Enquanto Eu Dormia Seguir história

fellurian

Após a fatídica luta contra Gaara pelo exame chunin, Lee passou vários dias em profundo sono. Entretanto, nem tudo a sua volta era sonho. Essa história é uma releitura do episódio 58 da série Naruto clássico.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#universo-normal #coma #gaara #gai #shikamaru #naruto #lee #rock-lee
Conto
2
4.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Enquanto Eu Dormia

Eu ganhei a luta? — Sua voz ecoou como um grito em uma sala vazia e sem janelas — Eu ganhei a luta, Gai-sensei?

Lee tentou se levantar sem sucesso. Estranhamente todo seu corpo parecia pesado. Pesado demais mesmo para ele, que possuía o costume de andar com pesos enormes. Pesados demais para mover um dedo sequer.

Por que está tão escuro, afinal? — Silêncio. Apenas o eco de sua voz novamente.

O garoto foi subitamente tomado pelo medo, não, pelo pavor da morte.

Estou morrendo? — Disse baixo, quase sussurrando — Pior, já morri?!

Ele decidiu se dar benefício da dúvida. Quais as suas últimas memórias, afinal? Lembrava-se de ter tirado os pesos dos pés e de ter ganho velocidade suficiente para não romper de alguma forma a defesa absoluta de Gaara, mas não foi suficiente… Ele sabia ter usado a Lótus Primária e falhado, após isso. E depois…?

Os Portões, claro — Lembrou-se nebulosamente do chute que dera no queixo do adversário e riu baixo, num lance de satisfação.

O Quinto Portão aberto… Lótus Primária… areia… dor, muita muita dor e depois… escuridão. Ele poderia jurar ter escutado a voz de Gai, mas as lembranças eram muito confusas. Lee foi tirado de seus pensamentos ao ouvir a porta abrir.

Passos! Não estou morto afinal! — Pensou esperançoso.

— Lee-san, vou colocar as flores aqui, certo? — Ouviu a voz delicada de Sakura ao seu lado.

Sakura-chan! SAKURA-CHAN! — O ninja gritava, mas nem Sakura nem ninguém poderia ouvi-lo — S-sakura? — Sussurrou ao ouvir os passos da garota indo para longe de si, deixando um rastro de seu cheiro para trás.

Não estava morto mas também não podia ser ouvido, não podia se mexer, aparentemente.

Coma? — A ideia de estar em coma, preso indefinidamente a uma cama de hospital lhe era absurda. Preferia estar morto.

Como poderia um atleta como ele, acostumado a andar quilômetros e quilômetros apoiados pelas mãos, estar em coma? De que havia adiantado afinal ter dedicado toda a sua vida a aprender a ser um ninja sem poder usar ninjutsu ou genjutsu? Por que Gai havia lhe dado tantas esperanças de se tornar chunin quando nenhum outro ninja incompetente como ele havia conseguido?

Eu deveria limpar banheiros — Amargurado, Lee pensou na possibilidade de jamais acordar. Ou pior, acordar e não poder mais praticar! O que seria de si? Esperava, em seu âmago, que se fosse o caso ainda tivesse forças para tirar a própria vida.

Ele ouvir a porta se abrindo novamente. Quem poderia ser agora? Neji? Tenten? Ouviu passos pesados se aproximarem, mesmo longe em seu sono, Lee pôde sentir a atmosfera sombria que esta pessoa carregava.

Ouviu gemidos de dor e, lentamente, seu corpo começou a formigar. Estava mais lento e menos violento, mas sabia que estava envolto pela areia de Gaara.

Huh! Sempre soube que era um covarde — Disse ligeiramente ríspido — Pode ter me batido mas ainda estou na Primavera da Juventude, vou te derrotar aqui e agora e provar para Sakura-chan que posso protegê-la!

Lee se debateu, esperneou, gritou, mas seu corpo não se moveu. Seus ouvidos não captaram sua voz e lhe foi esfregado na cara, mais uma vez, que ninguém poderia o ouvir. Perdeu as esperanças. Talvez já não fosse mais realmente digno de viver, nem sabia como poderia olhar para Gai novamente.

Talvez seja melhor assim — Se preparou para a morte enquanto sentia a areia em seu rosto.

— SEU MALDITO — De onde Naruto havia saído? Por que a areia parou de repente? Ouviu o impacto do punho de Naruto e o gemido de dor de Gaara e… alguém mais? — O que acha que está fazendo?!

— Ei, Naruto… — Shikamaru? Sim, fazia sentido, ele devia ter usado o jutsu dos Nara, só assim o tapado do Naruto poderia acertar alguém como Gaara — Durante meu jutsu isso me atinge também, ok?

Lee quase pôde rir ao ouvir Naruto se desculpar por sua falta de noção, mas a preocupação com o bem estar dos colegas era maior.

— O que você estava tentando fazer com o sobrancelhudo? — Ouviu o Uzumaki dizer a Gaara.

Ele nunca vai parar de me chamar assim?”, pensou.

— Estava tentando matá-lo — Disse Gaara friamente. Honestamente, a frase não surpreendeu Lee de forma alguma. Durante a luta, o genin pôde sentir que o ninja da Areia não seria piedoso e sabia estar lutando pela sua vida.

— Por que você quer fazer isso? — Era a voz do herdeiro Nara. Lee pensou que aquela era de fato uma boa pergunta. Afinal qual era a daquele cara? — Você ganhou dele na luta, não?

— Nada disso. Eu só queria matá-lo. — A voz de Gaara não possuía qualquer indício de alguma emoção diferente do ódio. Lee se sentiu frio por dentro. Ainda que estivesse preso àquela cama, estava sendo protegido por seus colegas.

Ele se lembrava claramente da forma como os outros ninjas da Vila da Areia tratavam Gaara com respeito, mas um respeito baseado apenas no medo. Realmente, era difícil acreditar que aquele trio era formado por irmãos.

Perdido em seus pensamentos, não conseguiu entender o que os colegas disseram a seguir.

— Se atrapalharem vou matar vocês também — A voz do ruivo da Areia ecoou mais uma vez.

Mas que merda!”, pensou Lee, “Quem você pensa que é, imbecil?! Eu sou seu alvo, não encoste um grão dessa areia amaldiçoada nos meus amigos”, tentou gritar Lee, mais uma vez em vão. Mas mesmo que estivesse acordado, poderia fazer algo contra Gaara?

— Sei que você é forte e tal, mas vamos conseguir acompanhá-lo — Disse Shikamaru. Lee quase pôde rir ao ouvir isso, era óbvio que os dois jamais poderiam vencer uma luta contra o ruivo. — São dois contra um. Você está em desvantagem — “Ao menos nisso ele está certo”, ponderou.

— Vou dizer novamente… se me atrapalharem vou matá-los — Lee se viu completamente impotente e desesperançoso. Iria morrer e levar seus colegas consigo. Colegas que mal conhecia mas não hesitaram em protegê-lo em um momento de fragilidade.

Por favor… Naruto, Shiramaru… vão embora, me deixem morrer só”, usou todas as forças que conseguiu reunir para tentar dizer aquela frase mas não houve resposta. Apenas Shikaramu e Naruto discutindo algo sobre Gaara ser um monstro.

— Tenho um monstro de verdade dentro de mim, não vou perder pra ele! — Disse Naruto, determinado.

Naruto está com tanto medo que enlouqueceu de vez”, pensou Lee num primeiro momento. Mas por que estava desistindo tão fácil afinal? Desistir não era da sua natureza. “Gai-sensei não estaria orgulhoso dos meus sentimentos. Essa não é a primavera da juventude!”.

— Na verdade eu também tenho… — Gaara disse.

Lee conseguia ouvir enquanto o ninja do deserto contava sua história, mas apenas como plano de fundo para a confusão emocional que tomava conta de sua mente. O que Gai pensaria se o visse desistindo? De que valeu todo seu esforço para se tornar um ninja sem talento para ninjutsu e genjutsu se desistisse por um contratempo desses? Por que duvidava de seus colegas da Folha agora que dependia deles?

Iria acordar, treinar e se recuperar. Então Lee desafiaria Gaara para uma revanche e venceria. Daria uma verdadeira surra nele, como merecia por ameaçar seus amigos!

Ouviu quando quando Gaara contou sobre ser algo como uma relíquia e uma arma poderosa para a Vila da Areia. O ouviu contar sobre incidentes decorrentes do seu enorme e incomum poder e como sua vida até então havia sido de medo, solidão e sangue.

De certa forma, Lee sentiu empatia por Gaara. Ninguém merece viver assim. O aprendiz de Gai sabia como era ser rejeitado por todos. Será que teria desenvolvido o mesmo olhar sanguinário do ninja do deserto se tivesse poder?

De repente, a atmosfera ficou mais tensa. Ouviu o esquisito barulho do movimento da areia de Gaara e ouviu Shikamaru chamando Naruto desesperado.

Era isso. Lee tentava se mover de todas as formas, tentava gritar. Rebatia-se mentalmente, em vão. Seu coração doeu e sangrou intensamente, não pela ameaça iminente da sua morte, mas sim pela dor que seus bondosos amigos estavam prestes a sentir.

— Pare aí! — “GAI-SENSEI!?”, Lee foi subitamente atingido por uma enorme quantidade de esperança e felicidade ao ouvir a voz de seu tutor — Amanhã é a última fase. Não precisam de tanta pressa. Ou querem ficar aqui a partir de hoje? — Sentiu a areia sair de cima de seu corpo e os passos curtos de Gaara indo para longe.

— Eu vou matar todos vocês com certeza — Disse o ruivo, mais longe, provavelmente próximo a porta — Só esperem.

Lee ouviu quando Gaara se retirou. Depois de algum tempo, os outros também se retiraram e o enfermo não se sentiu solitário dessa vez. Sua alma sorria. Sabia que tinha amigos e que poderia sempre encontrar em Gai a sua família.

“Obrigada Naruto. Shikamaru. Gai-sensei… eu prometo ficar forte e proteger a todos!”

2 de Outubro de 2018 às 01:11 3 Denunciar Insira 3
Fim

Conheça o autor

Nany Lopes Tamo aí né

Comentar algo

Publique!
Políbio Manieri Políbio Manieri
Menina ce não sabe a QUEDA que eu tenho por reinterpretações de cenas do anime. Tem tanta coisa bacana possivel e bem mal aproveitada que eu n sei pq as pessoas n destrincham isso aaaa. Eu simplesmente adorei a sacada que você teve de colocar o Lee consciente de tudo o que estava acontecendo em volta e como você transformou isso num momento classico de queda-superação dele. Uma coisa que pouca gente repara é que o Lee é um personagem de extremos e também é bastante pessimista, entao a primeira reação dele em cima de alguma coisa que não tem controle é a reação negativa, e quem sempre segura essa barra negativa dele é a necessidade de atender às expectativas do gai sensei. N sei pq q ce tava tão pessimista a respeito sushsush a história ta ótima, um ponto de vista que ninguem tinha abordado ainda e que voce teve todo o cuidado de fazer seguindo o canon dos acontecimentos E do personagem. Aaaaaaaa eu to muito feliiiiz ♡♡♡♡
1 de Outubro de 2018 às 21:26
Azarashi Onna Azarashi Onna
Cara, você sabe que a fic é do caralho quando ela faz você se sentir no lugar do personagem. Os sentimentos de agonia do Lee, de desespero, de frustração, e até mesmo a empatia pelo Gaara, tudo isso numa one-shot! Caralho, eu tô muito grata. Isso acho que merecia outra one com aquela luta contra o Kimimaro, como um acerto entre Lee e Gaara. Nossa, já quero.
1 de Outubro de 2018 às 20:20

  • Nany Lopes Nany Lopes
    AAAAAAAAAAAAAAAA, muito obrigada!!! Eu nem mereço tanto <3. Essa ideia do Kimimaro é uma boa, vou pensar sobre isso ^_^ 1 de Outubro de 2018 às 21:12
~