Game Seguir história

ceeline Celine Sulenta

A morte é como um jogo de xadrez, quando você faz um movimento errado, ela lhe da um xeque mate. E nesse jogo de xadrez está Midoriya e Todoroki como jogadores, aquele que fizer o movimento errado, irá ruir. Enquanto que Todoroki tenta mostrar ao mundo a verdadeira face de Midoriya, o mesmo tentará fazer com que Todoroki fique na palma da sua mão.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#tortura #policial #violência #Deku-Villian #deku #midoriya-izuku #bakugo-katsuki #todoroki-shoto #bnha
7
4827 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prologo

Prologo - Game

Gentil, amoroso, educado, charmoso, atencioso e digno de um sorriso angelical, tudo isso e mais um pouco se encaixa perfeitamente em Midoriya Izuku, um grande empresário conhecido mundialmente por sua beleza e sua gentileza.

Izuku ajudou vários orfanatos, hospitais e vários abrigos, todos adoram o esverdeado, ou melhor, quase todos.

No enorme prédio da Midoriya’s Corporation, e na pequena sala, se encontravam Izuku que se mantinha sentado em sua cadeira, e na sua frente estava seu assistente pessoal Kirishima Eijiro, ambos discutiam sobre a última coisa que Midoriya tinha realizado.

- A escola que você mandou construir na cidade do interior, foi oficialmente aberta hoje pela manhã. - Dizia Kirishima enquanto que lia o relatório. - E como sempre a notícia sobre você está espalhado de forma descomunal.

- Perfeito - Antes que Izuku pudesse dizer mais alguma coisa, gritos foram ouvidos fora da sala.

- Você não pode passar, não tem hora marcada - Pela voz, os dois reconheceram imediatamente a voz de Uraraka.

- Eu não me importo - E a porta foi aberta de forma agressiva, revelando Uraraka e Todoroki Shōto.

- Me desculpe chefe, o policial Todoroki insistiu em entrar, eu, me desculpa - A pobre secretária começou a gaguejar, e Midoriya sorriu para a mesma lhe deixando calma.

- Não se preocupe Ochaco, Shōto não precisa de hora para entrar em meu escritório, pode se retirar - Uraraka acenou e se retirou, deixando o trio na sala - No que devo a honra de sua visita? - Indagou de forma gentil. Todoroki por outro lado se aproximou-se da mesa de forma agressiva e jogou um jornal, revelando na primeira imagem a foto de Midoriya e a escola nova.

- Por isso - Respondeu de forma grosseira, o esverdeado olhou para o jornal e em seguida para Todoroki.

- Eu não entendi - Bufando de raiva, Todoroki bateu suas mãos encima da mesa de Midoriya, Kirishima somente observava, não dizia absolutamente nada.

- Não se faça de inocente.

- Mas eu não estou me fazendo de inocente, ou vai me dizer que você acha que eu tenho algo a ver com a destruição da antiga escola?

- Eu não acho, eu tenho certeza - O tom de Shōto era duro.

Todoroki Shōto, a única pessoa que não gosta de Midoriya, o único policial que insiste em dizer que Midoriya é um falso duas caras.

- Por favor Shōto você sabe que não fui eu, e sim daquele grupo que vocês estão caçando, você acha que minha marca seria um triângulo com a sigla CM dentro.

- Eu sei que é você que comanda esse grupo, eu só preciso de uma prova e essa sua falsa imagem de anjo irá ruir – Midoriya acabou por suspirar.

- Shōto, se for para você se sentir melhor, pode me investigar, eu não vejo problema nenhum, porque eu não sou esse monstro que você insiste em clamar. – Todoroki recolheu o jornal e se virou pronto para ir embora, mas antes de sair, ele se virou para o esverdeado.

- Você pode enganar todos com esse seu joguinho de bondade, todos podem lhe amar, mas eu irei mostrar para eles o quão cego estão sendo, porque eu sei que você comanda o submundo, e eu sei que aquela organização é a chave de seu sucesso, e eu vou provar – E saiu.

- E agora? – Perguntou Kirishima, olhando para o rosto impassível de Midoriya.

O esverdeado se levantou da cadeira e se dirigiu a enorme janela de seu escritório, observando lá em baixo Todoroki entrando em sua viatura.

- Todoroki Shōto não apresenta perigo iminente afinal, ele é o único policial que desconfia de mim, em outras palavras, não terá ajuda de outras pessoas, mas com o tempo ele me dará dores de cabeça – Midoriya virou-se para ruivo. – Por isso vamos agir logo.

- E como pretende para-lo sem levantar suspeitas? – Perguntou Kirishima não entendendo aonde o outro quer chegar.

- Isso logo você saberá, mas antes – O esverdeado se aproximou de sua mesa e começou a procurar um cartão de visita, e assim que achou, entregou para o ruivo – Eu quero que você localize Bakugo Katsuki.

- Aquele repórter que saiu da cidade a dois anos?

- E por um acaso existe outro – Falou aumentando sua voz, e Kirishima se encolheu por breves segundos.

- Irei localizá-lo imediatamente – Anunciou em um tom baixo, enquanto abaixava sua cabeça.

Midoriya se aproximou de Kirishima e segurou firmemente as bochechas do ruivo, e erguendo seu rosto. – É assim que se deve manter a cabeça Eijiro. – O ruivo engoliu a seco.

- Sim senhor – Disse, Midoriya soltou o rosto do outro e voltou para a janela.

- O jogo começou – E um sorriso insano brotou em seus lábios.

Sim, gentil, bondoso, carinhoso, compreensível, são palavras que se encaixam em Midoriya, bom é isso que todos dizem, mas quem realmente o conhece, sabe que Midoriya não é nada que envolve bondade.

Os que o conhece é do submundo e trabalha para ele, mas o único que não trabalha para si, e que nota a máscara falsa do esverdeado é Todoroki Shōto.

E o bicolor acabou de declarar uma guerra contra Midoriya.

E a pergunta é, quem cairá primeiro?

28 de Julho de 2018 às 19:35 0 Denunciar Insira 3
Leia o próximo capítulo O primeiro movimento

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 5 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!