Roller Coaster Seguir história

bolinho_unicorn Ceci Silva

Kim Taehyung, um homem com uma vida um tanto quanto agradável, que de um dia a outro, se tornou uma terrível montanha russa, que no instante em que ele viu quis sair, mas será que depois de alguns acontecimentos, ele realmente iria querer ir? Taegi||Long-Fic||Bolinho-Unicorn


Fanfiction Bandas/Cantores Para maiores de 18 apenas.

#taegi #yoongi #taehyung #bts
1
4.7mil VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 30 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prológo.

   Batuquei os dedos contra o volante do carro, olhando novamente para o lado de fora do vidro. A visão dos prédios em Seul, sendo banhados pela fraca luz da lua, que se escondia atrás das pesadas nuvens de chuva, poderiam até mesmo ser uma bela visão, e um ótimo lugar para se tirar uma fotografia "Tumblr" como eles costumavam dizer, isso se: meu dia não tivesse sido tão péssimo como hoje.


   Podíamos dizer que nesse dia, eu realmente, e literalmente, havia acordado com o pé esquerdo, na hora do banho meu shampoo simplesmente desapareceu do pote, como se alguém tivesse passado uma colher nele e tirado todos os requisitos, olha se pode isso? nem o restinho eu pude usar, quando eu fui fazer meu lindo café da manhã, por que né, esse corpo não se mantém sozinho, tive a linda surpresa de uma geladeira pifada, por um lado eu poderia considerar aquilo muito bom, já que eu poderia me empanturrar com um fast food, mas não foi exatamente isso que aconteceu, já que no momento que eu fui pagar meu delicioso hambúrguer, um indecente trombou contra mim, e sujou toda a minha carteira, e mesmo aquela maldita atendendo tendo visto tudo não aceitou meu pobre dinheirinho, e eu nem pude passar o cartão, já que o mesmo acabou quebrando com a trombada, e se vocês pensam que as coisas acabaram por ai estão muito enganados meus amigos, a merda só começou.


   Depois de eu ter limpado a sujeira que eu nem ao menos fui culpado, decidi ir até a casa da minha mãe para comer, imagina alguém puto, sem o carro por que ele estava no certo, e só para melhorar toda aquela bosta, começou a chover.


   "Ah, mas era só você ficar esperando que passava, ou ligar para alguém"


   Eu fiz isso, e sabe o que aconteceu? O maldito Uber que eu chamei passou em cima de uma maldita poça de lama, e o que aconteceu? ele não me deixou entrar no maldito carro, e eu tive de ir a pé até a casa de minha mãe, e eu achando, que ela ia me mimar, e me dar uma bebida bem quentinha, mas não, ela como uma ótima mãe, me xingou e me chamou de irresponsável, e ainda não me deu comida! pode isso? A gente ficou umas boas horas ali, naquele briga e chora, e no final eu fui embora para trabalhar sem comer, eu que me deixou puto o resto do dia inteiro, e como se não bastasse isso tudo isso na minha vida, meu chefe pediu para eu fazer 3 trabalhos extras pra ele, e pra amanhã, acho que a única coisa realmente boa que havia acontecido, era ter o meu carro de volta.


   Daí vocês me perguntam "Ah, mas você está todo na fossa só por causa dessas coisas?" EU ESTOU MUITO NA FOSSA SÓ POR CAUSA DESSAS COISAS, SIM! PAREÇO AQUELES TROUXAS DE HISTÓRIAS DE CONTO DE FADAS, QUE PARECE QUE O SATANÁS INVOCOU NO CORPO SÓ PRA ELE TROMBAR COM O CRUSH, E OLHA, NÃO ACHEI O MEU ATÉ AGORA. Eu me perguntava até hoje por que nunca consegui um crush, talvez fosse por que eu não era uma mulher e não podia fazer meu coque frouxo para ir até a Starbucks, mas poxa, não pedi pra nasceu com um pirulito nos meios das pernas, me dá um desconto aí.


   Confesso que eu quase bati minha cabeça no teto do carro quando uma buzina alta e longa soou ao meu lado, e olhei de relance pro lado de trás, vendo um carro ultrapassar o meu de modo totalmente apressado, e eu poderia até mesmo xinga-lo se a cena a seguir não tivesse acontecido, ele havia batido em alguém.


-EY! OLHA O QUE VOCÊ FEZ. - Desci do carro com uma pressa que eu nunca tive antes, e corri até o corpo quase desacordado do homem, olhando para trás a procura do babaca que havia o atropelado, mas a única coisa que vi foi a fumaça de seu carro, que ia rápido para longe daquele lugar. - Filho da puta. Ey, você consegue me ouvir? tem algum telefone?


   Sei que devem me achar um idiota por estar falando tão normalmente com uma pessoa quase morta, mas me digam vocês, o que iriam fazer.


   Eu era um puta adulto de 22 anos, totalmente inútil, que só sabe fazer edições no computador, e que não tem nenhum conhecimento médico, muito menos algum telefone decente para ligações, o que diabos eu poderia fazer naquele lugar? Chorar? Gritar?... Pensando bem, talvez isso possa ser uma boa ideia.


-SOCORRO! ALGUÉM ME AJUDE, POR FAVOR, ALGUÉM!


   Olhei em volta com um sorriso enorme no rosto ao ouvir um barulho, vendo uma velhinha saindo de dentro da sua casa, com um telefone em seu ouvido.


-NÃ-NÃO SE MOVA, EU CHAMEI A POLICIA PARA VOCÊ, SEU ASSASSINO.


   É, talvez eu tenha sido lento demais para perceber que minha vida tava uma merda, mas quando eu escutei as sirenes soando alto por todo aquele bairro, e senti aqueles olhares repreendedores sobre mim, eu sabia que estava fodido, e nem era do jeito que eu queria.


_____________________


-EU JURO, EU NÃO FIZ NADA COM ELE, EU ESTAVA CHEGANDO DO TRABALHO E UM IDIOTA QUALQUER FOI ULTRAPASSAR MEU CARRO NO SINAL.


-Me desculpe, senhor, mas temos testemunhas dizendo que o culpado foi o senhor, e enquanto não tiver qualquer prova do que diz, não irá se livrar disso, e sabia, que como um suspeito de um acidente sério de transito, tudo que disser será usado contra você no tribunal.


   Tentei chamar o policial quando o mesmo estava perto da saída, mas o mesmo somente me ignorou e fechou a porta daquela "cela". Eu queria chorar, eu queria alguém ali como um consolo, e eu odiava aquilo, mas tudo era tão injusto, era tão injusto eu ter de ficar o dia todo sem comer, era injusto eu não ter meu carro, era injusto aquela chuva, era malditamente injusto meu chefe, e terrivelmente injusto eu ter levado aquela culpa, por que tudo estava daquele jeito hoje?


-Ahh... então é você.


   Dei um pulo assustado ao ouvir o baque alto da porta, e olhei pra ela totalmente desnorteado, vendo um homem sentado em uma cadeira de rodas, com alguns arranhões em seu rosto que não estavam cobertos, como ele tinha entrado ali? ou melhor, quem é ele?


-Quem é você?


-Oh, eu? Bem, não é tão surpreendente não se lembrar de mim já que parecia bem avoado naquele momento, mas eu sou a pessoa que você atropelou, ou melhor dizendo, o filho do seu atual chefe, e com 99,9% de chance de ser seu novo chefe.


   Vocês devem achar que eu chorei e implorei pra ele depois de ouvir isso, não é? Pois sinto informar que estão errados, eu ri, até mesmo pude ver seu rosto contorcendo em estranheza, afinal, que tipo de pessoa em sua sã consciência iria rir ao saber que estava prestes a ser despedido? Não acho que estava realmente rindo para valer, no fundo eu sabia que estava fodido, e mais uma vez, não era da forma que eu queria.

28 de Junho de 2018 às 16:57 0 Denunciar Insira 0
Continua… Novo capítulo A cada 30 dias.

Conheça o autor

Ceci Silva Minseok Utted

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Histórias relacionadas