Paternal Love Seguir história

chimminiez chimminiez

KOOKMIN • JIMIN!ÔMEGA • JUNGKOOK!ALFA • +18 Park Jimin é um ômega grávido que vive em um lar para ômegas não marcados, não aceitos pelo seu alfa e pela sociedade. Já o Jungkook é um alfa de classe média, que precisa de um ômega grávido para mostrar a sua família que ele não é o cara solitário que eles pensam, apesar de ser a mais pura verdade. O problema surge quando o alfa estava bêbado, sendo assim contou para todos que tinha formado uma família e tinha um ômega grávido. Agora com a notícia de que seus pais estavam voltando para Seul e que tinha em mente conhecer seu ômega, Jeon se encontrava apavorado. Procurando um ômega para ajudar na sua façanha, o alfa encontra Jimin, um ômega grávido e sem marca.


Fanfiction Bandas/Cantores Todo o público.

#chimminiez #kookmin #Jungkookativo #Jiminpassivo #jungkooktop #jiminbottom #kpop #bts #jikook
14
5.1mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Sábados
tempo de leitura
AA Compartilhar

Fios rosados

Jeon suspirava furiosamente dentro do seu escritório.

Estava puto consigo mesmo, era um bêbado rabugento e linguarudo quando não estava sóbrio. Entretanto, Jeon se perguntava se podia ser tão idiota a ponto de mentir e dizer que tinha um ômega e um filho a caminho. Céus, estava desesperado a ponto de abrir a janela de vidro do seu escritório e se jogar antes que seus pais chegassem.

Seus cabelos estavam sujos, suas vestes amassadas e seu rosto pálido. Uma desgraça total.

Sabia que não deveria ter aceito o convite do casamento de Hoseok e Taehyung, aceitar as bebidas oferecidas por Yoongi. Tudo estava desmoronando. Tudo que Jeon queria era apenas ficar livre daquela mentira, contar que era um alfa solteiro e despojado, que estava ocupado demais para formar uma família. No entanto, se falasse a verdade seria morto por Donghae, seu pai ômega, e Hoseok, Taehyung e Yoongi iriam zoar com sua situação.

Mas o que ele poderia fazer? A desgraça já estava feita e para piorar, sua família estava voltando para Seul, tudo por causa de Namjoon, que daria um jantar para informar algo. Seus pais eram um pouco tradicionais, o sonho de Donghae era ver todos os seus filhos casados e ter muitos netinhos, mas Jungkook sabia o quanto seu pai ômega ficava triste ao vê-lo sempre sozinhos nas festas, sem algum acompanhante.

Se levantou da poltrona lentamente quando ouviu a campainha tocar, suas mãos suaram e seu coração passou a bater rapidamente. Sua família já havia chegado? Era agora que ele iria morrer, certo?

Abriu a porta temendo ver seus familiares, contudo, suspirou aliviado ao ver que era Namjoon. O rapaz riu ao ver os trapos que o mais novo usava, Jungkook parecia está acabado após ser atropelado por uma bicicleta. O Kim adentrou na casa do amigo segurando o riso e sentou no sofá, mantendo seu olhar risonho no moreno que estava de pé.

— Que porra aconteceu com você? O caminhão do lixo esqueceu de levá-lo? — Namjoon perguntou tentando inutilmente segurar o riso debochado.

Jeon travou o maxilar olhando-o firme. Sua cabeça doía e ouvir piadinhas de Namjoon naquele momento não estava ajudando em nada.

— O que você está fazendo aqui? — Rebateu sentando no outro sofá sendo seguido pelos olhos curiosos e ofendidos do loiro. — Você não devia estar com seu namoradinho?

— O Jin não é meu namorado, e sim, meu noivo — disse colocando os cotovelos apoiados nos joelhos. — Mas eu não vim aqui para falar dele e sim de você. Por que disse que havia formado uma família para todo mundo? O Donghae ligou para Jin essa manhã e disse que não vê a hora de conhecer seu ômega.

Jungkook bufou jogando fios negros para trás.

— Eu não sei o que dei em mim, hyung, sério. Todos estavam falando sobre seus ômegas e eu não quis ficar sobrando, tudo que falei sobre meu ômega grávido era mentira e agora se eu contar a verdade meu pai vai me matar. — O loiro se levantou e foi até a cozinha para buscar água pro mais novo, que estava uma pilha de nervosismos. — O que eu faço, Nam? Se eu contar para eles vão ficar putos comigo e sem contar que vou virar alvo de suas piadas.

— Você quer mesmo seguir com essa mentira, Kook? Eu não acho certo mentir para seus pais, mas se optar por o fazê-lo, vou ajudá-lo.

Os olhos negros brilharam ao ouvir o que seu hyung dizia. Não faria mal uma mentirinha de leve, sim?

— Diga hyung, como pode me ajudar?

A última coisa que o Kim queria era que Jungkook mentisse para seus pais, mas ele sabia o quanto Donghae ficaria decepcionado com o mais novo por contar uma mentira daquelas. Conhecia o moreno a mais de dez anos, Jeon era mais novo que si — dois anos — e ainda não tinha um compromisso com ninguém. Todos na empresa perguntavam quando o rapaz finalmente seria fisgado por um ômega, mas até o momento não aconteceu.

— O Jin trabalha em um lar para ômegas grávidos que não são marcados e também não foram aceitos na sociedade por não ter um alfa. É um tipo de abrigo para aqueles que não tem condições de criar seu filhote sozinho, eles ficam lá pelo tempo necessário até que consigam um emprego e uma casa. — O mais novo apenas ouvia calado, sua feição de surpresa não surpreendia o loiro. — Você pode ir lá e conhecer algum ômega, o que lhe interessar você pode pedir para que ele passe um tempo com você e em troca, você o ajuda com dinheiro para ele arrumar um lar para ele e o filhote.

— Você não acha que isso é comprar um ômega? Não sei se posso fazer isso! — Se levantou do sofá suspirando cansado daquela situação. Como queria que aquilo não tivesse acontecendo.

— Não é comprá-lo Jungkook, é só dar algo em troca pelo favor que ele vai lhe fazer. Muitos deles podem querer sua proposta sabe por quê? Por que tudo que eles querem é sair do abrigo e ter seu próprio lar. — Namjoon explicou pegando o celular sentir o aparelho vibrar. — O Jin está me pedindo para levar seu almoço, o que acha de passar lá e conhecer algum ômega? Não é preciso escolher agora.

— Tudo bem, estou fazendo nada mesmo.

[...]

Após um banho demorado e as reclamações de Kim Namjoon, Jungkook já estava arrumado para seguir seu hyung. Saíram do prédio e entraram no carro de Namjoon, o mais velho corria como um louco após atender uma chamada do seu ômega, pedindo para que chegasse o mais rápido possível.

Jungkook avistou o grande instituto protegido por um grande portão e dois seguranças alfas, além de ambos estarem usando armas de choques. Engoliu em seco quando eles abriram o portão e lhe deram passagem para o edifício. Ao longe, Jungkook já podia sentir os cheiros de ômega e isso o confundia muito com a misturas de odor.

Ao lado de Namjoon, entrou varrendo o olhar por todos os lugares, atraindo olhares curiosos de muitos ômegas. O alfa loiro passou na sua frente ao avistar o próprio ômega, Kim seokjin, que estava ao lado de um ômega dos fios rosas. JungKook não precisou se aproximar muito para sentir o cheiro forte de cereja, o que facilitava para diferenciar seu odor dos outros ômegas. O rapaz de fios rosas se afastou dizendo iria na lojinha comprar chocolates, mesmo com a ida do grávido, Jungkook não conseguiu tirar os olhos do corpinho pequeno.

— Você demorou Namminie! Aliás, por que o trouxe? — Jin abraçou o marido beijando a covinha na bochecha do alfa.

— O Jungkook está com problemas, Jin, eu só quero ajudá-lo. — Namjoon contou tudo o que havia acontecido com Jungkook, principalmente sobre ele mentir para os seus pais, o que resultou em um Seokjin muito bravo com os dois alfas. — Ele precisa de um ômega grávido para ajudar nisso e-

— Kook, você pode nos deixar a sós? Eu quero conversar com o Namjoon.

O moreno assentiu e deixou o casal sozinho e foi conhecer o edifício.

A cada passo que dava, a cada ômega que encarava, podia ver nos olhos a tristezas deles por ser rejeitado, tanto pelo alfa quanto pela sociedade. Ômegas frágeis e deprimidos eram fisgados por seus olhos negros, seu peito apertava em uma dor imensa do quanto eles estavam sofrendo. Por abandono de familiares, de pessoas que eles julgavam lhe amar e eram apenas deixados para trás. Discatados.

Dobrou o corredor largo de paredes brancas, suas pernas doíam e sua boca estava seca. No entanto, quando pensou em perguntar para um dos ômegas onde poderia conseguir água, seus olhos capturaram a figura do ômega novamente.

O garoto dos fios rosas parecia está emburrado com a vendedora da loja, seu olhar desceu para a barriga marcada pelo casaco azul do menino. A barriga de gestante não era tão grande, mas ainda sim volumosa e linda.

— Ajumma! Por favor! Eu prometo que lhe pago com minha refeição. — O alfa por fim pôde ouvir a voz doce e irritada do menor, que parecia procurar algo no bolso do casaco, mas logo desistindo. — Ajumma, eu juro que lhe dou a minha refeição da noite, mas se quiser pode tirar meu lanche.

— Jimin-ssi, eu sinto muito, mas não posso lhe vender chocolates novamente. Eu sei que você não pode pagar por isso, mas-

— Só esse Ajumma, prometo não incomodá-la mais e eu posso vender meu café da manhã também e lhe pagar depois. — Ele reforçou choroso, alisando a barriga com uma das mãos enquanto a outra segurava a barra de ferro da loja.

— Eu pago — surpreendendo a si mesmo, Jungkook disse se aproximando do ômega. Pela primeira vez pôde ver o rostinho redondo do rosado, os lábios carnudos e as bochechas cheinhas. Ele pareceu ficar envergonhado ao ser visto quase implorando para a vendedora e pela forma boba que o alfa lhe olhava. O alfa parecia olhá-lo com admiração, diferente dos outros olhares que recebia quando lhe olhavam.

Prontamente as bochechas gordinhas do baixinho ficaram rubras ao que os olhos do maior desceram para sua barriga, um sorriso brotou nos lábios dele como se tivesse pensando em algo. Jeon estava tão admirado com aquele ômega, o cheiro delicioso que o próprio exalava deixava-o desnorteado.

E naquele momento, olhando para a barriga volumosa, Jungkook pensou em como seria se ele tivesse formado uma família. Em como seria ter um ômega grávido, manhoso e cheio de desejos. Acordar todas as manhãs ao lado de apenas um ômega, abraçá-lo e acariciar a barriga acolhedora de seu filho.

Jeon Jungkook seria um pai bobão.

— Não precisa se incomodar — disse o rosado, tímido recuando um pouco após o alfa olhá-lo nos olhos, mas ainda mantendo o maldito sorriso. Contudo o baixinho não podia negar que o alfa ficava lindo sorrindo com as bochechas vermelhas ao ser pego no flagra por si.

— Você não incomoda, apenas me deixe pagar pelo seu chocolate. — O Park assentiu, deixando que o alfa pagasse para si o lanche. Após pegar a caixa de chocolates, o ômega agradeceu se curvando minimamente já que a barriga o impedia de fazer o ato.

— Obrigada… hm, é…

— Jeon Jungkook. E não precisa agradecer, Park. — Jimin arqueou a sobrancelha perguntando-se como ele sabia seu nome e o alfa percebeu seu espanto, por tanto tratou logo de explicar. — Está no seu cartão. — Apontou para o cartão preso no pescoço do Park.

O rosado pareceu ficar mais envergonhado, abrindo a barra do chocolate e se deleitando do doce. Jeon se viu perdido novamente na feição do ômega, que tinha os olhos fechados e acariciava a barriga. Jungkook queria tocá-la, sentir o filhote que estava crescendo ali dentro.

Céus, ele estava tão encantado com a barriguinha do Park. O garoto era lindo, definitivamente o ômega perfeito e Jungkook só conseguia pensar em como seria ter um filho, como ele cuidaria do seu ômega e filhote.

— Eu posso tocar? — Jimin pareceu surpreso pelo pedido do alfa, até mesmo se afastando minimamente para olhá-lo. Assentiu fracamente sentindo a mão grande se apossar da sua barriga e acariciar delicadamente enquanto um rubor adorável nascia nas bochechas dele.

Ambos se assustaram quando um alarme foi tocado e Jimin se afastou sabendo que aquele era o sinal de recolhida para seus quartos.

— Obrigada pelo chocolate Jungkook-ssi, um dia pagarei o que fez por mim. — Então se afastou para seguir junto com os outros ômegas para o dormitório.

Vendo-o se afastar e a sensação boa e calma ser levada junto com o rosado, Jungkook imaginou como seria ser alfa daquele ômega.

Em como seria um perfeito ômega para ele.

30 de Junho de 2018 às 04:13 5 Denunciar Insira 5
Leia o próximo capítulo Um futuro melhor

Comentar algo

Publique!
Maira  Pareja Maira Pareja
Fue muy difícil encontrar historias kookmin ya que parece que muy pocas personas que usan esta app no saben diferenciar entre kookmin y jikook y porque la misma app me recomendaba historias que no eran kookmin entonces está es como la cuarta que he encontrado en esta semana que me metí con esta app y que dw verdad me ha gustado y no solo por obligación la he leído porque no tenía más que leer .Excelente trabajo escribiendo .
28 de Agosto de 2019 às 18:57

  • chimminiez chimminiez
    Me alegra que lo hayas disfrutado. Es realmente difícil encontrar fanfics de kookmin (que realmente me gusta y escribir). Leo y escribo solo Jimin BOTTOM / Passive. Es genial conocer a alguien a quien también le gustan las mismas cosas que a mí. Gracias por leer ❤️ 28 de Agosto de 2019 às 22:07
  • Maira  Pareja Maira Pareja
    29 de Agosto de 2019 às 09:27
Dinha Kyungsoo Dinha Kyungsoo
Estou testando essa plataforma, para ver se vou migrar, mas acabei encontrando essa história. Eu simplesmente amei esse prólogo. E a sinopse é bem chamativa.
30 de Junho de 2018 às 07:29

  • chimminiez chimminiez
    Também estou testando essa plataforma, postei umas três fanfic apenas como teste ksksk Fico muito feliz em saber que você gostou anjo, fico muito grata que tenha lido <3 30 de Junho de 2018 às 12:23
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!