Can you hear the silence? Seguir história

btstyle mariita

Jimin sempre fora um menino recluso. Os motivos podem ser incompreensíveis para alguns, assim como as diversas vozes, súplicas e gritos que ecoavam na mente do garoto. Apenas ele sabia como aquilo mexia negativamente com si próprio. No entanto, é nos mais inesperados locais que as melhores coisas acontecem. E é no seu local de trabalho que Jimin encontra, diariamente, a razão dos seus batimentos cardíacos soarem mais altos que aqueles malditos gritos dentro de sua mente. sinopse por: @MiriNae_ (social spirit)


Fanfiction Bandas/Cantores Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#bangtan-sonyeodan #bangtan #kookmin #jikook #sope #boyxboy #lgbt+ #jimin #jungkook #bts #yaoi #drama #romance
20
5.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 10 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

um

   Jungkook entrou novamente na lan house de sempre, Jeon gostava de ir até lá e jogar seus jogos favoritos por algumas horas para relaxar, ou passar raiva, depois de um dia corrido na faculdade. Olhou ao redor e se dirigiu até um dos computadores, abrindo um de seus jogos favoritos, League of Legends, começou a jogar com afinco, passando raiva algumas vezes por conta das perdas de partidas. Após perder mais uma vez, olhou para o caixa, vendo novamente o funcionário que cuidava de receber o dinheiro dos clientes, Park Jimin, o garoto sempre atraiu o olhar do estudante, fazendo o mesmo não saber o porquê de se sentir tão fascinado pelo de cabelos pretos. Jungkook começou a encara-lo, percebendo que Park havia deitado a cabeça no balcão enquanto dava pequenos puxões em seu cabelo, talvez ele esteja estressado, Jeon pensou.

 Ao terminar de jogar e se dirigiu até o caixa onde Jimin estava, ele continuava com a cabeça abaixada no balcão. O cliente deu duas leves batidas na bancada para fazê-lo levantar a cabeça.
  -Huh, desculpe. - O funcionário disse ao levantar a cabeça e perceber que deveria atender Jeon. - Você estava em qual computador?
  -O 13. - Jungkook apontou para o lugar em que estava sentado e sorriu.
  -Certo. - Park teclou algo no computador -Ficou 1.500 wons, vai pagar em dinheiro ou cartão?
  -Dinheiro. - Jeon entregou as notas para o rapaz em sua frente, que as colocou no caixa - Boa noite.
  -Boa noite. - Jimin sorriu para Jeon e se levantou da cadeira, já que seu turno havia acabado.
   Jungkook ponderou se deveria chamar o atendente para tomar café ou algo assim, depois de dar alguns passos, já perto da saída, decidiu chamar o garoto, porém, o mesmo já havia ido embora. Suspirou e empurrou a porta da Lan House, indo embora.

   Jimin suspirou profundamente ao chegar em casa depois de mais um dia, sua cabeça martelava completamente, já era comum para o garoto. Fechou a porta atrás de si e depois de tranca-la foi em direção do sofá, se deitando relaxadamente e fechando os olhos, tentando ignorar a confusão que existia em sua cabeça.
   Sempre convivera com "vozes" em sua cabeça, alguns psicólogos em que fora diziam que o que Park tinha era esquizofrenia, outros que era depressão, alguns arriscavam que seria transtorno de ansiedade. Porém nenhum remédio adiantava, eles apenas queimavam seus neurônios, sem lhe dar nenhum efeito além de sono. Mas não era como se existissem vozes lhe dando conselhos ou conversando com ele, elas apenas sussurravam na maioria das vezes coisas desconexas, algumas palavras como "ajuda" ou "socorro", também ouvia coisas relacionadas a Deus, vários tipos de Deuses. De vez em quando elas gritavam alto, isso fazia o garoto ficar irritado e o mesmo acabava não conseguindo fazer suas coisas normalmente.
Foi até a cozinha e procurou algo na dispensa e geladeira, apenas achou alguns tomates que haviam passado do ponto e macarrão instantâneo, sua barriga roncou alto, o jeito seria comer o bom, velho e pouco nutritivo lámen de micro-ondas. Colocou o macarrão no micro-ondas e esperou o mesmo ficar pronto, enquanto isso começou a pensar, ou tentar, as vozes já estavam o estressando mais que o comum, era como se alguma coisa estivesse acontecendo e os donos das vozes estivessem tentando se comunicar falhamente.
   Jimin foi tirado de seus pensamentos quando o micro-ondas apitou, avisando que seu macarrão estava pronto. Pegou a vasilha do macarrão juntamente com os chopsticks, se sentou no sofá, ligando a tv e colocando no canal de notícias enquanto colocava macarrão na boca com a outra mão.
   -Aish!- Emitiu o barulho quando sentiu a língua arder. O macarrão estava muito quente e ele percebeu que pegara o super apimentado ao invés do normal.
   Agora Park estava com a língua queimada, boca ardendo e a cabeça tonta pela quantidade de gritos em sua cabeça. Com certeza não era um de seus dias de sorte, se é que já teve teve algum, porém teve que se contentar com o macarrão lotado de pimenta e comer o resto, não é como se     Park não aguentasse pimenta, mas ele realmente não estava preparado para tal situação apimentada.
Aumentou o volume da televisão e começou a prestar atenção no que a âncora do jornal dizia.

"Houve um acidente em Icheon na última noite, um caminhão de entregas colidiu com um carro e deixou três pessoas que estavam nos bancos de passageiros feridas e o motorista morreu na hora. O homem que guiava o caminhão teve ferimentos leves e passa bem, ainda não se sabe se ocorrerá processo."

   Jimin estremeceu no sofá, sua vontade era de ajudar as pessoas machucadas, ele gostava de ajudar, até já havia tentado entrar numa faculdade de medicina, mas seus psicólogos diziam que ele não estava apto para exercer tal profissão, mesmo ele tendo se formado no colégio como um dos primeiros da classe, então a única forma de poder se sustentar e não ter sempre seus pais o tempo todo o tratando como doente ou louco, foi arrumando um trabalho numa lan house que lhe garantia dinheiro suficiente para se sustentar e alugar um flat, seu objetivo era se mudar de Busan para Seoul em breve.
   Terminou sua comida e jogou o recipiente na pia de qualquer jeito. Inspirou fundo e soltou o ar pela boca olhando para a louça suja, realmente não estava com vontade de limpar tudo aquilo, então, simplesmente ignorou a pia cheia e se dirigiu ao banheiro, escovou os dentes, tomou um banho rápido e se jogou na cama após vestir um pijama antigo. Ficou rolando na cama por quase uma hora e meia, não conseguia dormir, as vozes em sua mente não o permitiam. Ele sabia a solução para dormir, geralmente preferia evita-la, sabia que poderia se viciar nela, porém deveria estar cedo na Lan house no dia seguinte e realmente queria um descanso das vozes incessantes em sua cabeça. Então o fez, tomou alguns comprimidos para dormir, comprimidos pesados que deixariam seu sono tranquilo e não o fariam acordar no meio da noite, como sempre acontecia quando não os tomava. Após beber o copo de água para os comprimidos descerem, deitou-se na cama, pensando em como seria bom se um dia todas essas vozes parassem de ecoar em sua cabeça.

------

Espero que tenha gostado <3 Me diga o que achou, se puder.+ 

18 de Julho de 2018 às 14:28 0 Denunciar Insira 4
Leia o próximo capítulo dois

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 11 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!