Pessoas para nunca ficar perto Seguir história

rumiha YHJ haru

Lá estava eu, sentada numa roda de amigas conversando após uma festa, até que chegamos ao assunto relacionamentos e sexualidade.


Conto Todo o público.

#lgbt #cronica
Conto
1
4.9k VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Pessoas para nunca ficar perto

Lá estava eu, sentada numa roda de amigas conversando após uma festa, até que chegamos ao assunto relacionamentos e sexualidade. Confesso que não sou o tipo de pessoa que se relaciona com qualquer uma, eu preciso de intimidade e não ligo se é homem ou mulher ou indefinido (pois saiba que existem os flutuantes, não se enquadram no padrão imposto pela sociedade). Levando isto em conta, faz eu ser demissexual: alguém que sente atração sexual apenas depois que já tem ligação afetiva com a pessoa (o que na maioria leva muito tempo, na maioria das vezes).

Enfim, de início elas só comentaram coisas como:

— Você viu? Lá só têm gays, bi e sapatão. disse uma das minhas amigas.

A outra amiga riu e disse:

— É, era de se esperar... — estávamos com um grupo que cursava moda. Elas estereotiparam o curso, como pode ver.

— Qual é o problema? — perguntei — Eles são livres para ficarem com quem quiserem.

— Ah! Nenhum... — seu tom de voz foi meio debochado, admito que eu senti-me péssima na hora — Mas não podemos pegar nenhum. — e veio a rir.

— Bom, como alguém assexual, não faz diferença para mim. — não poderia dizer que: eu não me importo com gênero imposto pela sociedade, então me escondi para ver qual seriam suas reações, já que dizer ser demissexual estava fora de cogitação, porque na época, eu morava com elas.

— Assexual? — nem mesmo conhecimento sobre outras sexualidades além de heterossexual, homossexual e bissexual elas pareciam ter.

— Alguém sem interesse em atividades sexuais, independentemente do sexo. Enfim, alguém que não sente atração nem por homem ou mulher. — de fato, por muito tempo me considerei assim, já que até então não conhecia o termo demissexual, todavia fui atrás para me descobrir.

E quando veio a resposta delas, acabou comigo.

— É só porque não encontrou o homem certo. — respondeu uma.

— Podia ser mulher, para mim não faria diferença desde que eu tivesse intimidade. — pensei.

— É. Não precisa se preocupar, quando encontrar um homem que te deixe molinha vai ver. — continuou a outra.

— Quando encontrar cara que te pegue de jeito você vai entender.

Fiquei quieta, vi que com elas nunca poderia manter uma amizade. Alguém que não posso nem mesmo dizer que não importo com sexualidade ou qualquer coisa do gênero, não serve para amizade comigo. Até porque elas nunca me conheceriam e me aceitariam.

2 de Julho de 2018 às 02:22 8 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

YHJ haru Oi, Podem me chamar de Haru... Sou universitária e nas horas vagas escritora amadora. Amante de k-pop e animes e uma grande fanatica por BL

Comentar algo

Publique!
Anne Liberton Anne Liberton
Olá! Eu achei a ideia do texto bem interessante e o título é excelente (inclusive foi o que me fez vir ler, porque adorei), mas achei que a história poderia ter sido contada de uma maneira mais sutil e menos panfletária. Não é uma questão de o tema abordado ser ruim, mas é que ficou parecendo menos uma história e mais um post genérico de Facebook, por exemplo, disfarçado como história. Achei que sutileza seria mais interessante aqui. Mas parabéns pelo texto. Você escrever bem. Até mais!
29 de Julho de 2018 às 01:02

  • YHJ haru YHJ haru
    (risos) Então, entendo que possa parecer um post, talvez até mesmo sirva para tal fim, se assim as pessoas passem a pensar antes de destilarem comentários maldosos. Eu entendo que a sutileza deixaria mais atraente, os detalhes o desenrolar, mas a intenção foi realmente ser direta. Foi uma crônica para a faculdade, nunca havia escrito algo do gênero, usei algo que aconteceu e me deixou desconfortável e coloquei no papel, posteriormente postei para não perder o conto. Bom, eu realmente gostei do seu comentário, me fez refletir sobre a maneira da qual eu desenvolvi o texto... Obrigada. Até! 9 de Agosto de 2018 às 20:09
Kaline Bogard Kaline Bogard
O mundo em que vivemos é complicado. Infelizmente as pessoas são educadas para viverem de tal forma e se comportarem de tal forma, que limita o outro. Então não posso dizer que não entendo as "amigas", porque sexualidade é um assunto que está começando a despontar e tudo que é novo assusta. Por outro lado, é tanta sexualidade que eu acho que nem eu vou conseguir decorar um dia. Mas a base de toda relação é o respeito: todos devemos respeitar as pessoas e sua individualidade. Mas falar é fácil fazer a sociedade agir assim são outros 500. Parabens pelo texto.
28 de Julho de 2018 às 18:04

  • YHJ haru YHJ haru
    Eu as entendo, por isso nunca disse nada a elas, mas isso não impede de ficar incomodada. (risos) Bom, não acho que realmente importe as nomeclaturas, mas sim entender que as pessoas são assim, e como você disse ter respeito, no momento eu achei ofensivo o que elas fizeram e me senti incomodada (risos sem graça) aí quando minha professora pediu para fazer uma crônica usei o acontecimento como desabafo. Obrigada pelo comentário. 9 de Agosto de 2018 às 19:58
Karimy Karimy
Infelizmente as pessoas têm a mania de se esquecer ou não compreender, ou simplesmente não exercitar o ato de pensar, sei lá, e perdem a coisa mais importante: somos todos pessoas. Cada um tem um gosto, se não fosse assim... não sei se suportaria alguém com o pensamento igual ao meu, mal me aguento! Talvez daí tanta ignorância: a falta de ver e entender que todos somos iguais, mas diferentes; talvez daí o racismo; talvez daí venha a discriminação de várias formas. Quem ama não ama só por causa do físico, do sexo, se fosse assim, depois de ver alguém se quebrar por uma doença ou acidente, os relacionamentos não existiriam mais para eles, acabariam, e pessoas incapazes de fazer sexo por y ou x motivo ficariam sozinhas para sempre. Ainda bem que nem todo mundo é ignorante. Ainda bem que existem pessoas que escolhem tirar a viseira e enxergar o todo. E é uma pena que ainda existam pessoas que acreditam que para uma mulher ser feliz no amor isso tem de acontecer com um homem que a deixe "molinha", isso uma mulher pode fazer por si mesma e sozinha; o mesmo vale para homens. Vixii falei demais, nem deve ter entendido nada! rsrsrs Só quero dizer que gostei do conto e que acho que ele reflete a verdade velada em muita gente ainda, não apenas com relação à sexualidade.
10 de Julho de 2018 às 13:46

  • YHJ haru YHJ haru
    kkkk Eu entendi. Imagino que deva ficar bem frustrada com esse tipo de coisa, pois eu fico, mas algumas vezes não dá para fazer nada. Já que algumas pessoas recusam a "abrir a mente". Bom, muito obrigada pelo comentário, que ótimo que meu conto te agradou e a fez refletir, acho que cada pessoa vai ter uma visão e um reflexão da história, mas no meu caso foi apenas um desabafo em forma de crônica, uma liberação de uma frustração que aconteceu. Realmente não sei bem o que te responder além de agradecer pelo seu comentário e dizer que me fez refletir sobre minha própria história. De verdade gostei de seu ponto de vista. Muito obrigada mesmo pelo comentário. :3 15 de Julho de 2018 às 10:46
Neeca Ashcar Neeca Ashcar
Olá, tudo bem? Super me indentifiquei, tem um monte de gente escrota que fala esse tipo de merda, ahh é falta de macho, como se um homem fosse resolver todos os problemas do mundo, só uma coisinha não vai não! Está de parabéns pelo texto, ele é honesto mesmo curto, e diz em poucas linhas tudo que está entalado na garganta de muito! Bjoes 😘 e parabens!
3 de Julho de 2018 às 08:24

  • YHJ haru YHJ haru
    Olá! Tudo e você? Sim, é bem cheio de pessoas assim. O fato é que isso realmente aconteceu, não exatamente igual, mas foi bem essa a conversa. Foi bem frustrante isso. Eu escrevi esta crônica para a faculdade kkkk achei que era um bom tema para escrever. Muito obrigada <3 8 de Julho de 2018 às 22:26
~

Histórias relacionadas