Princeso Seguir história

des_colonizada Nanda

Chanyeol até poderia ser um homem viril, másculo e forte — e o era — , mas se sua filha dizia que o queria vestido de princesa, ele se transformaria em um princeso.


Fanfiction Bandas/Cantores Todo o público.

#fluffy #Chanyeol-Pai #chanyeol #exo
Conto
2
4406 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Princesinho da filhinha

Chanyeol sabia de seu poder sobre as pessoas. Sabia que era dono de um corpo de causar inveja em muitos e desejo por parte de tantos outros. Mas o que a maioria das pessoas que o viam esbanjando masculinidade e músculos bem definidos — fruto de horas diárias de academia — por aí era o que o homem escondia por baixo daquela carranca e dos um metro e oitenta de altura.


Ele até poderia ser mesmo esse "macho alfa" que pintavam por aí, mas não quando o assunto era a pequena YuBin. Quando estava com sua pimpolha o homem mal encarado e viril dava lugar a um pai afetivo, cheio de sorrisos e disposto a qualquer coisa para ver sua princesinha feliz.


E era bem assim que ele estava agora. Havia chegado cansado depois de um dia exaustivo no trabalho, passou na escolinha da pequena para pegá-la e rumou direto para casa, visando nada mais que um banho — para YuBin e para ele mesmo —, uma janta, que ele já tinha deixado preparada no dia anterior, e o sono dos justos. Mas ao que parece a menina não estava disposta a colaborar.


No auge de seus seis anos de vida, YuBin parecia possuir dentro de si um conjunto de pilhas que nunca se esgotavam. Ela estava sempre muito elétrica e disposta a brincar, arrastando um Chanyeol cansado para o fazer consigo.



— Papai, vamos brincar? — e como um pai babão feito ele poderia se atrever a dizer não àquele sorriso com dentinhos faltando?



Naquele dia em especial a brincadeira envolvia reinos e fadas e uma sorte de outras coisas. O Park foi de bom grado arrastado para o quarto da garotinha, momentaneamente se esquecendo do cansaço que o acometia. No começo ele foi mais como uma espécie de narrador espectador do conto de fadas de sua filha, mas se bem conhecia a personalidade forte dela, não demoraria nada até que um papel mais ativo surgisse para si.


Dito e feito. Minutos mais tarde e uma YuBin aparentemente nervosa — ainda que muito fofa — lhe chamando nos eixos.



— Papai, tá muito chato!



— Chato? Eu achei que você estivesse se divertindo.



A pequena inclinou a cabeça para um lado, o avaliando em silêncio, numa mania definitivamente herdada do próprio Chanyeol.



— Na verdade eu tô gostando sim. Mas não parece que você está.



O Park sorriu ainda mais largo. Desde aquela tenra idade YuBin já demonstrava empatia e preocupação com as pessoas ao seu redor, querendo saber se se sentiam tão confortáveis e satisfeitos quanto a própria. Lágrimas encheram os olhos do homem, que sabia estar criando sua filha tão bem.



— Você tá chorando papai? — a voz da garotinha era um tanto quanto assustado, como se não acreditasse no que via. — Não precisa ficar triste, eu tive uma ideia pra você brincar feliz junto comigo.



— E que ideia é essa? — já tinha secado as poucas lágrimas que escorreram pela face, voltando a dedicar um sorriso à menina.



— Você vai ser uma princesa! A mais bonita de todo o reino. — Ela gesticulava com os bracinhos miúdos para demonstrar.



— Sério, filha? — observou a pequena acenar positivamente com a cabeça, sacudindo os cabelos negros que passavam da altura dos ombros. — Está bem. Eu aceito ser a princesa do reino junto com você.



Chanyeol levantou-se do local onde se mantinha mais afastado, se aconchegando na área delimitada pela própria YuBin como sendo "o castelo". Mas ao que tudo indicava, o Park era meio lerdo e não conseguia pescar de primeira as intenções de sua filha, que com toda a calma do mundo, se pôs a explicá-lo melhor.



— Nãaaao, pai. Você não pode ficar vestido assim. Princesas usam roupas de princesa. — Ela o olhava como se o que dissesse fosse muito óbvio e só ele não tinha percebido. Bem, não deixava de ser verdade afinal das contas.



— Mas meu amor, o papai não tem roupa de princesa. — Fez uma carinha triste.



— E aquela que a tia Jongin deixou lá no seu armário?



Realmente não havia possibilidade de enganar a pequena. A tal fantasia tinha sido esquecida por sua namorada na última vez que passou o fim de semana no apartamento. Ela havia usado a roupa para uma festa antes. Chanyeol se viu obrigado a levantar do chão onde se encontrava e ir vestir a tal roupa. O que um pai não fazia para ver sua garotinha feliz, certo? Rapidamente voltou à presença dela, recebendo um olhar de pura admiração infantil.



— Uaaaau. Papai, você está muuuito lindo, sabia?



— É mesmo, filha?



— Sim, sim. Você disse que eu não posso mentir, então eu só falo a verdade.



O moreno voltou a sorrir largo, tendo sua mão agarrada pela da pequena, que sumia por entre seus dedos longos. E assim Chanyeol terminou aquele dia. Vestindo a roupa mais bonita do mundo todinho — nas palavras de YuBin — e tendo suas unhas pintadas de rosa, afinal era uma princesa e princesas tinham unhas bem feitas. Se seus amigos o vissem numa situação como aquela, certamente seria motivo de chacota por um bom tempo. Mas ali, junto de sua pequena YuBin, ele sequer conseguia parar para pensar de verdade em algo como aquilo. Não quando o sorriso que tomava conta do rosto dela era tão lindo e o sentimento de satisfação dentro de seu peito tão forte. Se preciso fosse, para ver sua pimpolha feliz, Chanyeol vestiria quantos vestidos cor de rosa fossem necessários e seria quantas princesas ela quisesse que ele fosse, porque é isso que um pai deve fazer por sua filha, se tornar um princeso.

25 de Outubro de 2018 às 03:50 1 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Nanda Escrevo sem nenhum propósito, escrevo o que me vem na mente e se derrama entre os dedos sem me preocupar ou pensar demais no que estou fazendo. EXO | Chanbaek | Baeksoo

Comentar algo

Publique!
Anna Luisa Anna Luisa
Muito amorzinho <3, beijos :3
24 de Outubro de 2018 às 23:28
~