Morangos com Chantilly Seguir história

thammirb Thammi RB

Itachi sabia que tinha um namorado muito compreensivo, mas datas eram importantes para Shisui... E ele havia esquecido o dia dos namorados! Agora teria que se desculpar de algum jeito e nada melhor que seduzir seu amado com um pouco de açúcar.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#romance #drama #yaoi #sexo #incesto #lemon #naruto #narusasu #sasunaru #itachi #shisui #shiita #itashi #uchihacest #uchiha #+18 #unico #diadosnamorados
7
5570 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Nada Como um Pouco de Açúcar

❤ Hello ❤

Gente, meu primeiro ShiIta >...<

Essa fic era para ser no dia dos namorados, mas taanta coisa aconteceu que eu desanimei e deixei de lado, mas graças a Ray Lanny eu recuperei a vontade e comecei de novo.

Minha gatinha, meu presente (atrasado) pelo seu aniversário, espero que goste ^^ 


❤❤❤


Aquilo não era possível. Uchiha Itachi nunca perdia o controle. Era aprumado e refinado como poucas pessoas nesse mundo. O moreno era símbolo de organização e classe, algo que não lhe foi ensinado ou imposto, ele havia nascido assim e nada, absolutamente nada podia mudar isso...

Ou pelo menos era o que as pessoas pensavam.

O som de diversos objetos pesados caindo no chão assustou Shisui que estava na cama postergando para começar suas tarefas, embora já tivesse acordado há alguns minutos. Como imaginava Itachi não estava mais do seu lado e com um bocejo de preguiça levantou da cama.

Seu namorado e primo estava mais estressado que o normal naqueles dias, ele era professor de uma universidade muito conceituado, um dos mais jovens a conseguir o mestrado de sociologia. O problema foi que aquilo não era o suficiente para ele e embarcou depressa no doutorado. Não foi muito complicado, afinal Itachi era abençoado com um intelecto aguçado e era muito determinado. O problema era que o dia de apresentar e defender a tese diante da banca formada por grandes doutores estava chegando e por alguma razão aquilo estava conseguindo tirar seu primo do seu natural estado de calma.

Bem, não importava, aquele era um dia especial e se tudo desse certo iria aliviar todas aquelas tensões a noite.

- Bom dia – disse ainda fora do quarto de estudos do mais novo. – É seguro entrar?

- Muito engraçado Sui – resmungou terminando de ajeitar os livros que tinham despencado da estante. – Te acordei?

- Não se preocupe eu precisava levantar – cruzou os braços se apoiando no batente da porta dando uma boa olhada no namorado. O longo cabelo de Itachi estava solto, completamente bagunçado e com alguns nós, a pele geralmente em tom pêssego encontrava-se pálida com um aspecto cansado e por baixo dos lindos olhos negros que eram uma das razões de acordar todos os dias, olheiras roxas e profundas se destacavam sob o rosto bonito. Suspirou frustrado, não devia estar surpreso, naqueles dias ele estava com a péssima mania de ir dormir tarde e levantar cedo apenas para continuar revisando aquela tese. – Você está aderindo aos maus hábitos do seu irmão – brigou ao ver a garrafa térmica de café já vazia. – Achei que o viciado em cafeína fosse o Sasuke.

- É útil para se manter acordado – argumentou passando os dedos pelos cabelos embaraçados em um esforço inútil para tentar melhorar a aparência deles, reprimiu um gemido de dor quando puxou um nó, ia precisar lavar os fios, estavam muito ressecados. – Ainda prefiro os meus chás.

Shisui entrou no cômodo e foi até uma das gavetas e de lá tirou uma escova de cabelos e se posicionou atrás do namorado e começou a separar as mexas para desembaraçar os fios.

- Então eu sugiro que pare, começar a beber café é um caminho sem volta e antes que se de conta vai estar preso a ele para todo sempre a ponto de vender sua alma para ter um gole – dramatizou risonho.

- Que exagero – desdenhou, contudo, a lembrança de como Sasuke ficava mal-humorado quando não bebia seu precioso café o fez afastar a garrafa de si com certa preocupação.

O mais velho riu baixinho e preferiu não se pronunciar mais, concentrou-se em alinhar os cabelos de Itachi com suavidade. Antes mesmo de se apaixonar pelo primo, quando os dois eram apenas crianças, sempre foi fascinado pelos cabelos de Itachi. Eram tão lindos. Amava-os, especialmente quando eles ficavam espalhados sobre os lençóis e seu peito depois de uma noite de amor. Com muita suavidade refez o rabo de cavalo baixo. Depositou um delicado beijo no topo da cabeça do amado apreciando o suspiro que ele deu em agradecimento.

- Por que você está tão nervoso? Todos os seus professores já não aprovaram a tese?

- Eu sei, mas é que o Danzou vai estar na banca e eu sei o quanto ele me odeia.

- Acha mesmo que ele se deixaria levar por algo tão pessoal assim? – O moreno de cabelos curtos sentou na mesa de frente para o primo. – Não importa se ele gosta ou não de você, ele não pode basear a avaliação dele em cima disso, é antiético.

- Duvido muito que ele vá levar isso consideração – deixou a cabeça pender sobre o colo do namorado.

Shimura Danzou, um dos principais coordenadores da universidade, foi terminantemente contra a contratação de Itachi sendo sua idade o único argumento usado para tentar incapacitá-lo. Por sorte e mérito o Reitor não levou aquilo em consideração e o contratou mesmo assim e atualmente o moreno era um dos docentes mais competentes e amados na instituição e isso sempre era ressaltado, o que parecia ter servido para fazer um desgosto entre ele e o mais velho nascer e crescer rapidamente.

- Não pense nisso agora, lembre-se que é a banca quem vai decidir – riu anasalado observando bem a carinha do namorado, era tão raro ver o primogênito de seu tio parecer tão indefeso. E como tinha esperado ele tinha esquecido completamente que dia era aquele. – Tachi?

- Uh?

- Eu posso te pedir uma coisa?

- Claro – ergueu a mão do amado á altura dos lábios e depositou um suave beijo nas costas.

- Eu sei que esse semestre foi uma loucura para você, mas tem como você vir direto para casa hoje?

O professor ergueu as sobrancelhas com curiosidade, Shisui estava com aquele brilho no olhar que ele conhecia muito bem. Muito travesso para seu gosto... Da última vez que tinha visto aqueles olhinhos brilhando com tanta expectativa teve que usar uma roupa cosplayer de Star Wars para realizar uma fantasia do namorado que o chamou de capitão a noite toda em quanto implorava para que ele usasse seu “sabre de luz” e a “força”. Bom, pelo menos conseguiu convencê-lo a não usar aquela camisinha fosforescente.

- Não tem nada programado para depois das aulas hoje, pode deixar que eu chego antes da hora de jantar – garantiu meio risonho pela lembrança e meio desconfiado pelo o que o namorado poderia estar aprontando.

- Palavra?

- Palavra.

- Eu agradeço por isso – piscou o olho e selou os lábios com os do primo em um beijo casto. – Prometo que não vai se arrepender, agora com licença que eu vou preparar o café da manhã para nós.

Itachi observou o namorado sair saltitante do escritório e arqueou a sobrancelha. Aí tinha. Sacudiu a cabeça deixando para lá. Aquela imprevisibilidade era só uma das milhares de coisas que amava em Shisui... Mas, o que tinha de tão especial naquele dia mesmo?

ººº

Sabe aquele sentimento de impotência que te domina quando você acorda com a sensação de que vai ter um dia maravilhoso e é decepcionado conforme as horas vão passando? Era isso que Itachi estava sentindo.

Depois de tomar um café da manhã maravilhoso com o namorado, ganhar uma carona com direito a um pequeno improviso de karaokê onde os dois cantavam suas músicas favoritas durante todo o percurso, acreditou que tudo ficaria bem.

Deus, como estava errado.

Assim que pôs os pés do campus da universidade viu Danzou de longe, muito perto do seu irmão e imediatamente estreitou os olhos com raiva. Sasuke cursava o último semestre de direito e o Shimura era um dos responsáveis pelo curso, por sorte, seu otouto era um dos melhores alunos e não dava brechas para ninguém o prejudicar.

Contudo, dado a implicância que aquele homem tinha por qualquer um com o sobrenome Uchiha não podia deixar de estranhar aquela proximidade toda. Mexer com ele era uma coisa, mexer com seu irmãozinho... Aí já era abusar demais da sua paciência. Porém antes que pudesse se aproximar o namorado do irmão, Uzumaki Naruto surgiu de repente e com alguma desculpa boba, agarrou o braço do moreno mais novo e o afastou do professor, rapidamente sendo engolidos pela multidão de alunos.

Sentiu-se aliviado, embora parte de si queria muito saber qual era o teor da conversa. Danzou devia ter sentido sua presença e olhou para trás com a mesma expressão de escárnio de sempre e o mirou de cima abaixo. Tinha uma expressão muito satisfeita para seu gosto, mas também não lhe deu oportunidade de questionar e seguiu pelo caminho da reitoria. Tinha que mandar uma mensagem para Sasuke imediatamente.

Puxou o aparelho eletrônico da bolsa e se sentiu um perfeito idiota, ao ficar virando a noite revisando a tese, esqueceu completamente de colocar o celular para carregar e agora só tinha 12% de bateria para passar o dia,

Merda!

Rezou para ter colocado o carregador dentro da bolsa, caso contrário, teria problemas.

E para completar a sua “sorte” ele não tinha trazido o raio do carregador! Teria que solicitar um emprestado a algum de seus alunos, felizmente era muito amado por eles e provavelmente não se importariam.

Mas...

Assim que pisou na sala um grupo de estudantes o bombardeou com perguntas e duvidas sobre um trabalho que valeria um terço da nota. Foram tantas questões levantadas que acabou de distraindo e esqueceu-se do dilema que envolvia seu celular e o carregador.

A melhor parte em lecionar sociologia eram os debates que iniciava durantes as aulas. Itachi adorava. Aguçar e orientar os aspirantes a profissionais a serem formadores de opinião era seu maior orgulho e real motivo para ter escolhido aquela profissão.

Quando chegou a hora do almoço, esperava ter uma pouco mais de tranquilidade, mas o reitor o viu saindo da sala e o chamou para almoçar junto com os outros coordenadores e teve que aguentar Danzou por uma hora e ainda foi informado de que mais tarde aquele dia teriam uma pequena reunião de urgência, apenas para pontuar alguns tópicos novos estabelecidos pelo comitê. Foi com uma força sobre humana que conseguiu repreender seu desgosto com a novidade. Esperava que a neutralidade o salvasse das críticas já formadas no rosto de Shimura que o encarava a todo o momento e se aquele ser humano mal-amado testasse sua paciência naquele dia especifico as coisas poderiam ficar feias.

No caminho de volta ao prédio onde dava as aulas, viu Sasuke e Naruto sentados em uma das árvores do campus. Os dois pareciam estar muito bem, o que era um tanto raro. Aqueles dois eram completamente apaixonados um pelo outro, mas se não discutissem pelo menos uma vez por dia não pareciam eles. Ainda bem que se reconciliavam rápido.

Na verdade, se desse uma boa olhava em volta, parecia que todos os casais estavam mais unidos que o normal. Que animação para um dia de semana...

Infortunadamente a tarde foi tão atribulada quanto a manhã. Todas as turmas estavam muito eufóricas com o fim do semestre e o que vinha a seguir: férias. Quando o sinal tocou sentiu um alivio inédito ao ver os jovens se dispersando rapidamente, porém ele logo foi substituído por cansaço mental ao recordar que ainda teria a reunião com o resto do corpo docente. Deus, tudo o que queria era sua casa, sua cama, seu namorado de preferência nu em cima dela.

Tinha como aquele dia ficar pior?

Tinha. A reunião “rápida” que só exporia alguns conceitos novos, se estendeu por quase duas horas e meia e Itachi já estava sentindo a sua praticamente ilimitada paciência chegar ao fim.

Olhando para as feições dos seus colegas, eles também estavam sentindo a mesma coisa que ele. Verificou o relógio pela terceira vez em menos de cinco minutos e gemeu internamente ao ver que já passava das 20h00min, após mais vinte minutos de pura ladainha, a reunião foi encerrada e antes que qualquer um pudesse puxar algum tipo de assunto escapuliu para fora da sala.

- Graças a Deus acabou! – Ouviu uma das colegas reclamar. – Eu louca para comemorar o dia dos namorados e esse bando de velhos querendo fazer reunião. A culpa não é nossa se eles não namoram mais.

O Uchiha sentiu o coração viu a boca enquanto seus músculos congelaram por um segundo.

Puta que pariu!

Shisui havia pedido para chegar mais cedo em casa aquele dia! Porra! Seu primo devia ter programado alguma coisa para eles fazerem juntos e ele estava completamente atrasado e o pior não tinha nem sequer lembrado que era dia dos namorados. Não era habito seu esquecer daquele tipo de data, mas esses meses, por causa do PhD, sua concentração já não era mais a mesma.

E sabia o quanto aquele tipo de coisa era importante para Shisui...

Pegou o celular para enviar uma mensagem se explicando, mas só quando viu a tela morta foi que lembrou que ele estava sem carga nenhuma. Ah não, da última vez que tinha acontecido algo do gênero o primo ficou realmente magoado...

Sui, por favor, me perdoa!”

ººº

Quando o moreno chegou à porta do apartamento que dividia com o namorado há mais de um ano, podia sentir a atmosfera negra que o rodeava. Engoliu a seco culpado. Pegou o molho das chaves e abriu a maçaneta, com passos bem delicados foi em direção a sala. Sentiu a consciência pesar uma tonelada ao ver a mesa toda arrumada para um jantar romântico e se não estivesse enganado, aquelas eram suas comidas favoritas. Todas feitas em casa já que ele não gostava de comida de rua.

- Ah! Chegou o Sr. professor – Shisui surgiu do corredor que ligava ao quarto e não parecia magoado, na verdade, parecia furioso. – Perdeu o caminho de casa foi?

- Sui, me desculpe, por favor, eu tive uma reunião de emergência com os outros professores e o Reitor e acabou durando mais tempo do que eu previa-

- E ia te custar muito me mandar uma mensagem avisando? – Interrompeu não muito disposto a ouvir os motivos do primo. – Você passou o dia inteiro sem falar comigo Itachi!

Meu Deus, Shisui estava gritando. Gri-tan-do.

O primogênito de Fugaku sentiu um abafamento subir. Aquilo não acontecia com frequência. O rosto do namorado estava vermelho e não era de calor ou excitação. Os olhos tão negros quanto os seus brilhavam de maneira perigosa.

- Amor eu me esqueci de colocar o celular para carregar, ele passou o dia todo descarregado – ergueu as mãos em um pedido muito para que fosse ouvido. – Aconteceu tanta coisa hoje, eu fiquei atribulado o dia todo.

- Eu juro Itachi, juro para você que tento ser um companheiro compreensível, “ah, ele esta prestes a conseguir o PhD e só com 27 anos, é uma coisa importante e não é qualquer um que consegue”, mas desde que isso começou é só nisso que você pensa!

No seu estado normal, aquelas palavras nunca sairiam da boca de Shisui, mas a carência e a frustração tinham atingido o auge ao esperar por horas seu namorado para jantarem na noite do dia dos namorados.

- Sui, eu realmente sinto muito – o outro parecia estar além da raiva, ele o estava chamando pelo nome completo... Onde estava o “Tachi”?

- Eu fiquei a porcaria do dia todo cozinhando! Até aprendi a fazer dangos e essa merda não é tão fácil de fazer quanto você pensa! – Grunhiu agressivamente e o outro deu alguns passos para trás. – Planejei isso a mó tempão porque queria aproveitar para ficar um pouco com você Itachi, só um pouquinho.

Ofegante, o mais velho se interrompeu, sua cabeça estava doendo. Aquele idiota tinha ideia de quanta expectativa tinha criado para aquela noite? Eles estavam tão afastados desde que o doutorado do mais novo chegou à reta final. Tudo o que queria era um pouco de atenção, dar e receber carinho. Mesmo morando na mesma casa os dois mau estavam se vendo. Não queria fazer uma cena, mas tudo tem limite e não se deixaria abrandar por aquela carinha linda e culpada.

Para o aspirante a doutor, ver o amado daquele jeito estava sendo terrível. Não teve a intenção de ser relapso, mas sua cabeça estava tão cheia aqueles tempos. Não. Não justificava.

- Eu sinto muito Shisui – falou sério e tentando transparecer com o olhar todo o arrependimento que sentia. – Sinto de verdade.

A intensidade dos olhos negros fez o moreno de cabelos curtos oscilar. Amava tanto aquele homem. Mas, só aquilo não era o suficiente. Para um relacionamento ser saudável precisava-se que ambas as partes se sacrificassem de alguma forma.

- Você nem lembrou que hoje era dia dos namorados – murmurou com tristeza resoluta. – Um jantar romântico com meu namorado no dia dos namorados... Isso é pedir muito?

Sentindo a garganta fechar com culpa o mais novo trocou o peso dos pés de forma nervosa. Detestava aquela expressão no rosto do outro.

- Ainda podemos jantar – sugeriu perguntando.

A questão fez a raiva de Shisui aflorar de novo, só que mais contida. Com olhos estreitos passou reto pelo primo indo até o armário do corredor e pegou uma das jaquetas que ficavam penduradas ali.

- Aonde você vai? – Itachi indagou surpreso com as ações e se deu conta que Shisui estava lindamente arrumado e cheiroso como nunca.

Este ignorou suas dúvidas e abriu a porta do apartamento para sair.

- Vou passar o resto da noite do dia dos namorados com quem queira passar comigo e pode comer à vontade – apontou com o queixo para a comida. – Foi feita para você mesmo.

E saiu sem dizer mais nada batendo a porta atrás de si, deixando o professor atolado em frustração, raiva e tristeza.

~*~

Ficar no apartamento deles depois de uma briga como aquela era o cúmulo do absurdo para Itachi e por isso saiu sem rumo, pensando na pisada de bola feia que tinha dado. Uma parte sua queria ir atrás do namorado para implorar pelo perdão que não merecia. Mas também sabia que precisava deixar Shisui esfriar a cabeça. Seu primo podia ter um temperamento mais ameno que o restante da sua família, mas ainda era um Uchiha e como tal também tinha gênio do demônio encarnado.

Sem perceber acabou fazendo o caminho que levava ao apartamento do irmão. Sasuke dividia o aluguel com um colega, Juugo, se não estivesse enganado. Até hoje não entendia porque ele se recusava a morar com Naruto. Foi uma das poucas decisões do mais novo que nunca entendeu. Talvez ele pudesse lhe ouvir. É, com certeza.

E com a esperança de ter alguém para desabafar foi para prédio sem medo de atrapalhar alguma coisa, afinal eles estavam perto do final do semestre e se tinha uma coisa que Sasuke não era; era romântico.

Tocou a companhia e aguardou. Não demorou muito para franzir o cenho pela demora e voltou a repetir o ato. Será que Sasuke já estava dormindo? A resposta veio ligeira e passos lentos foram ouvidos de dentro do apartamento e assim que a porta se abriu colocou para fora sua maior dúvida.

- Por favor, me diz que você também esqueceu que hoje era dia dos namorados.

- Boa noite para você também, nii-san – cumprimentou visivelmente desgostoso. – Espera aí... Você esqueceu que hoje era dia dos namorados?

Então Itachi se deu conta do figurino do mais novo. Sasuke usava apenas calças de moletom e por isso seu torso estava todo a mostra. Várias marcas, que ele conhecia muito bem, maculavam a pele pálida. Um ou dois chupões se destacavam na barriga magra e arriscaria seu PhD se não haveria vergões nas costas também.

-É... – Murmurou frustrado. – Acho que você não esqueceu que hoje era dia dos namorados.

- Me surpreende que você tenha esquecido – deu passagem para ele entrar. – O que está fazendo aqui?

Reparou que o irmão o guiou imediatamente para a cozinha ao invés da sala e espiou pelo corredor. No sofá, Naruto dormia com a expressão completamente relaxada e apenas um lençol o cobrindo. Aquele cochilo pós foda maravilhoso que pelo jeito ele não teria aquela noite.

- Eu e o Shisui brigamos, ele pediu para eu chegar em casa mais cedo hoje e eu acabei esquecendo, meu celular descarregou e eu esqueci completamente que hoje era dia dos namorados... Basicamente fiz tudo errado hoje – aceitou sem pestanejar a taça de vinho que o outro ofereceu.

- Essa tese está te deixando fora do ar hein – Sasuke riu apiedado.

O professor apenas acenou e pegou um morango de uma torta de chantilly que estava sobre o balcão.

- Se importa?

- Não – estalou a língua com descaso. – Foi uma colega do Naruto que fez, mas eu não gosto muito de doces e ele não curte muito chantilly, à vontade.

Satisfeito, Itachi comeu mais alguns morando melados com o creme branco. Um pouco de açúcar era muito bem-vindo depois de uma discussão, depois precisaria agradecer de algum jeito aquela hospitalidade do irmão. No quarto morango, se deu conta que a expressão de Sasuke continuava tranquila e passou a estranhar. Geralmente, Sasuke era tão impaciente, especialmente com aquele tipo de assunto, ele parecia contente demais. Por que estava tão caridoso? Foi quando seus olhos caíram sobre a aliança prata e dourada no anelar direito dele.

- Você ficou noivo? – Indagou com assombro. – Hoje?

- Sim – riu do espanto do irmão. – Mais ou menos, isso aqui é mais um anel de compromisso, pedi ao Naruto para morar comigo e ele aceitou. Acho que pode ser chamado sim de noivado – fazia muito tempo que o mais velho não via o menor sorrir daquele jeito.

- Você fez isso na noite do dia dos namorados, após um jantar romântico – deduziu vendo-o concordar. – Antes ou depois de vocês transarem igual dois coelhos?

- Antes... Vamos dizer que o pedido acarretou dedicação extra.

- Agora que o Shisui não vai me perdoar mesmo – lamentou deixando os morangos de lado.

- Como assim? – Sasuke ficou intrigado com aquela conclusão inesperada, jurava que o irmão ia lhe parabenizar.

- Se você que tem um emocional de uma mesa conseguiu armar uma coisa assim para o dia de hoje, qual vai ser a minha desculpa?

O universitário cruzou os braços, completamente indignado.

- Está dizendo que eu era a sua desculpa?

- Algo assim – notou a expressão emburrada do irmãozinho. – Ah, não se ofenda, vai. Convenhamos que você tem a sensibilidade daqueles móveis que a gente bate o dedinho mindinho na quina.

- Pelo menos o móvel aqui não esqueceu que hoje era dia dos namorados – alfinetou vendo o mais velho fechar a cara.

Sem defesa, Itachi suspirou culpado e Sasuke acabou de sensibilizando.

- Onde está o Shisui agora?

- Eu não sei – respondeu com sinceridade. – Ele estava tão lindo e cheiroso... Ele saiu dizendo que ia passar o resto da noite com quem quisesse passar com ele, dá para acreditar nisso? – E lá se iam mais morangos.

Não, não dava. Pensou Sasuke observando o estado do irmão. Tinha certeza de que aquilo era passageiro. Shisui era sensível aquele tipo de coisa e devia ter se empenhado para fazer aquela noite especial. Mas a fuinha do seu irmão tinha que estragar tudo. Precisava admitir que era sua cara fazer algo do tipo e não a de Itachi. Revirou os olhos, não importava, tinha certeza de que o primo e o irmão se acertariam. Eles sempre se acertavam.

- Itachi...? – Os irmãos viraram para a porta e viram um sonolento Naruto bocejando, seu figurino não diferenciava muito do namorado. – O que ta fazendo aqui?

- Ah... Oi Naruto, parabéns pelo noivado – balançou o dedo anelar. – Boa sorte em morar com essa peste – apontou para Sasuke que o encarou ofendido.

O Uzumaki riu sonoramente e se aproximou do namorado lhe dando um beijo suave na têmpora que evoluiu para uma série de selos, Itachi revirou os olhos desgostoso, era para ele estar assim também!

- Ele é minha peste agora – piscou amoroso.

- Usuratonkanchi... E você é meu idiota.

Okay, com certeza aqueles dois estavam envoltos em uma nuvem de amor e ele estava ali segurando vela, talvez vir para casa de Sasuke não tenha sido a melhor opção.

- Bela obra de arde que você fez no pescoço dele otouto – provocou só para chamar atenção.

Um chupão roxo escuro se destacava na base do pescoço bronzeado e os “pombinhos” se afastaram um pouco envergonhados.

- O que houve?

- Basicamente essa fuinha relapsa esqueceu que hoje era dia dos namorados e o Shisui não curtiu muito, agora ele está na casinha do cachorro.

- Oh – os olhos azuis brilharam com entendimento. – Isso é grave. Ele tinha planejado alguma coisa?

- Um jantar com as minhas comidas favoritas - respondeu entre dentes.

- Ihh, cunhado... Tenho péssimas notícias para você – brincou o loiro se arrependendo imediatamente ao ver a expressão desolada do Uchiha. – Mas ficar aqui com essa cara não vai resolver nada, você precisa conquistar o perdão dele.

O professor pareceu ter despertado com aquela sentença e agora encarava Naruto com intensidade, como e aguardasse novas instruções. O loiro riu para dentro, ah Uchihas... Tão geniais para umas coisas e completas toupeiras para outras.

- Eu nunca tinha visto ele tão irritado daquele jeito – admitiu em tom baixo. – Eu estou sendo um namorado tão ruim assim?

Aquela era uma questão complicada, ver Itachi inseguro era incomum. O mais velho dos irmãos não costumava ser tão emocional. Quer dizer ele era uma pessoa gentil e amável a maior parte do tempo, mas aquilo também funcionava como uma barreira para mascarar suas verdadeiras emoções, tão bem construída que até Sasuke tinha dificuldades de ler. Apenas Shisui conseguia se infiltrar por ela sem dificuldades. Na opinião de Naruto, quem achava que Sasuke era o mais difícil dos irmãos estava sutilmente enganado, seu moreno podia ser ácido e parecer frio, mas correspondia seus sentimentos com a mesma intensidade, ou talvez ele fosse tão apaixonado por Sasuke que isso não importava.

- Nii-san, todo mundo sabe que uma tese de doutorado é capaz de deixar qualquer um louco, o Sui sabe disso. Ele ficou zangado? Claro que ficou, ele devia estar ansioso para ficar com você a um tempo, mas tenho certeza de que vai passar – fez uma cara de descaso. – Não é como se ele conseguisse ficar com raiva de você por muito tempo.

- É, mas isso não é desculpa para deixar de dar atenção a ele – Naruto ditou sério. – Agora pense em um jeito de conquistar o perdão dele, não tem nada que ele queria muito e que só você pode dar? – Riu malicioso olhando de canto para o seu moreno. – Até 23h59min é noite do dia dos namorados.

Itachi levou um tempo refletindo sobre aquelas palavras. Era verdade. Dificilmente ele e Shisui discutiam e quando o faziam se acertavam bem rápido. Precisava pensar em um jeito de aplacar a irritação do primo e ao mesmo tempo demonstrar o quanto sentia muito e o quanto o amava. Seus olhos recaíram sob a torta branca e ao mesmo tempo lembrou de um pedido feito a muito e que fora esquecido. Ah sim, aquele seria um excelente pedido de desculpas.

Precisava ir para casa e salvar o restante daquela noite e ficar se lamuriando com o irmão e o namorado desse não ia adiantar, especialmente quando os dois pareciam disposto a começarem a se pegar de novo bem na sua frente.

O jeito que se encaravam era tão indiscreto!

- Vocês se importam se eu levar essa torta? Shisui ama chantilly.

- E onde exatamente você pretende comer esse chantilly? – Naruto que era muito devasso quando queria captou rapidamente sua ideia enquanto Sasuke revirava os olhos com horror. – Boa sorte, cunhado.

- É... Eu vou precisar.

~*~

Quando abriu a porta de casa, Shisui estava cabisbaixo. Tinha saído para esfriar a cabeça, mas tudo o que encontrou na rua foram casais apaixonados e aquilo não ajudou a aplacar sua chateação. Não queria ter explodido daquele jeito com Itachi. Ele mais do que qualquer um sabia o quanto o outro estava se dedicando a tese.

Foi terrível que sua frustração e carência tivessem atingido o auge justamente naquela noite. Jogou as chaves em cima da mesa e tirou a jaqueta úmida, uma garoa fina caia. Deixou os sapatos de qualquer jeito, não estava muito animado. Tomaria um longo banho quente e dormiria pesado, era tudo o que precisava.

Porém ao chegar na sala, seu queixo despencou.

Itachi estava sentado no sofá usando apenas uma cueca boxer grafite, os longos cabelos caiam soltos pelo rosto bonito e o encarava de um jeito absurdamente sensual que engoliu a seco sentindo a nuca arrepiar.

- Err... Hmmm... O que?

- Eu estava te esperando... Senta aqui do meu lado? Cuidado com o bolo.

Chocado com o tom a imagem desinibida do mais novo, Shisui fez o que foi pedido e movimentos automáticos. Para Itachi, aquilo estava sendo muito divertido, a um tempo atrás o primo pediu por uma noite onde ele tivesse mais controle. Eles não eram simpatizantes de BDSM, mas o mais velho queria experimentar alguns apetrechos mais apimentados. Tinha concordado, mas logo em seguida tinha caído de cabeça no doutorado e a ideia ficou para trás, agora tinha a oportunidade perfeita par realizar aquela fantasia. Rodou as algemas no dedo ainda olhando fixamente para face do outro.

Pegou um dos morangos sujos de chantilly e levou os lábios melando-os com o creme branco, em seguida passou a língua, prendendo o lábio inferior entre os dentes e mordiscou a fruta lentamente, extasiado pela forma como que os olhos do Shisui acompanharam sua movimentação.

- Eu sei que eu pisei na bola hoje, mas acredite eu nunca esqueço o quanto eu te amo, sinto muito se fiz você pensar o contrário em algum momento.

- Aham – concordou hipnotizado pelo namorado que já comia outro morango com a mesa inclinação sensual, nunca mais conseguiria ver a fruta com os mesmos olhos.

Itachi riu baixinho, notando sua distração e pegou outro morango, dessa vez levou até a boca do mais velho que a mordeu em reflexo, mastigou lentamente sentindo o azedo ser aplacado pela doçura. O de cabelos longos se inclinou para iniciar um beijo suave e lento. Seus paladares se misturaram e Shisui gemeu baixinho e agarrou os fios escorridos.

- Me desculpe por ter explodido também... eu não...

- Não tem problema – interrompeu. – Vamos aproveitar o restante da nossa noite do dia dos namorados? Vamos – deu um selinho nele.

Shisui sorriu maliciosamente e concordou com a cabeça, aguardou o próximo passo do namorado e arqueou a sobrancelha quando o viu estender as algemas para si, aquilo era perfeito. A tempos fantasiava com o primo preso a sua mercê a parecia que naquela noite aquilo se concretizaria.

Levantou do sofá e arrancou as próprias roupas em tempo recorde ignorando o olhar superior do outro. Ele poderia rir agora porque daqui a pouco sua boca estaria muito ocupada para fazer qualquer outra coisa. Quando ficou completamente nu, viu os olhos negros esquadrinharem seu corpo com desejo e acariciou seu próprio peito e barriga até chegar á crescente ereção e se tocou com firmeza. Sentia a vontade do primo em toca-lo, mas aquela era sua noite de brincar.

- De pé – pediu com uma suavidade que demandava perigo.

Ansioso, Itachi obedeceu e teve as algemas tiradas das suas mãos, o mais velho colou seus corpos e ele reprimiu um gemido ao sentir o membro já duro roçar na sua barriga. Preso no olhar dele mal percebeu que seus braços eram postos atrás das suas costas e só percebeu como estava indefeso ao ouvir o “click” das algemas.

Agora a diversão começaria...

Com as pontas dos dedos, Shisui correu pelas laterais do corpo do primo, apreciando a maciez daquela pele maravilhosa. Itachi era tão lindo, como o amava. Estava delirando com a visão dele de cabelos soltos, rosto afogueado pelo desejo e preso à sua disposição.

- Feliz dia dos namorados, meu amor.

Tomou os lábios desenhados de forma agressiva, suas palmas indo imediatamente para as nádegas redondas e as apertou com vontade, mordiscou aquela boca pecaminosa com tesão. Itachi engolia seus gemidos e suspiros, tonto pela intensidade, sua ereção ainda coberta pelo tecido da cueca roçava na de Shisui. O fato de estar impossibilitado de usar os braços fazia tudo mais enlouquecedor.

Ofegante o mais novo quebrou o beijo e deu um passo para trás, deixando claro que iria se ajoelhar e Shisui manteve uma mão no topo da sua cabeça. Os olhos negros, brilhando quase vermelhos pelo o que viria a seguir.

Itachi umedeceu os lábios inchados pela violência do osculo trocado. Contou com a ajuda do primo que guiou o pênis inchado até sua boca. Rodeou a cabeça grossa com a língua olhando no rosto do primo que puxava o ar entre os dentes.

- Pega um morando para mim? – Pediu rouco.

Shisui demorou alguns segundos para se encontrar, mas capturou o fruto e entendeu rápido. Com um sorriso obsceno, sujou o próprio membro com o creme branco e por fim mordeu o morango com desafio.

Daquela vez, Itachi não perdeu tempo com provocações e envolveu a ereção latente com a boca chupando-o imediatamente, como recompensa ganhou um longo ofego do outro. Manteve o olhar fixo no face corada, sabia o quanto Shisui era fascinado pelos seus olhos, especialmente quando o estava chupando-o daquele jeito. Gemeu com o membro ainda dentro da sua boca fazendo vibrar do todo o corpo do namorado que estremeceu e jogou a cabeça para trás clamando seu nome.

- D-Deus, Itachi... Quase tinha esquecido do boquete maravilhoso que você sabe fazer – elogiou sacana.

O mais novo sentiu as bochechas esquentarem de leve, mas Shisui nem reparou, atendo ao vai e vem que seu pênis fazia dentro da boca do primo. Apertou os cabelos macios com força fascinado na visão que era ter Itachi ajoelhado á sua frente o chupando com tanta devoção. Arquejou alto quanto ele comprimiu as bochechas criando uma sucção violenta. Latejou ao notar o quanto ele realmente estava gostando de fazer aquilo.

- Chega – demandou baixo. – Vou terminar rápido se você continuar me mamando com essa cara gostosa e hoje eu vou gozar dentro de você.

O rosto do outro Uchiha se tingiu de vermelho intenso e foi erguido rapidamente pelo amante. Não era comum ele entregar o controle total para Shisui. Não era da “natureza” Uchiha, contudo precisava confessar que estava gostando demais daquilo.

Shisui o beijou mais uma vez, compartilhando seu gosto. Com os dedos, brincou com o cós da boxer cinza escuro e a desceu lentamente, gostando de ver o peito de Itachi subir e descer.

- Você é tão lindo meu amor – elogiou e beijou o peitoral e a barriga suada, acariciou os ilíacos salientes do quadril estreito sentindo-o se arrepiar. – Tem ideia de o quanto mexe comigo? O quanto me enlouquece de desejo? A maior parte do tempo eu só que me afundar em você.

- S-Shisui – as pernas de Itachi ficaram moles e o mais velho aproveitou para senta-lo no sofá e se ajoelhar na frente dele.,

Pegou um dos morangos esquecidos e levou até o mamilo do primo, sujando toda a pele sensível, em seguida se inclinou para lamber o disco marrom. Rodeou a área delicada com a língua vendo-o morder os lábios com força para conter os sons. Não era isso que queria.

Agarrou outro morando e continuou a sujar todo o abdômen definido enquanto com a outra mão estimulava o pênis duro que vazava pré-semem. Com o polegar espalhou o líquido pela cabeça inchada, distribuindo mordidas e lambidas pelo torso pêssego.

Podia ouvir as algemas rangerem a cada puxão que Itachi dava com suas caricias. Provavelmente ele estava arrependido de ter se deixado ser preso, mas agora era tarde demais. Não abriria mão daquilo. Itachi lhe devia essa.

Capturou mais um morango e passou o chantilly por toda extensão da ereção do primo. Muito mais do que ele havia feito consigo, afina ele era o amante de doces ali. Sorriu ladino para face luxuriosa e abocanhou a virilidade alheia sugando com vontade. Itachi gemeu alto, seu quadril levantou um pouco do estofado para entrar mais na cavidade quente. Seus dedos, presos às costas, coçaram para agarrar os fios curto do namorado e ditar a velocidade.

- Hmmmm... delicioso – Shisui passou os dedos pelos cantos da boca.

- Sui, por favor – sentia sua entrada contrair em antecipação. – Eu quero você.

- Ainda não meu amor – com os dedos pegou uma quantidade generosa de chantilly. – Ainda tem um lugar que eu preciso comer – tocou os joelhos dele. – Abre as pernas para mim, abre?

Além do desejo da excitação, Itachi fez o que foi pedido e apoiou os tornozelos no sofá, ficando completamente exposto aos olhos do outro que brilharam com a cena obscena.

Sem delongas, Shisui passou o creme branco por toda virilha e introduzindo um dedo sem dificuldades no canal apertado. Só quando não havia mais resquícios da substância em seus dedos que o mais velho se deu por satisfeito. Espalmou as mãos nas bandas redondas da bunda Itachi e as afastou deixando ânus bem exibido aos seus olhos. Com uma lambida pegou boa parte do creme, mas não queria enrolar e por isso concentrou seus desejos na abertura pulsante forçando a língua na entrada, umedecendo a região com saliva.

- Shi...! Ah! Para de me torturar – pediu alucinado. Amava aquela caricia. Detestava o quão fragilizado ela o deixava.

- Seja bonzinho Tachi– riu estocando dois dedos no interior apertado vendo-o se arquear e suspirar dengosamente. Lambeu uma última vez o membro excitado e o som que escapou da boca dele, terminou de liquidar com seu controle.

Se aproximou e bombeou a própria ereção algumas vezes, guiando a ponta bulbosa a entradinha úmida. Em um movimento firme e lento entrou todo no corpo do namorado e gemeu pela pressão e calor em volta do pênis.

Itachi respirou fundo se concentrando no prazer e não da dor, essa era mínima. Os braços fortes de Shisui o agarravam pela lateral e ele começou a mover os quadris. Sentiu os olhos lacrimejarem quando sua próstata foi gostosamente massageada. Acompanhou os movimentos do primo rebolando lentamente.

Seus rostos estavam muito perto, conseguiam sentir suas respirações. O cheiro de sexo e chantilly se misturava. Shisui sorriu e deu um beijo estalado na boca inchada do namorado redobrando seus esforços. Itachi jogou a cabeça para trás e rebolou de forma magnifica de encontro ao mais velho, esse preferia manter os olhos bem abertos para ver seu membro desaparecer no corpo do primo e reaparecer a cada estocada e o jeito que ele estava se contorcendo de prazer.

Oh

Lambeu os lábios entre abertos e língua de Itachi buscou a sua em um beijo pecaminoso e molhado. Sentia o canal contrair e seu pênis pulsar, estava tão perto. Firmou as mãos nas coxas pálidas com força o suficiente para marcar e se impulsionou com intensidade contra o copo magro acertando a próstata todas as vezes. Itachi gritou rouco, arranhando seus braços pela intensidade do prazer.

- Shisui... Ah! Eu... eu vou – não havia folego em seus pulmões para concluir a frase,

- Goza meu amor, goza bem gostoso para mim.

O mais novo se arqueou e gritou sem som, uma lágrima de prazer escapou do seu olho conforme o orgasmo rasgou seu corpo. Maravilhado pela visão do primo gozando, somado a pressão extra em volta do seu membro, Shisui estocou só mais um vez e deixou-se ser arrebatado pelo prazer, mordendo o ombro do primo com furor.

Abraçou Itachi que estava mole e rapidamente retirou as algemas e jogou-a longe. Massageou os músculos dos braços com carinho. Sem coerência do que acontecia, o mais jovem deixou-se ser cuidado e gemeu de desgosto quando sentiu o primo sair do seu corpo.

Os dois se acomodaram no tapete da sala quietos, curtindo o momento pós orgástico. Pelo canto do olho, Shisui reparou que toda movimentação deles, o bolo que estava sobre o sofá virou espatifando-se no chão. Riu da bagunça o próprio sofá também estava de dar dó. Sentiu Itachi suspirar com o rosto no seu ombro.

- Shisui, desculpe por ter esquecido que hoje era dia dos namorados – ergueu o rosto. – Desculpe mesmo.

- Está tudo bem – garantiu acariciando o rosto que ainda conservava alguma vermelhidão. – Eu também exagerei, sei que você está sobre muita pressão.

- Não gosto quando brigamos – franziu a testa ao vê-lo sorrindo. – O que foi?

- Se a gente for se reconciliar desse jeito sempre que brigarmos eu voto por mais brigas – brincou rindo.

Itachi bufou, mas resolveu deixar para lá, estava saciado demais para discutir qualquer coisa naquela noite. Se acomodou no peito do namorado de novo, geralmente se incomodaria de estar todo melecado daquele jeito, mas não havia forças no seu corpo para levantar naquele momento.

- Tachi?

- Uh? – Murmurou sonolento.

- De onde saiu tudo isso?

- Bem – limpou a garganta. – Eu vi o bolo e os morangos e lembrei que você adora chantilly e tinha a coisa das algemas – a cada palavra o rosto do professor esquentava um pouco mais. – Achei que seria uma boa maneira de te compensar por estar tão ausente.

Quente pela declaração, Shisui o apertou entre seus braços.

- Foi uma excelente ideia mesmo, quem diria que morangos e chantilly poderiam ser tão versáteis.

Itachi riu sonolento. Aliviado pelo clima entre eles estar tão gostoso de novo. Dia dos namorados salvo com sucesso. Agora só precisava evitar que Shisui descobrisse que Sasuke tinha usado aquela data para pediu Naruto em noivado, do contrário seria chantageado por isso o resto da vida.

Mas aquilo era preocupação para o dia seguinte. 

8 de Julho de 2018 às 02:48 2 Denunciar Insira 4
Fim

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Raylanny Alves Raylanny Alves
Primeiramente quero dizer que estou muito honrada pelo presente QUE INCLUSIVE EU AMEI, AMEI MESMO <3 e me fiquei muito emocionada com a referencia Star Wars que você colocou - que foi culpa minha, não me arrependo de nada - e nossa mana, eu adorei o enredo e o desenrolar da historia, odeio o Danzou por ser um desgraçado odiador de uchihas e eu amei a personalidade que você colocou no Shisui, fazendo ele não ser tão pacifico e pau mandado, evidenciando totalmente o ódio uchiha que habita as profundezas daquele coraçãozinho dele, inclusive amei a expressão "GENIO DE DEMÔNIO INCARNADO" vou aderir hsuahhsuhs. Como eu te falei la no Facebook eu achei que o meu princeso exagerou com o Itachi, mas eu entendo ele e depois só quis colocar ele num potinho e proteger do mundo depois, ele não merece ser negligenciado assim e fico feliz que o Itachi tenha se tocado disso no fim - deuso sensato, lerdo mas sensato - e esse Naruto debochado? ele tirou uma com a cara do Itachi e ainda jogou umas boas verdades na cara desses dois irmãos uchihas tapados para o amor kkkkkkkkk. O LEMON FOI A MINHA LOUCURA, EU SENTI O GOSTO DO CHANTILLY DAQUI, PQP, FOI TUDO TÃO BOM, CHEGA A MANTEIGA DERRETEU! E AS ALGEMAS AAAAAAA ATÉ ACHEI QUE IA ROLAR UM BDSM, MAS NÃO FOI DESSA VEZ HAHAHA. Enfim, eu amei o presente- mesmo sendo atrasado -, de verdade! A historia está ótima, fluiu super bem, não foi cansativa de ler e apesar de ter alguns errinhos bobos ela não se tornou menos maravilhosa, parabéns por fazer essa obra de arte lindona <3
8 de Julho de 2018 às 15:13

  • Thammi RB Thammi RB
    Ray! Que bom que você gostou meu bolinho. Foi feito de coração para vc. Sim senhora, a referencia para Star Wars foi tudo sua culpa e a srta nem liga né u.u Fato, eu sempre coloco o Danzou como vilão. SEMPRE. Ranço eterno, nunca gostei muito da cara dele e quando descobri o que ele fez HÀ piorou! Na verdade meu ódio de consagrou quando ele mostrou aquele braço nojento cheio de sharingans, tudo bem em matar os Uchiha, mas vamos pegar uns sharigans aqui malandramente FDP E FOI POR CAUSA DELE QUE O SHISUI MORREU! ÓDIO!!!!!! Falando no Sui, cara eu adorei fazer ele desse jeito, a personalidade dele é mais pacifica, mas todo mundo explode um dia e ele não poderia ser a exceção. Gênio do demonio encarnado faz referencia a todos os Uchiha, sem execssões, mas o primeiro lugar é disputado fielmente entre Sasuke e Madara. Olha eu te confesso que tava super insegura com o lemon e fico nas nuvens por vc ter aprovado. O que posso dizer, esses rapazes são amantes d doces auhsuahsuh. Perdão pelos erros amore, eu nem revisei isso direito e se fizesse ia atrasar ainda mais seu presente, mas quando tiver um tempinho eu ajeito tudo. ok? Beijokas. 15 de Julho de 2018 às 17:52
~