Harry Styles passou por aqui? Seguir história

vkookyes Vkook Yes

Acha que trabalhar no Starbucks é fácil? Pois, está enganado e Min Yoongi pode provar. Se ele escutasse aquela pergunta mais uma vez, surtaria! A menos que fosse de Jeon Jeongguk, aquele pelo qual tinha mais que uma queda, mas sim um lindo e perfeito tombo. Yoonkook | Fluffy?


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#bts #sugakook #kookyoon #yoonkook
Conto
7
4.9mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Passe o Recado

Min Yoongi possuía certeza de que não merecia passar por aquilo. De sete horas da manhã até meio dia, o seu maior pesadelo se fazia real naquele lugar — um pesadelo recém adquirido, inclusive.

Sempre quisera trabalhar no Starbucks, só para cheirar o cafezinho todo o tempo e ter um ambiente calmo para exercer benditos nadas atrás do caixa, afinal, pressupunha que seria naquele Coffe Shop tão famoso que pessoas importantes iniciariam o dia, conversando sobre assuntos tão importantes quanto.

No entanto, é claro e evidente que nada daquilo acontecia.

Yoongi estava farto de — pelo menos nos dois meses que ali estava foram assim — ter de responder a mesma pergunta de sempre: Harry Styles passou por aqui? Oh, céus! Havia tentado ser educado, por uma semana pelo menos, e não dera certo; jurava que explicara da forma mais gentil que podia: “Isso é só em fanfiction, meu bem. Nós estamos em Seul”. Só que, na segunda semana, não evitara que uma frase ácida escapulisse de seus finos lábios: “Aham, claro. Mas não vai te ver, porque não está de coque frouxo”, ou ainda “Fez o ritual certinho? Talvez ele passe aqui amanhã, viu?” — evidentemente fora a pior de suas frases, já que a bendita voltara no dia seguinte. Quis explodir a cabeça ruiva dela.

Bem, pelo menos algo bom recebera desse infortúnio.

Yoongi não se cansava de reclamar; falava aos quatro ventos que odiava essa situação cotidiana do paradeiro do ex-integrante da One Direction. Estava pensando seriamente em deixar os cabelos crescerem, colocá-los em um tom amendoado e colocar caracóis neles… para ver se satisfazia as garotas que o buscavam.

Porém, eis que em um belo dia cinzento o inusitado acontece.

Primeiro de tudo, o local estava vazio e seu substituto de turno chegou mais cedo

Segundo que conhecia muito bem aquele uniforme de colegial — ainda que ele estivesse em uma velocidade nada moderada, adentrando o estabelecimento. Era Jeon Jeongguk, um amigo de seu amigo — Hoseok — e seu paquerinha de um segundo (foi isso que havia dito para o Hobi, a fim de que ele não mirabolasse nenhum plano para aproximá-los). Também era estranho falar que possuía um tombo pelo garotinho recém adulto, sendo que já contava seus vinte e cinco anos de pura crise digna de uns oitenta.

Arrumou o moletom vermelho, odiou o boné combinando naquele momento, e ficou de soslaio olhando. Riu baixinho quando viu uma maçã verde na mão direita, uma faixa na cabeça, que quase criava um cogumelo nela, e por fim o rapaz caminhara em sua direção. O loiro arregalou os olhos, vendo um sorriso adorável brotar no rosto alheio.

— Bom dia.

— Muito bom… quer dizer, bom dia! — Saudou de volta, implorando às divindades para que não deixasse que sua pele se camuflasse na sua roupa.

— Você, por acaso, viu se Harry Styles passou por aqui? — Jeon questionou, trazendo à face iluminada e alva do menor as perfeitas trevas. Quis rir, mas segurou.

— Não, mas quando ele chegar, eu te aviso.

— Ah, não é necessário. Deixa um recado a ele?

— Claro — respondeu, trincando os dentes. Só podia ser coisa do Hoseok; e não estava mais certo porque era apenas um. — Algo muito importante?

— Uhum. Avisa ele que eu estou muito a fim de você e que tive que tomar atitude drástica.

— Aham, aviso si… Espera, o quê?

E o mundo de Yoongi caiu em seu colo. Literalmente, tamanho foi o susto que o celular, o fone, o potinho de bala e tudo que estava ali em sua frente, drástica e misteriosamente, acharam interessante acertar suas coxas e virilha.

— Filho da puta! — xingou, saindo da cadeira e abaixando para recolher as coisas.

— Nossa, quer ajuda? — Jeon ofereceu, ficando na ponta do pé para tentar vê-lo atrás daquela mesa.

— Não, não, eu estou bem. Bem demais. Uh, quão bem estou! — Suspirou, erguendo o corpo e apoiando no balcão, mas errando e acabando por passar direto, quase tomando um tombo; este ligeiramente menor do que o que sentia pelo outro rapaz.

— Vai passar o recado? — O acastanhado estava desiludido já. — Na verdade, quer saber? Desculpa, ignora isso, está bem? Eu não acredito que passei a vergonha do século com essa cantada!

No desespero, tudo flui. Vendo que o tombinho estava indo embora, caminhando de costas para a saída, Yoongi achou sensato tomar uma atitude.

— Foi o Hobi, não é?

— Pior que ele não me deu a ideia, juro. Ele só me contou de suas reclamações e eu bolei um jeitinho inovador de vir aqui, sei lá, tentar… Que mico! — Escondeu o rosto nas mãos e o Min não pôde achar tal ato mais adorável.

— Ótimo. Porque eu acho que o Harry está ali atrás, na dispensa… E olha que mágico! Meu horário está quase acabando — disse descaradamente, vendo o sorriso alheio aumentar, após ele confirmar. — Jimin, adianta sua vez neste inferno — gritou para o rapaz encostado em um dos bancos mais afastados da porta e que estava entretido demais no celular.

— Não sei o porquê de você não gostar. Vez ou outra eu arrumo um contatinho — o tal rapaz lamuriou, dando de ombros ao que recebia um rolar de olhos.

— Acho que acabo de arrumar O Contatinho — sussurrou, ao que o Park sentava em seu lugar e ele podia levantar, abrindo a passagem para que Jeongguk entrasse.

— Vou fingir que não vi nada — Jimin declarou, largando o celular.

— Bom garoto.

Yoongi mostrou o caminho para o acastanhado, quem passou em sua frente e caminhou entre os corredores, dando de cara com um pessoal da cozinha — que por sorte não o vira. A vergonha tomou conta de seu rosto e olhou para trás, vendo o Min atrás de ti e ainda por cima dando-lhe uma piscadela.

— Você não tem medo de perder o emprego não?

— Vai ser um favor.

Riram por fim.

Ao entrar no local apertado pelas vastas prateleiras, Jeongguk tratou de achar um cantinho bem escondido entre os pacotes de café. Yoongi o seguiu, encostando-o ainda mais na parede fria, ao segurá-lo pela cintura. Sentiu sua nuca ser agarrada e seu rosto ser levado para frente; deixou sentir os lábios cobiçados pelos seus durante aquela festa do aniversário do Hoseok todinha. E era uma sensação gostosa demais; arrependia-se de não ter tomado atitude naquele dia.

Depois daquele selo experimental, ambos manifestaram a intenção de aprofundá-lo, causando um estranhamento no início, devido à vontade descomedida, porém, ao longo dos toques íntimos entre as línguas, elas encontraram um ritmo que agradasse a ambos. Tanto que Jeongguk prendeu o hyung em seus braços repentinamente, dando um pequeno susto no outro, quem começou a rir baixinho e cortou o beijo.

— Tem certeza que ainda quer ver o Harry?

—X—

Lembrando-se daquilo, nem acreditava que já estava com o outro há quatro meses, namorando ainda por cima, e muito menos que não recebera uma bela carta de demissão.

Tais lembranças acalentavam o coração e levava sanidade à sua mente quando uma colegial chegava correndo naquele estabelecimento e buscava o tal do Harry de jardim na cabeça.

Jeongguk sabia que o namorado vivia estressado com isso, mesmo assim. Por isso, sempre que podia, passava no local, a fim de sentir o cheiro forte de café em suas narinas sensíveis a cheiros. Mas a cafeína que provinha da dispensa, claro.

Adentrou o local quente, o dia em si também estava, e procurou com o olhar o namorado mais resmungão e amável do mundo. Sorriu, encontrando-o mirando o nada e também sorrindo. Aproximou-se cautelosamente, a fim de não chamar sua atenção, embora o tenha cutucado logo em seguida.

— A pessoa que lhe arranca esse sorriso tão bonito é muito sortuda — galanteou, recebendo um olhar atordoado.

— Oh, na verdade eu estava pensando em comida — brincou.

— Hm, entendi.

— E você? Para que se arrumou todo?

— Para Harry Styles — bufou, cruzando os braços por ter sua cantada cortada tramontinamente.

Vendo isso, Yoongi apenas fez um sinal para o garçom recentemente contratado, quem entendeu o que deveria fazer.

— Então, vamos ali que vou te mostrá-lo. — Chamou com a mãozinha, recebendo um revirar de olhos e, por que não, um rapaz arrastando-se para dentro do estabelecimento a passos super lentos. — Isso aí.

— Recebeu muitos pedidos com o nome Styles hoje?

— Claro. Como de praxe.

— Está muito estressado? — Colocou a mão na maçaneta e abriu a dispensa, entrando com o namorado em seu encalço.

— Não mais. — Sorriu novamente, recebendo dígitos em sua cintura e um beijo carinhoso iniciado em seguida.

— Que bom! — Jeongguk exclamou sapeca, dedilhando o pescoço do menor, ao que suas costas eram abraçadas igualmente. — Pode me responder uma pergunta?

— Uhum — murmurou com a boca enfiada no pescoço cheiroso alheio.

— Harry Styles passou por aqui?

— Ah, deixa recado na minha boca, vem.

— Você é um sem graça, Yoongi hyung — reclamou, tentando desviar do beijo do outro, mas acabando por ceder àquela perdição de meia altura.

Afinal, a única coisa que queria com o bendito Styles era deixar um recado: amava aquele homem e não sabia bem como contar. Que o santo Harry o ajudasse um dia!

4 de Julho de 2018 às 20:46 0 Denunciar Insira 4
Fim

Conheça o autor

Vkook Yes Taekook, Minjoon e Vmin SPIRIT FANFICS: https://www.spiritfanfiction.com/perfil/vkookyes WATTPAD: https://www.wattpad.com/user/vkookyes

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~