Boy Seguir história

lenoirrr 𝑔𝑒𝓃𝓃𝒾𝒻𝑒𝓇

Jaebum só era afetuoso quando passava as mãos pelos cabelos de Youngjae para leva-lo ao seu pau.


Fanfiction Bandas/Cantores Todo o público.

#yaoi #kpop #fanfiction #fanfic #jaebum #youngjae #2jae #got7
Conto
5
5.0mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Do you need me or do you need someone?

ele só sussurra eu te amo

quando desliza a mão

para abrir o botão

da sua calça.

é aí que você tem

que entender a diferença

entre querer e precisar

você pode querer esse menino

mas você com toda a certeza

não precisa dele


Seu corpo foi jogado sem delicadeza alguma na parede da despensa. Youngjae sentiu suas costas estalarem, logo tendo o corpo de Jaebum prensado junto a si. Sua ereção pesada debaixo das calças, fazendo o mais novo ficar inquieto, tentando roçar a sua contra a dele, enquanto sentia sua pele ser maltratada pela boca de Jaebum. O Im gostava daquilo, de fazer a pele de Youngjae ficar marcada por seus toques, como um quadro em branco esperando ser pintado, para que todos vissem de quem aquela obra pertencia.

Abruptamente, os toques pararam e Youngjae pode ver toda a beleza de Jaebum quando ele o olhou. Seus cabelos numa bagunça negra, seus olhos cheios de desejo. Aquela era a melhor visão do mundo para o Choi e desesperado, ele tentou juntar seus lábios nos do mais velho, mas as mãos firmes de Jaebum o pararam.

Jaebum não era chegado aqueles gestos afetuosos, a beijos curtos e lentos, a carinhos suaves e repentinos. Jaebum era rápido, grosso, áspero.

Ele sorriu para o Choi, acariciando seus cabelos castanhos até parar com a mão em sua nuca, num pequeno carinho desajeitado.

Jaebum só era afetuoso quando passava as mãos pelos cabelos de Youngjae para levá-lo ao seu pau.

E foi o que ele fez, fazendo Youngjae se ajoelhar à sua frente, desabotoando rapidamente as calças, com um sorriso safado no rosto, seu pau bem perto do rosto de Youngjae agora, duro e molhado e o mais novo sabia o que fazer.

Jaebum sussurrou um eu te amo baixinho e Youngjae sorriu, ele o amava, era isso que importava.

Youngjae não conseguia se lembrar o que sentiu quando viu Im Jaebum pela primeira vez. Ele queria ter essa memória vivida em sua mente, como nos filmes, o trazendo uma sensação de nostalgia, de alento, qualquer que fosse. Mas ele não conseguia se lembrar nem mesmo como entrou naquele abismo sem fim.

Qual foi o momento em que sua vida se tornou aquilo, aquela massa sufocante e dependente, exclusivamente, dos toques de Jaebum.

Mas Youngjae ainda tinha muita esperança dentro de si e num misto de desespero, se agarrava às pequenas coisas boas que Im Jaebum lhe trazia. Da felicidade que sentia no peito quando recebia atenção do mais velho, quando ele lhe tocava com tanta ânsia e dedicação.

Porque Youngjae nunca se permitiu ser tocado por outro homem a não ser o Im, seu homem, mesmo que fosse seu só na cama.

O Choi estava com Jaebum a muito tempo, desde do colégio. Ele era um garoto gordinho que tinha um sorriso radiante e muitos amigos, que entrou no ensino médio com vários sonhos e sofria nas mãos dos garotos bonitos do time de futebol.

Jaebum era capitão do time de futebol.

E no meio disso tudo Youngjae era só... Youngjae. Que com seus dezessete anos nunca poderia imaginar que Jaebum iria olhar para si. O capitão vivia cercados de belas meninas, inteligentes e muito diferentes do garoto. Ele não poderia imaginar, nem em sonhos, que seria fodido tão gostoso por Jaebum, tantas e tantas vezes.

Porque Youngjae era completamente apaixonado por cada detalhe daquele garoto, que mesmo depois de tantos anos ainda era um mistério para si. Era apaixonado pela expressão serena no rosto do mais velho, todas as vezes que acabava de gozar, como sempre espalhava chupões pelo seu corpo, enquanto metia forte.

Youngjae nunca se cansaria de olhar aquelas pintinhas no rosto do Im. Ele queria sustentar seu corpo nos ombros largos de Jaebum para sempre.

Contudo, os anos foram duros para o mais novo e trataram de fazer Youngjae perceber todas as dolorosas falhas daquela relação. Como ficou preso naquele jogo desleal que Jaebum jogava consigo, como tudo se resumia a estar com o Im e quando estava com ele, imaginava como seria a próxima vez.

Porque mesmo que Choi Youngjae lutasse, sempre seria a segunda opção de Im Jaebum.

Nos tempos do colégio, pareceu plausível quando Jaebum pediu para ele manter segredo, sobre o que rolava no vestiário a noite, no sábado na casa do Choi e em todo lugar que o Im quisesse. O mais velho tinha uma imagem a zelar, como capitão do time de futebol e namorar um garoto estava fora de cogitação.

Quando formaram e Jaebum entrou na faculdade, ele disse a Youngjae que não tinha tempo para namoros. Óbvio, pensava Youngjae, os estudos são importantes, mas então eles graduaram e veio a linda Nayeon. E Jaebum teve tanto tempo para ela que hoje eles estavam casados e mesmo assim, Youngjae não conseguiu se afastar do mais velho.

E ficou preso nesse segredo, rezando diversas vezes, pedindo forças para confrontar Jaebum de uma vez por todas. Perguntá-lo porque sempre era jogado pra escanteio, porque sempre era procurado por Jaebum quando ele brigava com a esposa, quando estava carente, ou tão bêbado que não conseguia se manter em pé. E era deixado com a mesma facilidade, com Jaebum sumindo por entre as portas do apartamento, Youngjae ouvindo o bater das portas, se preparando para a próxima vez.

E a resposta para essas questões estavam naquela sexta-feira chuvosa, quando ele ouviu o som fraco da campainha e pensou ser, enfim, o entregador de pizza. Youngjae mal abriu a porta e Jaebum passou por ela, batendo os pés na soleira e tirando o casaco de chuva, o olhando com aquele sorriso que deixava as pernas do mais novo ambas. Eram essas as horas que toda a coragem do Choi ia embora, que ele não conseguia dizer as palavras que estavam presas em sua garganta e preferia apenas se deixar levar pelas mãos de Jaebum.

— Tem comida?

Ele deu as costas para si, entrando na cozinha. Youngjae se permitiu ficar estupidamente feliz, ele não estava bêbado dessa vez. Era sempre difícil não ceder quando Jaebum estava bêbado, suas mãos fortes em torno de si, possessivo como sempre fora, só que de uma forma incontrolável.

— Jaebum...

Youngjae chamou baixinho, suas mãos suadas repentinamente, sua visão sem foco.

— Você sabe como a comida de Nayeon é horrível. O que custa deixar uns sanduíches....

— Jaebum! — Youngjae chamou alto dessa vez, sua voz estranha para seus ouvidos, aguda demais, sofrida demais. — Você me ama?

E um silêncio se fez sobre os cômodos até Jaebum sair da cozinha, depois de um tempo, minutos que para Youngjae pareceram horas. Ele encarou o menor, ainda parado perto da porta aberta. Youngjae não sabia onde surgiu toda aquela coragem, porque estava finalmente perguntando aquilo para Jaebum, porque estava com aquele sentimento forte em seu peito, aquela determinação que fazia sua respiração sair desregulada. Será que Deus o ouviu depois de todo esse tempo? e ele enfim, conseguiu ter forças o suficiente para começar essa conversa?

— Porque está me perguntando isso?

Jaebum estava desconfiado, seus olhos pareciam mais escuros do que antes. Mas mesmo assim, Jaebum era o completo oposto de Youngjae, seus ombros ainda estavam eretos e seu olhar firme, enquanto Youngjae queria sumir, queria olhar para todos os lugares menos para o Im. Porque ele sabia, se olhasse tempo suficiente para aqueles olhos, ele não teria mais forças, pediria desculpas e aceitaria ir para o quarto com o mais velho.

— Porque quem ama não faz as coisas que você faz comigo Jaebum.

Youngjae sentiu um grande aperto no peito, seus olhos cheios de lágrimas, mas estranhamente, um alívio percorreu seu corpo assim que acabou de dizer aquelas palavras. Elas estavam livres, afinal.

— Eu estou a tanto tempo esperando ser amado de verdade por você... — ele respirou fundo, ainda olhando para um ponto inespecífico da sala de estar — Eu não quero esse amor que você me dá na cama Jaebum. Eu quero o amor que te faz sair de mãos dadas com alguém, que te faz ficar depois do sexo.

Mas Youngjae foi obrigado a olhá-lo, quando Jaebum atravessou o espaço que os separava e agarrou os cabelos da nuca do menor, olhando para o Choi de cima.

As mãos de Jaebum sempre foram ásperas. Se o Im queria alguma coisa, ele ia lá e pegava, seja com objetos ou pessoas. Mas Youngjae já estava acostumado com isso, ele não teve tempo de protestar, quando sentiu a língua quente de Jaebum entrar pela sua boca. Explorar e foder, cada canto em que passava, o deixando sem ar. Jaebum desceu os dedos para apertar sua cintura, o trazendo para perto, sua boca ainda sendo chupada e mordida, sem delicadeza, sem permissão, somente aquele calor que fazia Youngjae sentir a ereção do mais velho o pressionar.

Aquilo sempre funcionava, o beijo de Jaebum era um anestésico que fazia Youngjae esquecer sua linha de raciocínio. Bagunçava sua mente, o deixando facilmente excitado.

O beijo foi encerrado e Youngjae estava uma bagunça. Ele era segurado firmemente pelos braços de Jaebum, a única coisa que o mantinha em pé, até se firmar precariamente, observando a boca vermelha do Im, seus olhos cheios de desejo. Um sorriso nascia no rosto de Jaebum enquanto ele se inclinava até os ouvidos de Youngjae.

— Eu te amo porque você me deixa tão duro.

Mas dessa vez Youngjae entendeu aquelas palavras. Finalmente, depois de tantos anos Choi Youngjae entendeu a diferença entre querer e precisar.

Ele queria Jaebum, queria como nunca antes quis alguém na vida, queria poder apresentá-lo aos seus amigos, sair para jantar, andar de mãos dadas. Queria ter Jaebum por completo.

Mas Youngjae não precisava de Jaebum. Não precisava de suas mentiras, de suas desculpas, não precisava mais ser sempre a segunda opção, porque seria aquilo para sempre.

Jaebum não estava numa fase ruim, Jaebum era ruim.

E com uma força que Youngjae achou que nunca teria na vida, empurrou o mais velho, dando longos passos para trás, vendo Jaebum o olhar numa completa confusão. Nunca, em todos esses sete anos, Youngjae recusou Jaebum.

— Então você não me ama e eu estou cansado de ser sua puta.

O rosto do Im se tornou obscuro e seu maxilar travou, ele estava nervoso. Youngjae sabia todas as mínimas expressões do mais velho e tinha medo, especialmente, daquela. Mas o Choi passou por ele e escancarou mais a porta, respirando fundo e levantando os ombros, o olhando com determinação. Youngjae queria fazer Jaebum entender, queria mostrá-lo, com seu corpo, sua decisão final. E funcionou, o mais velho pegou seu casaco com tanta força que a cadeira caiu, passou pelo Choi, tomando a porta de suas mãos para batê-la forte.

E assim que a porta se fechou Youngjae se permitiu cair no chão, perdendo todas as forças que adquiriu minutos antes. Chorando baixinho com medo de Jaebum ouvir. Ele se permitiu chorar todo o desespero do seu coração, chorar todas as angústias e dores tragas por Im Jaebum, todos os anos esperando um mínimo de atenção do mais velho, ouvindo suas reclamações o vendo ser feliz com outra. Ele chorou como nunca antes chorou na vida.

E ele prometeu, que aquela seria a última vez.

8 de Junho de 2018 às 23:40 5 Denunciar Insira 6
Fim

Conheça o autor

𝑔𝑒𝓃𝓃𝒾𝒻𝑒𝓇 𝑔𝑜𝓉𝟩 𝑒𝓃𝓉𝒽𝓊𝓈𝒾𝒶𝓈𝓉 / capista e ficwriter

Comentar algo

Publique!
Avallon Jae Avallon Jae
Vou comentar de novo, eu nao consigo responder você kkkkkk eu gostaria de experimentar, but, ele parece tão ruim kkkkkk pior do que o wattpad, nossa kkkkkk Quer me ensinar a mexer nisso? Kkkkkk Que bom que sua fic está postada no Spirit, assim tem mais views, esse site deve dar depressão em novos autores soskssks
26 de Junho de 2018 às 00:22

  • 𝑔𝑒𝓃𝓃𝒾𝒻𝑒𝓇 𝑔𝑒𝓃𝓃𝒾𝒻𝑒𝓇
    aaa desculpa ver só agora! eu acho o wttp pior mas esse eu estou me acostumando aos poucos, eu te ajudo se quiser ainda, pode me chamar aq ou no spirit! 26 de Junho de 2018 às 20:13
  • Avallon Jae Avallon Jae
    Depois que se acostuma com o wattpad vê que esse é bem pior kkkkkk Eu não entendi esses sites, eles são tão simples que são dificeis de usar kkkkkk Tem bate-papo aqui será? Sksksksksjs Eu comecei a postar umas fics aqui kkkk 26 de Junho de 2018 às 20:25
Avallon Jae Avallon Jae
A Fanfic é boa demais e eu nem leio dessa categoria. Espero que não tenha postado apenas neste site, porque você merece muitas views.
18 de Junho de 2018 às 05:52

  • 𝑔𝑒𝓃𝓃𝒾𝒻𝑒𝓇 𝑔𝑒𝓃𝓃𝒾𝒻𝑒𝓇
    Muito obrigada! Eu fico feliz demais que tenha gostado. Essa história também está postada no spirit mas estou experimentando esse site também kkkkk 25 de Junho de 2018 às 15:07
~