Cuidado ao falares Seguir história

BeatrizPFT25 Beatriz PFT25

"Shinsou não sabia a razão, mas realmente achava confuso aquele comportamento de Midoriya para consigo." [ShinIzu]


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#ShinIzu #deku #shonen-ai #yaoi #ShinsouHitoshi #midoriya-izuku #mha #bnha #my-hero-academia #boku-no-hero-academia
Conto
3
4612 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Cuidado ao falares

Como é que ele podia fazer isso? Como é que ele podia responder-lhe sem pensar duas vezes? Como é que ele se sentia tão à vontade ao pé dele? Shinsou não sabia a razão, mas realmente achava confuso aquele comportamento de Midoriya para consigo.

Após terem lutado no festival ambos tinham começado a aproximar-se um do outro, apesar de que na maioria das vezes quem iniciava contacto era Midoriya, Shinsou não negava que ficava feliz por isso, ele gostava da personalidade de Midoriya, gostava de conversar com ele, gostava que eles se tivessem aproximado, no entanto havia algo que Shinsou não conseguia compreender.

Todas as pessoas após saberem qual era a peculiaridade de Shinsou acabavam por ficar mais cautelosas quando estavam perto dele, com medo que tivessem distraídos e ao responderem a Shinsou o mesmo os fosse controlar, sabe-se lá para fazer o quê, apesar dos colegas dos estudos gerais se terem aproximado um pouco dele desde o início do ano, e terem até dito que ele era o orgulho daquele curso, todos tinham cuidado para apenas continuarem uma conversa com ele por mensagens ou apenas com abanar de cabeça, Shinsou percebeu que no fundo todos eles pensavam da mesma forma, o poder que Shinsou tinha era sempre pensado como o poder de um vilão, e não de um herói, por isso todos tinham medo de serem controlados e no fundo pensavam que havia a possibilidade de Shinsou usar a sua peculiaridade para o mal.

Shinsou sabia disso, já estava habituado a esse tipo de reações ou pensamentos dos outros, mas queria ser um herói, apesar de ter uma peculiaridade assim ele também possuía sonhos, no entanto parecia que ninguém percebia isso…

Ninguém, menos Midoriya, o rapaz do curso de heróis falava com Shinsou de uma maneria natural, sem se importar se teria a sua mente controlada ou não, isso intrigava Shinsou, ele não tinha medo? Não se importava de falar com Shinsou mesmo sabendo qual era a sua peculiaridade? Mesmo até depois de ter sido controlado durante a luta no festival? Eram esse tipo de pensamentos que Shinsou tinha, qual era a razão de Midoriya o tratar assim?

– Shinsou-kun! – Chamou Midoriya com uma voz um pouco chateada.

Shinsou voltou então a si, e encarou Midoriya que estava à sua frente, percebeu pela cara e voz que Midoriya fazia que o mesmo já o tinha chamado antes mas ele estava distraído.

– Sim? – Perguntou Shinsou encarando-o.

– Estavas a pensar no quê? – Perguntou curioso sobre o que fazia Shinsou não prestar atenção em si.

– Nada de mais. – Respondeu desviando o olhar.

Midoriya percebeu que Shinsou não queria falar sobre o assunto e suspirou um pouco triste, queria que Shinsou confiasse nele. Especialmente neste momento, em que estavam os dois sozinhos num parque, a pedido de Midoriya, ele queria ser mais próximo de Shinsou mas não sabia o que mais poderia fazer para isso acontecer.

Ficaram uns segundos em silêncio até que Shinsou começou a falar.

– Midoriya, porquê é que fazes isso? – Perguntou encarando o rapaz, que logo olhou na sua direção.

– Faço o quê? – Perguntou curioso e de repente teve a sua mente controlada, não sabia porquê Shinsou tinha feito isso mas ele confiava nele e por isso manteve a calma, Shinsou então desfez o controlo sob a mente de Midoriya e desviou o rosto.

– Devias ser mais cuidadoso. – Comentou sem encarar Midoriya.

– Com o quê? – Perguntou e novamente teve a sua mente controlada, era uma sensação estranha, querer mexer o corpo e não o poder fazer, querer falar e as palavras não sairem.

– Porque é que me respondes? Sabes que te posso controlar e mesmo assim não tens cuidado. – Murmurou Shinsou, libertando Midoriya do controlo novamente.

– Mas se és tu que me estás a controlar então não há problema nisso. – Respondeu com um sorriso, sem se importar com as vezes que Shinsou tinha usado a sua peculiaridade nele.

Shinsou olhou para ele incrédulo, como é que poder não haver problema?

– Eu posso controlar-te para fazeres algo que não queiras. – Disse ameaçadoramente, não é que Shinsou realmente estivesse chateado pela maneira como Midoriya baixava a guarda perto dele, simplesmente queria que Midoriya fosse mais cuidadoso, para não correr riscos desnecessários no futuro, não especificamente com ele, mas com outro alguém que se pudesse aproveitar, do que o Shinsou achava ser, a inocência de Midoriya.

– Não farias isso. – Garantiu Midoriya com um sorriso, surpreendendo Shinsou.

– Como é que podes ter tanta certeza disso? – Perguntou Shinsou, ao ouvir Midoriya a dizer aquilo com tanta certeza sentiu o seu coração acelerar e não conseguia acreditar nas reações que estava a ter pelo Midoriya, reações essas que já se tinham feito presente em ocasiões anteriores.

– Porque eu confio em ti. – Respondeu Midoriya com um sorriso radiante, que fez Shinsou corar e desviar os olhos.

Na verdade Shinsou estava feliz, muito feliz, saber que Midoriya confiava nele daquela maneira mexia com o seu coração e com os seus sentimentos de uma maneira que nunca ninguém tinha feito, Shinsou percebeu então quando encarou Midoriya novamente e viu aquele olhos verdes e brilhantes encará-lo de volta, estava apaixonado por Midoriya, e saber que o mesmo não tinha medo dele só aumentava aquele sentimento, que notou estar tão forte que já não o poderia controlar, mesmo que quisesse.

– Shinsou-kun não gostas quando eu te respondo? – Perguntou Midoriya aproximando-se de Shinsou, aquela aproximação repentina, e aparentemente inocente, fez com que Shinsou corasse novamente, mas, mesmo não sabendo muito bem como, arranjou coragem para não desviar o olhar.

– Eu só... preferia que fosses mais cuidadoso. – Admitiu timidamente, não queria imaginar, mas alguém poderia aproveitar-se de Midoriya para lhe fazer mal, e imaginar isso era algo muito doloroso para Shinsou.

– Eu não preciso de ser cuidadoso contigo. – Disse Midoriya com o olhar de determinação, queria que Shinsou percebesse que era importante para si, que confiava nele, e que até não se importava muito quando era controlado, desde que fosse por Shinsou, Midoriya ficava feliz.

– Devias ter... cuidado ao falares... – Shinsou já não conseguia encarar Midoriya nos olhos, sentia-se envergonhado perto dele, e parecia até que Midoriya estava cada vez mais próximo, estaria Shinsou a imaginar coisas?

– Porquê? – Perguntou Midoriya num tom provocativo e com um sorriso que Shinsou, olhando rapidamente, achou completamente sedutor.

– Eu posso obrigar-te a fazeres coisas que não gostes ou que não queiras fazer. – Respondeu Shinsou encarando os próprios dedos, amaldiçoando-se em pensamentos por imaginar todas as coisas, a maioria não muito puras, que poderia dizer a Midoriya para fazer se o mesmo estivesse sob o efeito da sua peculiaridade.

– Ai é? E que coisas seriam essas? – Sussurou Midoriya num tom rouco e sexy, Shinsou só podia pensar na probabilidade de Midoriya o estar a provocar, e no fundo gostava, e muito, disso.

– Isso fica na tua imaginação, acho que poderias ter alguma ideia... – Haviam muitas coisas que Shinsou poderia dar como exemplo, mas não tinha coragem para tal, e não queria assustar Midoriya caso dissesse algo que o mesmo pudesse achar estranho, ou até mesmo nojento.

Midoriya percebeu que Shinsou estava corado, esse detalhe deixava-o, no ponto de vista de Midoriya, extremamente atraente, ainda mais que o normal.

– Podes dizer, eu agora estou curioso! – Disse Midoriya num tom provocativo, saber que conseguia fazer com que Shinsou ficasse corado com as suas palavras só o incentivava mais a falar.

Shinsou acabou por ganhar um pouco de coragem com as palavras de Midoriya, então encarou-o nos olhos e falou com convicção.

– Podia dizer muitas coisas, por exemplo... Dá-me a mão ou... Beija-me! – Dizer aquelas coisas fizeram o rosto de Shinsou arder, sabia que estava ainda mais vermelho que antes, se Midoriya fosse inteligente, que até era o caso, poderia muito bem perceber a mensagem com aquelas palavras.

Ficaram ambos um segundo em silêncio, tempo o suficiente para Shinsou começar a arrepender-se do que tinha dito, mas antes que Shinsou pudesse falar sentiu um calor na sua mão, olhou rapidamente para a mesma e viu que Midoriya tinha envolvido a sua mão na dele, Shinsou levantou o rosto para encarar Midoriya e antes que pudesse fazer algo sentiu os lábios de Midoriya nos seus, era um toque de lábios doce e suave, mas foi o suficiente para fazer o coração de Shinsou acelerar de uma maneira louca e descontrola.

Midoriya afastou-se lentamente, encarando Shinsou nos olhos mas sem desfazer o contacto com as mãos.

– Fiz o que me disseste e não vejo onde entra a parte de "não gostar" ou "não querer". – Sussurou Midoriya um pouco envergonhado com o que tinha acabado de fazer, era algo que já queria fazer há muito tempo, mas nunca tinha tido coragem, mas com as palavras de Shinsou pensou que na realidade o controlador de mentes realmente quisesse ser beijado, e Midoriya aproveitou a oportunidade.

– Eu... nem estava a usar a minha peculiaridade em ti. – Disse Shinsou sem desviar o olhar de Midoriya, mas muito feliz pelo que tinha acontecido, só conseguia pensar se aquele toque se iria repetir.

– Mesmo que a tivesses usado eu ia fazer e gostar na mesma. – Admitiu Midoriya. – E sabes porquê? – Perguntou com uma voz rouca aproximando-se de Shinsou novamente, sentido a respiração do outro no seu rosto.

– Porquê? – Perguntou Shinsou num tom de voz baixo e quase inaudível, se Midoriya não tivesse tão perto, tão perigosamente perto, muito possivelmente não iria ouvir.

– Porque estou apaixonado por ti. – Confessou Midoriya com um leve rubor nas bochechas e um sorriso gentil no rosto, já há muito tempo que queria dizer essas palavras a Shinsou, mas nunca tinha ganho coragem ou encontrado o momento certo, aquela oportunidade ali parecia perfeita.

Shinsou com a declaração só conseguiu corar e sentir o coração bater numa velocidade impressionante, a felicidade que sentiu ao ouvir aquelas palavras, ao saber que era correspondido no que sentia, fizeram Shinsou sorrir inconscientemente e antes que pudesse responder sentiu os lábios serem roubados para mais um beijo, e desta vez Shinsou deixou-se levar, envolvendo os seus braços no pescoço de Midoriya, com intenção de aprofundar o toque. Midoriya ao perceber que Shinsou também queria o mesmo que ele ariscou, mesmo que um pouco desajeitadamente, adentrar a boca do outro com a língua.

Como eram ambos inexperientes acabaram por ter de interromper o beijo pois os seus dentes bateram, eles afastaram-se e depois olharam um para o outro, ambos corados, e começaram a rir.

– Acho que temos de praticar mais. – Comentou Midoriya ao parar de rir.

– Provavelmente… – Murmurou Shinsou com um sorriso tímido mas muito feliz.

– Já está a ficar tarde, talvez devêssemos ir para casa, amanhã podemos encontrar-nos outra vez? – Perguntou Midoriya animado, levantando-se.

– Ah, claro. – Confirmou Shinsou também se levantando.

– E… podemos praticar… beijos? – Perguntou Midoriya corado e nervoso, mas não queria ir embora sem deixar claro que queria repetir aquele momento, muitas vezes.

– Sim. – Confirmou Shinsou satisfeito com a proposta, se não fosse Midoriya a fazê-la, ele provavelmente não teria coragem.

– Então até amanhã. – Disse Midoriya, já que moravam em direções diferentes iriam separar-se ali mesmo, surpreendendo Shinsou com um beijo rápido nos lábios.

Antes que Midoriya ficasse muito longe, apenas a alguns passos de si, Shinsou ganhou coragem, deixando a timidez de lado, para tomar uma iniciativa, depois de tudo, ele ainda não tinha dito como se sentia.

– Midoriya. – Chamou um pouco corado.

Midoriya virou-se para Shinsou e logo respondeu.

– Sim? – Perguntou curioso, e essa curiosidade só aumentou quando teve a sua mente controlada.

– Eu acabei por não dizer como me sinto… Às vezes são só preciso gestos, mas acho que também é bom haverem sentimentos ditos por palavras… por vezes. – Shinsou estava nervoso, mas não poderia voltar atrás agora. – Eu estou apaixonado por ti Midoriya. – Declarou-se ficando corado e respirando fundo antes de ganhar toda a coragem que precisava no momento. – Quero que respondas com toda a sinceridade à pergunta que te vou fazer. – Ordenou Shinsou com um leve sorriso, já sem se sentir tímido, e sim confiante. – Queres namorar comigo? – Perguntou corado mas sem desfazer o sorriso.

– Quero. – Respondeu Midoriya praticamente automaticamente, já que estava sob o controle da peculiaridade de Shinsou.

Ao ouvir a resposta Shinsou virou-se e libertou Midoriya do controle e assim a voz de Midoriya rapidamente se fez presente.

– Shinsou-kun que crueldade! Queria ser eu a fazer o pedido! – Confessou corado, tanto pela declaração, e confirmação de que os seus sentimentos eram correspondidos, tanto por agora estar a namorar com a pessoa por quem nutria sentimentos mais fortes.

– Eu disse para teres cuidado ao falares. – Respondeu Shinsou rindo levemente. – Até amanhã Midoriya. – Despediu-se Shinsou com um sorriso de satisfação e felicidade, deixando Midoriya para trás, corado e com o desejo de surpreender Shinsou no dia seguinte.

11 de Setembro de 2018 às 11:28 0 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Beatriz PFT25 Viciada em BNHA! ❤ Apaixonada pelo Todoroki Shouto! ❄❤🔥 Escrevo nos tempos livres! ✍ TT: Beatriz_Kami7 Sintam-se livres para falar comigo :3 Tenho conta também no Spirit, Wattpad e Nyah, todas com o mesmo nome

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~