Na Próxima Vez que eu Levar sua Maçã Seguir história

taeasy_ Kim Taeasy

Min Yoongi era, para mim, apenas alguém excêntrico a primeira vista. E então eu descobri seus hábitos, descobri o que ele odiava, descobri o que ele amava, descobri que quanto mais eu descobria, mais eu queria descobrir. Mas acima de tudo, eu descobri o que era amor.


Fanfiction Todo o público.

#drama #yaoi #lgbt #lgbtq+ #namjoon #namgi #yoongi #angst #homossexual #yoonam
Conto
1
5029 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Memórias;

Para Min Yoongi,


Sua pele era clara, parecia que havia usado um pó completamente branco e passado em tudo. Os cílios eram de um branco tão claro quanto a própria cor, assim como seus cabelos.


Os olhos eram de um azul fraco, parecia que apagariam a qualquer momento.

Ele por inteiro era um grande… nada… ao mesmo tempo que parecia ser incrível.


Eu não entendi o repentino interesse que senti em Min Yoongi no momento em que ele pôs os pés naquela escola. Talvez fosse o fato de que era a primeira vez que eu havia visto uma pessoa verdadeiramente albina, em carne e osso. Talvez fosse só aquela emoção de quando ganhamos um brinquedo novo. Ele era como um brinquedo novo, uma novidade. Se eu brincasse, perderia a graça.


Mas eu não digo isso no mal sentido. Ele era diferente, era algo que eu tentaria evitar de me aproximar, era algo que eu não queria que perdesse a graça.


Era engraçado observá-lo de longe. Era engraçado ver ele comer arroz, era engraçado o modo como ele segurava seus hashis. Era engraçado o quanto ele conseguia ser indelicado.


A primeira impressão que eu havia tido dele, era que ele deveria ser cuidado, ele parecia delicado, então me surpreendeu quando vi a quantidade de palavrões que ele conseguia dizer em menos de cinco minutos.


Eu não percebi, mas quando notei, eu já havia lhe dito um “oi” tímido, oferecendo uma maçã, recebendo um olhar debochado em troca.


E no dia seguinte, ele também me deu “oi”.


Então, eu comecei a levar maçãs vermelhas para ele toda semana, eu descobri que ele odeia açúcar. Eu descobri que ele ama café, que ele ama a cor vermelha, que ele adora se vestir com coisas coloridas, que ele adora carros e é apaixonado por música.


— Por que vermelho? — Indaguei, curioso. Ele me deu um sorrisinho antes de responder:


— Porque é a cor mais chamativa que eu tenho. — E voltou a comer, tranquilo, ignorando os olhares que os desconhecidos lançavam para ele dentro do restaurante.


Em nosso primeiro encontro, descobri que ele fica lindo quando se veste de azul. No segundo, descobri que o verde combina com ele. No terceiro, me apaixonei pela sua aparência com roupas vermelhas.


Descobri que ele ficava lindo em todas as cores, descobri que ele odeia salada, descobri que ele ronca quando dorme, descobri que fui seu primeiro amor.


— Eu gosto de você, Nam… gosto de um jeito diferente. — Disse, adotando certo rubor em suas bochechas. — É a primeira vez que isso acontece comigo… é estranho.


— Não é estranho, Gi. — Sorri, timidamente. — E-eu também… eu gosto de você, muito.


Ele se aproximou, hesitante, juntando seus lábios aos meus.


Descobri que sua boca tinha gosto de bala de menta.


Tive minha primeira vez com ele.


A cada segundo a mais que passei com ele, descobri uma coisa nova. E notei que eu estava enganado quando o conheci, pois quanto mais eu me aproximava, mais eu sentia necessidade de ficar perto dele.


Descobri que ele tem medo de trovões quando passamos a morar juntos como colegas durante a faculdade.


Franzi a testa, ouvindo vários berros de Yoongi, saí do meu quarto assustado.


— Gi? Está tudo bem? — Abri a porta de seu quarto, sentindo-o se jogar em cima de mim, se encolhendo enquanto me abraçava.


Descobri que ele me tirava do sério.


Descobri também que é ótimo abraçá-lo durante a noite.


Descobri que ele gosta de parques e ama cachorros, mas detesta gatos.


Tive minha segunda vez com ele.


Percebi que ele gosta de beijar meu pescoço, ele também disse que ama meus lábios. 


Descobri que ele chora muito, notei que ele não gosta de sua cor.


Ver ele chorar era um choque.


Eu detestava.


— Gi, não chore. — Peço, abraçando-o contra meu peito, sentindo-o soluçar.


— Eles estão sempre me olhando. Sempre falando de mim, eu odeio ser estranho. Odeio ser assim. — Continuei em silêncio, tentando acalmar o nó que se formava em minha garganta.


Descobri que eu odiava esses pensamentos que ele tinha sobre si mesmo.


Descobri que sua saúde era frágil. Descobri que ele tinha asma.


Virei a noite com ele no hospital. Eu chorei enquanto ele dormia.


Tivemos nossa primeira discussão.


— Eu quero que você desapareça! — Disse, irritado. — Eu te odeio!


— Não fala assim comigo, porra!


— O que vai fazer? Me bater?


— Droga Yoongi, olha que merda você tá falando, eu só saí por um minuto e você está paranóico!


— Você foi me trair! Eu não sou o bastante, eu nunca fui! — Ele começou a lacrimejar, joguei a sacola que tinha em mãos no chão.


— Eu fui comprar a merda do seu presente, mas se confia tão pouco em mim a ponto de dizer que eu te traí, então tudo bem, apenas engula isso, eu vou para o quarto!


Descobri que eu odiava brigar com ele.


Descobri também que não conseguia resistir ao seu pedido de desculpas que vinha acompanhado de beijinhos na testa.


Descobri que ele não sabia cozinhar, ele fez uma bela bagunça em minha cozinha.

Ele cantou para mim.


— Você é bom nisso. — Comentei, animado. — Seria um ótimo rapper.


— É só um hobbie. — Respondeu, dando de ombros. — Podemos fazer batalhas de rap para decidir quem lava a louça, que tal? — Ele riu, brincalhão, inclinando seu corpo em minha direção.


Segurei sua cintura, abrindo um sorriso antes de juntar sua boca à minha.

— Eu amo o seu sorriso. — Disse, dando um beijo em minha testa. — Eu amo suas covinhas.

— Eu te amo, Min Yoongi.


Descobri que amava suas bochechas coradas.


Descobri que ele estava sempre com o corpo quente.


Nós nos formamos, eu arranjei um emprego..


Eu o pedi em casamento.


Ele aceitou.


— O nome dele é Hayden. Eu amo o nome dele. — Disse.


— Hay, a partir de hoje nós somos seus papais, ok? — Digo, alegre, para o menino de cinco anos que, avoado, nos ignorou.


Descobri que crianças são difíceis.


Descobri que ele odiava dor, descobri que ele amava o frio.


Descobri que ele ficava triste no verão por não poder se expor ao sol.


Descobri que ele tinha câncer.


Descobri que sua saúde estava piorando.


Descobri que eu odiava hospitais.


— Yoongi, vai ficar tudo bem. — Sorri, segurando sua mão, juntando meus lábios aos seus. — Eu te amo.


— Eu quero que isso acabe logo, está doendo. — Algumas lágrimas escorreram de seus olhos, prendi a respiração.


— A dor vai acabar, anjo, eu juro. — Eu só não queria que acabasse daquele jeito.


Descobri que eu odiava a dor. Eu odiava a dor dele.


Descobri que pessoas não são imortais.


Yoongi partiu cedo.


Descobri que isso doía mais do que o esperado, descobri que na verdade, eu era uma pessoa muito sensível.


Eu continuo chorando, Yoongi, mesmo passando cinco anos de sua partida.


Nosso filho completou doze anos hoje, ele ainda fala de você.


Ele sente sua falta.


E eu também.


— Papai, eu não me sinto bem.


— O que houve, Hay?


— É que eu estou com medo. — Senti meu coração apertar quando vi lágrimas caírem de seus olhinhos.


— Calma meu amor, vem cá. Do que você tem medo?


— Tenho medo de esquecer o rosto dele. Eu nem me lembro direito. — Ele me abraçou com os braços curtinhos, seu corpo tremia. — Eu não quero me esquecer dele, não quero me esquecer do meu pai.


Descobri que compartilho dos mesmos medos que meu filho.


Eu descobri que eu deveria ter dito mais vezes que te amo.


Descobri que sou péssimo demonstrando meus sentimentos.


Descobri que não quero me relacionar com mais ninguém.


Descobri que sua ausência de cores coloriu meu mundo.


Você sempre odiou sua aparência, mas eu sempre a amei.


Você me fez descobrir muitas coisas desde que entrou em minha vida, e eu continuo descobrindo-as mesmo agora, depois que partiu.


Hoje eu descobri que você guardava um presente para mim no fundo do seu guarda-roupa.


Descobri que você me daria no meu aniversário, eu queria que tivesse dado tempo.


Descobri que você sabia que estava chegando sua hora.


Descobri que você chorava também.


— Papai, isso estava no armário do pai. — Hayden mostrou um colar, dentro dele, havia uma foto de nós três.


Junto do colar, um cartãozinho me parabenizava pelo meu aniversário


— O que você fazia mexendo nas coisas dele? — Questionei, curioso.


— Eu queria ver uma foto dele, não consigo lembrar sozinho. — Ele ficou cabisbaixo, sorri, colocando o colar em seu pescoço.


— Agora você nunca vai esquecer, certo? — Ele sorriu, com os olhos marejados, afirmando freneticamente com a cabeça.


Descobri que você não pode voltar, independente do quanto eu te implore.


Eu não levei flores para seu túmulo nem uma vez nestes anos.


Ao contrário disso, deixo sempre uma maçã vermelha sobre ele, eu espero que você aproveite-as.


Ah, antes que eu esqueça. Yoongi, você, acima de tudo, me fez descobrir que as pessoas não são iguais.


Eu sempre pensei que fossem. Embora afirmassem o contrário, elas sempre acabavam tomando o mesmo rumo que as anteriores. Sempre acabavam pensando em si mesmas antes dos outros.


Mas você sempre se preocupou comigo em primeiro lugar. Mesmo quando era você quem estava deitado numa cama de hospital, eu sempre sentia os apertos mais fortes que você dava em minha mão quando eu chorava de noite.


Me desculpe por não conseguir segurar as lágrimas em sua frente.


Na próxima vez que eu levar a sua maçã, enterrarei esse pequeno papel que carrega minhas memórias ao seu lado, então descanse em paz, certo?


Com amor, Kim Namjoon

e Kim Hayden.

19 de Julho de 2018 às 05:07 0 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Kim Taeasy eu sou inutil

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~