Desprender-se Seguir história

dani-cg1537632206 Dani Caruso Gandra

Lucca, um cara recém desempregado, com mais de 30 anos, sem sair de casa há alguns meses pela falta de dinheiro e motivação, num sábado desses, decide sentar-se em um bar no bairro vizinho da sua casa para tentar deixar de pensar no que lhe atormenta. Mas nesse local, inicia uma jornada em busca de si mesmo, questionando a sua vida até os dias de hoje.


Conto Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#deixar-fluir #entender #conversa #beber #bar #tempo-para-si #jovem
Conto
0
4.6mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Sábado de tragos e destraves

Lucca, após alguns meses sem sair de casa por conta da falta de trabalho a assolar seus dias, decide bater as pernas por algum bairro da redondeza a fim de não ser visto por conhecidos e sair do marasmo de sempre.

Sai sozinho, de cara levada e com trajes simples, como quem nada espera, escolhe o local perfeito para se sentar e deixar o tempo passar. Assiste andarilhos pela rua do bar onde está, gastando trocados em goles de cerveja para tentarem relaxar. Lucca sorri ao ver tudo aquilo, e se encanta com uma garota, dentre alguns caras, aparentemente mais nova do que ele, a cambalear de tanto álcool pelo sangue, e pensa consigo que deixou de tomar umas e outras só para não perder o juízo, mas que acabou por perder o emprego e a diversão.

Mas nessa noite, Lucca ignora qualquer limite que o ponha de sobreaviso, e consome o momento para que reste, pelo menos, uma boa lembrança. Então, de onde está, puxa uma conversa com aquela turma jovem onde a garota bêbada se encontra. Falam do bar, dos muros pichados, dos desavisados que também andam por lá...

Ele fica todo prosa ao perceber que já conta com amigos em outro momento desassossegado que possa chegar, mais tranquilo que antes, porque esse episódio é o que guardará. E ali, despojado de todas as mediocridades e contenções de que ouviu falar e que fizeram parte de sua educação, abre o bico e se joga na birita com o grupo a lhe incentivar.

Durante o papo rolando solto, leve, descontraído naquele bar de desconhecidos a se enturmar, Lucca imagina os rumos de sua vida e a razão de ainda estar preso a uma teia que ele próprio enredou, por tentar fazer tudo certo, dentro do que esperam, sem jamais se perguntar: o que realmente eu quero?.

Refletindo assim, com a mente mais liberta e esvaziada de pensamento tolos, sobre todo esse tempo em que teve somente o que precisou para ser quem é e para conquistar coisas e ser reconhecido por isso, como diplomas, carro, cartão de crédito, moradia própria... Mas e o que sempre persegui a vida toda?

Pensando nessa questão, Lucca sente que não sabe respondê-la. Divide então esse seu mal-estar existencial com o pessoal no bar. Um dos rapazes o indaga: "E por que você tem que saber o que quer?" Outro complementa: "Ué! Acho que basta saber o que gosta de fazer!" A garota o agarra e lasca um beijo todo melado em sua boca e diz: "Você tá é querendo isso desde que botou os olhos em mim!".

Todos acham graça, inclusive Lucca, de súbito, fica com tesão pela garota, mas prefere não seguir adiante devido à bebedeira da moça. Depois, olha para o seu relógio e vê que, desde que iniciou a conversa com o grupo se passaram dez minutos.

A partir disso, descobre algo curioso: Que, por ora, o que realmente quer na vida são dez minutos do seu dia para refletir, relaxar, conversar e beber!!!

30 de Setembro de 2018 às 19:13 0 Denunciar Insira 1
Fim

Conheça o autor

Dani Caruso Gandra Eu escrevo por prazer e também trabalho com isso. Sempre tive facilidade para transpor o pensamento para o papel, digamos assim... Desde pequena, escrevo; na escola escrevia muitos poemas e até os doava para as amigas presentearem os namorados com eles; hoje me atrevo a escrever contos e histórias mais longas de diferentes gêneros. Vem + por aqui, aguardem e sejam bem-vindos! :-D

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~