Como Viver Num Inferno Seguir história

uchihamiyko1_ M O R G I A N A F A N A L I S

Algumas pessoas, temem ficar sozinhas, outras temem seus próprios sonhos. Sakura tinha medo de ambos, estar sozinha e com seus sonhos eram como uma verdadeira tortura, principalmente quando seus sonhos começam a se tornar coisas reais e aquilo se torna pior a cada Noite.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.
4
5086 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

Ichi

Sasuke despediu-se de mim com um forte abraço, eu estranhei aquilo pois sempre que ele saia para suas longas viajens ele nunca me abraçara daquele jeito, parecia até que aquela seria a última vez que nos veríamos. No fundo eu estava certa. Ele me olhou fixamente nos olhos e o vento forte tocou seus cabelos negros me fazendo aspirar aquele cheiro de perfume amadeirado que ele possuia, aquele cheiro era como uma droga para mim, sempre me viciava e por mais que eu quisesse que ele ficasse, não era o estilo dele estar sempre ali e eu já havia me acostumado com aquilo.

Fiquei nas pontas dos pés na esperança de que pelo menos um beijo nos lábios ele me daria, mas ele não o fez, desde a nossa última noite de amor. Haviamos nos mudado para aquela casa a poucos dias, eu não sabia nada sobre aquele lugar mas me dava arrepios quando ele saia por alguns míseros minutos, talvez fosse apenas coisa da minha cabeça e não fosse nada.

- Você ficará bem? -perguntou ele.

- Eu acho que sim Sasuke, essa casa é um pouco esquisita. -falei baixando a cabeça.

- Não se preocupe, tudo o que você ver e ouvir serão apenas seu psicológico, quando eu puder mandarei um sinal para você. -ele me olhava sério.

- Falando assim, soa que você me acha louca. -cruzo meus braços.

Poucas foram as vezes que eu vi um sorriso no rosto dele mas desta vez, ele desmanchou a cara amarrada dele e me deu um sorriso. Eu entendia o jeito Uchiha dele, quando Sasuke não dizia nada e apenas sorria, era a maneira silênciosa de dizer um "Eu te Amo". Ele desceu as escadas me deixando ali naquela casa sozinha, eu acompanhei o amor de minha vida seguir o caminho dele até o fim da rua e sumir da minha vista.

Fechei meus olhos e entrei para dentro de casa, eu sentia um aperto enorme em meu peito e aquilo estava realmente me fazendo com que eu me sentisse estranha. Como sempre, uma nova casa, um novo lar, ambiente diferente e uma vida diferente, o trabalho do Sasuke sempre nos fazia mudar de residência, eu já estava cansada de fazer malas e desfazê-las, eu queria ao menos uma vez parar em um canto fixo e ficar ali.

Decidi ligar o rádio não muito alto para que eu pudesse relaxar minha mente e esquecer que estava sozinha ali, mas na verdade nem mesmo aquele pequeno rádio na cozinha me fazia relaxar, eu estava tensa demais. Peguei o rádio e subi as escadas de madeira para o quarto no andar de cima, dei um longo suspiro quando acendi a luz da escada e comecei a subir, Sasuke sabe que eu odeio escadas e insiste em arrumar casas com escadas.

Enquanto eu subia as escadas lentamente, fui até meu quarto e me tranquei la dentro, por sorte este quarto era uma suíte, eu não precisava sair por esses corredores estranhos para ir no banheiro, pena que ele não era perto da cozinha. As luzes desse quarto não eram tão fortes como as luzes dos outros comodos, isso me deixava um tanto inquieta, mas decidi não me importar com aquilo, me sentei na cama e peguei o celular, liguei o rádio novamente, as músicas eram a única companhia que eu tinha ali já que eu estava tão longe da Ino e os outros, procurei o número dela e decidi ligar.

Alô?

- Porquinha... -falei.

Por que esse desanimo todo? -disse a loira.

- Sasuke se foi de novo. -suspirei.

Hmmm... se você não estivesse tão longe eu juro que iria ficar com você, não me parece bem.

- Não estou, essa casa é estranha e eu estou com medo daqui. -coloquei minha mão na cabeça.

A Ino ficou em silêncio, eu já estava achando que a chamada havia caído até que ela respondeu.

Sakura...

- Sim?

Você ainda tem essas paranóias não é?

- Que paranóia? -perguntei.

De achar que tem coisas onde não tem... O Sasuke está preocupado com você, cada casa que vocês mudam você vem com isso.

Então ela sabia sobre isso, me pergunto se ela andou conversando a sós com meu marido, mesmo sabendo que ele não seria capaz de me trair, mas aquilo me deixou com uma pulga atrás da orelha.

Sakura? ...

Eu não respondi, eu não sabia o que falar.

Sakura? ... -ela me chamou de novo. - Se você não responder eu vou desligar.

- Andou se encontrando a sós com o Sasuke é? -perguntei.

Sakura, sou sua melhor amiga, como pode dizer isso pra mim?

- Vai responder ou quem vai ter que desligar sou eu?

Eu esbarrei com ele um dia, eu estava com o Sai até, perguntamos de você e ele disse que você estava desfazendo as malas na casa nova. Então ele entrou no assunto. -respondeu.

Eu queria afastar aqueles pensamentos mas estava impossível, no fundo ela tinha razão, ela era minha melhor amiga e eu estava sendo boba em pensar aquilo dela, até porque ela namorava o Sai, um desenhista que ela conheceu numa exposição de arte segundo disse ela.

Nós conversamos durante horas, eu nem vi o tempo passar, durante a conversa sem sentido que começamos a ter eu até liguei a Tv e fiquei assistindo enquanto falava com ela. O tempo foi passando e acabei deixando ela falar sozinha e adormeci com o celular na mão.

O som de uma forte batida na porta do meu quarto me acordou, quem seria essa hora da manhã? Me sentei na cama e a tv estava desligada, meu celular estava chiando e o rádio estava desligado.

- Será que o Sasuke veio pra casa? -falei comigo mesma.

Olhei para o lado e minha cama ainda estava vazia, só tinha a pouca iluminação vinda da janela ou seja, não tinha nada a mais iluminando meu quarto além da luz que vinha de lá. Olhei para o celular e ele havia parado de chiar, o horário, eram três horas da manhã. Maldito horário.

Eu odiava as três horas da manhã, segundo a Ino, minhas "Paranóias" davam início a este horário, foi quando comecei a analisar ao redor do quarto que aparentemente estava tudo normal, só tinha eu ali. Liguei o abajour na minha pequena mesinha ao lado da cama, depois virei para o outro lado e liguei a outra, mas por incrível que pareça, a que estava ao meu lado tinha acabado de se apagar e logo em seguida, o abajour do lado da cama que era do Sasuke também se apagou.

O quarto ficou frio, tudo o que consegui foi me enrolar em minhas cobertas e fechar os olhos, nunca rezei tanto na minha vida, eu tinha certeza absoluta de que estava num pesadelo porque tudo estava acontecendo de novo.

Eu acabei adormecendo depois de ter me encolhido na cama e rezado como nunca havia feito antes, em minhas preces eu implorava para que o Sasuke voltasse logo. Desde que ele partiu, eu continuei sentindo um enorme aperto em meu peito.

...

Estava tudo tão escuro onde eu caminhava, tentei colocar minhas mãos em algum lugar para saber se estava em casa ou não estava mas senti algo estranho e então começou a iluminar aos poucos ao meu redor. Dei o primeiro passo e ouvi o som de madeira rangir, comecei a engolir a seco, o calor estava insuportável ali naquele lugar, onde eu exatamente estava?

Dando mais alguns passos a frente e aquele vapor começou a ficar cada vez pior, estava vindo debaixo, baixei minha cabeça e tive a visão mais clara possível, eu estava atravessando uma ponte por cima de um monte de lava, olhando ao redor percebi que eu estava dentro de um vulcão. Comecei a correr ali mas o fim daquela ponte parecia mais longe do que eu imaginava, as lágrimas caindo pelo meu rosto me fizeram entrar em desespero.

- Eu quero sair daqui...

Eu repeti essa frase com desespero e já um pouco ofegante, um nó se formava, aquela lava borbulhando e subindo, eu não chegava ao final da ponte, mesmo correndo para o lado contrário dali o resultado ainda era o mesmo. Eu não saia dalí e a lava começou a subir cada vez mais até que começou a queimar as cordas ali e eu cai na mesma hora.

Em um pulo que dei na cama, despertei daquele pesadelo louco suando, olhei ao redor do meu quarto, as cortinas brancas das janelas do meu quarto estavam sendo iluminadas pelo sol fraco da manhã. Então depois de tudo eu tinha finalmente conseguido dormir. Pena ter tido um sonho desse...

18 de Maio de 2018 às 15:54 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Ni

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 3 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!