Familiar Seguir história

vanychan734 Vany-chan 734

Shisui conseguia ler Itachi com facilidade, sabia reconhecer cada expressão e mania sua, porém sua paixonite infantil pelo primo o impedia de notar que o mais novo também tinha sentimentos por ele, e foi preciso ser questionado para ver o que estava bem diante de seus olhos.


Fanfiction Impróprio para crianças menores de 13 anos.

#uchihacest #homossexualidade #First-Kiss #Universo-Natural #UN #itachi #shisui #shiita #naminhamesafns #fns
Conto
14
4.8mil VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Capítulo Único - Familiar

Fanfic participando do desafio #NaMinhaMesaFNS , a frase escolhida foi "Eu quero fechar os olhos e, quando abrir, ver que não foi um sonho, que você ainda está aqui e que nosso amor ainda é real".
Capa editada por mim, créditos das originais às artistas y-lixir no pixiv e a outra não me recordo, porém acho que é a Voodoo. Imagem do cap não sei quem é o artista tbm.

-----------------------------------


Desde que Shisui começou a ter sonhos eróticos com Itachi, a sentir seu coração pulsar na presença do primo e a desejar avidamente pentear seu cabelo, ele decidiu que seria melhor ficar distante do primo até organizar seus pensamentos e sentimentos. Jamais deixaria que esses desejos insanos viessem a destruir seu relacionamento com o primo... era um bom plano e uma ótima motivação, porém, ele só não contava com a mania observadora e controladora do mais novo, que obviamente percebeu seus sumiços constantes.

- O que está fazendo aqui?! – Shisui engasgou ao se deparar com a figura do primo sentado em sua cama.

- Você está diferente – Itachi disse, ignorando sua pergunta.

Shisui suspirou desesperado, ele realmente não queria discutir sobre isso, ainda era muito cedo; no entanto, antes que pensasse em expulsar com delicadeza o menor, Itachi atraiu completamente sua atenção ao se levantar e caminhar em sua direção.

- Eu fiz algo para lhe irritar? – era uma pergunta direta, como do costume do gênio Uchiha.

Shisui encolheu os ombros, encantado pela expressão preocupada do outro, sabendo que ele jamais seria capaz de irritá-lo, e que pensar aquilo era até fofo porque o problema não era ele, mas sim Shisui. Era errado que ele olhasse para o primo daquela forma.

- Está tudo bem, não se preocupe – sorriu e apoiou a mão sobre seu ombro, um gesto rotineiro entre eles.

Itachi tombou levemente a cabeça, desconfiado, e o mais velho riu de sua expressão descontente. O parceiro era sempre uma pessoa instigante a se ter por perto, meticuloso, arrogante e dissimulado quando lhe convinha, mas quando estavam sós, Itachi era tão claro quando às águas límpidas do Nakano, o mais velho conseguia entendê-lo apenas com um olhar e isso o fez se questionar desde quando foi apaixonado pelo menor.

A convivência sempre foi boa, as parcerias em treinos melhores ainda, e as execuções de missões o fazia acreditar que foram feitos para vigiar um ao outro; agora isso tudo o fazia repensar se essa convivência poderia ser ameaçada por seus sentimentos indevidos.

- Podemos treinar? Quero aprender o Shunshin.

- Claro, Tachi – Shisui sorriu empolgado enquanto bagunçava o cabelo de Itachi a fim de provocá-lo.

Contudo, o ato também o afetou. Itachi o olhou carrancudo e depois se virou para a janela, indo para o local secreto onde sempre treinavam, deixando um Uchiha apaixonado e confuso para trás. Shisui já havia tocado no cabelo de Itachi, mas naquele momento, ele queria acariciar um pouco mais as madeixas longas e sentir a textura, sentir seu cheiro e também enrolá-las em seus dedos longos.

Quando percebeu que seus devaneios estavam indo longe demais, ele se reprimiu fortemente e saltou pela janela do quarto, teria que se focar nas lições sobre o Shunshin, mas era algo relativamente difícil quando ele olhava Itachi de costas para si, lembrando-se de seu corpo nu saindo do riacho¹, Shisui engoliu a seco e respirou fundo, decidindo que evitaria o Nakano nos próximos dias, pelo menos.

Quando pousaram no campo deserto, ele observou Itachi fitar um corvo no céu e se aproximou ao passo que o analisava, sua expressão estava serena, embora os olhos demonstrassem uma profundidade séria que ele sabia remeter a algum assunto que o incomodava.

- Você está bem? – questionou, a dois palmos dele.

- Danzou me promoveu a ANBU Ne hoje... – Itachi disse ainda fitando o corvo ao céu.

- Uou! Não esperava por isso – Shisui respondeu, e com o franzir da testa de Itachi, reformulou seu discurso – Quero dizer, você é excepcional, Itachi, mas ultimamente a tensão entre a Vila e os Uchihas é algo preocupante...

- Ele está me usando – os orbes ônix de Itachi fitaram o primo preocupado.

- Não se preocupe, nós vamos dar um jeito – assegurou, se aproximando mais, algo que não passou despercebido por Itachi.

- Er... desculpe – Shisui se afastou ao vê-lo franzir a boca descontente com a proximidade – Vamos, se você vai entrar para a Ne, eu espero que tenha algo na manga para se proteger – ele se posicionou e esperou que Itachi o imitasse.

- Acha que não consigo me defender sozinho agora? – o mais novo questionou, intrigado e descontente.

Shisui sorriu devasso, aproveitando a oportunidade para atraí-lo a um desafio.

- Se conseguir me derrotar, talvez seja páreo para a corja de Danzou.

Itachi odiava ser subestimado, por isso estreitou o olhar e avançou. Os ataques certeiros eram bloqueados com perfeição, como se fossem uma dança ensaiada entre os dois, o que trazia certa familiaridade a Shisui, dando a certeza de que seus sentimentos sempre estiveram ali. Ele sempre teve aquela admiração exagerada por Itachi e sabia que nesse contexto havia reciprocidade entre eles, o menor não o pediria para treiná-lo se não o achasse digno de um combate.

Quando os ataques do primo começaram a se tornar mais agressivos, Shisou o afastou com violência, chutando seu corpo para o outro lado do campo, Itachi se levantou com o Sharingan brilhando escarlate, uma visão capaz de assustar qualquer adversário, mas para o mais velho, aquilo só fazia seu coração falhar uma batida e estando momentaneamente distraído, não previu quando o gênio Uchiha o atacou com uma sequência de golpes e jutsus intensiva, o obrigando a usar o Shunshin para desviar do último Katon.

Se aproximou velozmente do primo e o chutou na costela, depois uma rasteira fez com que o corpo de Itachi caísse e Shisui se aproveitou da brecha para montar sobre ele e continuar a desferir os socos certeiros em seu rosto. Era comum levarem os treinos a sério, mas assim que o mais novo tocou seu braço em sinal de desistência, os punhos se tornaram palmas gentis e acariciaram as bochechas machucadas.

- Itachi? Itachi? Você está bem? – a urgência em sua voz denunciava sua preocupação e assim que viu os olhos de Itachi se abrirem languidos, Shisui suspirou aliviado, encostando suas testas, pouco se importando com o sangue no supercilio do companheiro que provavelmente o estava manchando.

- Shisui? – a voz trêmula do menor chamou a atenção do primo.

- Porra, eu odeio machucar você – confessou, sentindo o corpo tremer pela culpa.

Sabia que era apenas um treino, que às vezes ambos se excediam, mas aquele aperto no peito estava ficando mais constante a cada treino, era simplesmente impossível suportar machucar Itachi, ainda que fosse um meio para fazê-lo evoluir e se proteger no final.

- Eu estou bem...

A troca de olhar que se seguiu foi intensa, ao ponto de Itachi se sentir invadido pelos orbes cinzentos do amigo, desviando o olhar em seguida e se sentindo desconfortável pela posição. Quando o mais velho percebeu onde estava sentado, saltou para o lado e sussurrou uma desculpa, constrangido; tal comportamento já estava sendo repetitivo nos últimos momentos juntos, o que deixou Itachi encabulado e saudoso do antigo Shisui, o primo irritante e péssimo piadista.

- Ainda não compreendi como você faz o Shunshin – falou, secando o rosto com a manga da blusa – percebi que concentra chakra nos pés, mas eu tento isso e não consigo – Itachi o olhou insatisfeito, e Shisui riu de sua careta.

- Não é tão fácil quanto parece... – ele resmungou, tocando o ombro de Itachi de modo sutil – Não importa o quão excepcional você seja, Itachi, não exagere. Eu já lhe disse isso – o menor bufou e o primo se apoiou nos joelhos para levantar, estendendo a mão para ele.

- Venha, vamos limpar essa ferida – Itachi aceitou o aperto e se levantou, caminhando juntos até o esconderijo dos primeiros socorros que mantinham ali, dentro de uma árvore.

- Qual é o segredo? – Itachi perguntou, ainda incomodado com a falha.

- Escute – Shisui se aproximou dele com um algodão embebido em remédio – Você pode ser o gênio de toda uma geração, mas ainda há limites, até mesmo para você. O Shunshin funciona de modo diferente, não é um jutsu comum, é preciso que domine plenamente seu corpo – ele falava com calma enquanto limpava o machucado, mesmo sob a careta do mais novo.

- Eu tenho controle do meu corpo, Shisui – rebateu, farto.

- Você vai conseguir, é só focar aqui – o maior tocou o coração disparado do primo e se surpreendeu ao senti-lo assim – Você está bem?

- Sim.

Os olhos ônix não o fitavam de volta e Shisui assumiu que estava sendo bastante invasivo nos últimos dias, então tentou amenizar o clima estranho entre eles, dando um peteleco na testa de Itachi, ganhando um grunhido irritado em resposta.

- Vamos, seu irmão deve estar lhe esperando – pontuou, devolvendo os remédios ao esconderijo.

- Shisui... – Itachi chamou.

- Sim? – respondeu, embora ainda permanecesse de costas.

O silêncio se fez presente e por isso Shisui olhou-o por sobre o ombro, Itachi tinha as sobrancelhas franzidas e o olhar vago, como se não o visse realmente ali. Quando pensou em chamá-lo novamente, o menor se voltou para ele com a boca franzida e simplesmente caminhou para fora do campo, deixando o mais velho desnorteado.

Shisui o seguiu como de costume e assim que chegaram ao Nakano¹, ele olhou desajeitadamente para o primo, pensando em alguma desculpa que fosse boa o suficiente para dispensá-lo.

- Eu não posso ficar...

- Por que você está me evitando? – Itachi o olhou fixamente, centrado demais para o mais velho sequer desconfiar de seus questionamentos.

- Eu... bem... eu só acho que não deveríamos continuar a nadar juntos, alguém pode ver e pensar coisas erradas sobre nós.

Itachi franziu ainda mais a boca e desviou o olhar, sentindo-se incomodado.

- Isso seria um problema? – retrucou, ouvindo o guincho surpreso do mais velho.

O clã aceitava relações homossexuais, eles eram dois prodígios que se conheciam, não deveria se incomodar tanto com algo tão bobo, mas saber que Shisui não queria ser visto consigo dessa maneira o irritava profundamente.

- Não, porra, não! – Shisui negou enfático e desconcertado pelos pensamentos do mais novo, não era isso que ele deveria pensar, principalmente pelos estranhos desejos que vinha tendo em relação ao primo – Quer dizer, seria uma honra – suas bochechas arderam quando Itachi o olhou surpreso, mas decidiu ignorar esse detalhe por hora – Bem... você, digo, você é lindo, mas somos só primos, certo?

- Nós somos primos? – Itachi devolveu, franzindo as sobrancelhas novamente enquanto a expressão do outro era de puro choque e desconcerto.

- O que mais seríamos?

Tentou arriscar, jogar o jogo do adversário era sempre uma boa estratégia de combate, não deveria ser diferente agora, certo?

Itachi virou o rosto para que o mais velho não visse seu rubor, se recusando a respondê-lo e se sentir mais humilhado do que já sentia. Shisui, no entanto, se aproximou e tocou em seu rosto para que ele o olhasse de novo e quando teve os orbes ônix fixos nos seus, sentiu seu coração acelerar e a respiração cessar na mesma velocidade.

- O que mais seríamos, Tachi?

Em um súbito ato de coragem, Itachi uniu seus lábios, mas tão rápido quanto aconteceu, o toque se foi. Shisui não conseguiu respondê-lo de tão surpreso que ficara, e parecendo arrependido, o gênio Uchiha sumiu num genjutsu de corvos.

- Mas que porra aconteceu aqui?! – Shisui se questionou, após sair do torpor em que se encontrava.

Mesmo que atrasado, ele seguiu o rastro do primo, algo que não foi tão difícil visto que era um mestre em genjutsu – sendo melhor até mesmo que o próprio Itachi. Pulou as últimas árvores enquanto o chamava na floresta, embora fosse plenamente ignorado pelo menor, o que o levou a usar o Shunshin para alcançá-lo e parar à frente do primo.

Itachi trombou em si e juntos caíram da árvore, Shisui grunhiu ao atingir o chão enquanto o mais novo pousava perfeitamente ao seu lado e o olhava de cima com certa arrogância.

- Não me olhe assim – bronqueou, levantando-se e se aproximando dele até restarem centímetros os separando.

Itachi ficou claramente desconfortável com a aproximação, porém não se afastou e Shisui tomou isso como um bom sinal para continuar.

- Você me beijou – acusou, tombando a cabeça e observando o pânico surgir nos olhos escuros.

- Eu não... – a desculpa de Itachi foi interrompida pelo roçar dos lábios carnudos de Shisui no canto de sua boca, subindo pela bochecha até chegar ao ouvido.

- Oh, você sim – ele sussurrou, se afastando em seguida para observar Itachi.

O primo estava levemente corado e tinha a respiração pesada, e embora o machucado no supercilio ainda estivesse parcialmente sangrando, Shisui se viu encantado pelo companheiro e sorriu débil ao sentir o coração pulsar forte, denunciando aquilo que já sabia: era completamente apaixonado por Itachi.

- Eu não quero ser seu primo – declarou, apertando a cintura fina do menor enquanto o prensava contra a árvore que tinham caído.

- Não seja.

Shisui juntou as bocas novamente e mesmo com o estômago revirando de modo estranho, continuou a arrastar os lábios contra os de Itachi, que surpreendentemente não estava sendo calmo como normalmente, os braços dele o circundaram e puxaram seus cachos rebeldes ao passo que introduzia a língua libertina em sua boca. Shisui simplesmente não podia acreditar que ele estava tentando dominar o beijo!

Bastardo controlador.

- Hum! – o mais novo grunhiu irritado quando o primo tentou manter a dominância, e Shisui pediu paciência a seus ancestrais para lidar com ele, depois seguiu mais brando com o beijo para o desejo e agrado de Itachi.

Se separaram quando o ar se fez necessário e Shisui se surpreendeu ao ver o Sharingan brilhando à frente, mas antes que pudesse questioná-lo, Itachi avançou novamente e juntou as bocas. Shisui cedeu sem muito esforço, ainda consternado pelo que ele admitiu ser o melhor dia de sua vida e voltou a chocar-se contra o corpo de Itachi, ganhando puxões em seu cabelo como desaprovação.

- Porra – sussurrou, encostando suas testas.

- Você é tão estúpido que não percebeu que eu sentia o mesmo – Itachi disse com um sorriso zombeteiro.

- Hã? – Shisui o olhou desconfiado – Desde quando gosta de mim?

- Desde que comprou dangos pra mim no festival do clã no ano passado – admitiu, desviando o olhar – Achei que soubesse, mas tinha me esquecido de que você é estúpido.

- Hey! Você não pode ficar chamando seu namorado de estúpido por aí! – Shisui rebateu, sorrindo confiante.

Itachi arqueou uma sobrancelha, refletindo sobre o “namorado” dito pelo maior e sorriu sereno ao concordar com a sentença. Shisui observou seu sorriso e se inclinou para beijá-lo novamente, sabendo que agora era além de uma besta apaixonada por Itachi, ele também era viciado em beijar Itachi.

- Sabe de uma coisa, seu pirralho genioso e controlador? – Shisui segurou sua cabeça o fitando – Eu quero fechar os olhos e, quando abrir, ver que não foi um sonho, que você ainda está aqui e que nosso amor ainda é real – Itachi franziu o cenho diante do termo “amor” – Oh, sim, você me ama e juro colocá-lo num genjutsu se tentar negar isso.

Itachi riu anasalado e olhou apaixonado, o maior sorriu de forma débil em resposta e depois o beijou castamente.

- Preciso buscar Sasuke... – Itachi disse afastando o primo de si.

- Vamos juntos então! Um namorado deve ir a onde o outro vai, certo? – Shisui sorriu confiante novamente, mostrando os caninos pontudos.

- Certo... e quando pretende contar isso ao meu pai? – provocou, já subindo na árvore.

Shisui arregalou os olhos, em choque, havia se esquecido do detalhe Fugaku em sua nova relação com o primo. Engoliu a seco e fitou Itachi na árvore.

- Vou deixar essa tarefa para você, Tachi.


-----------------------------------

1 - Headcanon meu de que o Nakano tem muito mais significado pra eles: Nadar no riacho do clã sempre foi um costume que tiveram. Quando pequenos, Itachi e Shisui vinham até ali para brincarem juntos; ao crescerem e se formarem na Academia Ninja, sempre nadavam nas águas límpidas do Nakano a fim de se banharem após algum treino exaustivo; depois, na adolescência, tal ato continuou a ser repetido, mas foi naquela época que Shisui começou a notar o corpo de Itachi – mais especificamente, a mudança que o corpo dele apresentava e também a reação que tal visão lhe causava.


Desafio do FNS no facebook, link: https://www.facebook.com/groups/122359598449326

Grupo SÓ de shiita no facebook: https://www.facebook.com/groups/CSSHIITA/

Espero que tenham gostado, eu sofri demais pra fazer fluffy, e nao angst. Sério. Beijos.

21 de Maio de 2018 às 02:14 1 Denunciar Insira 5
Fim

Conheça o autor

Vany-chan 734 Fada do Fluffy e maluca dos angst. Luto pelo fim dos leitores fantasmas, por SasuSaku e por ShiIta, meus OTPs! "KakaSaku - Uma Chance para Nós" não será repostada aqui até ter sido devidamente betada, assim como "O Caminho que Trilhamos".

Comentar algo

Publique!
Raylanny Alves Raylanny Alves
ESSA FIC É O MEU XODÓ ♥
21 de Maio de 2018 às 13:22
~