Diabolik Madness Seguir história

aliceliddell Ariani Liddell

Alice Sakamaki, filha do irmão mais novo dos rei dos vampiro. Mas os pais dela guarda um segredo. O irmão mais novo do rei dos vampiros, casou com uma Lobisomem, e isso seria uma grande surpresa, e pior nascesse uma híbrida dessa família. Com a solidão da filha, o seu pai manda a filha para mansão dos Sakamaki, será que ela irá se adaptar?


Fanfiction Anime/Mangá Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#fanfic
2
4.9mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Date

           


        Os irmãos Sakamaki estavam reunidos no quarto da Yui, e enquanto ela dormia, Laito estava enrolando com os dedos uma mexa da garota.

— Sabiam que uma parente nossa irá morar com nós? — Disse Kanato abraçando seu urso.

— Eu não soube.

— Nem eu, quem será?

— Pedi detalhes ao nosso pai, e ele disse que será uma prima.

— Prima? Nem sabia que tínhamos uma.

— Tomará que ela goste do Teddy.

     Os irmãos Sakamaki estavam ansiosos para conhecer sua misteriosa prima. Mal eles sabem que uma grande aventura estavam esperando eles, por essa ansiedade, eles mal beberam o sangue de Yui.

     Finalmente o grande dia chegou, um grande carro estacionou em frente a grande mansão, e todos os garotos estavam esperando a prima deles, primeiro saiu o Karlheinz, e depois saiu seu irmão e sua esposa, e logo saiu em seguida com a cabeça baixa e abraçando um livro, Alice Sakamaki, a prima dele. Ela caminhou junto com seus pais e seu tio até a entrada da mansão e logo olhou para eles.

— É um prazer vê-los, sobrinhos.

— Digo o mesmo, filhos.

— Por que a tia ainda está viva. — Disse Kanato olhando para sua tia.

— Por que eu prefiro ela viva. — Disse Alice com uma voz um pouco grossa.

     Os rapazes olharam para as prezas da garota que eram um pouco maior que as dele, o mais novo ficou ainda mais surpresos que seus irmãos.

— Você é uma cobra prima?

Alice suspirou e caminhou até o garoto com seu saltos bem altos, ela se aproximou dele e sorriu amostrando seus enormes pressas.

— Posso ser algo bem pior que isso. Adorei o urso.

      Ela se afastou do rapaz e se aproximou dos pais e do tio.

— Não se preocupem, não irei ser mal educada com meus primos.

    A jovem pegou as mãos de seus pais e colocou um pé para trás e fez uma pequena reverencia, depois fez a mesma coisa com seu tio.

— Não se preocupe tio, serei boazinha.

— Não é com você que estou preocupada.

    Depois das despedidas, os adultos foram embora. Alice caminhou até a entrada e parou no lado de Yui Komori. Com medo, a humana se encolheu quando Alice se aproximou dela.

— Não se preocupe, não bebo sangue de gente trouxa e inútil. O pai de vocês não arrumaram uma garota melhor?

— Eu me pergunto a mesma coisa. — Disse Reiji arrumando seus óculos.

    Alice começou a subir os degraus, e a parte de trás do seu vestido avermelhado era longa e os rapazes estavam olhando o tecido sendo levado, os rapazes rapidamente sentiram fome, mas quando Alice parou para olha-los, eles levantou a cabeça para vê-los.

— Desculpem primos, tenho regras.

— E quais são?

— Não entre no meu quarto sem bater antes, e não me perturbem. Isso vale para você Laito, ouvir bastante de você.

     Laito sorriu para prima.

— E humana.

      Yui olhou para ela.

— Não tente fazer amizade comigo, você já está condenada.

     Em seguida ela entrou.

— Vish, ela parece que saiu de um dos livros do Reiji.

    Ao entra na sala principal, ela sentiu uma presença, então ela caminhou até ela, e quando a viu, era seu outro primo dormindo em um sofá. Ela se aproximou dele, mas ele segurou o braço dela, mas ela mais rápida, levantou ele no ar e o jogou no chão. Ele a olhou completamente surpreso.

— Quem é você?

— Sou sua prima Alice.

     Os outros estavam atrás da garota.

— Uau. — Disse Laito completamente surpreso, mas sorrindo.

— Irei ao meu quarto.

      Alice caminhou até as escadas e as subiu.

— O que é essa garota?

— Uma vampira com mais força que nós? — Disse Ayato suspirando.

— Eu gostei dela. E você Teddy?

— Temos mais um na turma dos louco.

— Quem irá chama-la para ir a escola?

— Eu e o Teddy a chamamos.

— Certo.

     Kanato subiu as escadas e foi até o quarto da prima e bateu a porta.

— Entre.

     Kanato abriu a porta e entrou.

— Eu vim chama-la para ir a escola.

— Eu não vou a escola.

— Por que?

— Se fosse de manhã eu iria, mas a noite costumo dormir.

— Mas vampiros não dormem a noite.

— Eu sou um tipo de vampira que dorme a noite, qual o problema?

    Junto com seu urso o garoto se aproximou de Alice.

— Vamos, vai ser divertido.

— Eu disse não.

— Vamos.

— Não quero, agora vá a sua escola e me deixe.

— Não pode ficar sozinha.

— Posso sim, cresci sozinha enquanto meus pais viajavam.

— Ah, e por que a tia não morreu.

— Por que eu não a matei?

— Sim.

— Ela é difícil de matar, principalmente eu. Agora vá! Antes que eu arranque a cabeça do seu urso.

— Você não ousaria.

     Alice sorriu, em seguida pegou um urso de pelúcia em sua cama e virou de frente ao garoto, em seguida, enfiou a unhas afiadas no pescoço da pelúcia e o arrancou. Kanato ficou com medo, e saiu correndo do quarto da garota sem fechar a porta, ela se aproximou da porta e a fechou.

— Esse precisa crescer.

    A jovem se afastou da porta e tirou a parte de trás do vestido. Ela sempre usava vermelho, nem sempre, usava duas cores, mas usava junto com vermelho, e todos a criticavam com isso. Seus pais resolveram não deixa-la mais sozinha, pois ela só ignorava, e as tratavam mal, então resolveram mandar para mansão onde os filhos do Karlheinz. Logico que ela odiou, mas foi a única solução.

     Enquanto ela estava olhando para o chão do seu quarto, alguém apareceu atrás dela.

— Odeio quando fazem isso.

    Era Laito, o indelicado. Alice com sua velocidade, vou para trás dele, e pego o braço dele e o colocou em suas costas.

— Então você muito poderosa mesmo, amei isso.

— E eu odiei isso, vou tirá-lo daqui.

    Laito tentou se soltar, mas suas tentativas foram em vão, então ela caminhou com ele até a porta, e a abriu e em seguida jogou ele para fora e ele foi direto para a parede e bateu o rosto na mesma e Alice fechou a porta.

— Esse vai ser um longo mês, e se algum deles me perturbarem outra vez irei mata-los.

     Alice ouviu alguém a chamando, ela olhou ao redor do seu quarto, mas era ninguem, mas quando ela olhou para a janela viu Cordelia olhando para ela e sorrindo.

— Você! Vá embora!

     Então a mulher sumiu.

— Eu terei muita dor de cabeça nesse lugar.

2 de Julho de 2018 às 20:50 0 Denunciar Insira 0
Continua… Novo capítulo A cada 15 dias.

Conheça o autor

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~