Um trago qualquer… Seguir história

barbaravitoriatp Bárbara Vitória

Um simples maço de cigarro havia os unido e agora também os separava… … … Possui enredo homossexual, ou seja, homens em relacionamento amoroso, com descrições gráficas ou não. Caso você seja homofóbico, preconceituoso ou intolerante, favor não seja uma pessoa grosseira ao vir ler e comentar dizeres estúpidos.



LGBT+ Para maiores de 18 apenas. © As histórias aqui postada são de exclusividade minha, Plágio é crime conforme a LEI Nº 9.610, DE 19 DE FEVEREIRO DE 1998 e Art. 184 do Código Penal – Decreto Lei 2848/40. Um trago qualquer… – 2018 – Bárbara Vitória ©

#tabagismo #amordefrases #angst #songfic #boylove #slash #original #yaoi
Conto
10
5775 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Um simples trago qualquer…

“O amor nasce de pequenas coisas, vive delas e por elas às vezes morre.” — Lord Byron


    — Você sempre disse que fumar matava, engraçado que foi logo por causa de um cigarro que a gente se conheceu. Uma bela ironia se posso dizer — respondeu-me sorrindo.

   — Eu estou certo, isso mata — ditei enquanto me levantava, intoxicado pelo cheiro almíscar que provinha daquele objeto em suas mãos. Eu me embriagava em seus olhos oliváceos e sua pele de alabastro. Um demônio em forma de gente.

   Sabia que seria nossa última vez juntos, eu não aguentava mais essa situação, era de matar. Eu odiava. Odiava com todas as minhas forças a pessoa fria que me tornei com ele. Tão fria quanto a ardósia que adornava o umbral da janela daquele maldito quarto. Sabia que assim que saísse por aquela porta jamais voltaria, seria o fim de tudo para nós. Então rumei, para o banheiro querendo lavar de mim toda a evidência daquele encontro. O rastro branco que manchava o marrom da minha pele, me recordava vivamente o quanto eu era um boneco perante aquele homem. Maldita a hora que me viciei em seus olhos que me percorriam noite após noite em cada balada que íamos.

   Me lavei com força, quase arrancando minha pele e tentando pensar quando foi que o amor se tornou ódio, em quando foi que passei a enojar o cigarro que tantas vezes compartimos e passar a desejar que ele deixasse aquele maldito vício. Talvez fora no dia que recebera o diagnóstico que meus pulmões já não serviam de tanto usar aquele maldito, ou quando ele me deixou por estar cansado de cuidar de um doente. Tossi, congelando debaixo daquela água fria na qual insistia em me banhar, para tentar por em ordem os meus pensamentos e criar coragem para enfim largá-lo.

   Repassando cada momento entre nós, vi o quanto ele fora tóxico para mim em todos os sentidos e quão burro eu fora em acreditar em suas falhas promessas. Chorei desesperado e me arrependi de ter aceitado aquele cigarro, de um dia ter o tragado. Frustrado comigo mesmo sai enrolado na toalha o encontrando ainda ali a me fitar, embriagando o quarto com aquele maldito fedor. Ri, de escárnio ou de ódio, não sei dizer. Vesti minhas roupas, enquanto recolhia minhas últimas coisas, que jaziam jogadas aos cantos do quarto e lhe olhei novamente.

   Ele não mais sorria, o dia não mais existia e a noite fazia-se enfim. Eu sorri, ele me seguiu.

   — Eu acho então que isso é um adeus…

   — Eu não diria isso honey — respondi sorrindo, me tomando valentia.

   — Então como você chamaria essa separação hein? De um até logo? Eu nem mesmo sei quando te verei novamente — ele ditou como que querendo-me fazer sofrer pela minha decisão. Mas não titubeei. Vesti as calças vermelhas e o dito casaco de general que tantas vezes me imaginei vestindo e o beijei antes de dizer adeus.

   — Eu vou tomar o navio meu bem e talvez você me veja de novo no funeral…

20 de Junho de 2018 às 03:01 19 Denunciar Insira 13
Fim

Conheça o autor

Bárbara Vitória 24 anos, mineira de BH, escritora e um monte de outras entrelinhas numa infinita linha de possíveis predicados…

Comentar algo

Publique!
little bird little bird
gostei
18 de Abril de 2019 às 09:19
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Achei que o uso da frase ficou excelente. É bem o cerne da história, a pequena coisa que fez o amor nascer (o cigarro), se desenvolver e depois morrer. O sentimento do personagem, a dor que o parceiro trouxe (e também que o cigarro trouxe, por tabela) ficou bem clara e eu achei bem poética essa parte. Ficou bonita. Eu só não entendi tão bem a progressão do diálogo, e alguns detalhes, como o navio e o casaco de general ficaram um pouco soltos para mim. Parecem não ter muito a ver com a história ou serem parte de algo no passado deles que não foi tratado aqui. Mas parabéns pelo bom trabalho! Esperamos que tenha gostado de participar do desafio ;) Até mais!
28 de Junho de 2018 às 20:40

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Adorei estar no desafio, sinto-me muito grata pelos comentários recebidos, espero poder sempre estar escrevendo pro site. Tenho tido ótimas experiências até o momento. Quanto a essa parte, irei revisar, ao que parece nem tudo que saiu de minha mente estava tão alinhado ao conceito do texto. 3 de Julho de 2018 às 01:42
Yui Sama Yui Sama
Gente... Estou sem palavras. Isto foi pesado e eu amei a forma como mostras-te o.assu to... É só que esta fic é tão profunda. Estou sem palavras. Adorei xD
24 de Junho de 2018 às 16:50

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Meus deuses que amor, obrigada pelo comentário baby fico muito feliz que tenha gostado. Sorry se ficou muito pesado e bad, mas foi a vibe do momento, essa frase de Byron é bem triste. 24 de Junho de 2018 às 20:31
Saah AG Saah AG
Nossa, pesado! Relacionamentos abusivos são sempre complicados de trabalhar e sempre dá uma raivinha (em nós leitores) do personagem que tá lá fazendo papel de trouxa. Você expôs bem os fatos e o passado das personagens e tem um ótimo vocabulário. Só toma cuidado com as vírgulas e as regrinhas de ênclise e tal. Beijos <3
24 de Junho de 2018 às 10:49

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    É de relacionamento abusivo eu entendo, já passei por uns aí sabe, então meio que consigo descrever bem hard esses sentimentos ruins. Sobre quem tá sofrendo, eu sinto raiva mais não, pois só quem já viveu um sabe que nem sempre é fácil sair de um entende? Fico agradecida que tenha lido minha história e mais ainda que tenha gostado ao ponto de tirar um tempinho para comentar. Agradecida mil u.u PS.: Ênclise? Non entendi florzinha. 24 de Junho de 2018 às 16:27
HikariNoHime Writer HikariNoHime Writer
Primeira original que li nesse desafio. Eu não tenho nem palavras para descrever o quanto eu apreciei cada palavrinha escrita aqui. Mesmo que essa história tenha personagens sem nome e sem rosto, eu consegui me conectar com eles, com a situação em que estão, e eu te admiro muito por isso. E, é claro, o ódio pelo maldito cigarro é compartilhado aqui. Obrigada por essa história maravilinda! Beijinhos de Chocolate ♥
24 de Junho de 2018 às 10:24

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Ain que doce, amei ler seu comentário flor. Eu tô muito feliz por estar deixando tanta gente contente com essa história. Eu num tava dando nada por ela sabe, mas ao que parece bombou mais do que eu esperava rsrsrs eu costumo gostar de fazer histórias sem rostos, sem nomes, acho que assim a gente se conecta mais, dá mistério na relação leitor-história. E novamente obrigada mil por tirar um tempinho pra ler e comentar. 24 de Junho de 2018 às 16:24
Elloo Izy Elloo Izy
NOSSA CARA! Mano do céu. meu deus. eu não sei nem o que dizer! Não sei se começo a falar da tua escrita impecável, ou de como a história, que mesmo tão pequena, te prende em um arrependimento. MANO, eu real não sei o que falar, só sentir! Então, muito obrigada por compartilhar essa história conosco! ela tá sensacional! Você MERECE tá no top 10. beijos 💕💕
24 de Junho de 2018 às 00:07

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Ain obrigada, muito feliz eu tô por ler isso tudo, é bom saber que tô agradando alguém com essas loucuras que eu digito por aí. Em breve sai coisa nova, outra original, mas pra um desafio diferente. Só que eu tô enrolando. Se eu receber o amor que tô vendo aqui sempre, até dá uma motivação extra pra escrever. Dá até umas vergonhas ler que eu escrevo bem, nem sou isso tudo não sabe rsrsrs, mas super amei flor u.u 24 de Junho de 2018 às 01:28
Crazy Clara Crazy Clara
O ritmo em que você compõe o texto parece uma canção. Não tenho ideia de como explicar, mas vi as palavras dançando e a história seguindo esse toque suave e triste da música que colocou como trailer. Acho o habito de fumar horrível, mas ele é muito poético quando descrito. Foi a primeira vez que vi um texto capaz de descrever exatamente esse sentimento. Que relação poética, mas que preço terrível. Não foi necessário nos dar detalhes, com poucas pistas já consegui ver o quadro geral da relação, de novo, exatamente como o habito de fumar. Menina, você foi mestra aqui. Fico boba que tenha sido um texto tão curto com tanto a dizer.
23 de Junho de 2018 às 12:33

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Eu também odeio o cigarro, é meio "encantador" o cara que fuma um charuto, um cigarro, toma daquilo um prazer que pode se dar vez ou outra. Algumas vezes é elegante usar o objeto na construção da cena, mas os cigarros em si são tão poluentes seja pra natureza, seja pro ser humano que é feio demais o uso dele. Quanto ao enredo ir seguindo e fluindo tal qual uma canção nem creio eu que fiz isso. É meio bugado a gente ler tantos elogios pra obra que nem acreditávamos que ia seguir em frente rsrsrs é como estar num mundo surreal. Muito obrigada mesmo pelo comentário flor, eu fiz ele curto porque foi-me pouco tempo para criar algo. Tem vezes que a pressão faz com que algo de bom saia da gente né. No mais, agradecimentos mil outra vez por tirar um tempinho pra ler e comentar. Beijinhos u.u 23 de Junho de 2018 às 22:21
Nathy Maki Nathy Maki
Eu realmente ano ler originais. Dizem que cada uma traz um pedacinho da pessoa que escreveu, Então quando leio uma é quase como conhecer alguém novo! É emocionante. Eu fiquei bem triste é curiosa com toda a situação do relacionamento deles, fica o mistério de como chegou nesse ponto já que sabemos que começou com o cigarro. Mas as vezes é bom ter um mistério escondido. A frase foi usada muito bem! Tanto as pequenas coisas qie construíram podem muito bem serem elas a destruir. É triste porém verdade. Sua escrita é linda e eu amei a comparação dos sentimento deles com o material da janela. Foi uma sacada de Mestre! Parabéns pela criatividade e continue criando! Beijinhos ^3^
22 de Junho de 2018 às 21:00

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Obrigada florzinha. Eu gosto muito de fazer esse tipo de comparações, acho bonito demais esse tipo de coisa sabe. É único. Eu nem me toquei do mistério sobre a relação deles e no fim ficou lindo. É gostoso como coisas que a gente não poe fé saem show de bola. Obrigada demais pelo comentário u.u 22 de Junho de 2018 às 21:10
E C E C
Minha nova paixão se chama originais e quando separei para ler eu estava muito curiosa. Um mundo novo, personagens novos e eu amo demais isso. A frase foi muito bem usada, quando você apresenta que foi o cigarro que os fez se encontrarem eu já pensei "essa é uma das pequenas coisas". Uso de cigarros em histórias é tão simbólico que chega a ser lindo e aqui ele foi o centro de tudo. Mas de tudo o que me prendeu e fez por vezes afirmar com a cabeça aqui, foi a convicção dele - quando finalmente ele iria deixar a vida que passou a odiar -, daí ele encontrou o que sempre quis fazer e mesmo que isso fosse trágico era melhor que estar ali. Simplesmente amei <3
22 de Junho de 2018 às 19:56

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Obrigada pelo comentário baby. Já faz largos meses que tenho a cena de alguém com cigarro em mãos, debruçado sobre uma janela rindo com escárnio de alguém, mas nunca havia escrito nada com ela. Eis que surge na minha time a info do desafio, faltavam 30min e eu fui. Fiz correndo e deu. Fico feliz que ao menos agradei alguém, pois fiquei tanto tempo a pensar que estava horrível rsrsrs 22 de Junho de 2018 às 20:43
LiNest LiNest
Wow eu fiquei realmente curiosa com o título e decidi ler, mas nossa não esperava o quão forte e bem passado seria o sentimento. Adorei como vc descreveu o sentimento de desprezo, me fez ficar intrigada e agora queria saber como o relacionamento deles chegou nesse ponto, mas acho que a graça tá no mistério mesmo, achei muito forte o uso do cigarro no texto e fiquei realmente sentida pelo general (?) pela situação que ele estava passando, é realmente triste e eu entendo ele ser tão amargo com tudo. ADOREI os dialogos, achei muito bem construidos e interessantes. Acredito que seria bom uma revisada porque tem algumas conjulgações de verbo que deixam o texto destoante e tmb parece faltar algumas palavras no meio de frases, mas no geral a fic tá maravilhosamente escrita e eu gostei muito do seu estilo. Enfim, amei ler a fic, de verdade. Parabéns pelo ótimo trabalho <3
21 de Junho de 2018 às 15:08

  • Bárbara Vitória Bárbara Vitória
    Obrigada bebê. Eu dei uma olhada rápida e creio que precisa mesmo duma betagem. Espero em breve que isso aconteça. Quanto ao general, é uma analogia a canção da Gal. Se a escutou entenderás que ele toma essa figura para ter força, para conseguir fugir dessa situação horrível em que caiu. Algo tão simples e banal o unira aquele cara que ele jurou amar e em troca recebeu com o tempo nada mais que dor. Triste por demais. Quanto a ser bem bad, eu tô nessa vibe aí não deu outra ao olhar a frase. Obrigada mil pelo comentário u.u 22 de Junho de 2018 às 20:49
~