Cada um por si e Rikudou por todos Seguir história

inial_lekim Inial Lekim

Nessa vida é cada um por si e Rikudou por todos... Pelo menos é isso que se aprende quando rola o caos. Realmente... eu deveria aprender a andar com o celular sempre carregado...


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos. © Personagens não me pertencem, com exceção da Nori, ela é criação original das minhas esposas com um pouco da minha ajuda.

#coitada-de-mim #comédia #criança #Nori #Jouninsesquecidos #gaara #lee #gai #kakashi #QuartaParedeFNS #OGerenteFicouMaluco #fns #crackfic #naruto
9
4961 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prológo

"ATENÇÃO!

A empresa Fanfics apresentou defeito em suas plataformas e todos os universos estão passando por uma manutenção. Por conta disso, será cedido um andar do prédio para cada autor, com respectivas salas separadas para controle de seus personagens.
Pedimos encarecidamente que os personagens portem seus devidos crachás de identificação indicando o nome e o universo ao qual pertencem, para que facilite a organização geral na hora de voltar ao trabalho.
Estamos trabalhando o mais rápido possível para que tudo volte aos conformes.
Agradecemos a sua paciência.
Tenham um bom dia."



Assim que terminei de ler o pequeno e-mail, me arrependi de não ter deixado a porra do celular carregado ou, pelo menos, que tivesse levado o maldito carregador jogado na minha bolsa. O casaco estava tirado pela metade, meu óculos havia caído no chão e nem mesmo o pagode antigo que tocava aleatoriamente no aplicativo do Spotify me animava.

Mas como caralhos isso foi acontecer justo agora?!

Logo agora que eu havia acabado de abrir outro departamento e havia passado horas discutindo com os personagens sobre os enredos, as possibilidades e os possíveis finais. Felizmente eles não haviam sido atingidos nessa manutenção... não que eu saiba, na verdade...

Por um momento, pensei que tudo ficaria bem. As coisas haviam ficado meio fora de mão, mas havia uma pessoa no escritório que lidaria com essa loucura até que eu pelo menos pudesse tomar um banho e comer alguma coisa. Então passei em frente ao computador, e um pequeno envelope branco refrescou minha memória.

E lembrei dele. Então nada ficaria bem.

Corri de volta para cama e peguei novamente o celular, abrindo o gmail e verificando o horário em que havia eu havia recebido aquele e-mail... Haviam se passado quase dez horas desde que aquele e-mail havia sido enviado e, puta que o pariu, eu não conseguia deixar de pensar no caos que ainda deve estar acontecendo. Claro, eu escrevia muitas histórias fofas e com personagens igualmente fofos... ou ao menos meigos. Não seria preocupante se esse caos houvesse acontecido a alguns meses atrás, não haviam tantos universos e os enredos possuíam uma grande similaridade em suas histórias cotidianas com crianças e amor paterno... até que ele chegou. Em um enredo que surgiu ao acaso e era diferente de qualquer coisa que eu já havia escrito... isso sem falar na possibilidade destruidora que isso teria no meu casamento...

Mas era tão sedutor que, quando vi, estava com os documentos em mãos me dirigindo ao Centro das Sombras, onde eu sabia que o acharia. E ele seria perfeito. Nem um único personagem saberia até que o momento certo chegasse. Mas agora... ele havia passado as últimas dez horas em companhia de todos os outros... e eu só poderia esperar que ele estivesse em seu melhor momento.

As crianças estariam lá... e ele poderia ter achado que seria legal ensinar algo a elas... talvez tivesse feito algum amigo ou, se eu tivesse mesmo muita sorte, ele não teria sido avisado e não estaria no meio de todos os outros personagens, onde poderia facilmente entrar em qualquer um dos outros universos.

Oh meu santo Rikudou!

Peguei de volta o casaco, o celular – e o carregador – e corri para porta, determinada a ir direto para o estúdio dar um fim a essa loucura antes que acontecesse algo que não deveria... E poderia causar a destruição de algum universo.

Mas a sorte não estava a meu favor. Porque, quando abri a porta, ele estava ali. Nenhum pouco surpreso por me vem em minha própria casa... e, merda, aquela jaqueta que ele usava era do Departamento de Voltron!

O que caralhos ele estava pensando?!

Então ele falou:

“Você e eu vamos ter uma conversinha”, os olhos dele estavam fixos em mim... e os meus na arma em sua mão. Uma arma que estava apontada para mim... e havia sido eu a imbecil que a colocara ali.


*


Porra, seu eu morrer minhas fics serão da Boo e da Terê. Amo vocês.

23 de Agosto de 2018 às 03:13 4 Denunciar Insira 3
Continua… Novo capítulo A cada 15 dias.

Conheça o autor

Inial Lekim 22 anos. Pisciana. Escritora. Sonhadora. Fotógrafa e Desenhista quando surge inspiração. Vocês já ouviram a palavra de KakaGai hoje?

Comentar algo

Publique!
Mandy Mandy
UMA ARROMBADINHA COM DIPLOMA DE MARKETING, MANO EU TO AOS BERROS
22 de Agosto de 2018 às 22:35

  • Inial Lekim Inial Lekim
    BR QUE É BR NASCE COM O DIPLOMA DE MARKETING HUEHUEHEUEHUE 24 de Agosto de 2018 às 17:29
Tatu Albuquerque Tatu Albuquerque
O BERRO QUE EU DEI COM O FINAL AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA PATRÍCIA SOCORROOOOOO
22 de Agosto de 2018 às 22:20

  • Inial Lekim Inial Lekim
    HUHEUHEUHEUHEHUEHEUHEUHUE AL MEUS PERSONAGEM FAZENDO O QUE VOCÊS DESEJAVAM o// 24 de Agosto de 2018 às 17:29
~