A Barraca do Beijo Seguir história

nathymaki Nathy Maki

Após ter sido rejeitada, Sakura se vê arrastada por Ino para a comemoração de Dia dos Namorados da escola. O que não esperava ao chegar lá, era ver Sasuke responsável por uma Barraca do Beijo.


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público. © Créditos ao artista da imagem.

#universo-alternativo #sasusaku #naruto #dia-dos-namorados #amordefrases
Conto
6
5022 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único

Frase escolhida: 6. "Seu coração disse para sua cabeça, vá, e sua cabeça disse para sua coragem, vou, e sua coragem respondeu, vou nada, mas sua boca não ouviu e beijou." - Adriana Falcão 

Notas iniciais: Olá pessoas! Eu estava refletindo e vi que havia escrito tanto angst pra esse desafio (alguns tão pesados que até desisti de postar) que não estava mais conseguido sorrir. Então quando essa ideia surgiu, larguei tudo que estava fazendo, fui escrever e acabei com um calorzinho no coração. Fiquem com essa SasuSaku fofa e mostrem seus sorrisos para o mundo!

***


O Dia dos Namorados podia facilmente ser dividido em dois grupos: aqueles que tinham seu par e estavam felizes; e aqueles amargurados e rejeitados para os quais a data não passava de apenas mais um dia comum. Sakura estivera alimentando esperanças de que, quando esse dia tão esperado chegasse, estaria fazendo parte do primeiro grupo. Porém, o destino parecia zombar de si.

Após planejar sua declaração, detalhe por detalhe, seu queixo havia caído ao ouvir Sasuke lhe dizer um sonoro "Não posso." A vontade que tivera fora de partir a cara dele ali mesmo, mas o orgulho e o coração ferido fizeram-na sair correndo para longe sem nem ao menos ouvir o restante das palavras que ele dizia. Naquele momento, desculpas e justificativas não pareciam importantes.

Agora, todas as vezes que passava por ele no corredor, precisava enfiar a cara nos livros ainda envergonhada e irritada, não querendo ser a responsável por alguma ação impensada.

E aqui estava ela, deitada de moletom no quarto de casa em plena noite de dia dos namorados, mal-humorada por estar fazendo parte do segundo grupo que tanto havia recusado fazer parte. Do lado de fora do quarto podia ouvir o barulho das conversas e risadas dos casais que passavam felizes por sua janela e precisou conter a vontade de jogar um balde de água em cima deles. O celular tocou interrompendo a discussão que estava tendo consigo mesma se valeria ou não a pena levantar somente para pegar o balde.

- Alô? - Atendeu sem se dar ao trabalho de verificar quem era.

- Onde você está? - A voz zangada de Ino soou na linha.

- Em casa, namorando a cama e o travesseiro. - Respondeu pegando uma almofada e deitando de barriga para cima, deixando o olhar vagar pelas estrelas e flores coladas no teto.

- Espero que esteja sendo um relacionamento proveitoso e que justifique você me deixar plantada na porta da escola por quase uma hora.

- O quê? - A Haruno sentou-se, surpresa pela raiva no tom da amiga, mas sem entender a que ela se referia.

- A feira da escola? Chocolate de graça? - Ironia destilava de sua voz, indicando o quanto estava irritada.

- Ah, caramba! Eu esqueci completamente! - Resmungou, rolando de lado e afundando o rosto no travesseiro.

- E a luz se faz. - Sakura podia imaginar perfeitamente bem Ino rolando os olhos enquanto deslocava o peso de uma perna para a outra e enrolava uma mecha loira do cabelo no dedo, impaciente.

- Sinto muito por isso, mas será que não dá para esquecer? Não estou no clima hoje. - Pediu, suspirando profundamente e se preparando para o sermão que ouviria. Dito e feito.

- Ah, não me venha com essa de não estou no clima. Não quero nem saber! Você quem vem me convencendo a participar desde a semana passada e agora que estou aqui, linda e maravilhosa, a Senhorita me aparece com essa desculpa e inventa de não dar as caras? - Sakura, bem no fundo, sabia que seria impossível convencê-la do contrário. - Pois agora você vai aparecer aqui querendo ou não. Te vejo em quinze minutos ou não vai querer saber as consequências. – E, dizendo isso, desligou antes que a Haruno pudesse argumentar.

Suspirando, Sakura largou o celular na cama e foi trocar de roupa. Acabou usando o vestido e os sapatos que já havia separado para o dia, mesmo não sentindo a mesma animação de quando os escolhera, penteou os cabelos róseos e encontrou uma forma de esconder o celular no vestido para que este não fosse visto.

Saiu de casa, verificando a hora no relógio da entrada e fazendo uma careta para ele ao indicar que faltavam apenas 2 minutos para o prazo que Ino havia estipulado. Arriscou uma corrida, quase tropeçando nos tamancos, desviando por pouco de um carro que passava e entrou na escola - que, para a sorte dela, ficava apenas a duas quadras de sua casa - com o barulho da buzina ainda ressoando nos ouvidos.

- Até que enfim! - Ino gritou ao vê-la. - Está 30 segundos atrasada!

- É claro que você fez questão de contar. - A Haruno revirou os olhos.

- Sempre posso te cobrar por isso mais tarde, você sabe. - A loira enlaçou seu braço ao dela e a arrastou para a área aberta nos fundos do prédio onde a feira estava acontecendo. Havia um arco de entrada decorado com balões em forma de corações e fitas de crepom caíam dos fios acima das cabeças, criando uma cobertura vermelha e branca. Dezenas de barracas estavam montadas de cada lado algumas exibindo maçãs do amor vermelhas e doces, outras exibindo jogos variados, e, nos espaços entre elas, pessoas encenavam personagens e obras românticas famosas.

- Nossa, esse ano o grêmio realmente se superou. - Sakura comentou. Embora dissesse que não estava no clima de festa, não podia negar a beleza da decoração. Quase lhe dava vontade de se juntar a multidão de casais sorridentes. Quase.

- Verdade, embora eu tenha sugerido fortemente que não usassem Romeu e Julieta como base. É muito mais trágico do que romântico e ninguém merece lágrimas que não sejam de alegria hoje. - Sakura não aguentou e acabou rindo do entusiasmo da amiga.

- Se queria tanto vir, não precisava ter me esperado. Ou melhor, devia ter convidado o Gaara. - Lançou um olhar a loira, incisiva. Ino soltou uma risadinha e balançou a mão como se espantasse a sugestão. - Até quando planeja deixar o coitado de molho?

- Na verdade, até hoje. - Sakura ergueu as sobrancelhas, surpresa. - Eu chamei ele para me acompanhar, apenas queria ter certeza que você não ficaria sozinha, enfurnada em casa como uma velha, reclamando da felicidade dos outros. - A boca de Ino se torceu em um biquinho.

- Ah, claro! Porque é muito melhor vir para a festa e ficar segurando vela para você.

- Quem você pensa que eu sou? Não te trouxe aqui para segurar vela. Te trouxe aqui para ver isso. - Puxou o braço de Sakura de forma que ela ficasse virada na mesma direção que olhava. Uma das últimas barracas se encontrava mais movimentada que as demais. Uma aglomeração de garotas se reunia na frente, soltando risadinhas e conferindo a aparência nas telas dos celulares. Quando uma brecha se abriu, Sakura pôde entrever os cabelos negros e olhos escuros que reconheceria em qualquer lugar. Era Sasuke. Ergueu os olhos para o nome escrito na placa: "Barraca do Beijo" e os voltou para Ino, incrédula.

- Me trouxe aqui para ver o Sasuke beijando outras garotas? - Precisou conter a voz para não começar a gritar e causar um escândalo no meio de todas aquelas pessoas. - Que merda você tem na cabeça, Ino? - A loira apenas girou os olhos para o céu, pedindo paciência para lidar com a amiga. Será que ela não via o quanto a sua estratégia era genial? Desconsiderou o xingamento e apontou.

- Claro que não, sua burra. Eu te trouxe aqui para você dar uns amassos no Sasuke, óbvio. - Continuou antes que ela abrisse a boca para discordar. - E mesmo que ele tenha te rejeitado, se você entrar na fila ele não vai poder recuar. - Concluiu satisfeita.

- Não quero passar por necessitada, obrigada, de nada. - Disse já dando meia volta para ir embora.

- Pensa bem, depois disso você ainda vai poder sair falando que toda a pose de machão frio e insensível dele desmoronou quando te viu na fila. - Sakura riu. Não podia negar que a ideia lhe cativava um pouco. - Ah vamos lá, o que é que custa ir lar e tirar uma casquinha? Pode até avaliar se valeria a pena mesmo ficar com ele.

- Para quem veio acompanhada, a Senhorita está muito atirada, não acha? - Ino ignorou a provocação e acenou com a cabeça em direção a barraca, enfatizando o que ela deveria fazer. Sakura suspirou. Tudo bem que tinha sido rejeitada por ele, mas por outro lado, por que não aproveitar a chance que lhe era dada? Soltou o ar e assentiu para Ino que deu pulinhos por seu plano estar seguindo o devido curso.

- Ótimo! Agora vou procurar o Gaara antes que ele desista de me acompanhar. - E se afastou. - Me conta os detalhes mais tarde!

Sakura retribuiu o aceno e endireitou a coluna, andando em direção a fila que já se encontrava mais vaga. Ao que parecia, Sasuke ainda não a havia notado. Observou a garota a sua frente se inclinar sobre o balcão e colar os lábios nos dele. Seu coração apertou e ela pensou em sair dali o mais rápido que sua dignidade lhe permitiria, mas era tarde demais. A garota ruiva já havia se afastado, rindo, e Sasuke olhava diretamente para ela. Engoliu em seco, sentindo a sua habilidade de se comunicar ir por ralo abaixo. Os pés deram mais um passo à frente e ela foi recebida por um sorriso, no qual apenas o canto da boca dele se erguia, e que podia significar tanto malícia quanto desgosto ao vê-la.

- Então aqui está você. - A voz dele, baixa e rouca, fez o resto de sua coragem desmoronar. Deu um passo para trás tentando se afastar, porém, ele segurou seu pulso e a puxou de volta. - Opa, não vai fugir agora. - O sorriso dessa vez demonstrava divertimento. - Vamos?

Seu coração disse para sua cabeça, vá, e sua cabeça disse para sua coragem, vou, e sua coragem respondeu, vou nada, mas sua boca não ouviu e beijou. Sentiu os lábios dele se moverem, macios, sobre os seus. A língua doce passando e entreabrindo sua boca, dando passagem para mais contato. A mão dele, em seu pulso, acariciava de leve provocando arrepios que se espalhavam por sua pele. Ela fechou os olhos, inebriada pela intensidade que fazia seus nervos faiscarem. E então, cedo demais, ele se afastou. Exibia um sorriso vitorioso e satisfeito, como se houvesse obtido uma conquista. Sakura sentiu os olhos queimarem com as lágrimas de derrota. Apanhou a dignidade do chão e se virou para sair dali. Ino e seus planos ridículos! Prometeu a si mesma que nunca mais lhe daria ouvidos. Nunca mais!

Podia ouvir Sasuke lhe chamando às suas costas, mas resolveu ignorar. Não daria a ele esse gostinho de vê-la voltando. Concentrou-se apenas em não tropeçar novamente nos tamancos e finalizar a noite com uma queda espetacular.

- Ei, Sakura, espere! - Sasuke a seguiu tornando a segurá-la pelo pulso. Ela o soltou dos seus dedos e se virou para enfrentá-lo.

- O que está fazendo aqui? Por que não volta para o seu trabalho e beija logo a próxima que aparecer? Vê se me deixa em paz! - Gritou de volta, se odiando por deixar algumas das lágrimas escaparem. Ele ainda teve a ousadia de rir. - Seu idiota! Eu te odeio. - Voltou a caminhar apressada.

- Odeia é? Eu pensei que havia dito que me amava. - Ele a seguia sem grande dificuldade. - Respondendo a sua pergunta, eu não vou voltar para a barraca. Pedi ao Itachi que ficasse no meu lugar pelo resto da noite. - Ela ergueu a sobrancelha claramente não acreditando. Sasuke suspirou.

- Ah, cerejeira. - Ela corou ao ouvir o apelido que Ino havia lhe dado no primeiro dia de aula sendo dito de forma tão suave e sensual. - Eu sabia que ficaria assim, por isso tive que dizer aquilo. Mas você nem ao menos esperou para ouvir o resto.

Sakura parou, agora atenta as palavras dele.

- Que resto?

- Eu já estava escalado para a barraca no dia que você veio falar comigo. Sabia que você ficaria com ciúmes quando descobrisse e achei melhor esperar o festival terminar para poder ir me explicar e te pedir desculpas. Mas então você apareceu e eu soube que não conseguiria mais adiar.

- Pedir desculpas pelo quê? Você é livre para beijar quem quiser. - Disse, embora sentisse o coração acelerado e o sangue rugindo nos ouvidos.

- É muito bom saber disso. - Ele se aproximou, segurando seus pulsos e sorrindo malicioso. - Mas a única pessoa que eu quero beijar é você. - Sasuke se inclinou e fechou a distância entre eles, selando seus lábios em um beijo ainda mais intenso que o primeiro.

- Da próxima vez que vier com uma dessas, vai ver só o que merece. - Sakura murmurou ao se separarem. Ele sorriu novamente, divertido.

- Pode deixar. Enquanto isso não acontece, que tal irmos mais uma vez barraca e fazer valer o nome dela?

- Para que barraca se podemos fazer isso aqui mesmo? - Sakura indicou, sedutora, voltando a unir as bocas e os corpos em um, aproveitando aquela sensação agradável que percorria seu corpo ao senti-lo tão perto de si e agradecendo aos céus por agora não fazer mais parte do segundo grupo.

19 de Junho de 2018 às 20:41 4 Denunciar Insira 5
Fim

Conheça o autor

Nathy Maki Leitora voraz desde que tenho idade para segurar um livro em mãos. Sagitariana e um poço de emoção e muuita indecisão. Amo um clichê bem escrito e um suspense que te prende, mas fantasias e ligações são especialidade. Sou fã daqueles finais inusitados. Até mesmo os tristes! Lema: Colecionar sonhos, ideias e magia e depois transformá-los em palavras é o que torna bela a vida.

Comentar algo

Publique!
Inkspired Brasil Inkspired Brasil
Olá! Nossa, Sasuke tem o dom da comunicação, hein? Não sei se a Sakura ficaria triste ou brava se ele explicasse a situação. De qualquer forma, acho que seria mais suave que simplesmente rejeitar a coitada e daí ir para a barraca, que deixaria ela chateada, e só depois se explicar. Ele precisava de uma Ino pra dar um toque e talvez uns tapas na cara, porque olha... O uso da frase ficou bacana, mas poderia ter sido mais explorado. O objetivo era que a frase service de base para a história inteira, não apenas para uma cena. A sua escrita é muito gostosa e fluida, então a leitura da história ficou muito suave. Parabéns pelo bom trabalho! Até mais!
29 de Junho de 2018 às 02:08
Saah AG Saah AG
Miga, continuo amando o modo como você expõe os fatos e desenvolve as personagens. Adoro quando você desenvolve uma Ino - ela sempre fica mt boa. Bom, quanto ao shipp, eu te disse que seria uma escolha arriscada, mas vc mandou bem u.u Adorei a fic, de modo geral. Ficou mt fofa.
24 de Junho de 2018 às 16:23
Hime  Hime
Que fofo! Eu não sou desse fandom, mas me interessei pela proposta da história e resolvi ler e, sinceramente, não me arrependo. Fez minha manhã e estou mais confiante agora sdhjsdh. Incrível <3
24 de Junho de 2018 às 09:30
E C E C
Aaaaaaaaah que fofura, tão gostosinho de ler. Achei bem divertido e adorei as interações da Sakura com a Ino. Ainda eu AMO GaaIno (só não conta lá no fandom hehe). Adorei que usou a frase na hora do beijo da barraca. Essa frase é uma delicia para fazer fluffys carregados de amor e gracinhas <3
22 de Junho de 2018 às 22:29
~