Entre garotos. Seguir história

takkano Takkano

Quando nem toda a experiência e maturidade de Aqualad e a imensa carga de conhecimento implantada em Superboy pela CADMUS, pode ajudá-los a passar por um pequeno conflito, ninguém melhor para ajudá-los que seus companheiros de equipe, certo? Talvez, não.


Fanfiction Seriados/Doramas/Novelas Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#Superboy--Aqualad #seriados #Kon-El #Kaldur'ahm #Liga-da-Justiça #Sperboy #Aqualad #Justiça-Jovem #crossover #comics #lemon #superpoderes #yaoi #drama #romance
1
5.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Desta vez...

A porta quase foi arrancada devida a urgência com que foi aberta.

Aqualad jogou o kryptoniano com força em cima de uma mesa de metal que ficava mais ao fundo. O rapaz de pele clara e olhos azuis apenas sorriu provocante.

— Você acha isso engraçado é?

Superboy não respondeu. Retirou a camisa jogando a peça em um canto qualquer. Depois se livrou rapidamente da calça e da peça íntima.

— Olha, agora você pareceu até o Kid Flash. - Aqualad tentou brincar com o outro, mas o kryptoniano estreitou os olhos de forma ameaçadora. Aqualad riu alto. Sabia que tinha deixado o rapaz com ciúmes.

— Cala essa boca! - Superboy agarrou uma das mãos do moreno, fazendo com que ele começasse a estimular seu membro. – Não tem nenhum Kid Flash aqui.

— Tem razão. - Aqualad lambeu a lateral do pescoço do kryptoniano fazendo-o gemer quase perdendo o controle. – Tem algo bem melhor. - Aqualad segurou o pescoço do garoto com força, trazendo-o para um beijo lascivo e demorado, fazendo o kryptoniano gemer várias outras vezes; cada vez mais alto. – Adoro quando você geme desse jeito para mim.

Aqualad desfez o beijo e colocou dois dedos na boca de Superboy que começou a chupá-los sem pudor.

— Vai devagar, senão você vai me fazer perder o controle antes da hora. - ele se aproximou do ouvido do kryptoniano. – Eu sei que você joga sujo.

Aqualad posicionou os dedos na entrada do kryptoniano e forçou. O que ele não esperava é que Superboy fosse recuar, evitando a invasão. Percebendo a fuga do amante, acariciou a parte interna das coxas dele, até que ele voltasse a relaxar novamente. Fez uma segunda investida, mas, a reação por parte de Superboy, foi a mesma.

— Tem certeza que podemos mesmo fazer isso? - Superboy parecia preocupado demais, o que acabava impedindo que o rapaz relaxasse.

— Tenho certeza que vi a Canário Negro fazendo algo assim com o Lanterna. - Aqualad parou de estimular o pênis do Superboy e o encarou. – Por que, você soube de alguma norma na Liga que proíbe esse tipo de coisa?

— Não, na verdade não. Mas é que isso não parece errado, de alguma forma?

— Olha Superboy, eu vou ser sincero com você. Eu pertenço a um povo diferente e não estou muito a par dos costumes daqui. Mas não, não acredito que seja errado.

— É que eu nem sou humano, fui criado apenas como uma arma, e…

— Relaxa, isso não é problema, Superboy!

— Se não é errado, então por que estamos escondidos aqui?

— O quê, não me diga que você queria fazer isso em público? Superboy, essas coisas são particulares; ninguém precisa assistir.

— Mas você disse que viu o Lanterna e a Canário Negro.

— É mas, eles estavam só se beijando, não tem nada de mais. Então é com isso que você tá preocupado? Se é certo ou errado o que a gente tá fazendo?

— É! Não seria melhor a gente se informar primeiro? E se a gente falasse com o Batman? Aposto que ele poderia ajudar.

— Ficou doido de vez, Superboy? - Aqualad quase perdeu a "vontade", só de imaginar Superboy chegando até Batman e pedindo conselhos sexuais a ele. – Nossa por Netuno, não faça isso... nunca! – Deixa eu te mostrar primeiro, depois você me dá sua opinião.

O kryptoniano colocou a mão de Aqualad de volta em seu membro, fazendo o rapaz voltar a estimulá-lo.

— Ahhhh, isso é… uhhh, tão bom… - o kryptoniano gemia perdendo o foco do problema. – … não tem como algo tão bom assim ser errado.

Aqualad o segurou pelas coxas arrastando o rapaz de uma vez em direção ao seu membro, encaixando-o com perfeição.

Superboy abriu a boca puxando a respiração, que parecia ter perdido. Seu corpo começou a tremer e um desconforto horrível se espalhava por suas entranhas. Cerrou os olhos na inútil tentativa de conter as lágrimas que transbordavam. Aqualad rapidamente notou o desconforto do outro. Passou então a se movimentar logo, antes de ser arremessado do outro lado da sala.

Superboy cerrava os olhos a cada nova investida de Aqualad.

— Calma, seu corpo só precisa se acostumar comigo, não fique nervosinho. - uma provocação; Aqualad sabia muito bem que Superboy amava, acima de tudo, ser provocado daquela forma. – Olha só para você, tá quase chorando. Imagina só se o Superman te visse agora. - Aqualad viu novamente um sorriso sádico nos lábios do Superboy.

— Acho que eu morreria de vergonha. - a afirmação não convenceu Aqualad.

— Morreria nada! Você só iria gozar mais gostoso. Você adora atrair a atenção dele. E isso me irrita um pouco. - Aqualad duplicou a força das investidas.

— Ahh… você, tá… uhnnn… com ciúmes de mim.

Pronto. Agora Aqualad teve certeza de que ele se sentia bem melhor.

— Esse seu sorrisinho tá me tirando do sério. - Aqualad saiu de dentro do kryptoniano. Puxou o rapaz pelo braço com violência, o virando de costas, e fez com que ele se segurasse na mesa. – Eu quero comer você assim agora. - voltou a penetrá-lo, só que desta vez bem devagar.

Aqualad agora tinha uma visão privilegiada do Superboy. As costas bem desenhadas, o traseiro farto, onde fez questão de segurar com tanta força, que com certeza ficaria marcado por um bom tempo.

A lembrança da primeira vez em que o viu lhe veio a mente. Desde quando seus olhos se encontraram, pela primeira vez, até hoje, nunca soube dizer se sentiu mais medo ou paixão por eles; mas com certeza sentiu algo muito forte. Também foi a primeira pessoa a tocá-lo. Tudo bem que não foi nada agradável, mas, mesmo assim, sempre foi o primeiro em tudo na vida do kryptoniano.

Deitou sobre o corpo dele o abraçando, enquanto continuava a se mover lentamente. Distribuiu beijos suaves por todo o pescoço do Kryptoniano.

— O que foi isso? Ficou sentimental de repente? - Aqualad foi tirado de seus devaneios pela voz sensual do kryptoniano. – Não me diga que também vai chorar?

— Não, só estava voltando um pouco no tempo.

— Se relembrando do dia em que me conheceu?

— Pô cara, você também sabe ler mentes? - Aqualad realmente pareceu surpreso por Superboy ter acertado em cheio.

— Calma, eu não posso ler mentes não; só a sua. - Superboy se levantou da mesa envolvendo os braços de Aqualed. – Me sinto conectado a você.

— Acredite, você está. - Aqualad se enterrou completamente no corpo do outro fazendo-o gemer de prazer.

O moreno grudou nas mechas negras empurrando o rapaz de volta a mesa, para que ele se apoiasse. Segurou os quadris de Superboy com uma força insana, mas, ao invés de se mover, pediu que o outro o fizesse.

Ver o garoto assim, rebolando em seu membro, acabou fazendo-o gozar feito um animal. Deu uma última investida tão forte contra o corpo do Superboy, que o kryptoniano chegou a ter que quase subir na mesa para não cair, enquanto também se desmanchava nas mãos do moreno.

Os dois permaneceram abraçados por um longo tempo, em silêncio.

Era sempre assim.

Durante as ficadas, os beijos escondidos entre uma missão e outra, ou os amassos noturnos durante as patrulhas, eles sempre se provocavam. As vezes até mais falavam que faziam, apenas pelo prazer de mexer com as emoções um do outro.

Mas depois que tudo acabava, ficava aquela sensação de estranheza entre os dois.

Aqualad era a figura imponente do grupo.

Nunca chegou a ser realmente um líder, como Robin, mas sempre teve o respeito e a confiança de todos, e, a última coisa que queria, era perder essa posição diante o grupo; até mesmo em relação a Superboy. O moreno tinha medo que essa relação com o kryptoniano, algum dia pudesse sair de controle e viesse a prejudicar todo o grupo. Por isso, sempre que havia mais alguém por perto, ele o tratava apenas como mais um membro da Liga; nada de troca de olhares; nada de sorrisos meigos; nada de toques ou tratamentos mais significativos.

Já quanto a Superboy, seu maior medo era decepcionar seu grande exemplo, o homem de aço; Superman. O jovem temia que se algum dia sua relação com Aqualad viesse à tona, Superman o consideraria uma aberração; mais do que ele achava que o homem de aço já o considerava.

Ainda tinha o recente interesse de Miss Martian por ele. A garota era fofa e adorável, isso não podia negar. Mas ele gostava mesmo era das provocações de Aqualad; da sua pegada; das coisas obscenas que o moreno falava ao seu ouvido. Além disso, Aqualad jamais invadia seu espaço, coisa que Miss Martian não conseguia evitar.

— Aqualad? Você está ai?

Os dois se soltaram rápido, completamente alarmados.

2 de Julho de 2018 às 01:57 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Rejeitado.

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!