico manhoso em seus lábios, enquanto brincava com a comida. Parecia uma criancinha que não comia, pois ali não era o que gostava, mas aquele não era o caso de Oh, ele só estava mais carente do que deveria e com a mínima vontade de trabalhar, só queria estar com o moreno e pronto. 

- Sehun-ah, por que esse bico gigantesco, hum? – O moreno perguntou, com um mínimo sorriso no rosto. Ele sabia que o outro estava carente.

- Não quero trabalhar hoje Jongin-ah. Quero ficar com você aqui em casa. – Falava manhoso. 

- Isso tudo por que não te contei ainda qual é a surpresa? Sabe, se eu contar não vai ser mais surpresa e não vai ter a mínima graça. – Continuava com o sorrisinho no rosto. Gostava de provocar o mais novo quando ele estava daquela forma. Era assim que lidava com a situação.

- Também... Você sabe como eu sou e faz esse suspense todo, mas não vou ficar lhe perturbando sobre, já basta o trabalho de estresse pra você.

- Não se preocupe amor, só faltam três dias e vai passar rapidinho. Só direi que é algo que você vai gostar muito. – Viu o bico aumentar nos lábios do outro e então, levantou-se da cadeira e foi até onde o mais alto estava.

Sehun acompanhava o moreno com os olhos, vendo-o parar ao seu lado. Porém, não virou o rosto na direção deste. Jongin segurou o rosto do mais novo com sua mão direita, virando este para sua frente, e olhando-o nos olhos. E então proferiu:

- Eu te amo Sehun, mesmo que você faça birra igual a uma criança. Amo suas manhas por não conseguir o que quer, agindo dessa forma inconsciente para enfim conseguir tudo. Ainda mais quando sua carência dobra de tamanho. Mesmo que você sempre pareça sério, mesmo que seja um homem perfeito a meu ver. Suas imperfeições são o que te deixa perfeito. – Aproximou seus lábios dos semelhantes a sua frente, deixando um selo suave. 

Afastou-se, olhando novamente nos olhos de Sehun, vendo este com as bochechas coradas. Mesmo com todos esses anos juntos, não se acostumava com as declarações de Jongin.

Deixou mais um beijo nos lábios pequenos do mais novo e seguiu para fora do local. Terminaria de se arrumar para o trabalho.

Sehun estava com um sorriso bobo nos lábios e então começou finalmente a comer. Comia um tanto rápido, pois já estava atrasado para o trabalho mesmo que sua vontade fosse ficar em casa. 

x

Dois dias depois

 

Finalmente a semana estava terminando, apenas um dia para o dia dos namorados. Depois de toda a declaração de Jongin, o mais novo aquietara-se um pouco mais, tanto que aquele restante de dia fora tranquilo e conseguiu trabalhar bem.

E apenas a um dia do “grande evento” toda a agonia, toda a ansiedade e curiosidade votaram pior. Suas mãos soavam e estava inquieto. Sempre fora assim, mas dessa vez era pior. Isso tudo por sua maldita curiosidade, por isso não gostava de surpresas assim, se fossem fazer, que não o avisassem, seria melhor. 

Era fim de tarde e já estava em casa, esperava Jongin chegar do trabalho e assim poder se jogar em seus braços e tentar se acalmar, distraindo-se com ele.

Quando ouviu a maçaneta da porta parou finalmente de andar de um lado para o outro. Parecia que tudo demorava mais que o normal, principalmente a porta abrir e quando isto finalmente fora feito, andou apressadamente até o moreno e o abraçou.

Jongin primeiramente estranhou o abraço repentino, mas logo o envolveu com seus braços após ter fechado a porta da forma que podia.

- O que foi Sehunnie? – Perguntou carinhosamente. 

- Só me beija primeiro. – Proferiu antes de segurar o rosto do outro em suas mãos e o beijar.

Sehun mordiscou o lábio inferior do moreno, adentrando com sua língua a boca deste, iniciando um osculo intenso. Quando o ar se fez falta em seus pulmões, findaram o beijo com selos suaves.

- O que foi isso? – Jongin perguntou, após recuperar o fôlego, raciocinar algo e afastar-se minimamente dele.

- To ansioso Jongin... E inquieto. – Pronunciou manhoso em sua voz levemente rouca.

Então Jongin entendeu o motivo. Não que o outro não lhe beijasse de repente, só que tinha os momentos que ele agia assim. Era sempre quando queria algo a mais, ou sexo.

- Vem cá Hunnie. – O moreno puxava Sehun pelas mãos. Caminharam um pouco até chegar ao sofá e sentaram-se. – Só falta apenas um dia, hum? Não precisa ficar assim. E tenho certeza que você vai gostar. – falava de forma calma. Acariciava os cabelos escuros do mais novo que se deitou em seu colo. 

Sehun naquele momento parecia uma criança, com um bico nos lábios. Aproveitando-se do silêncio que se formara após sua fala, aproximou seus lábios dos de Sehun selando-os carinhosamente e um pouco demorado.

Sehun levantou-se um pouco, da forma que podia causando uma breve separação de lábios. Aproveitando-se disso, sentou-se no colo do mais velho, de frente para o mesmo, e novamente o beijou. Passando seus braços em volta do pescoço de Jongin, começando a acariciar os fios curtos da nuca. O moreno segurou na cintura fina do mais novo puxando-o mais para perto de si, passando a mover seus lábios de forma lenta aproveitando do sabor que aqueles lábios finos e pequenos tinham e do sentimento que ali, naquele ato passava. As línguas se mesclavam em suas bocas.

Jongin então impulsionou o seu corpo para frente e logo depois deitou o mais novo ali no sofá ficando por cima deste. O beijo foi findado com uma leve mordida no lábio inferior de Sehun. 

- Te farei esquecer sobre essa surpresa. – Sussurrou no ouvido de Sehun causando assim um arrepioem sua pele. 

Sehun sorriu, e deixou um selinho nos lábios carnudos do mais velho. Era tudo o que mais queria naquele momento. Eles não tinham uma posição decidida, dependia da vontade de cada um, e naquele momento Sehun queria se entregar a Jongin. 

Um novo beijo se iniciou, trazendo um calor intenso para seus corpos e seus corações. O beijo pouco durou, pois Jongin seguiu estes por todo o maxilar e pescoço, deixando leves marcas.

O moreno levou suas mãos a barra da camisa de Sehun, tirando-a do mais novo e logo depois a sua. O restante das roupas foi tirado uma a uma, com calma e carinho. 

E então, amaram-se.

x

14 de fevereiro. Dia dos namorados na Coreia do Sul.

 

O dia amanhecia e os dois corpos nus em pleno sofá, dormiam tranquilamente. Tranquilo no que o sofá, extremamente desconfortável, permitia que fosse. 

Jongin remexia-se o que podia, acordando. Abraçado a Sehun, desvencilhou-se sem acorda-lo e então, levantou com cuidado. As roupas estavam espalhadas ali pelo chão, porém o moreno não se importou com aquilo. Caminhou preguiçosamente até o banheiro. Tomaria um banho, e logo depois iria preparar algo para ele e Sehun comerem. 

Após sair do banho, foi para o quarto e vestiu uma roupa simples; uma calça de moletom preta e uma camiseta branca. 

Já na cozinha, preparava um café da manhã típico americano, o pouco que sabia cozinhar lhe permitia fazer algo assim. Não era nenhum experte, mas se virava em fazer algo bom. Ao término de tudo, caminhou até a sala e sorriu ao ver a forma que Sehun ainda dormia. Aproximou-se deste e selou seus lábios carinhosamente, acordando assim ao mais novo. 

Com um sorriso no rosto, Sehun espreguiçou-se e abriu seus olhos.

- Bom dia dorminhoco! Já preparei o café, não acha que deveria se levantar e vestir algo. – O moreno se pronunciou carinhosamente, e logo depois falar a última frase, olhou para baixo, onde Sehun ainda encontrava-se nu, fazendo assim este corar.

- Hum... Só levanto se me der mais um beijo. – Sehun manhoso ao acordar fazia Jongin um completo bobo apaixonado. Fazia até o moreno imaginar como o outro agiria após a surpresa que naquele dia finalmente seria revelado. E o beijou mais uma vez.

O café foi tranquilo. Parecia até que Sehun havia esquecido que seria naquele dia a surpresa. Após de terminarem de comer, o mais velho se pôs a lavar a louça, enquanto Sehun ia tomar banho. Sehun apenas vestia uma cueca. Bom, isso não incomodava a Jongin, de forma alguma, mas devido à noite que tiveram, era necessário o banho.

x

- Sehun-ah, hoje é dia dos namorados... E sabe que tenho uma surpresa, certo? – O moreno apenas enrolava, pois não iria contar assim, iria leva-lo até a surpresa.

- Sim Jongin-ah, você acha que eu fiquei esperando esse dia e quase surtei, por quê em? – Sehun resmungou. 

Eles estavam na cama, como era um dia de sábado, não se preocupavam com o trabalho e aproveitavam da presença um do outro, com trocas de carinhos, caricias e beijos.

- Então, vamos? Vista uma roupa, mas que seja confortável, pois vamos sair, ok? – Comentou e levantou da cama após deixar um beijo no rosto de Sehun.

Se vestia também e ao terminar, esperava Sehun que não entendia nada, porém o obedecia. E ao estarem pronto, Jongin segurou na mão de Sehun, entrelaçando os dedos, e caminharam para fora de casa.

Já no carro, o moreno estava ao volante e o mais novo no passageiro. Sehun dedilhava sobre seu colo, ansioso sobre o que seria esta bendita surpresa. E a cada vez que o carro continuava acelerado, sem nenhum sinal de que pararia tão cedo, acabou cochilando.

Jongin sorriu ao ver que Sehun estava ansioso e o sorriso alargou-se mais ao vê-lo adormecido. Seria um pouco demorado, mas seria especial.

Umas três horas depois, estacionou o carro e então, chamou Sehun acordando-o com carinho avisando que haviam chegado.

- Sehun-ah, feche os olhos. – Pediu vendo uma cara de indignação, porem fora obedecido.

Saiu do carro cuidadosamente, com os olhos fechado e o moreno se aproximou de Sehun cobrindo com sua mão os olhos dele e certificando-se de que não veria nada.

Com calma e cuidado caminhou com o mais novo, pararam pouco tempo depois com a insistência de Sehun em saber logo.

- Jongin-ah, pra que isso tudo? Deixa eu ver!

- Espera um pouco, já estamos chegando. – E ao parar, descobriu os olhos dele, e assim demonstrando onde eles estavam.

Os olhos de Sehun brilharam com o que via. O local era tão bonito; Uma casa de praia. As ondas do mar que se quebravam na areia branca, o vento gostoso que tocava sua pele.

- Gostou? – Jongin perguntou quando não recebeu nenhuma reação a mais do que o rosto iluminado e o pequeno sorriso formado nos lábios finos.

- Muito. – Pronunciou em pouca voz. Ali seria um local onde novas memórias seriam feitas pelo os dois.

Ele não imaginava que Jongin poderia lhe fazer uma surpresa assim. E sabia que teria mais, pois vindo de Jongin apenas a perfeição viria.

- Vem! – O mais velho chamou e segurou em sua mão levando-o em direção a casa.

Tudo era tão incrível como num sonho que ele não se atreveria acordar. 

- Vamos passar o fim de semana. – Comentou o mais velho. 

- Mas não trouxemos nada. – O mais novo comentou perdido. 

Poder passar um fim de semana todo a sós com Jongin seria mais do que perfeito.

- O que acha que fiz todos estes dias Sehun? Não se preocupe. 

Ambos estavam sentados em cadeiras de praia, que havia na varanda da casa. Olhavam para o mar, com o sol brilhante. Pelo menos o tempo cooperava para que tudo fosse perfeito. 

O moreno levantou-se da cadeira, puxando o mais alto para que o acompanhasse.

- Aonde vamos? – Sehun perguntou, caminhando sobre a areia branquinha juntamente com o mais velho. 

- Caminhar... Não acha que o dia está bonito para ficarmos apenas sentados? – Sorria para Sehun, enquanto caminhavam a beira do mar de mãos dadas. 

Caminhavam, sentindo o vento tocar-lhes, o sol raiva intensamente, a água tocavam seus pés. Não era necessário um diálogo, apenas curtirem a presença um do outro.

De súbito Jongin parou, sorrindo em direção a Sehun, que o olhava sem entender do motivo da parada. Aproximou seu corpo do de Sehun, segurando a Barra da camisa deste, e beijou-lhe. Um simples toque de lábios, causando milhões de sensações em seus estômagos. Parecia a primeira vez que faziam isso, com um beijo inocente e cheio de sentimentos. Mas a sensação dos lábios carnudos nos de Sehun, sumiram pouco tempo depois. Sentiu ser puxado pela camisa por Jongin, quando percebeu, a água do mar cobria-lhe na altura do joelho e em uma puxada maior, caiu na água juntamente com o moreno. 

Ao erguerem na água, a gargalhada gostosa que se desprendeu dos lábios carnudos, contagiou-lhe fazendo rir junto. Pareciam duas crianças ali, brincando na água, as ondas levando-os cada vez mais para longe, não se importaram. Quando sentiram seus estômagos roncar, finalmente saíram da água e foram para a casa. Corriam um atrás do outro, em uma corrida para saber quem chegaria primeiro e o que chegasse por último teria que cozinhar. E com trapaça, Jongin chegou primeiro. Vendo o mais novo bufar. 

- Vamos Sehun-ah, aceite, você perdeu. – O moreno sorria.

- Você roubou Jongin. – Bufava enquanto enxugava-se com uma toalha.

- Eu só te beijei, não fiz nada demais. – E mais um suspiro de Sehun. 

Trocaram de roupa, e Sehun foi para a cozinha, ao depara-se com o estoque cheio o bastante para o fim de semana, sabia do esforço que Jongin fizera para que não faltasse nada. Cozinhava com um sorriso bobo nos lábios, e Jongin estava ali o observando. 

Após comerem, deitaram em uma rede Grande que havia na varanda, aproveitando daquela restante de tarde, trocavam beijos e carinhos. Sehun estava deitado com a cabeça no peito de Jongin, com este acariciando seus cabelos, e como sempre o sono após comer os atingiu. Ressonavam tranquilamente enquanto, devido ao vento fraco, a rede balançava minimamente. 

Algumas horas depois, o sol já estava prestes a se pôr. Jongin despertou e ficou visualizando a face um tanto infantil e séria enquanto dormia. Olhava cada detalhe, não que não conhecesse, pois conhecia cada pequeno detalhe e pintinhas que este tinha, apenas amava olhar pra aquele rosto perfeito.

Com cuidado para não acorda-lo, desceu da rede e espreguiçou-se. O pôr do Sol estava maravilhoso, mas deixaria para vê-lo no outro dia, pois naquele teria mais uma surpresa a preparar.

x

Já era noite quando Sehun acordou, a brisa fresca da noite e som das ondas o fizera levantar, mas sentiu falta de Jongin ali consigo. Se levantou sentindo um friozinho o atingir. Entrou na casa a procura do mais velho, caminhou procurando por todos os cômodos, encontrando-o no quarto, deitado.

- Por que não me chamou? – Perguntou com a voz rouca e de forma manhosa. 

- Você tava tão fofo dormindo lá na rede que fiquei com dó de te acordar. – Abria os braços, e logo o mais novo deitava abraçando a ele.

- Não quer tomar banho? Tenho uma surpresa pra você. – Comentou apenas pra ver a reação do mais novo.

- Outra? O que vai ser dessa vez, em? – Sorria.

O moreno vestia uma bermuda jeans clara e uma camisa branca. Era simples, mas o deixava mais bonito que o normal. É claro que Sehun percebeu, sentia-se orgulhoso do homem que vivia ao seu lado, independente da beleza exterior, o mais bonito de tudo era sua beleza interior, e formavam o conjunto perfeito. 

- Vou tomar banho. Mas antes... – Subiu em cima do mais velho, sentando no quadril do mesmo e aproximou seus lábios de Jongin. Não chegou a beija-lo, pois havia parado bem perto dos lábios a sua frente, desviando estes para a bochecha, selando ali e logo depois levantou. 

O mais velho ficou indignado com o ato do mais novo, ansiava pelo beijo, já estava preparado e ele o faz isso? Então bufou e se levantou da cama, esperaria por Sehun na sala.

Um tempo depois, Sehun aparecia na sala vestido com uma bermuda jeans escura e uma camisa de mangas compridas branca, que ficava um pouco folgada em si. 

- Aonde vamos? – Perguntou ao finalmente aparecer, assustando a Jongin que estava distraído no sofá.

Jongin se pôs em pé e andou até o mais novo deixando um beijo em sua bochecha e segurou em suas mãos. 

- Apenas venha comigo, hum? – Proferiu com um sorriso no rosto. 

Passou a caminhar, chegando à varanda na parte traseira da casa. Ali se encontrava uma pequena mesa posta com velas e taças ainda vazias, pratos de porcelana. O moreno puxou uma das cadeiras para Sehun sentar e pediu um minuto a este indo novamente para dentro da casa e logo depois voltando com uma garrafa de vinho já aberta. Derramou o líquido nas taças e acomodou-se na cadeira a frente da de Sehun. Algumas rosas estavam postas sobre a mesa deixando um Sehun curioso quanto a isso.

- Feliz dia dos namorados amor. – Desejou e pegou uma das rosas entregando-a a Sehun. Este que sorriu e pegou-a. 

O moreno deu um pequeno gole em seu vinho sendo acompanhado por Sehun. 

- Feliz dia dos namorados Jongin-ah. – O sorriso nos lábios finos mostravam as presinhas de Sehun e consequentemente formando pequenas meias-luas em seu olhos. 

- Sabe, quando perguntei o que queria de presente de dia dos namorados, você disse que não queria nada, apenas estar mais tempo comigo. Pois de todo o resto já tinha tudo o que precisava. – Jongin começou a falar atraindo a atenção de Sehun para si. – Apesar de fazer está surpresa, eu tenho que dizer que tudo o que eu preciso na vida eu já tenho. Eu tenho você, Sehun-ah. Você que sempre esteve ao meu lado, me apoiando, me ajudando, me fazendo feliz. Me fazendo a pessoa mais feliz e realizada deste imenso mundo. Eu te amo, te amo mais que tudo. – Terminou por fim. Não tinha muito o que prolongar. Só faltava mais uma coisinha. E então continuou: - Esse é apenas mais um dia dos namorados, mais um dentre nossos seis anos que estamos juntos. Porém hoje, tudo se tornará mais importante, sei que em nossa sociedade não é permitido, sei que muitos ainda não aceitam isso, mesmo tendo a certeza que passarei o resto de meus dias a teu lado independente de brigas e discussões. Eu quero sim passar todos os dias, todos os momentos, até que a última lufada de ar se esvazie do meu corpo, ao teu lado. – O brilho nos olhos de Sehun foi o bastante para saber que ele também desejava isso, que o amaria até o último momento. 

Outra rosa foi dada a Sehun. "Olhe dentro dela" foi o que o mais velho disse ao lhe entregar. E fazendo o que fora pedido, ali tinha alianças douradas cada uma gravada com suas respectivas siglas. Colocou a sua em seu dedo anelar e a outra na de Jongin.

Palavras naquele momento eram desnecessárias, apenas a conversa pelos olhares era o suficiente. A comida servida por Jongin era uma das especiarias do local onde estavam. Aproveitavam do momento com algumas risadas e olhares cúmplices. 

O que mais poderiam querer além de estar um ao lado do outro? Nada. Apenas a eternidade para que possam desfrutar do que o amor e a vida lhes ofereciam.

"Quando o amor é sincero ele vem com um grande amigo, e quando a amizade é concreta ela é cheia de amor e carinho"
William Shakespeare

1 de Novembro de 2018 às 05:48 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~