Noite número 13 Seguir história

cammis Cammis Silva

Lendas urbanas, filmes sangrentos, brincadeiras assustadoras, tudo isso fazia parte daquele dia. Para Jane, era apenas mais sujeira para limpar.


Conto Para maiores de 18 apenas.

#horror #terror #paranormal #sobrenatural #oc #mistério #ficção #fantasia #conto
Conto
4
5058 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um banquete noturno


Jane detestava aquela data. Não por ser uma pessoa supersticiosa, sinceramente não acreditava nessa história de sexta-feira 13 ser uma data amaldiçoada. Apenas não suportava os trotes dos adolescentes da pequena Stand City, sempre tinha que limpar seu quintal dos papeis higiênicos e manchas de tinta. Parecia uma espécie de Halloween minguado, sem fantasias e doces, apenas travessuras.

Pegou o controle remoto sobre o sofá e aumentou o volume da televisão na tentativa de abafar o barulho que os baderneiros faziam aquela noite. Apenas a luz do aparelho iluminava a sala, havia fechado cortinas e portas. Fingir que não existia tornou-se a melhor forma de não ser perturbada.

Abraçou as pernas com o olhar focado no noticiário transmitido, sem realmente prestar atenção. Tentava ignorar, mas seus olhos lhe traiam sempre acompanhando a figura que parecia se mover pelas paredes.

O via se aproximando pelos cantos dos blocos oculares. Tinha uma aparência horrível e medonha. Uma espécie de sombra que Jane sabia não ser de nenhum dos objetos do cômodo. As mãos em formas de garras pareciam mais afiadas que navalhas. O som que elas faziam quando forçadas contra a madeira da porta era perturbador e agoniante. Ele sempre saia naquela data, assim dizia o livro de magia que havia comprado pela internet há alguns anos.

Esperava que ele fosse menos faminto dessa vez, pois se tinha algo que detestava mais do que limpar bagunça de adolescentes, era limpar o sangue deles de seu quintal.

14 de Julho de 2018 às 02:20 4 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Cammis Silva Escritora (amadora); Leitora, apaixonada por fantasia e terror; Musica move meu mundo.

Comentar algo

Publique!
Karimy Karimy
Eu adoro esse estilo de narrativa em que consigo ouvir uma voz mais cautelosa, às vezes até apressada, mas sempre com tom sombrio e esse conto tem isso. É curto, mas desde o começo já prepara o leitor para o que virá no final e eu também acho isso muito atraente em uma narrativa. Agora fica a curiosidade, será que a Jane tem alguma culpa no que acontece? Será que ela se tornou cumplice por vontade própria ou por se achar culpada? Ainda mais, por ser, talvez, a única alternativa? Bom, acho que isso não vou saber, mas é legal pode imaginar.
18 de Agosto de 2018 às 12:34

  • Cammis Silva Cammis Silva
    Nossa!!!! Muito obrigada pelo seu comentário! Estou em êxtase depois de ler isso! Sobre a Jane, bom... fica em aberto ❤ 29 de Agosto de 2018 às 12:30
Neeca Ashcar Neeca Ashcar
Se tem uma coisa que amo nessa vida são micro-contos de terror, ainda mais quando é assustador e ao mesmo tempo conformista como este, isso é uma obra magnífica, e eu estou xonada, tem outros como este? Leria todos! Só uma coisinha eu notei a repetição da palavra era, muitas vezes, não é um problema muito grave, mas às vezes pode ficar um tanto enjoativo. De resto meu deus estou grudada no chão em êxtase, parabéns! 😘
19 de Julho de 2018 às 21:58

  • Cammis Silva Cammis Silva
    Eu estou completamente extasiada e feliz com o seu comentário. Nossa, chamar de "Obra magnífica" o meu conto, foi o melhor elogio que eu poderia receber, muito obrigada mesmo. Obrigada também pelo toque sobre a repetição, dei uma mexidinha! <3<3 20 de Julho de 2018 às 16:21
~