Deus me livre, mas quem me dera Seguir história

yura-neves1530676328 Yura SugaLip�dio

Deus me livre de Jeon Jungkook. Deus me livre daquelas mãos grandes e elegantes de dedos longos. Deus me livre daquela voz grave sedutora. Deus me livre dos músculos bem trabalhados. Deus me livre do que as fofocas dizem sobre o desempenho nos lençóis. Deus me livre, mas quem me dera.


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#lgbt #namjoon #sexo #bts #seokjin #hoseok #jungkook #jimin #blackpink #rosé #jennie #lemon #Jackson #taehyung #Jisso #vhope #jikook #namjin #pwp #kookmin #got7 #markson #mark #lisa #YuraSugaLipidio
19
6358 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Jeon Jungkook ataca minha sanidade...

"TaeViadaLoka:

Tô te esperando no banheiro!"

Desliguei o celular ao ver a mensagem do meu melhor amigo e acelerei os passos pelos corredores vazios da faculdade, subindo os lances de escada na velocidade da luz.

Chegar atrasado era algo que acontecia muito comigo, sou muito preguiçoso e sempre tenho preguiça de levantar cedo o que resultava em chegar atrasado na faculdade toda hora e, para não ser punido, me fechar no banheiro até o começo da próxima aula. Sim, sou um irresponsável, me julguem. Por sorte tinha um Kim Taehyung como melhor amigo para dar um jeito de sair da sala e matar a aula comigo, então eu nunca ficava sozinho e nem morria de tédio, amém.

Adentrei o banheiro, passando pela porta pesada, ofegante por ter corrido tanto, fazendo uma careta nada boa ao sentir o cheiro insuportável do lugar - Sinceramente, ou ninguém limpava aquela porcaria, ou algum aluno maldito tinha muita caganeira e passava naquele banheiro todas as fuking manhãs para se aliviar, porque eita lugarzinho fedido da porra. - e logo encontrei meu amigo dos cabelos marrons do outro lado. Ele parecia impaciente e batia um dos pés, repetidas vezes, contra o chão. Um fato sobre Kim Taehyung: Ele odeia matar aula.

-De novo, Park Jimin? - Perguntou ele, o olhar cheio de reprovação me fitando bem nos olhos, o que teria me feito estremecer se eu não estivesse acostumado.

Dei de ombros e sorri amarelo.

-Você me conhece. - Acho que sou sem vergonha...

Taehyung revirou os olhos antes de deixar aquilo de lado e sorrir quadrado.

-Você perdeu o professor paquerando a inspetora. - E riu baixinho.

-O que? - Perguntei, erguendo as sobrancelhas, curioso, me aproximando de si.

-A inspetora foi até a nossa sala para passar um aviso lá, algo sobre os jogos de handball terem começado, sei lá, daí o professor ficou secando ela. - E riu alto. - A menina ficou toda constrangida, coitada. O professor encarou tanto ela que acho que ela quase virou o deserto do Saara. Depois disso, quando a mulher saiu da sala, geral ficou zuando o professor, falando que ele era um machista tarado. - E riu mais ainda, usando uma das mãos para cobrir os lábios.

-Aff... Por que as coisas legais só acontecem quando eu estou fora de sala? - Perguntei, emburrado. - Quando estou presente só acontece o de sempre, exercícios e mais exercícios, chatisse atrás de chatisse. - E suspirei alto. - Por que eu escolhi fazer direito mesmo? - E confesso que a pergunta foi feita mais para eu mesmo e para Deus do que para meu amigo, este que me encarou com um pequeno sorrisinho na face.

-Por que você é um idiota medroso. - Respondeu.

Emburrei mais ainda, um bico enorme surgindo na face. Só Deus sabia o quanto eu não gostava daquele curso maldito, cheio de aulas de história e filosofia. Um fato sobre mim: Eu não era inteligente o bastante para usar o cérebro, então preferia usar o corpo e não, não estou falando sobre prostituição, embora me pareça um bom segundo plano.

-Obrigado por me lembrar disso. - E bufei alto.

Taehyung deu de ombros.

-De nada. - E apoiou-se, de costas, sobre a pedra levemente molhada da pia, suspirando alto e jogando a cabeça para trás, os fios castanhos afastando-se da face. - Fora a coisa do professor machista tarado, acho que você não perdeu nada. Foi só uma aula mesmo. Sabe como é, a mesma coisa de sempre. Professor chegando cinco minutos atrasado, alunos fazendo baderna e arrancando as folhas dos livros para fazer dobraduras de aviãozinho e tacar no cabelos das meninas, as meninas suspirando por Jeon Jungkook e tentando desviar das dobraduras... - E eu tinha certeza de que Taehyung havia citado aquele nome maldito para me provocar, porque só Deus sabe como eu odiava Jeon Jungkook. Sim, conseguia odiá-lo mais que o maldito curso de direito.

Revirei os olhos.

-Cegas... - Murmurei. - Sinceramente, o que elas veem nele?

-Um cara sociável, inteligente e com um abdômen gostoso? - Perguntou, rindo baixinho, como se aquilo fosse estupidamente óbvio o único cego alí fosse eu. - Sério, todas as vezes que eu vejo ele tirar a camisa, no vestiário, eu quase morro. - E uma de suas mãos foi usada para se abanar, como se, de repente, houvesse ficado com calor.

Revirei os olhos. Devia estar com fogo no cu... Quase liguei para os bombeiros avisando que a bunda do meu melhor amigo poderia causar um incêndio na faculdade a qualquer instante.

-Por isso eu não gosto dele. Por que diabos ele precisa ficar tirando a camisa? - Perguntei, indignado. - Sinceramente, só pra ficar se exibindo mesmo.

E esse era o meu hobby favorito: Falar mal de Jeon Jungkook. E, acreditem, eu era tão bom nisso que conseguia fazê-lo mesmo se grudassem minha boca com um esparadrapo. Parece impossível, mas eu conseguia afinal, Jeon Jungkook era um idiota de primeira.

Jungkook era um dos alunos mais populares do campus desde o primeiro dia da faculdade. Era dos anos mais novo que todos da turma, mas havia passado direto pela quarta e quinta série e era incrível como todos o achavam extremamente inteligente por causa disso. Como se precisasse ser inteligente para passar direto pela quarta e quinta série... Em exatas você só aprende a enfiar letras nas contas e em humanas você aprende sobre os órgãos reprodutores do corpo humano. - O que, cá entre nós, dá pra aprender onde fica cada coisa só enfiando a mão ali e é bem mais gostoso do que ficar assistindo a uma aula entediante.

-Jimin, todo mundo troca de camisa nos dias quentes, até você. - Disse Taehyung, sorrindo ladino.

-É diferente! - Exclamei em minha defesa. - Eu não gasto horas na academia para ficar todo molhadinho e sair por aí exibindo meu corpo!

Taehyung riu alto, tombando a cabeça para trás, antes de negar com a cabeça algumas vezes.

-Se eu tivesse aquele corpo, trocaria de camisa todos os dias e nem me daria ao trabalho de entrar no vestiário para fazer isso. Tenho certeza de que, se eu trocasse no meio do campus, ninguém reclamaria.

-Eu reclamaria. - Garanti de forma rápida. - Ele é fútil e eu nem acho o corpo dele tão bonito assim... - Resmunguei. Ok, não era cem por cento verdade, mas ninguém precisava saber disso.

Jeon Jungkook era o garoto perfeito típico das faculdades ao redor do mundo. Rosto bonito, corpo sarado, vários amigos, notas altas e uma reputação baba ovo de primeira. Jungkook adorava malhar e todos sabiam disso já que, vez ou outra, ele vestia a camisa do uniforme da universidade - Esta que era obrigatória. - após chegar na mesma, já que malhava durante as manhãs e chegava no campus com roupa de academia. Enfim, mesmo que nada disso acontecesse, era meio óbvio que ele malhava. Qual é, ninguém podia ter aquele corpo sem fazer absolutamente nada, tipo eu que só sabia fazer exercício se este fosse sexo!

-De que adianta ser um rato de academia se for pra ser tão fútil assim? - Perguntei, baixinho. - Ele deve tomar aquelas drogas lá que te deixam sarado, é impossível ter aquele corpo de forma natural. - E sorri cruelmente, pronto para jogar meu veneno. - Dizem que, quem toma essas coisas aí, tem o pau bem pequeno tipo uma pimentinha minúsc... - E minha voz foi cortada pela porta do banheiro sendo aberta.

Dei um pulo baixinho com o susto e posso jurar que, de repente, foi como se tudo ficasse em câmera lenta e tudo ao meu redor desaparecesse.

Era Jeon Jungkook quem havia entrado e o idiota tinha um rosto tão malditamente perfeito que tudo o que fazia parecia brilhar, inclusive entrar no banheiro fedido da faculdade.

Ele fechou a porta num movimento único e gracioso, uma de suas mãos jogou parte do cabelo escuro para longe dos olhos, liberando as feições estonteantes, e caminhou de maneira um tanto apressada em direção aos mictórios. Ele posicionou-se de frente para seu alvo e uma das mãos grandes foi até o fecho da calça jeans escura e o abriu com os dedos longos habilidosos, logo baixando o zíper e tirando o pênis para fora e, puta que pariu, Jesus! Aquilo não podia ser um pau, aquilo era uma mangueira inteira! Oh, Deus, parecia o cabo de uma vassoura, uma fuking anaconda! Era quase um poste!

Foi questão de tempo até que Jungkook fizesse tudo o que precisava - Sem detalhes aqui, por favor. - colocasse aquele arranha céu dentro da cueca, de maneira desajeitada - O que é o mínimo esperado de alguém que não tem um pau, mas sim uma terceira perna. - fechasse a calça rapidamente e se retirasse do banheiro em silêncio, como se não tivesse acabado de tirar uma arma fatal do meio das pernas. Acho que ele sequer nos viu alí, o encarando de boca aberta...

Um assobio longo abandonou os lábios do meu amigo antes que sua voz aparecesse, quebrando o silêncio que havia se instalado entre nós.

-O que você estava falando mesmo sobre tamanho de pau, Jimin? - Perguntou, mas eu sequer consegui processar pergunta, ainda estava um tanto chocado. Senti uma das mãos de Taehyung posicionar-se embaixo do meu queixo e levanta-lo, fazendo minha boca se fechar. - Fecha a boca, senão entra mosca. - Disse ele, rindo baixinho.

Fiz uma careta no mesmo instante, virando meu rosto para encará-lo.

-Pode parar com essa palhaçada. - O repreendi. - Pau grande nem é tão bom assim. As meninas vivem falando que machuca elas na hora do sexo.

-Sério? - Taehyung perguntou, rindo baixinho. - Então por que você estava com a boca aberta, parecendo que queria pagar um boquete? - Fiz uma careta em sua direção e o vi dar de ombros e murmurar, baixinho. - Ainda bem que não somos meninas...

Revirei os olhos, decidido a mudar de assunto.

-Olha, por que você não me fala sobre a parte da matéria que eu perdi da aula de hoje, em?

-Nada de mais. - Disse ele. - Algo sobre direitos autorais e...

E foi assim que consegui fazer meu amigo mudar de assunto já que, se continuássemos a falar sobre Jeon pauzudo Jungkook, eu poderia acabar explodindo de ódio. Como odiava aquele homem!

Taehyung era bem estudioso e gostava bastante daquele curso chato então, para fazê-lo mudar de assunto, eu tentava falar sobre as aulas ou sobre alguma matéria que não conseguia entender, isso sempre o fazia parar de me provocar e começar a me ensinar o conteúdo. Tenho certeza de que minhas notas só se mantinham na média porque Taehyung me ensinava toda a matéria, pelo menos, umas cem vezes por dia. - Ok, talvez eu esteja exagerando, mas eu juro que parecia tudo isso ai mesmo.

XXXXXXXX

-É sério, Namjoon, era enorme! - Exclamou Taehyung, mostrando os braços abertos para se referir ao tamanho. - Grande assim!

Revirei os olhos.

-Nem é pra tanto... - Resmunguei, emburrado.

-Só esta falando assim porque o seu é menor. - Argumentou Taehyung, sorrindo largo. Maldito provocador...

Namjoon apenas virou a face para rir do argumento do acastanhado e eu logo fiz uma carta indignada para os dois. Sério que eles eram meus amigos?

-Óbvio que o meu é menor, eu sou um ser humano, não um elefante! - Exclamei.

-Até porque elefantes são inteligentes e todo mundo sabe que você só é gênio quando está dançando. - Argumentou Namjoon, rindo mais ainda.

Kim Namjoon era um dos amigos da faculdade que vivia conversando comigo e Taehyung. Nós três éramos como os três mosqueteiros, as meninas super poderosas, ou as três espiãs demais, enfim, essas coisas aí que são idiotas, mas legais. - Já deixando bem claro que esses grupos de três pessoas sempre tem um membro sensato e inteligente e este claramente estava faltando no nosso.

Revirei os olhos, ignorando Kim Namjoon.

-O do Tae também é menor que eu já vi. - Sim, eu e Taehyung vivos nos trocando juntos, principalmente quando íamos para alguma balada e precisamos da opinião do outro sobre nossas roupas, e sempre fazíamos uma "competição de quem tem o maior pênis mole". Pois é... Falei que faltava o membro inteligente no nosso grupo... E não pensem que Namjoon era muito melhor que nós dois porque eu sei que ele vivia se masturbando enquanto a irmã mais nova, de apenas dois anos, ouvia as músicas do Barney no quarto ao lado. Kim Namjoon não presta, já tem seu lugar garantido no inferno, certeza. Bem... Pelo menos, iríamos os três para lá juntos.

-Aish, Jimin. - O acastanhado resmungou. - Óbvio que o meu é menor que aquilo, mas, pelo menos, é maior que o seu.

-Não é mesmo! - Exclamei, enraivecido.

-Claro que é, eu sempre ganho em tamanho!

-Foda-se, seu pau é roxo e tem umas veias super marcadas, é feio! - Exclamei, já apertando as mãos em punhos firmes, pronto para dar na cara daquele viado se fosse preciso.

-Jimin, o seu pau é tão pequeno e grosso que parece uma rolha de garrafa.

-Hey, vocês dois... - Namjoon tentou nos chamar, baixinho, mas não era como se nós estivéssemos prestando atenção nele.

-Kim Taehyung, seu pau é tão comprido e fino que, quando entra no cu, não dá nem pra sentir porque parece uma agulha. Se seu pau fosse uma modelo, ele teria anorexia! - Exclamei, apertando os olhos para meu amigo, este que mordeu o lábio inferior para conter o riso. Taehyung estava, claramente, me levando na brincadeira, mas eu não estava alí para brincar. Nunca ofenda o pau de um homem, isso sempre dá ruim.

-Am... Jimin, Tae... - Namjoon tentou nos chamar uma vez mais, mas, antes que eu pudesse sequer pensar em responde-lo, a naja atacou novamente.

-E o seu seria um anão, tipo aquele do game of thrones.

Sorri malicioso.

-Bem, pelo menos ele "atua" bem. Se seu pau fosse ator, seria a Kristen Stewart, de tão péssimo que é na hora da "ação".

-Pelo amor de Deus, vocês dois, tem gente olhando! - Namjoon exclamou alto, quase num grito, e aquilo foi o bastante para que eu e Taehyung nos olhássemos e arregalassemos os olhos um para o outro antes de tomarmos coragem para olhar em volta e encontrar algumas pessoas nos assistindo e cochichando enquanto riam baixinho.

Um grupo de garotas a nossa esquerda se cutucava e ria agudo, alguns rapazes a nossa direita franziam as testas em nossa direção e uma dupla de meninas cochichava alto e posso jurar que as ouvi falando algo como: "O loiro tem uma pimentinha?"

Fechei a cara na mesma hora e corei fortemente. Sim, eu tinha uma pimentinha, mas não era no meio das pernas, era nas bochechas mesmo. Garotas chatas, por isso gosto de caras! Elas nem pau tem e vem ficar falando mal dos que tem... E nem é tão pequeno assim... Aff... Fiquei chateado...

-Jimin. - E aquela voz chamou a minha atenção repentinamente, vinda de trás de mim.

Franzi as sobrancelhas e me virei, encontrando a única pessoa que eu realmente não queria ver nem pintado de merda. - Ok, talvez fosse legal vê-lo pintado de merda. Eu, com certeza, tiraria uma foto e mandaria para a escola toda apenas para que percebessem que Jeon Jungkook não era tudo aquilo.

-O-Oi. - Gaguejei, ainda envergonhado. Por Deus, será que ele havia ouvido tudo?

-Então... - Ele sorriu, um tanto sem graça, e parecia levemente envergonhado. Jungkook tinha um sorriso em formato de coelho, bem infantil, e as garotas derretiam por aquela característica. Bando de papa anjo... - Am... Tamanho não é documento, sim?

E minha face se fechou ainda mais ao ouvir Kim Taehyung rir alto junto a Namjoon ao meu lado e quase me virei para dar um tapa da cara daqueles dois idiotas, mas estava ocupado demais fuzilando Jeon Jungkook com olhar. Acho que ele falou aquilo para tentar fazer eu me sentir melhor, mas não rolou, eu só queria voar pra cima dele e enche-lo de murros no meio daquela cara de bebê.

-Escuta aqui, Jeon Jungkook. - E, ao ver que eu realmente havia ficado irritado com seu comentário, o sorriso de coelho se foi e posso dizer que ele ficou tão nervoso que recuou um passo suavemente. - Não é porque você tem um King Kong no meio das pernas que precisa ficar falando do pau de tamanho normal, repito, tamanho normal, completamente normal, dos outros. Você é o único anormal aqui!

E Jungkook manteve-se congelado durante alguns segundos, um tanto assustado, antes de seus lábios se curvarem, contendo um sorriso largo, e então uma risada alta explodir de dentro de si. Jungkook riu, Taehyung riu, Namjoon quase roleu de rir e eu só queria mata-los. Jungkook riu tanto que teve que levar as mãos para abraçar a própria barriga, se curvando para baixo e quase ficando sem ar. Babaca... Até a risada do idiota era agradável. - Me recuso a dizer bonita.

-Ah, Jimin. Você me mata. - Ele falou, ainda rindo alto.

Ah, mato mesmo. Se aquele babaca continuasse rindo da minha cara eu, com certeza, o mataria.

-Não liga não, Jungkook. - Falou Taehyung, abraçando-me pelo pescoço. Inflei as bochechas, irritado. Desde quando aqueles dois eram amigos? Taehyung estava escondendo seus novos amigos de mim? Mas que palhaçada era aquela? - É que o Jimin morre de inveja de você.

Fiz uma careta para o idiota de cabelos castanhos e estava prestes a respondê-lo de maneira bem grosseira, mas acabou que Kim Namjoon pegou uma das minhas mãos e me fitou nas orbes, ainda rindo da minha cara.

-Jimin, calma, tudo bem ter uma minhoquinha ao invés de um King Kong.

-Kim Namjoon! - Exclamei irritado. - Você fique quieto que eu tenho certeza que nem você é tão pauzudo quanto esse aí! - E apontei para Jungkook, mas sem desviar os olhos de Namjoon. - Você não tem ideia do tamanho da coisa, parece que se entupiu de fermento quando estava em fase de crescimento. Imagine aquela coisa dura!

E, novamente, Jungkook riu alto junto de meus outros dois amigos.

-Ai, Jimin. Pare, por favor. - Implorou o "piroca master", rindo cada vez mais e agora mesmo as poucas pessoas que encaravam nossa discussão escandalosa riam baixinho, de forma quase discreta. Quase. - Você está me matando. - Disse ele, espremendo se ao rir ainda mais. Idiota...

-Venha, Minnie, vou te pagar aquele suco que tem na lanchonete e eu sei que você gosta. - E Taehyung pegou minhas duas mãos e me puxou para sair dali, numa tentativa de tentar fazer com que eu parasse de pagar mico o que. Cá entre nós, é praticamente impossível já que eu nasci pra isso.

Segui meu melhor amigo e confesso que o fiz só porque queria o suco de graça. Não sou tão trouxa assim para recusas comida de graça.

-Me desculpe por tudo isso, Jungkook. - Disse Namjoon para o moreno sedução da faculdade, antes de seguir eu e Taehyung, mas Jungkook sequer conseguiu respondê-lo de tanto que ria o babaca.

XXXXXXXX

-Eu juro que não estou trocando nossa amizade pelo Jungkook, para de falar merda, Minnie. - Insistiu Taehyung, revirando os olhos. - Até te paguei um suco! - Argumentou ele, apontando para a minha caixinha quadradinha e gelada como se aquilo provasse algo.

-Minnie, não fica assim. - Pediu Namjoon, quase implorando, ao que me assistia terminar a caixinha de suco, ainda irritado com os outros dois sentados nas cadeiras que haviam ao redor da mesa arredondada da lanchonete do campus. - Me desculpe por ter rido, é só que você é muito engraçado.

-Ria do Taehyung então, ele é muito mais engraçado que eu. - E amassei a caixinha de papelão vazia numa só mão, numa tentativa de parecer ameaçador, mas minhas mãos são tão pequenas que não consegui amassar a caixinha inteira e tive que apenas joga-lá no lixo ali perto, ficando ainda mais emburrado por isso e vendo Namjoon conter o riso ao perceber minha falha.

-Eu aprendi a ser assim com você. - Argumentou o acastanhado, dando de ombros. - Se sou assim, a culpa é sua e, veja bem, tenho algo para contar que vai animar vocês dois. - E foi instantâneo que eu e Namjoon fitassemos Taehyung atentamente, curiosos. - Sabem Jung Hoseok?

Jung Hoseok, um ou dois anos mais velho que todos nós ali, jogador do time de handball da faculdade, bonito, inteligente e engraçado, sempre feliz. Esse era o perfil de um dos jogadores mais sociáveis que havia pelo campus.

-Sim, o que tem ele? - Perguntou Namjoon, inclinando-se mais ainda na direção de Taehyung.

-É aniversário dele amanhã, vocês estão sabendo?

-Não, nem ouvi falar... - Comentei. - Ele vai fazer uma festa que nem a do ano passado? Geral falou que foi bem legal...

-Foi sim, ele me falou. - Disse Taehyung, sorrindo quadrado, um tanto orgulhoso.

-Espera. - Falou Namjoon, pensativo, erguendo uma das mãos aberta no ar, num gesto que pedia por um tempo para processar a informação. - Ele te falou? - Perguntou. - Achei que vocês nem fossem da mesma turma...

-E não somos. - E o acastanhado deu início a sua explicação. - Fui assistir um dos jogos com meu pai, ele vive insistindo pra que faça isso, acho que ele acha que ver handball vai me deixar mais hétero, vai entender. - E deu de ombros. - Como se ver homens correndo atrás de uma bola deixasse alguém hétero, sei lá qual é a lógica que meu pai ussa. Os jogadores são todos sarados e gostosos, assistir ao jogo apenas me incentiva a dar a bunda até cansar.

-Como se você cansasse de dar a bunda... - Resmunguei.

-Continue, Tae. - Namjoon incentivou, animado.

-Então, num desses jogos o Hoseok acabou puxando assunto comigo depois do jogo acabar e nós conversamos algumas vezes. Até desconfiei que ele pudesse estar a fim de mim, mas nada de mais, por isso não contei nada para vocês.

-Traidor... - Resmunguei novamente. - Aposto que contou pro Jeon pauzudo Jungkook, seu novo amiguinho...

-Park Jimin, você pare de ser ciumento. - Taehyung me repreendeu, apenas me arrancando um biquinho emburrado. - Enfim, Hoseok me chamou para ir ao aniversário dele e, como eu sou um ótimo amigo... - E revirei os olhos de forma bem aparente nesta parte, o que fez Taehyung me dar um tapinha no ombro. - ...Falei para ele que não poderia ir porque combinei de sair com vocês dois.

-Mas nós não combinamos nada... - Argumentei, franzindo as sobrancelhas.

-Exatamente, Jimin. Pare de ser tão lerdo! Eu falei aquilo porque o Hoseok disse que eu podia levar vocês dois pra festa também.

E foi maravilhosa a energia que se instalou na mesa naquele momento. Eu deixei toda a minha raiva e ciúmes de lado para sorrir num eye smile aberto e Namjoon não tinha uma expressão muito diferente da minha. As festas de Jung Hoseok sempre eram incríveis e todos sabiam disso, mas poucos eram convidados. Normalmente o jogador ruivo chamava apenas os seus colegas de classe, os membros do handebol e alguns poucos amigos próximos e todos os outros - Como nos três, pobres membros da ralé. - ficavam apenas na vontade e ouvindo os boatos sobre como a festa foi incrível e como noventa por cento dos alunos bebei feito louco pagou muito mico.

-Oh, Taehyung, você é o melhor amigo do mundo! - Exclamei, o abraçando e beijando sua bochecha.

-Interesseiro. - Disse ele, mas sem estar realmente irritado. - E, só para você saber, eu não convidei o Jungkook.

-Ainda bem. - Falou Namjoon. - Se tivesse convidado, Jimin te mataria.

-Não mataria não. - Garanti. - Eu não vivo sem o Tae. - E dei mais um beijinho em sua bochecha macia.

-Mentiroso. - Ele me repreendeu com o olhar. - Você não me mataria porque, sem mim, não consegue entrar na festa.

E sorri largo.

-É, você me conhece bem.

XXXXXXXX

-Assim? - Perguntei para Taehyung, exibindo meu terceiro look da noite. - Acha que está bom?

Taehyung analisou minhas roupas de cima a baixo durante alguns segundos antes de negar com a cabeça.

-Não parece você. - Disse ele.

Dei de ombros antes de analisar meu reflexo no espelho do quarto bagunçado. - Sim, tenho preguiça até de arrumar essa merda.

Eu trajava roupas totalmente pretas, camiseta preta com uma estampa escura - Presente de algum primo no amigo secreto de natal. - uma jaqueta jeans de couro que era do Taehyung na verdade, calça escura e apertada e sapatos enormes e negros com alguns detalhes em vermelho e azul bem vibrante. - Também do Taehyung.

-Tem razão. - Concordei, um tanto desanimado. - É só que você sabe que minhas roupas são bem infantis e geral me enche o saco por causa disso, não quero que me achem idiota... - Murmurei, um biquinho formando-se em meus lábios

Taehyung bufou alto antes de se aproximar, pegar em meus ombros firmemente e me fitar fixamente nas orbes escuras e eu soube que ele estava prestes a me dar uma bronca.

-Pare de falar merda. - Pediu. - Você está sempre preocupando demais com o que os outros pensam e isso nunca vai te levar a lugar nenhum. Eu odeio quando você faz isso e estou te falando essas coisas porque você é meu amigo, me entendeu?

Confirmei, entristecido. Eu e Taehyung tínhamos esse tipo de conversa de vez em quando. A verdade era que eu sempre sentia a necessidade de agradar a todos, toda hora e não sei explicar o porque disso, não sei porque me importava tanto, só sei que era realmente importante para mim e isso me pressionava muito.

-Ainda assim... - Murmurei, baixinho. - Acho que sou assim mesmo. - E me analisei uma última vez no espelho. Aquelas roupas não tinham nada a ver comigo, mas eu estava bonito... Eu acho... Acho que nos outros me achariam bonito também...

Taehyung revirou os olhos, desistindo e erguendo ambas as mãos abertas para o alto.

-Você que sabe. Só, se for mudar de ideia, seja rápido porque logo o Namjoon chega para nos dar carona.

XXXXXXXX

-Minha virgem santíssima... - Taehyung sussurrou ao que nos colocamos para dentro da enorme casa de Jubg Hoseok e encontramos a maior festa de nossas vidas.

A casa era gigantesca, três andares super abertos e apenas o último não era ocupado pela bagunça. Música alta, luzes coloridas aos montes, bebida a vontade, mil e um tipos de salgados e doces espalhados pelas várias mesas, gentes dançando loucamente e uma piscina cheia aos fundos da casa, o gramado em volta da mesma cheio de confete que eu não tinha a menor ideia da onde havia surgido. Uma loucura completa.

-Devia ser proibido você falar sobre virgens e santas... - Murmurei. - Até porque aposto que já está pensando em para quem vai dar primeiro hoje.

-Pois eu aposto que ele já está pensando em para quem vai dar amanhã, já deve ter uma lista pronta para hoje. - Falou Namjoon.

-Vocês não prestam... - Taehyung murmurou. - Vamos beber e dançar que é pra isso que eu vim.

Confirmei com a cabeça antes de seguir meu melhor amigo, junto a Namjoon, para o pequeno balcão que alí havia para pedirmos por bebidas bem alcoólicas. Optei por não avisar Taehyung que todos ali já deviam saber que ele não foi a festa para dançar e beber, mas sim para procurar um bombeiro com uma enorme mangueira para apagar seu fogo, se é que você me entende...

Um fato sobre mim: Sou fraco para álcool. Sempre fui e sempre serei, e é por isso que tentei me controlar com todas as forças na bebida e posso dizer que funcionou, não fiquei podre de bêbado, apenas um pouco alegrinho e mais solto. Claro que, do jeito que sou um desastre, um pouquinho de álcool para dentro já pode resultar numa catástrofe e foi o que aconteceu.

Não sei qual foi o momento que eu gritei algo como: "Vou dançar!" e corri para o meio daquele amontoado de gente para me divertir. No começo, Taehyung e Namjoon me acompanharam e nós esfregamos nossos corpos, completamente alterados, nos divertindo loucamente sem nos importarmos com nada a nossa volta.

Quando me dei conta, Taehyung estava agarrado a Jung Hoseok em algum canto, o enchendo de beijos, e Kim Namjoon havia desaparecido, sei lá pra onde o cara foi, só sei que desapareceu. De qualquer forma, eu já havia bebido o bastante para não me importar com aquilo e, quando começou a tocar uma música que eu conhecia e gostava muito, meu corpo se mexeu de forma natural e eu perdi o controle por completo.

Remexi o quadril de um lado para o outro, as pernas descendo e subindo e, em algum momento, um sorriso surgiu em minha face e meus olhos se fecharam por completo. Naquele momento, dançando, de olhos fechados e alterado pelo álcool, eu era estupidamente feliz, eu era a pessoa mais feliz do mundo. A dança sempre mexeu muito comigo e eu nem percebi que algumas pessoas já haviam parado para me assistir - O que era péssimo. - e tudo se seguiu desta forma, extremamente livre, isso até sentir mãos se encaixando em minha cintura e me apertando de forma suave.

Não sou bobo nem nada e gosto de dar uns beijinhos por aí de vez em quando, mas claro que eu eu não beijo qualquer um e foi por isso que virei meu corpo para ver quem estava atrás de mim e surpreendi-me ao encontrar Jeon Jungkook com as mãos presas a minha cintura e sorrindo largo daquele jeitinho infantil. Arregalei meus olhos. Mas era óbvio que aquele idiota estaria ali, todos sabiam que Jungkook era amigo de todo mundo, óbvio que o babaca pauzudo foi convidado também. Ah, mas que raiva!

Senti minha face corar de vergonha quando seu nariz se aproximou de meu pescoço e sentiu meu cheiro e quase derreti com aquele toque. Por que eu não estava indo embora? Eu precisava dar um tapa naquele idiota! Ele realmente acha que, só por ser pirocudo, pode sair por aí agarrando os outros? Babaca! Idiota!

-S-Sai... - Tentei protestar, baixinho, sentindo o nariz de Jeon Jungkook se esfregar em meu pescoço.

As mãos grandes enlaçaram minha cintura e eu só queria matá-lo, mas ao mesmo tempo sentia-me tremer de nervosismo.

-Por que? - Perguntou no pé do meu ouvido, com aquela voz sensual ridícula. Acho que estremeci... Devia estar com frio.

-S-Sai! - Falei um pouco mais alto, ainda nervoso. Jungkook devia estar podre de bêbado, aquele cachaceiro de merda! Está aí mais uma coisa para a minha lista de coisas que odeio nesse cara. Usei minhas mãos pequenas para afastar as suas de meu corpo e sai em disparada dali, quase desesperado. Por Deus, por que estava tão nervoso assim? Por que estava tremendo e suando? Aquilo não estava certo. Jeon pauzudo Jungkook babaca!

Corri ainda mais por entre as pessoas, empurrando os corpos que brotavam na minha frente, sendo xingado algumas vezes, mas não estava nem aí, precisava sumir dali e rápido.

Senti uma mão segurar meu braço repentinamente e confesso que senti certo medo de que fosse Jungkook. Por que ele me deixava tão nervoso? Talvez fosse por causa daquele monstro que o idiota tinha dentro das calças... É, devia ser isso ai mesmo. Aposto que, se eu mandasse Jungkook para os produtores de Stranger things, eles transformaram aquela piroca numa estrela do seriado ou, talvez, eu o mandasse para aquele outro seriado dos super humanos... Seria no mínimo interessante ter um "Super piroca" ou um "PintoMan".

Para a minha sorte, quem me puxou fora Taehyung.

-Minnie. - Chamou.

-Oi. - Respondi, olhando em volta para ver se Jungkook não havia me seguido. Graças a Deus, não. Nem sinal do filho da puta, amém.

-Está procurando alguém? - Taehyung perguntou, franzindo as sobrancelhas e tombando a cabeça de cabelos castanhos levemente para a direita.

-Eu? Am... Não. - E ele não pareceu acreditar, o que significava que eu precisava de uma boa desculpa inventada, não estava nem um pouco afim de lhe contar sobre o episódio com Jungkook. - Eu... Estava procurando as bebidas. - E sorri amarelo.

Taehyung pareceu acreditar agora e tive certeza disso quando o vi sorrir quadrado em minha direção.

-Pretende ficar bêbado?

-Já nasci bêbado. - Brinquei, ouvindo sua risada escandalosa logo em seguida. - Mas, sério, não queria beber muito hoje e... Estou meio cansado... Quando vamos embora? - Confesso que eu só queria vazar, mas estava de carona com Namjoon.

-Vish, viado, sinto muito por você. - E o acastanhado riu alto. - Já falei com o Namjoon e nós vamos ficar até tarde.

-Tarde quanto? - Perguntei, sorrindo amarelo para disfarçar meu desconforto naquele lugar. Era terrível pensar que Jungkook podia estar me procurando por aí e que podia me encontrar a qualquer momento.

-Sei lá, talvez até amanhã. - E ele riu apertando os olhos o que me permitiu fazer uma careta desesperada sem ser notado. Merda... Aquilo era muito tempo... Só esperava que Jungkook fosse embora logo. - Vamos ficar aqui depois que geral for embora. O Hobi convidou algumas poucas pessoas para ficarem até de madrugada e eu estou nessa lista, consequentemente vocês dois também ficam. - E, novamente, sorri amarelo para disfarçar meu desconforto.

-Ah... Que bom... - E ri sem graça. - Nesse caso eu... Acho que vou dançar mais. - Menti. Não queria nem pensar em Jungkook me encontrando de novo e me agarrando por trás, fazendo-me derreter como gelatina.

-Falando nisso, você estava dançando muito bem. Andou treinando? Parece que está melhorando.

E minha face se tornou séria no mesmo instante.

-Tae, não vamos falar sobre isso. - Eu realmente não gostava de falar sobre a minha dança. Era um assunto delicado. Deixei de fazer a faculdade dos meus sonhos para cursar o que minha família queria que eu fizesse e isso, mesmo parecendo bobagem, mexia muito comigo. Minha dança era algo especial e eu queria evoluir, mas fica complicado estando dentro do curso de Direito, uma coisa que eu odiava. A única coisa que me interessa no direito é o direito que eu tenho de comer até o cu entupir, encher a cara nas baladas e descer a raba até o chão, nada além disso me importa. Talvez aquela coisa da ordem de restrição me interessasse também caso Jungkook continuasse a me encher e me abraçar por trás com aquele armamento pesado dentro da cueca.

-Minnie, você sabe que...

-Tae. - O interrompi. - Eu realmente não quero falar sobre isso. Só... Vamos nos divertir, sim?

Ele bufou alto e deu de ombros. Taehyung vivia dizendo que eu era um covarde por não fazer o que gostava e bem... Eu era mesmo.

-Tá bom. - Finalizou o assunto e um alívio me tomou junto de um sorrisinho pequeno, um tanto entristecido. - Eu vou beijar o Hoseok. - Declarou, dando-me as costas e caminhando para algum canto da festa.

Suspirei baixinho. Ótimo, agora só havia o problema de que eu não podia ir embora e precisava me manter longe de Jeon predador de Jimin's pauzudo Jungkook.

O resultado disso aí foram cerca de três ou quatro horas procurando lugares para me esconder e me manter longe dos olhos daquele moreno sedução. Eu me escondi tanto que, com certeza, já podia participar dos jogos vorazes. Primeiro fui até o banheiro e até consegui me manter lá dentro durante cerca de meia hora, mas então algumas pessoas começaram a entrar e fazer coisas que eu não estava nem um pouco afim de assistir, o que me fez vazar e ir direto para o segundo andar da casa e foi lá que vi Jungkook ao longe,conversando com alguns amigos, e quase entrei em pânico quando ele me viu e sorriu pequeno. Sai correndo em disparada, descendo as escadas feito um louco e quase tropeçando umas duas ou três vezes - Ok, talvez eu tenha entrado em pânico mesmo. - até acabar encontrando outro banheiro na casa, mas logo descobri que este também estava cheio de adolescentes com vontades um tanto grandes dentro das roupas íntimas e, pro Deus, tinha um casal hetero lá se pegando muito hard e só Deus sabe como eu tenho zero tesão em pegação hétero, os caras são muito chatos e não deixam as meninas fazerem quase nada, isso quando não cobram por um boquete e sequer conseguem achar a porra do clitores pra recompençar o fato de terem enchido a boca da menina de porra. Até eu que sou viado sei achar a porcaria de um clitoris!

Enfim, depois disso eu apenas caminhei por entre as pessoas que dançavam loucamente, tentando me camuflar. Até pensei em ir para a área da piscina, mas estavam fazendo uma brincadeira escrota de atirar os outros na água e, do jeito que sou pequeno, eu logo seria escolhido para me foder. - Como se não bastasse Jungkook, com aquele ônibus no meio das pernas, fodendo o meu psicológico.

Enfim, já eram duas da manhã quando a festa começou a esvaziar e duas e meia em ponto foi quando Kim Taehyung me encontrou em meio às poucas pessoas que haviam sobrado alí e puxou meu pulso, delicadamente.

-Minnie. - Chamou.

-O que foi? Já vamos embora? - Perguntei, cheio de esperança.

Sinceramente, estava arrependido de ter ido até aquela maldita festa. Passei horas me escondendo de Jungkook, perdi Taehyung para Jung Hoseok - E não dava nem para tentar competir com aquele cara, ele era mil vezes mais bonito que eu. - acabei descobrindo que Namjoon estava aos beijos com Seokjin, um dos jogadores colegas do aniversariante - O que era interessante já que Namjoon não é muito de pegar homens, ele costuma se divertir mais com as mulheres, mas já o vi com os dois. - e tudo isso para sequer encher a cara. Eu devia ter bebido todas enquanto pude para fazer toda aquela merda valer a pena!

-Está louco, Jimin? - Perguntou Taehyung. - Hoseok foi se despedir do resto do pessoal pra terminar a festa, vamos ficar nós e alguns amigos dele aqui pra jogar conversa fora e, sei lá, fazer alguma coisa. - Deu de ombros. - Por que você parece tão animado para ir embora?

Merda! Puta que pariu!

Ri sem graça e neguei com a cabeça.

-Acho que é só impressão sua. - E tornei a rir.

Impressão é minha pimentinha, eu queria vazar mais rapido que água pelo ralo em banheira cheia.

Ele estreitou os olhos, desconfiado, me analisando, o que me fez forçar ainda mais o sorriso, e então deu de ombros.

-Se você diz.

Suspirei baixinho em alívio.

-Onde está o Namjoon? - Perguntei.

Taehyung deu de ombros antes de responder.

-Eu achei ele com o Seokjin, passei o recado para irmos para o segundo andar e resolvi não atrapalhar mais os dois já que eles estavam no maior amasso.

-É... Eu vi isso. O Seokjin é bonito. - Observei

Taehyung sorriu cruel antes de me responder e eu soube, apenas por seu sorriso de vilão, que uma provocação estava prestes a me atingir.

-Não mais bonito que o Jungkook.

Sequer pensei antes de desferir um tapa em seu ombro.

-Não me fale desse babaca, Seokjin é mil vezes mais bonito!

-Mas você não tem inveja do Seokjin. - Ele me alfinetou, ainda sorrindo e logo se encolhendo para receber mais dois tapas meus.

-Eu não tenho inveja daquele babaca! - Exclamei.

-Seokjin também não deve ter aquela piroca gigantesca.

-Kim Taehyung! - Exclamei, indignado, descendo mais alguns tapas sobre os ombros de meu melhor amigo encolhido e o ouvindo começar a rir. - Deve sim! Aposto que, se Jungkook idiota te um ônibus no meio das pernas, Seokjin deve ter um trem!

-Quer dizer que ter pau grande é algo bom, Minnie? - Perguntou ele e eu desisti de o agredir para apenas fechar a cara, inflar as bochechas e marchar para longe, completamente irritado.

-Vou para o segundo andar. Te encontro lá com o Hoseok. Espero que ele apague seu fogo de uma vez e que você me dê um pouco de paz. - E me vi indignado ao perceber que Taehyung apenas riu mais ainda após minha fala, mas mantive-me com o objetivo inicial de ficar no segundo andar.

Subi as escadas e lá em cima estava uma bagunça. Copos de plástico para todos os lados, muito confete no chão, sujeira nas paredes, mas tudo parecia mais calmo que antes já que a música alta logo parou de tocar e fez um silêncio forte tomar conta do espaço.

Estremeci. Era tão estranho ver aquele lugar em silêncio...

-Vai ficar também? - E a voz feminina chamou minha atenção.

Franzi as sobrancelhas e olhei para frente, encontrando um pequeno grupo de pessoas reunidas num cantinho da casa. Num sofá verde claro haviam quatro garotas espremidas no centro, em ambos os braços do sofá dois garotos me encaravam um tanto curiosos e, no chão, mais três pessoas se encontravam sentadas: Namjoon, Seokjin e o pesadelo pirocudo da minha vida. Quase perdi o ar ao encontrá-lo ali, talvez tenha perdido mesmo, mas isso é apenas um detalhe. Apertei os lábios antes de tornar a focar na garota dos cabelos loiros e curtos que se dirigiu a mim anteriormente.

-O que? - Perguntei.

Uma menina de cabelos ruivos e suavemente ondulados, inclinou-se para frente no sofá, para me encarar, e sorriu doce.

-Você vai ficar até mais tarde aqui?

E então confirmei com a cabeça, um tanto envergonhado. Só conhecia Namjoon ali...

-Vou.

-Ele é meu amigo. - Falou Namjoon e logo recebeu os sorrisos alheios. É, parecia que Namjoon já havia se enturmado ali. - Chega mais, Jimin. - E fez um sinal para que eu me aproximasse. - Assim que o Hoseok terminar lá embaixo, ele e o Tae sobem aqui também.

Confirmei com a cabeça antes de me aproximar do pequeno grupo e me acomodar no chão, próximo a Namjoon, tentando ignorar ao máximo a presença de Jeon Jungkook ali.

-Então, me apresentando. Eu sou a Lisa. - Disse a garota dos cabelos loiros e curtos, sorrindo docemente. - Sou da turma do Hoseok de Engenharia Civil. - Apresentou-se.

Confirmei com a cabeça, um tanto intimidado, antes de ouvir a próxima garota, agora a ruiva de cabelo com ondas, se apresentar.

-Eu sou a Rosé, mas não sou da escola, nem a Jenny. - E apontou a garota acomodada ao seu lado, uma de cabelos castanhos bonitos e maquiagem bem pesada nos olhos belos e agateados. - Nós fomos convidadas para fazer parte da torcida, então só somos lideres de torcida na faculdade.

-Vocês são bonitas. - Observei. Nunca vi muito problema em elogiar garotas abertamente já que acho bem óbvio que gosto mesmo é da outra fruta.

Jenny e Rosé sorriram em minha direção e riram, levemente sem graça.

-Obrigada. - Falou a acastanhada.

-Minha vez. - E agora, quem se apresentava era uma menina dos cabelos negros e face Angelical. Ela me lembrava levemente Seokjin, mas mulher... - Sou a Jisso. Eu sou prima do Hoseok. - Disse ela. - Ainda não faço faculdade, vou entrar ano que vem. - Explicou-se. - Então não conheço ninguém aqui.

-Estamos juntos nessa. - A respondi e recebi um risinho da garota.

-Hey, e eu? - Perguntou Namjoon, numa falsa indignação.

-Você e ninguém dá na mesma. - Respondi sorrindo e recebi uma risada gostosa dos jovens ali presentes. Me sentia bem estando num grupo grande assim, com pessoas tão descontraídas. Talvez fosse apenas o álcool agindo no corpo de todos ali...

-Já que os idiotas não vão se apresentar... - Falou Lisa, revirando os olhos. - Esses dois aí são Jackson e Mark, o casal mais viado daqui. - E encarei os dois garotos sentados sobre os braços do sofá.

-Achei que os mais variados fossem Taehyung e Hoseok... - Sussurrei.

E todos ali tornaram a rir alto.

-E eles são. - Falou a ruiva, Rosé. - Só não conta isso para eles. - E agora eu tive que rir junto do pessoal.

-Acho que o resto você já conhece. - E a voz que surgiu foi a de Jungkook, o que me fez estremecer ao ter que encará-lo com aquele sorriso de coelho infantil estampado na face. - Eu, Namjoon e Seokjin. O Jin joga com o Hoseok no time de...

-Handebol. - Completei a frase, conrando suavemente. Por que estava tão nervoso? Devia ser a porra do álcool me alterando. - Eu sei.

-Cheguei viados! - Taehyung gritou ao se aproximar, com Jung Hoseok na sua cola.

-Tem como ser mais viado que isso? - Murmurei a pergunta e ouvi Seokjin, Namjoon e Jungkook, que estavam mais próximos a mim, riem baixinho.

-E então, o que vamos fazer? - O acastanhado perguntou, sentando-se sobre o chão sujo sem se importar muito com aquilo.

-Podemos fazer qualquer coisa, temos a casa livre. - Disse Hoseok. - Mas já são quase três da manhã e amanhã temos faculdade as sete, o que significa que precisamos ir embora mais cedo para podermos chegar em casa e nos vestir.

-Ou seja, todos seremos expulsos antes das seis. - Brincou Taehyung, arrancando risadas de todos ali.

Amém, eu só precisava aguentar mais três horas.

-Gente, preciso dizer algo. - E quando Taehyung falou aquilo eu soube que coisa boa não viria.

-Fala, Tae. - Disse Jungkook, sorrindo largo.

Mas que porra de intimidade era aquela pra cima do meu Taehyung?

Fiz uma careta de desgosto, mas acho que ninguém notou... Merda...

-O Jimin não bebeu quase nada hoje porque não queria ficar podre de bêbado.

E, naquele momento, eu juro que quase doei o Taehyung pro Jungkook. - Quase.

Olhei feio para o meu melhor amigo ao que ouvi todos ali começaram a me zuar enquanto riam alto, mesmo Jackson e Mark que era mais quietos riam de forma exagerada agora. É, eu havia acertado e agora tinha certeza, todos eles estavam bêbados.

-Não acredito, Jimin. - Falou Rosé, rindo alto, uma das mãos tapando a boca.

-Acho que precisamos fazer algo quanto a isso, não é? - E quem falou foi Jeon Jungkook. Não pude evitar encará-lo e ele sorriu ladino em minha direção, como se planejasse me ferrar.

Grandissimo de um filho da puta! É por isso que não doei o Taehyung pra ele, se juntar esses dois certeza que vai dar merda e essa porra vai feder para o meu lado!

-O que sugere? Alguém tem uma ideia? - Perguntou Namjoon e eu quase lhe dei um tapão na orelha por ele não ficar do meu lado. Porra, tínhamos faculdade no dia seguinte e, além disso, eu faço merda quando bebo e meus dois amigos filhos de uma puta sabem muito bem disso! Acho que preciso de amigos melhores...

-Vamos fazer o sete minutos de prazer. - Sugeriu Jisso e todos a encararam sorrindo largamente, claro que eu fui o único idiota que tombou a cabeça para o lado, uma expressão confusa na face, e Perguntou.

-É o que?

Taehyung riu baixinho da minha pergunta e negou com a cabeça algumas vezes.

-Ah, Jimin... Sempre tão bobinho. - E acariciou meus cabelos. Quase voei nele, a sorte desse viado era a que tínhamos plateia e eu ainda era um garotinho educado. - Sete minutos de prazer é bem simples de entender. - Essa parte é importante já que eu não era lá muito inteligente. - Geral vai sentar em círculo, vamos colocar uma garrafa no meio do círculo e girar, a garrafa vai parar apontando para duas pessoas e essas duas pessoas tem sete minutos de pegação garantidos, mas só sete minutos.

Franzi as sobrancelhas em estranhamento.

-Tá e onde a bebida entra nisso?

-Simples. - Falou Tae. - Nova regra: Se for selecionado, tem que beber. Hobi, pega lá uma garrafa de bebida! - Pediu para o jogador, este que sorriu em resposta, confirmando com a cabeça, e logo correu até o andar de baixo.

Acompanhei com os olhos Jung Hoseok se afastando.

-Mandou treinar ele? - Perguntei.

-Ele só faz tudo o que eu quero mesmo. - Falou Taehyung, arrumando os fios castanhos. - Ele gosta de me agradar.

-E você nem adora, né? - Perguntou Namjoon, irônico.

Taehyung sorriu sapeca.

-Odeio. - E riu baixinho de maneira cruel.

Pobre Jung Hoseok... A cabecinha dele nem fazia ideia do que se passava na mente cruel de Kim Taehyung.

Não demorou para que Hoseok voltasse com uma garrafa com algo colorido dentro que eu nem me dei ao trabalho de perguntar o que era - Teria que beber de qualquer jeito mesmo. - e logo nos organizamos em um enorme círculo no chão sujo.

É óbvio que eu me sentei entre Taehyung e Namjoon, já que queria ter certeza de que ficaria longe de Jeon pica grande Jungkook - Quanto mais longe, melhor. - mas o maldito do pau rei fez questão de se sentar bem na minha frente só para ficar me encarando como se dissesse: "Sou lindo e me acho o mais gostoso do mundo, lide com isso Park pauzinho Jimin".

Babaca total. Muito errado esse seu close, senhor pirocudo.

Jisso, Jennie, Rosé e Lisa sentaram-se uma ao lado da outra, como se não quisessem desgrudar - Talvez por serem as únicas meninas do grupo... - e o casal Mark e Jackson também ficaram lado a lado, de mãos dadas. Quanto grude... Jung Hoseok deu um jeito de se enfiar ao lado de Taehyung, o que fez no acastanhado sorrir quadrado para o jogador. Outro grude...

-Vamos lá. - Falou Lisa, terminando de virar o conteúdo de uma garrafa goela a baixo, soltando um "Ah!" quando chegou ao fim, e posicionando a garrafa no centro do círculo. - Vou girar. - Anunciou ela, encarando a todos nos olhos, como uma bruxa prestes a matar alguém. Assustadora. - Estão prontos?

-Manda a ver. - Falou Namjoon, já se animando com aquilo. Para ele era fácil, ele era bi e se pegava com os dois sexos. E quanto a mim? Se me colocassem pra beijar mulher eu já tinha em mente o plano perfeito de sair correndo. As meninas eram sim lindas, mas não curto a fruta não.

Lisa girou a garrafa de forma rápida, cheia de energia, e todos se inclinaram para frente para ver o resultado, os olhos vidrados no movimento que foi diminuindo aos poucos, cada vez mais lento.

E parou, fazendo com que todos soltasse a respiração que haviam prendido.

Do jeito que sou azarado, eu podia jurar que seria selecionado naquela merda, ja que sou um verdadeiro imã de azar e poderia muito bem atrair a ponta ou a bunda da garrafa, mas não foi o que aconteceu, o que me fez sorrir em alívio. Tudo menos pegar mulher!

-Namjoon e Jisso! - Rosé gritou, animada.

Namjoon riu alto ao ouvir a voz exageradamente alta da ruiva e Seokjin o acompanhou na risada. De faro, eles deviam ser apenas peguetes já que Seokjin estava levando numa boa, dando leves tapinhas nas costas do meu amigo.

-Ela é de maior, Hoseok? - Namjoon perguntou, rindo baixo.

Hoseok, naquele instante, arregalou os olhos e corou levemente.

-Puts... Esqueci disso... Jisso tem dezessete...

A morena bufou alto e se levantou, saindo da rodinha enquanto resmungava, caminhando até o sofá.

-Que droga, não sou mais criança...

-Qual é o problema em ela ter dezessete? - Sussurrei a pergunta no ouvido de Taehyung e ele logo me respondeu, baixinho.

-É que, às vezes, os sete minutos de prazer vão além de beijinhos, daí é melhor não brincar com menores de dezoito, embora eu tenha feito isso uma vez. - E riu sapeca com a lembrança. - Claro que ninguém da roda sabia da minha idade.

Sorri pequeno para ele. Taehyung tinha essa de fazer coisas muito erradas vez ou outra.

Jisso sentou-se no sofá, emburrada, cruzando os braços em frente ao peito.

-Vou assistir vocês então... - Disse ela, num quase suspiro.

-Não fique assim. - Hoseok a repreendeu. - Eu já fiz demais deixando você beber, se sua mãe descobre eu sou um homem morto.

E a garota apenas revirou os olhos e lhe mostrou o dedo do meio, claramente irritada, mas Hoseok a ignorou e encarou os outros membros do círculo.

-Vamos de novo? - Perguntou.

-Partiu. - Disse Lisa, se apressando em girar a garrafa uma vez mais.

Novamente, todos prenderam os olhos no movimento rápido e sorriram largo em pura ansiedade e eu soube que minha vida era uma merda quando a garrafa passou a se arrastar pelo chão e parou de ladinho, marcando eu e Taehyung.

Nós dois franzimos as sobrancelhas quando todos os outros riram alto e nos encaramos confusos, para então sorrimos largo. Iremos apontar, óbvio.

Taehyung me estendeu a mão e eu segurei na mesma. Sabia que tínhamos o mesmo plano idiota em mente.

-Vão pro banheiro, é só seguir reto no corredor e virar a esquerda. - Disse Jisso. - Acho que é o melhor lugar... É perto daqui e a porta não tem tranca. - E deu de ombros. - Não esqueçam de beber.

E a morena foi rápida em nos servir dois pequenos copinhos da bebida colorida e ambos os viramos num movimento único, fazendo uma careta ao sentir o líquido queimar a garganta. Era docinho, mas... Ruim. Estranho. Nos afastamos ouvindo todos os outros gritarem em alegria e animação. Bem, nós também estávamos animados.

Só acho que não ouvi a voz de Jungkook no meio da gritaria...

Enfim.

Fomos rápidos em nos lançarmos no banheiro e começamos a rir baixinho, tentando nos conter.

-Vamos fazer o que? Você teve a mesma ideia que eu? - Perguntei.

-Fingir que estamos trepando? Óbvio. - E rimos juntos, baixinho para ninguém desconfiar. - Ok, fazemos assim. Vamos esperar uns dois minutos pra fingir que estamos nos beijando e enfim, dai, depois disso começamos a gemer. Os gemidos vão crescendo até ficarem bem altos, depois disso podemos soltar a franga e até bater na porta e enfim.

Eu eu tive que rir da ideia maluca.

-Amei. - Concordei com absolutamente tudo. - Estou animado. Acho que eles vão acreditar.

-Sim, podemos gemer bem alto para eles não saberem quem é o passivo.

Franzi as sobrancelhas, confuso.

-Mas, Tae... Você vai ser o passivo.

Ele me encarou durante alguns segundos, fixamente, antes de começar a rir, como se eu tivesse dito a maior piada do mundo.

-Ah, tá. Você acha mesmo que fode alguém com essa pimentinha e essa bunda enorme que só falta uma placa de "Me coma"? - E tornou a rir.

Fechei a cara na mesma hora. Ah, mas aquilo não ficaria assim de maneira nenhuma.

-Ok então. Quem gemer mais baixo é o passivo. - E sim, eu estava levando aquilo bem a sério.

-Acho que já podemos começar. - Falou Taehyung, ainda rindo.

Nós nos aproximamos da porta e começamos a soltar gemidos baixos, sorrindo largo um para o outro em puro desafio e quase rindo daquela idiotice.

-Ah... Tae... Hum... - E ri logo em seguida, tapando a boca com uma das mãos.

-Ah, Minnie, mais... - Ele começou, fazendo uma careta em sua atuação que quase me fez rir alto. Quase.

-Oh, Tae! Isso, assim, ah... - E gemi um pouco mais alto.

-Oh, Minnie! Ah!

E assim nossos gemidos cresceram e cresceram e cresceram cada vez mais até que eu metesse meu primeiro soco na porta.

-Ah, Tae! Isso! - E mais um soco firme.

-Ah, Minnie! - E agora foi ele quem bateu firmemente contra a estrutura.

-Tae, Hum! - E me dediquei a gemer mais alto que ele. - Isso, vai!

-Gente, vou abrir. - E foi a voz de Lisa que fez-se presente. Nós paramos de atuar na mesma hora e caímos na gargalhada quando a garota abriu a porta com a face cheia de espanto. - Vocês... Mas o que... - E nós rimos ainda mais ao vê-la tão confusa. - Vocês estavam... Fingindo? - E ela finalmente se tocou e sua expressão tornousse divertida ao nos ver confirmando com a cabeça, incapazes de falar devido as risadas altas. - Caramba, a gente ficou assustado achando que o cu do Jimin seria partido ao meio.

E eu fechei a cara no mesmo instante.

-Por que o meu cu? - Perguntei, cruzando os braços em frente ao peito.

-O que? - Perguntou ela, franzindo as sobrancelhas.

-Por que o meu cu e não o do Taehyung?

-Para com isso, Jimin. Vamos logo. - E eu teria insistido na conversa se não fosse Kim Taehyung me arrastando de volta para a sala onde todos os outros nos aguardavam.

Chegando lá vimos todos ali com as faces um tanto assustadas, nos encarando fixamente, analisando cada pedacinho de nossos corpos. Devo dizer que Jungkook era quem tinha a expressão mais horrorizada.

-Caramba, Jimin. - Falou Jackson, o que me surpreendeu já que já havia percebido que ele e o namorado não eram de falar muito. - Aquilo estava alto... Você foi o passivo?

-O que? - Perguntei, indignado, e ouvi Taehyung rir junto a Lisa e ambos logo sentaram-se de volta no círculo de pessoas. - Geral vai pensar isso agora? - Perguntei. - Era fake, ok? Estávamos fingindo, trouxas... - E resmunguei baixinho antes de tornar a me sentar em meu lugar.

-Aff, seria legal se fosse verdade. - Comentou Jennie. - Vocês fariam um casal fofo. - E fez biquinho.

-É, mas o Taehyung já está com o Hoseok. - Falou Jungkook, firme. - Agora, vamos jogar?

Jennie deu de ombros antes de se inclinar para colocar a mão sobre a garrafa e girá-la num movimento forte. O vidro rodou algumas vezes, tendo o olhar de todos sobre si, inclusive o da morena que se mantinha sentada no sofá, e logo a garrafa foi diminuindo seu ritmo, cada vez mais lenta até parar e eu quase chorei ao ver que a ponta estava virada para mim.

-Ah, eu de novo? - questionei, indignado com a minha falta de sorte.

-Vai com o Jungkook. - Falou Taehyung e eu jurei que era uma piada até erguer o olhar e encontrar a bunda da garrafa virada para Jeon Jungkook e, acreditem ou não, o babaca estava sorrindo como criança quando ganha presente caro no natal. Eu sorria exatamente daquele jeito quando abria os pacotes de presente das minhas avós e descobria que não eram meias ou cuecas com estampas escrotas.

A cara de espanto que eu fiz em resposta deve ter sido muito engraçada porque não demorou nem dois segundos para que todos ali caíssem na gargalhada. Babacas.

Sabe aquela sensação de "Vou me foder"?

Pois é...

7 de Julho de 2018 às 23:06 1 Denunciar Insira 3
Leia o próximo capítulo ...E depois tira ela

Comentar algo

Publique!
Maira  Pareja Maira Pareja
Jajajaja celos tengo celos celos de tus ojos cuando abrazas a Tae tengo celos (la canta Kook ) ... Para Jimin .
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!