Beijo francês Seguir história

krisoo reeves

Byun Baekhyun era o céu e o inferno particular de Park Chanyeol. { baekyeol | fluffy }


Fanfiction Celebridades Todo o público.

#kpop #boyxboy #fluffy #chanbaek #exo #baekyeol
116
6317 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

O primeiro de muitos

Jesus Cristo.

Baekhyun era muito chato e Chanyeol era a prova viva disso.

Ele tinha colocado na cabeça que estava na hora do garoto de cachinhos perder o famigerado BV; a tão impudica virgindade da sua boquinha e deixar que algum estranho levasse aquele bem precioso pra longe. Poxa, por que era tão importante assim beijar? Baek dizia que era porque estava cansado de arrastar o melhor amigo consigo pras festas e vê-lo tastaviando até a hora de ir embora, sem companhia – porque o Byun se agarrava ao primeiro menino ou menina que fosse sexual o suficiente pra enfiar a língua na sua boca sem precisar de todo um lenga-lenga antes.

Por isso surgiu o tópico de que ele arranjaria alguém disposto a meter uns beijos na boca imaculada de Chanyeol. O que, no fundinho, lhe deixava um pouco chateado. Ninguém nunca havia chegado em si com segundas intenções e aquilo mexia com o seu coraçãozinho de adolescente lotado de testosterona – graças a deus, conseguia manter o seu pênis dentro das próprias calças, ao contrário do baixinho.

Chanyeol queria ter pelo menos a possibilidade de negar uma ficada, mas não tinha ninguém se jogando aos seus pés para fazer isso. O ensino médio é cruel; ele lia por aí. Levar um toco podia ser ruim, mas não ter nem mesmo essa possibilidade era pior ainda.

Por que ninguém lhe dava bola? Não tinha motivos negativos para alguém evitar de querer lhe dar uns beijinhos, né? Ele era bonito, alto, educado, tinha uns dons artísticos e aparentemente não tinha nada de errado consigo. Nem um boato ruim sobre ele comer meleca ou coisa assim, exceto o fato dele ainda ser bv aos dezessete anos.

Talvez fosse isso.

“Ser bv aos dezessete anos, que ridículo!” deviam pensar por aí.

Então Chanyeol aceitou; era tudo ou nada.

Baekhyun havia lhe chamado para uma “social” na casa de uma amiga, com a desculpa de que havia arranjado alguém disposto a lhe dar umas beijocas por ai. Disse que o cara a quem Yeol beijaria era bonito, bem legal e um pouquinho mais baixo que ele.

No fundo, Chanyeol sabia que o mais velho se sentia culpado e estava tentando se desculpar por arrastá-lo para aquelas reuniões estúpidas e ainda por cima abandoná-lo atrás dos prazeres da carne.


— BF —


O dia tinha chegado e Chanyeol estava com o cu na mão.

Depois de passar a semana inteirinha se questionando sobre o garoto misterioso, chegou a conclusão de que poderiam ser três pessoas: Oh Sehun, o cara bonitinho do time de basquete e que era alto, mas não tão alto quanto o próprio Chanyeol, mas que infelizmente era um babaca. Kim Jongin, que era estupendamente bonito e incrivelmente legal, mas que aparentemente tinha uma namorada. E Kim Jongdae, que era bonito, legal e mais baixo que si. Yeol até mesmo gostava da possibilidade de ser Chen; ele não parecia o tipo de garoto que sairia por ai dizendo que os outros beijavam mal.

E após assistir diversos vídeos de “how to french kiss” e ter lido um bilhão de matérias sobre o que fazer, o que não fazer, onde por a mão, quanto tempo um beijo deveria durar, ele se sentia confiante. Mas não estava preparado.

Arrumou-se bonitinho, tomou banhou com um vidro de perfume e praticamente engoliu o tubo de pasta dental. Havia lido algo sobre gostos e cheiros serem mais marcantes que o ato em si.

Quando deu sete horas no seu relógio, ele saiu de casa.


— BF —


Não era Jongdae, já que ele tinha engatado em uma conversa divertida com uma garota deveras baixinha e bonitinha, que resultou em uns amassos no sofá. Aquilo acabou embrulhando o estomago de Chanyeol, já que estava certo de que era o Kim, porque poxa, até gostava da ideia. Mas... E se fosse um cara podre, nada a ver consigo, que só meteria a língua na sua boca bem como Baekhyun havia dito?

Deus que lhe livrasse de um embuste daqueles.

Estava sentado em um dos banquinhos da cozinha. A luz encontrava-se baixa e piscando de vez em quando; o som estava em um volume aceitável e também não tinha muita gente como o restante das festas que costumava ser levado. Mas ele estava sozinho, como de praxe.

Baek tinha sumido, dizendo que procuraria pelo tal garoto e não apareceu mais. No mínimo, estava trancado em algum banheiro recebendo uma punheta ou punhetando alguém, da mesma maneira que fazia sempre. Nem se surpreendia mais quando era abandonado aos lobos daquele jeito. Yeol até já estava pensando em ir embora quando ele voltou, sentando no banquinho ao seu lado e usando o pé para virar o dele em sua direção. Estava com o rosto vermelho e um pouquinho ofegante.

Que merda! Chanyeol odiava Baekhyun. Odiava sentir que seu coração ia explodir toda vez que ele resolvia se preocupar consigo, odiava vê-lo se atracando por aí e quase enfartar de ciúmes e odiava ainda mais o rebuliço no seu estômago – ânsia de vomito o nome.

— Ele tá aqui, Chan — disse, apoiando o cotovelo no balcão.

— É? Que legal — deu de ombros. — Ele não podia ter vindo falar comigo antes? Estou indo embora.

— Espera só mais um pouquinho, tá? — pediu, sua expressão murchando um pouquinho. — Ele só tá nervoso.

— Que foi? Ele é boca virgem também? — riu. Estava pouco se fodendo para aquele garoto.

— Não, mas ele meio que gosta de você, entende? — esfregou o rosto com as mãos. — Ele ficou esse tempo todo pensando em como chegar em você... Dá uma chance pro cara, ok?

— Tá e cadê esse tal cara?

Baekhyun olhou pros lados e soltou um chiadinho exasperado.

— Aqui.

— Aqui onde, merda? Você tá brincando comigo, Baekhyun?

— Na sua frente, Chanyeol — o aloirado enfiou as mãos nos próprios cabelos, frustrado. — Sou eu, Chanyeol. Que droga!

— Você o que? — o grandalhão enrugou as sobrancelhas e levantou o lábio superior um pouquinho. — Ah...

Baekhyun tapou os olhos com ambas as mãos, esperando alguma resposta do cacheado. Só que o Park não sabia o que dizer, ele nem ao menos tinha entendido o que era tudo aquilo! Estava tão confuso e um pouco aborrecido, mesmo que soubesse exatamente o porquê.

— Você não vai dizer nada? — abriu uma frestinha entre uma das mãos, deixando um olho de fora.

— Bonito, legal e mais baixinho que eu — Yeol soltou uma risadinha graciosa.

— E que gosta pra caramba de você — completou.

— É... — o mais novo ficou todo vermelhinho — Desde q-quando?

— Desde o solstício de verão do primeiro ano, eu acho — deu de ombros.

Caramba, aquilo era muito tempo. Eles já estavam com um pé dentro da formatura, vendo todos os ajustes da beca e empolgados. Como nunca havia notado nada, nadica de nada?

— Mas você ficava com um monte de pessoas por ai...

— Teria feito alguma diferença se eu não tivesse ficado?

Claro que faria! Chanyeol não teria quase que uma parada cardiorrespiratória sempre que procurava um banheiro e achava o mais baixo trepando com alguém. Seu pobre e precioso coraçãozinho sendo esmagado por todos esses anos!

— Não.

— Então ‘tá tudo de boa.

Encolhidinho no seu banco, Chan viu o mais velho abaixar a cabeça e balançar ela, como se sentisse culpa por algo.

— Desculpa por isso, Yeol. Eu realmente precisava tirar esse peso dos meus ombros e eu queria que ‘cê soubesse que é desejado sim, que é lindo e não tem nada de errado com você, tá?

Silêncio. De novo.

— Olha só, você tem como ir embora, não tem? — Chan assentiu. Baekhyun se afastou um pouco, tirando o celular do bolso. — Tudo bem então. Acho que vou indo agora... Me manda uma mensagem depois ou sei lá, ‘cê que sabe.

— Baek! Espera...

Baekhyun olhou por cima do ombro. O melhor amigo estava lá, com aquela carinha de cachorro sem dono que esmurrava sua caixa torácica simplesmente por ser fofa demais.

— Que foi?

— Vem cá rapidinho.

Foi.

Caminhou em passos rasos até estar novamente de frente ao garoto, meio acuado com uma possível desfeita. O não ele já tinha, né? Só iria comprovar ele agora.

— Você ainda quer me beijar? — sussurrou baixinho, como se contasse um segredo.

Ele era muito lindinho, que ódio. Era algo como apertar e dar um soco no meio da cara.

— Eu quero muito te beijar, Chanyeol. Muito mesmo. O tempo todo...

— Você pode.

Baekhyun olhou atônito paro moreno, que estava com as bochechas vermelhinhas e com os olhos meio fechadinhos. Naquela posição, ele podia olhar para o mais novo de um jeito que raramente conseguia – de cima. Chanyeol era grande, viril, causava medo nas pessoas por ser muito alto às vezes, mas ele era um anjinho e delicado por dentro. Era de longe a pessoa mais cuidadosa que havia conhecido na vida e estava terrivelmente apaixonado pelo melhor amigo.

Ele acabou se aproximando devagarinho, separando as pernas de Chanyeol para poder se ajeitar entre elas sem quebrar o olhar do seu rosto. Ora na boca bonitinha, depois nos olhos ou focando nas sardinhas quase invisíveis. Ele tinha sardas? Talvez nunca tivesse percebido por nunca ter chegado tão perto daquela forma.

— Eu não sei como fazer...

— Eu sei, bebê — beijou a ponta do seu nariz. — Eu vou ir te guiando. Faz o que eu fizer, tá?

O Byun beijou suas bochechas e colocou as mãos do mais novo na sua cintura, sussurrando para ele abraçá-lo. A verdade é que estava tão nervoso quanto, morrendo de medo de perder suas habilidades com a língua e passar mal no momento que finalmente o beijasse.

Com um suspiro, Baekhyun subiu uma das mãos pelo braço coberto de Yeol e colocou-a em seu pescoço, embrenhando a ponta dos dedos no emaranhado de cachos. Com a outra mão, ele segurou na coxa alheia, apenas o suficiente pra poder inclinar seu corpo pra frente e encostar um lábio no outro, num selinho demorado. E depois deixando vários outros selinhos.

Chanyeol soltou uma risadinha pelo nariz, enquanto Baekhyun apertava sua perna um pouquinho mais forte e lhe beijava de novo. Dessa vez, mordendo seu lábio fraquinho e depois puxando para dentro da própria boca; a mão de seu pescoço descendo um pouquinho pra dentro da sua camiseta, arranhando as costas.

Caralhocaralhocaralho.

A sensação do coração explodindo e o rebuliço no estomago quando via Baekhyun? Puff, isso era fichinha para aquele momento. Tinha plena certeza de que cairia morto a qualquer segundo.

Talvez já tivesse morrido e chegado no céu, porque quando Baek deu uma lambidinha no seu lábio e as bocas se juntaram num beijão de verdade, com direito a línguas e sugadinhas marotas da parte de Byun, é claro, porque Chanyeol era cem por centro inexperiente, embora estivesse tendo um ótimo professor. Professor bom pra caramba, vale ressaltar. E talvez fosse seu inferno particular ter o mais velho ali em suas mãos.

Deram uns bons beijos depois de novo, e de novo, mais uma vezinha, só mais uma e outra. E então se separaram com vários selinhos e um beijinho babado dado na testa de Chanyeol, depois um abraço apertado com o rosto do altão enfiado no seu peito, que ficou todo bobo e de perna bamba quando o aloirado disse que iria levá-los pra casa. Tinha plena certeza de que os seus ossos haviam sumido, teve até mesmo que se apoiar nos ombros do mais baixo para não tombar no chão quando desceu do banco.

Os dois estavam felizes, cheios de risinhos e sorrisinhos pra lá e pra cá. Chanyeol conseguia sentir o perfume de Baekhyun na sua roupa quando batia um ventinho do lado de fora. E embora não soubessem o dia de amanhã, tinham aquele momento e estava tudo bem, por ora.

— Baek... — chamou baixinho quando pararam em frente a casa do cacheado. Ele estava todo bonitinho e fofo, meio envergado tentando se proteger do frio que fazia àquela hora.

— Fala nenê.

Aqueles apelidinhos traziam a sensação de uma manada de elefantes correndo dentro do seu peito e dava um friozinho estranho na boca do estomago.

Eu também gosto pra caramba de você.

28 de Junho de 2018 às 17:06 4 Denunciar Insira 50
Fim

Conheça o autor

reeves love porn, art & do kyungsoo

Comentar algo

Publique!
Lia  Lany Lia Lany
AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA! >.< Que paixão, tão fofos! Quem dera o primeiro beijo fosse assim; com a pessoa importante, que você ama.
2 de Novembro de 2018 às 13:34
Sam Park Sam Park
ai meu deeeeeeeeeeus que coisa fofaaaa to chorando
31 de Outubro de 2018 às 18:50
Line Line
aaaa eu tô muito apaixonada por isso aqui jsjsjsjsks ❤️❤️❤️
29 de Junho de 2018 às 11:37
Lari Lari
eu estou apaixonadaaaaaaa que coisa mais lindinha, sério se tem uma coisa que eu adoro é essa coisa que primeiro beijo, meu ponto fracoo está incrível, amei 💞
28 de Junho de 2018 às 13:35
~