Alvorecer Seguir história

ariane-munhoz Ariane Munhoz

Naruto podia sempre estar ausente ou trabalhando, mas ao alvorecer, sempre velaria o sono de Hinata. - Para Mandy, muito plena <3


Fanfiction Anime/Mangá Todo o público.

#naruhina #NinjasFNS #fns #naruto
Conto
6
5075 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Always Watching You

Os dias de trabalho eram sempre intensos. Durante muitas noites, Naruto sequer conseguia voltar para casa. Mas Hinata compreendia. Ela sempre compreendia.

Boruto estava naquela fase de odiar o mundo. E todo aquele ódio agora era voltado para a ausência do pai.

Hinata tentava explicar ao filho que o pai só queria o melhor para eles. Para a vila que tanto amava. A vila pela qual seus pais haviam se sacrificado. E tantos outros. Ele não compreendia. Mas Hinata sabia que Boruto amava o pai, pois havia perdido as contas de quantas vezes o havia carregado para o quarto depois que o primogênito havia pego no sono.

O mesmo com Himawari, embora a caçula fosse mais compreensiva e apenas sentisse a falta do pai. Chegando a queimar de febre algumas noites. Noites nas quais Naruto largava tudo sem pensar.

Mas sua presença era sempre escassa. E Hinata seguia compreendendo.

O que ela não sabia era que, pouco antes do alvorecer, Naruto sempre estava ali. Às vezes, não como gostaria, com seu corpo presente, mas como um clone que a observava dormir.

Suas feições eram sempre tranquilas e, às vezes, Naruto tinha a sorte de ver Hinata sorrir, afastando uma mecha de seu cabelo e sentindo a respiração morna acompanhada do perfume doce de baunilha ou do seu próprio, que cheirava a laranjeiras, quando Hinata teimava em dormir com um de seus antigos casacos, apenas para se sentir mais próxima dele.

E todos os dias, Naruto prometia a si mesmo que chegaria mais cedo. Mas sempre havia uma nova lei para aprovar, um novo inimigo aproximando-se de Konoha, um novo tratado a ser feito com uma nação.

Então, naqueles momentos silenciosos, ele apenas a observava, ignorando todo o restante do mundo.

Naquele alvorecer, não foi diferente. As janelas fechadas impediam que a luz do sol penetrasse no quarto, mas mesmo assim, Naruto era capaz de ver os contornos no rosto da esposa.

Esposa.

Quando em sua vida Naruto se julgaria sortudo o bastante para ter alguém como Hinata ao seu lado? Quando poderia dizer-se tão amado por alguém que não fossem seus pais? Pois Kushina e Minato haviam dado a vida por ele, mas foi através de Hinata que Naruto passou a aprender o significado do amor próximo. Aquele que nos embala no sono e aquece o coração até derreter a alma.

Ouviu-a ressonar baixinho, murmurando algo ininteligível que soou como o nome dos filhos ou o seu próprio. Naruto sorriu, estendendo a mão para lhe tocar o rosto. Observando o momento em que ela entreabriu os olhos, ainda sonolenta.

− Anata? – Hinata balbuciou baixinho, recebendo em resposta um beijo terno na testa e o sorriso que iluminava seus dias como se fossem feitos de raios de sol. – Você voltou esta noite?

− Não. – Naruto respondeu com uma simplicidade que encheu-o de tristeza. – Ainda está cedo. Mas queria saber se você e as crianças estavam bem.

Hinata sorriu em resposta. O mesmo sorriso compreensivo que sempre lhe cortava o coração.

− Me perdoa por não estar aqui? Por não te dar a atenção que você merece? Acredita em mim se disser que te amo com todas as forças? – Sua voz soou embargada. – Que farei o possível para ser mais presente porque você merece isso? Porque merece que te faça a mulher mais feliz do mundo?

Ela ainda sorria quando acariciou os calos de sua mão, sentindo cada um deles.

− Isso é a prova do quanto você me ama. Do quanto tem feito por nossa vila e por nossos filhos. – disse ela. – Sei que não é fácil para você, Naruto-kun, estar longe todos os dias. Ter que passar noites a fio no escritório revisando papeladas e resolvendo problemas que jamais imaginou que resolveria. Mas você continua aqui, todos os dias, a cada alvorecer. E eu nunca vou desistir de você ou do homem maravilhoso que se tornou. No momento certo, sei que conseguirá equilibrar as coisas e as crianças vão entender como eu entendo. Até lá, te esperarei. A cada novo alvorecer.

Naruto sentiu os olhos marejarem com aquelas palavras, enquanto os raios de sol escapavam pelas frestas da janela, iluminando seu rosto.

− Amo você, Hinata. – Inclinou-se sobre ela, selando seus lábios. Como por passe de mágica, o clone desvaneceu no ar, em uma nuvem de fumaça. Hinata ficou ali, deitada na cama, o calor da boca de Naruto ainda sobre a sua. Tocou os lábios com as pontas dos dedos, o olhar reflexivo perdido na ausência de cores do teto enquanto um sorriso pintava seus lábios, junto de lágrimas emudecidas.

− Também amo você, Naruto-kun.

E seguiria em frente, a cada alvorecer, esperando pelo momento onde Naruto velaria seu sono. Esperando pelo momento em que ele finalmente retornaria para casa.

Notas:

A Mandy me disse que tava com dificuldades de ver esse casal fofinho. Vamos trazer fofura para a realidade, né? Essa é pra você, nenê <3

Participante do desafio UN da FNS, vejam na página: https://www.facebook.com/FanficsNS/


27 de Maio de 2018 às 01:04 0 Denunciar Insira 2
Fim

Conheça o autor

Ariane Munhoz Dona de mim, escritora, louca dos pássaros, veterinária e mãe dos Inuzuka. Já ouviram a palavra Shiba hoje?

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~