Doente de Amor Seguir história

blackworld Black World

"É difícil fingir que você ama alguém quando você não ama. Mas é mais difícil fingir que não ama alguém quando você ama." Naruto e Sasuke são forçados a fingirem um namoro, por suas próprias namoradas, pois eles estão entrando na faculdade e esta é uma ótima ideia para afastar as demais garotas. Entretanto o plano que devia proteger esses dois casais é exatamente o que os leva a ruir, pois embora este teatro tenha começado de modo desagradável, ele acaba se tornando realidade. A HISTÓRIA PERTENCE A MIM, MAS OS PERSONAGENS SÃO DO MASASHI KISHIMOTO.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#drama #yaoi #bl #fanfic #sasunaru #fluffy #fanfic-naruto
10
6092 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todos os Domingos
tempo de leitura
AA Compartilhar

Parte 1: Fingir amar

Hey peoples!!!
Bem vindos a minha ficsinha. 
PS: Ela também está sendo postada nas minhas contas do Spirit e do Nyah, ambas com o mesmo nome de perfil: BlackWorld. 


Fanfic / Fanfiction Doente de Amor - Capítulo 1 - DOENTE DE AMOR PART 1: Fingir amar.

É difícil fingir amar alguém que você não ama, mas é mais difícil fingir não amar alguém que você ama. 


   Hinata estava sentada no meu colo e eu a beijava carinhosamente, passando os dedos por seus sedosos e macios cabelos. O som da campainha fez Hinata se afastar de mim. Como de costume ela deu um sorrisinho tímido e desviou os olhos, envergonhada depois do beijo. Ela era simples e cem por cento adorável. Eu amava isso nela.

Ela levantou para abrir a porta comigo a seu encalço. Do lado de fora estavam Sasuke e Sakura. A garota de cabelos cor de rosa era amiga de infância de Hinata, por isso eu via esse casal de vez em quando. No ensino médio eles eram conhecidos como o casal perfeito, todo mundo achava que eles eram almas gêmeas, Sasuke e Sakura eram quase uma lenda. Aquele caso do bad boy que pegava todas e se apaixonou pela garota que o detestava, as pessoas diziam que o ódio deles era amor muito antes deles começarem a namorar. Eu concordava que os dois ficavam muito bem juntos, Sakura era linda e Sasuke também, não que eu esteja admirando um cara, essa é só a opinião geral.

Os dois não pareceram perceber que a porta foi aberta, absortos em uma discussão.

_Eu não aceito! _Sakura falou alto. Sasuke suspirou, com uma expressão calma apesar de ter alguém gritando com ele. _Você é gato pra caralho Sasuke. Centenas de garotas vão se oferecer para você se o virem sem uma namorada.

_E você não confia em mim? _Ele retorquiu. Então reparou em nós. _E ai?

_Como vai Sasuke? _Hinata perguntou, se afastando para dar espaço para ele entrar.

Sasuke balançou a cabeça para nós em um cumprimento silencioso e foi para o sofá, ele já estava acostumado com a casa da Hinata. Apesar de eu considerar Sakura uma amiga, Sasuke e eu não éramos próximos. Ele é sempre serio e caladão, um cara que fica na dele, sabe? As poucas conversas que tivemos foram preenchidas de monossílabos e frases minúsculas. Além de que nos víamos muito pouco.

_Eu meio que não confio Sasuke. _Sakura parou na frente dele e cruzou os braços. Eu e Hinata sentamos no canto do sofá para não sermos envolvidos na briga, quando Sakura começa com as neuroses dela é melhor não se meter. _Você era um galinha antes de começarmos a namorar. Tenho certeza que sem a minha presença logo estará rodeado de garotas e será difícil resistir.

_Sakura. _Ele puxou o braço dela e fez carinhos circulares nas costas de sua mão. _Eu amo você, não vou te trair.

Sasuke a olhava de um modo intenso e profundo, que deixou aquela garota explosiva envergonhada. Eu nunca tinha visto Sakura ser domada desse jeito. Acho que eles realmente eram um bom casal, eu não reparei nisso antes. A calma de Sasuke completava o gênio impulsivo de Sakura.

Depois de um tempo encarando Sasuke em confusão, Sakura soltou sua mão e se virou para Hinata e eu.

_Hinata. _Sakura chamou toda manhosa. _Você concorda comigo, não é? Também não estará na faculdade, e embora Naruto seja retardado, ele é bonito.

_Eu confio no meu namorado. _Hinata, tão linda, me deu um beijo na bochecha. Que bom que eu não namoro uma louca como a Sakura.

_Mesmo que confie, Naruto é pior que o Sasuke. _Vi a sombra de um sorriso passar pelo rosto daquele ser demoníaco de cabelo rosa, ela estava tendo uma de suas idéias perversas. _Sabe, ele não consegue dizer não para ninguém. Se uma garota se oferecer para ele, abraçá-lo e se esfregar nele. Acha que ele vai empurrá-la? Não, ele vai agir como o tonto que ele é. E se a garota estiver determinada... _Ela largou a frase no ar, para que a imaginação de Hinata fizesse seu trabalho.

_Hinata não escute essa louca! _Gritei. Infelizmente Hinata estava mordendo o canto da boca, num gesto de insegurança.

_Naruto. _Hinata disse, hesitante.

_Você não esta caindo na lábia dela, esta?

_É que... _Ela me deu aquele seu olhar frágil que me faz querer abraçá-la. Maldita Sakura! _Lembra naquela festa, quando a Shion estava bêbada e começou a dançar indo para cima de você? Ela estava praticamente te agarrando e você ficou parado, deixando que ela fizesse o que quisesse, apenas pedindo para ela parar.

Droga. Por que ela tinha que lembrar disso? O que eu deveria ter feito? Usado a força? Não é como se eu houvesse tocado nela, inclusive eu ergui minhas mãos para não correr o risco de esbarrar em nenhum lugar inapropriado por acidente.

_Viu Sasuke. Hinata e eu concordamos que não é seguro deixá-los desprotegidos na faculdade.

_Desprotegidos. _Sasuke repetiu usando aquele olhar que diz “você é idiota?” Ele parecia estar achando graça. _O que eu posso fazer Sakura? Não há como você se transferir para a minha faculdade ou a Hinata pular o ultimo ano do ensino médio. Não há nada a fazer.

_Beeeem... _Ela mordeu os lábios, olhando para baixo com vergonha. _Tem uma solução. Algo que vai afastar todas as garotas, sem exceção.

_O que?

Então ela jogou a bomba:

_Vocês dois tem que se assumir gays.

Que? Essa garota comeu merda?

_É uma boa idéia. _Hinata disse, pensativa. _Se acharem que os dois são namorados nenhuma garota vai tentar algo, é mais efetivo do que a nossa própria presença.

Droga, por que a Hinata tinha que ter uma amiga dessas?

_Não concorde com essa lunática Hina! _Eu gritei afobado. _Estão loucas? Eu não vou fazer isso. Podem esquecer. Nananinanão.

_Por favor Naruto.

_Esse seu olhar de cachorro pidão não vai funcionar dessa vez Hinata. _Cruzei meus braços. _Minha reputação seria destruída e meus amigos me zoariam pelo resto da vida. Não acredito que você esta sequer cogitando a idéia dessa doente mental!

_Quem é doente mental? Repita isso e eu vou pegar uma faca na cozinha e fazer picadinhos de você.

Antes que Sakura avançasse em Sasuke a segurou e pediu para ela se acalmar.

_Nós vamos contar a verdade para os seus amigos. Só os desconhecidos precisam acreditar na mentira. _Hinata insistiu, segurando minha mão e apertando.

_Não! Não quero ser conhecido como um gay, não mesmo!

Hinata se encolheu, triste por ter perdido a discussão. Qual o problema dela? Que namorada iria querer algo assim?

_Sasuke... _Sakura lançou seu olhar manhoso para Sasuke. _Faz isso por mim?

Ele a fitou sem expressão, os olhos negros de Sasuke eram meio assustadores. Que bom que o foco foi transferido para ele, tendo mais moral do que eu ele iria colocar rapidamente um fim naquele assunto ridículo. Quem em sã consciência concordaria? Elas são loucas e iludidas.

_Certo. _Ele deu de ombros.

Que? Meu queixo foi ao chão.

_Se isso te acalma, vou fazer. _Sasuke se virou para mim, era impossível deduzir o que aquele babaca pensava com aquela face inexpressiva. _Namora comigo? _E ele disse assim, como se fosse a coisa mais normal do mundo.

_Vai para a puta que pariu Sasuke.

Xxx

Na segunda feira Hinata, Sakura e Sasuke estavam na porta de minha casa. Eu sai, pensando que iria feliz e contente para o meu primeiro dia de aula, de bicicleta, e me deparei com os três em volta de um carro preto. Eu não precisava que ninguém me dissesse o que estavam planejando.

_Oi Naruto. _Sasuke acenou para mim, meio sentado no capo do carro.

_Vão tomar no cu. _Xinguei, minha alegria já evaporando. _Menos você Hinata. _Ela ruborizou. _Eu não vou com vocês, podem ir vazando. Tchau.

_Não vamos embora sem você Naruto. _Sakura disse de modo autoritário.

_Então eu vou ficar em casa, primeiro dia de aula é sempre inútil mesmo. _Me virei voltando para dentro de casa.

O que eu não esperava era que Sakura passasse na minha frente e escancarasse a porta. Ela pensava que a casa era dela? Cadê a educação?

_Tia Kushina. _Ela gritou.

Eu paralisei. Não. Ela não chamou minha mãe.

Ainda estava em choque quando minha mãe apareceu, seus cabelos ruivos presos em um coque e um vestido florido que arrastava no chão. Minha mãe tinha essa aparência doce e adorável, até fingia ser doce e adorável, mas era tudo para disfarçar que ela era a pessoa mais aterrorizante que conheço.

_Oh, Sakura. _Minha mãe sorriu. _E Hinata. Que prazer vê-las.

_Também é um prazer, faz tempo que não visito. _Sakura estava fingindo ser doce e adorável também, por isso ela se dava bem com minha mãe. _Nós viemos buscar o Naruto para o primeiro dia de faculdade.

_Que gentileza a de vocês.

_Sim. _Sakura deixou o sorriso dela morrer. _Mas ele disse que não quer ir no primeiro dia.

_Ah, é? _Minha mãe franziu o cenho e me encarou. Eu queria matar a Sakura.

_Que? _Eu engasguei. _Eu só disse que estava com preguiça, claro que eu vou. Não posso nem reclamar em paz, droga.

Sem escolha logo eu estava no carro de Sasuke. Fui forçado para o banco de trás junto com minha namorada traidora. Por que aquilo estava acontecendo comigo? Eu devo ter jogado pedra na cruz.

Chegamos no campus em poucos minutos, era um local agradável com grandes áreas de grama brilhante e prédios vermelhos de tijolo exposto, tendo janelas enormes que exibiam os estudantes que entulhavam os corredores. O andar térreo de cada prédio era aberto, com apenas colunas o segurando, dando acesso fácil para as áreas gramadas onde grupos de estudantes se reuniam sentando na grama, apensar de haver vários bancos de cimento. O estacionamento era um pouco afastado dos prédios e nós tivemos que andar um pouco pelas estradinhas de paralelepípedo que foram feitas exatamente para esse propósito.

Não eram sequer oito da manha e o sol estava a todo vapor, previ que iria ficar suando como um condenado durante as aulas, como se meu dia não estivesse ruim o bastante.

Fomos procurar nossas salas junto com as garotas. Sakura vestia um shortinho e uma regata preta, enquanto Hinata usava um vestido delicado de renda azul bebê. As duas eram bonitas e reparei que vários caras as observavam, eu quis me exibir por namorar aquela garota linda e passei o braço pela cintura de Hinata. Achei que ela iria me impedir, por causa daquela história insana, o que não ocorreu. Talvez as duas apenas quisessem nos acompanhar no primeiro dia de aula e eu estivesse sendo paranóico.

_É uma pena que não poderei mais te ver todo dia.

_É sim. _Hinata lamentou.

Achamos uma parede cheia de quadros separados por curso com o nome e a sala dos estudantes. Eu escolhi ciência da computação e Sasuke direito, matérias bem diferentes na minha opinião, que por azar tinham classes no mesmo prédio e no mesmo corredor. Deve ser carma, é a única explicação.

_Que legal que suas salas são próximas. _Sakura comentou. Por que eu via significados ocultos em cada palavra dela?

_Que coincidência. _Resmunguei. _Vocês vão nos acompanhar ou vão embora? Acredito que não queiram assistir aulas.

_Nós vamos ficar o dia inteiro com vocês. _Sakura respondeu com um enorme sorriso.

Eu franzi o cenho, ainda suspeitando de Sakura. Mas não disse nada, quer dizer, eu estava abraçado com Hinata e Sakura não parava de se agarrar em Sasuke, estávamos agindo como namorados ali na frente de todo mundo. Se quisessem por o plano em ação, iriam ter mantido distancia de nós e nos obrigado a andar de braços dados ou coisa parecida. Além de que, se elas passassem o dia ao nosso redor as garotas da faculdade perceberiam que não estamos disponíveis, o território delas estaria marcado, como quando cachorros mijam por toda uma área, não seria necessário mais nada.

Hinata ficou abraçada comigo até chegar o horário das aulas começarem, enquanto Sasuke e Sakura conversavam. Sasuke falava sobre como ligaria para ela todo dia antes de dormir e dava conselhos sobre o primeiro dia de aula dela, que seria em uma semana, no fim ele segurou a cabeça dela e depositou um beijo em sua testa. Eles eram fofos, acho que isso os rendeu o titulo de casal perfeito, mais do que o fato deles terem belezas compatíveis.

Nós nos despedimos na porta de minha sala. As meninas disseram que iam esperar em um dos pufes que havia no corredor, clamando que precisavam nos vigiar de perto. Elas achavam que poderíamos achar alguém para traí-las logo no primeiro dia? Confiança que é bom, nada, neh?

Gaara, meu melhor amigo, já estava dentro da sala. Ele era fácil de achar com seu cabelo vermelho vivo quase tão chamativo quanto o da Sakura. Sim, eu e ele escolhemos o mesmo curso. Conversamos bobagens até o professor chegar, eu falei sobre o ciúme exagerado de Sakura que estava contaminando a Hinata e ele ficou rindo, satisfeito por não ter o incomodo de uma namorada para atormentá-lo.

O professor, um barbudo que disse se chamar Asuma, entrou na sala, explicou como seria o sistema de notas na matéria dele e nos deixou livres. Disse para usarmos a aula para conhecermos uns aos outros. Acredito que ele estava com preguiça de trabalhar, que seja, eu que não iria reclamar. Então uma garota loira muito bonita aproveitou a deixa para se aproximar de nós. Ela usava mini saia e suas pernas eram bronzeadas, impossíveis de não reparar.

_Oi. _Ela acenou. _Eu me chamo Ino.

_Naruto e Gaara. _Eu nos apresentei.

_Que sorte já se conhecerem. É tão chato não ter ninguém para conversar, e essa turma só tem quatro garotas e três delas são estranhas. _Apontou para as outras três garotas espalhadas pela sala, diferentes de Ino, elas eram do tipo que não se importavam de se arrumar. _Posso sentar com vocês?

Deixamos Ino sentar conosco, porque eu não sei dizer não e Gaara parecia querer devorá-la viva. Ela parecia fútil e eu acho difícil lidar com garotas assim. Na verdade, acho difícil lidar com qualquer garota que não seja a Hinata. Acho que por isso comecei a namorar com ela, porque ter uma namorada impedia que muitas garotas ficassem me enchendo o saco. O que eu posso fazer? Sou lindo e irresistível.

No final da aula sai junto com Gaara e Ino.

_Eu acho que vou embora agora. _Gaara disse se espreguiçando. _Não acho que terá nada de importante hoje.

_Eu não posso. Se eu sair da faculdade Sakura irá me denunciar para a minha mãe. _Eu me sentia patético só de falar isso. Procurei as garotas e as vi conversando em um canto, dando olhares na minha direção e em uma outra. Eu sabia antes de verificar que encontraria Sasuke na segunda direção. Ele estava cercado por quatro garotas, então eu também sabia antes de acontecer que Sakura iria até ele.

_Que vergonhoso dizer isso cara. _Gaara riu. _Bem, eu vou indo, quero jogar call of duty.

_Oh vocês jogam esse jogo. _Ino se animou. _Eu também. _Ela estava pulando, eu fiquei surpreso, quem imaginaria uma patricinha jogando aquele jogo? _Parem de me olhar assim. Um dia vou mostrar para vocês, sou muito boa. _Ela fez uma arma com as mãos e apontou para a minha testa.

_Duvido. _Gaara riu da cara dela.

Talvez ela não fosse tão ruim. A maioria das patricinhas que conheci mal sabia o que era um vídeo game. Eu estava refletindo se a loira podia ou não ser uma companhia meio agradável quando Sasuke se materializou do meu lado. Eu levei um susto. Ele era silencioso como um fantasma!

_Venha comigo. _Ele disse, em seu tom neutro de sempre. Passou um braço sobre meus ombros e me puxou.

Eu deveria ter percebido o que ocorreria a seguir, deveria ter sido inteligente. As quatro garotas da sala de Sasuke o haviam seguido, Ino continuava perto e nossas namoradas estavam a uma distancia onde ainda conseguiriam ter bom acesso a cena. Miseravelmente, eu não percebi, não antes que fosse tarde.

_Este é Naruto. _Sasuke falou alto, de modo que todos a nossa volta escutassem. Eu paralisei e me movi para escapar, mas Sasuke estava preparado, seu aperto em meus ombros era firme. _Meu namorado.

Naquele instante eu queria desaparecer, minha cabeça preenchida de vergonha e irritação. O que eu não sabia, o que nenhum de nós sabia, é que a decisão de seguir com essa idéia nos faria cair em um poço tão profundo que nenhum de nós seria capaz de escalar para fora. 

20 de Maio de 2018 às 14:42 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Início do Teatro

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 29 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!