O cara errado Seguir história

sonne Sonne

O plano de Sasuke era simples: ir à tal festa, conhecer o cara de quem a amiga falava e dar um fora nele. Ele não esperava, porém, se interessar pelo cara. E não pelo cara certo. NaruSasu | PWP | UA


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#tem-uns-lemon-aqui #pwp #naruto #narusasu
51
6.5k VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Único.

Enfins, trago aqui uma PWP que eu venho tentando escrever tem um certo tempo. O plot é curto (essa é a ideia, né?), não tem muitos acontecimentos e etc etc. É a primeira vez que eu escrevo e publico um lemon (!!!), então eu agradeço, como sempre, críticas construtivas, qualquer comentário que vocês possam fazer. 

Agradecimentos especiais pra Lory (@cupcake_ruivo), pra Chris (@naralotus) e pra Juno (@junowolf). Por me aturarem choramingando sobre essa história nos horários mais inoportunos, por sussurrar os plot do demônio na minha orelha (oi lorynás), por ajudar com o título, enfins. Muito obrigada, mesmo. ♥

É isto, vamos pra história....


(arte da capa: @harububa)


__________________________________


Quando conheceu Sakura, a primeira coisa que Sasuke imaginou foi que nem se mudando de cidade conseguiria se livrar de garotas insistentes o perseguindo. Ele percebia os olhares que ela o lançava desde a primeira aula que tiveram juntos, logo no primeiro semestre, e todas as tentativas (inúteis) de se aproximar. Aquilo o incomodava, e ele queria se livrar desse tipo de situação (sério, garotas na faculdade ainda tinham esse tipo de comportamento?).

Foi só quando ela se sentou ao seu lado para uma atividade em grupo que ele teve sua chance de cortar todo o mal pela raiz.

“Eu sou gay.” Jogou no ar sem nem mesmo encarar a garota. Ele achou que, com isso, se livraria de sua presença. Mas o que recebeu foi um ‘Me desculpe’ acompanhado de uma risada sem graça. E uma garota que decidiu então que seria sua amiga.

Descobriu então, com o tempo, que Sakura não era assim tão irritante e que podia ser uma boa companhia. Estando em uma cidade onde não conhecia ninguém, fazer amizade com alguém sem nem precisar esconder sua sexualidade era um alívio.

Ou quase.

A coisa que mais o incomodava e que parecia não entrar na cabeça da Haruno de jeito nenhum era que ele não estava desesperado por um namorado.

Oras, Sakura não era uma amiga ruim, nem de longe. Mas sempre que conhecia qualquer outro rapaz gay, ela insistia para que Sasuke o conhecesse. E ele sempre se negava.

“Não é só porque ele é gay que ele é meu tipo, Sakura.” Ela concordava, mas só durava até conhecer o próximo rapaz ‘perfeito’.

Isso durou por longos meses, até que por um tempo parou. Sasuke estranhou de início, mas agradeceu à paz que havia conseguido.

A paz durou pouco tempo.

Foi numa quarta-feira qualquer no meio de março que ela se aproximou dele durante o intervalo com um sorriso enorme, quase assustador. Alguma coisa se passava por aquela cabecinha.

“Tem uma festa no sábado, na casa de um amigo meu, o que você acha?”

Ergueu uma sobrancelha. Estava desconfiado. Sakura nunca o convidava para festas (porque sabia que Sasuke não era muito fã), muito menos falava de seus outros amigos de fora da faculdade. Ele, por outro lado, já estava cansado da monotonia que sua vida havia se tornado. Mas aquele sorriso esquisito não lhe passava confiança.

“E você quer que eu vá, por... ?”

“Vai ser uma festa com universitários e bebida. Eu nunca vejo você saindo e já ‘tá morando aqui há alguns meses. Não vai te fazer tão mal uma vez só, não é?”

Estranho. “E é só isso?”

“Bem...”

Bingo.

“Não.”

“Mas eu nem falei nada!”

“Você vai vir com uma das suas histórias de que vai ter um cara legal lá.” Pela maneira que ela inflou as bochechas, contrariada, ele estava certo. “E eu já te disse mais de mil vezes que não vai rolar!”

“É diferente dessa vez! O Neji já é nosso amigo há um tempão, e ele é bem seu estilo, todo quietão e sério, e também não curte muito isso de sair com gente que não conhece. Eu não ‘tô falando pra você sair, namorar, casar com ele. Só tenta. Só dessa vez. Eu juro que não é um cara aleatório!"

Ergueu uma sobrancelha negra, analisando toda a situação. Sendo totalment sincero, a ideia não lhe agradava nem um pouco. Por outro lado, queria sair. E era uma festa, a possibilidade de encontrar qualquer outra pessoa que lhe agradava existia. E já fazia tanto tempo que Sasuke não saía com ninguém...

“Só dessa vez.” Sakura deu um pequeno soco no ar, triunfante. “E se não der certo, você nunca mais vai tentar me arranjar um par, entendeu?”

“Certo! Você não vai se arrepender!”

Ele se arrependeu.

O apartamento era pequeno e tinha uma quantidade razoável de pessoas, o bastante para que tivesse que falar mais alto do que de costume para ser ouvido. A música não era das mais agradáveis e o álcool era do mais barato. Sakura o deixou sozinho assim que entraram e disse que o tal Neji iria o procurar quando chegasse.

Ele não estava confortável, ali, e optou por se enfiar em um canto ao lado da mesa de bebidas, usando a parede ao seu lado como um escudo. O arrependimento o consumia mais rápido do que imaginara que ia acontecer (bem mais rápido do que o efeito do álcool m seu sangue), mas agora se mantinha focado em conhecer o tal rapaz para poder despistá-lo e fazer com que, assim, pudesse ir embora sem cumprir sua parte do acordo e de brinde tiraria a amiga do seu pé.

Infelizmente, não demorou muito para ser encontrado em seu canto escondido. Estava parado com um copo de cerveja na mão quando um outro rapaz parou em sua frente, e por um segundo engoliu em seco.

Se aquele era o cara que Sakura queria que ele conhecesse, devia ter cedido muito antes.

“Você está sozinho aí?” Sasuke encarou sem um pingo de vergonha o homem à sua frente. Ele era alto (talvez tivesse quase a mesma altura o moreno), tinha um sorriso fácil no rosto, e os olhos mais azuis que já tinha visto em toda a vida. Reparou no cabelo loiro, rebelde, como se tivesse acabado de cair na cama, e na pele bronzeada que fez Sasuke querer saber se era tão quente quanto parecia ser. Ele se vestia como se estivesse em uma festa na praia, com uma regata azul clara e bermuda cáqui, e seria quase discreto se não fosse pelo tênis esportivo com detalhes laranja (quem diabos usa tênis esportivo com bermuda e fica tão bem?). “Tá tudo bem, cara?”

Voltou o olhar para o rosto do rapaz, agradecendo Sakura internamente pelos mimos. “Disse alguma coisa?”

O loiro riu, e o som era grave e reverberou no peito de Sasuke. Ah. “Só perguntei se você ‘tá sozinho aí. Parece tão acuado num canto, não curte dançar?”

“Só achei que do lado da mesa seria mais fácil de me encontrar.” Deu de ombros, tentando se mostrar calmo por fora. Viu quando o outro se encostou na mesa, enchendo seu copo. “Já está aí há muito tempo?”

“Duh, desde o começo.” Disse como se fosse a coisa mais óbvia do mundo. “Só estava dando oi pro pessoal antes de vir pegar algo, aí te vi aqui. Você é o Sasuke, né?”

“... Isso.” Levou o copo aos lábios, apertando os olhos. Será que já podiam pular para a parte em que saíam da festa para algum lugar mais reservado logo? Sasuke não costumava jogar conversa séria, era uma pessoa de poucas palavras. Mas o loiro não parecia querer se mexer, agitando os braços animado enquanto tentava puxar conversa.

“Então, Sasuke, que curso você faz? Eu só sei que você é da mesma universidade da Sakura-chan.”

Ele era totalmente o oposto do que Sakura havia dito. “Direito. E você?”

“Educação física. Eu quero ser professor, mas como minha coisa é mais fazer do que ensinar, acabei escolhendo algo que fizesse mais o meu perfil.” Ele se manteve quieto por alguns segundos. Naruto se remexeu um pouco desconfortável. “Uh.. Você ‘tá gostando, sei lá, da música? Cara, se você não falar nada, vai acabar ficando sozinho aí nesse canto a festa inteira, sabe?”

Sasuke grunhiu internamente. Suas habilidades sociais eram péssimas, e sabia que se não mostrasse interesse algum o rapaz ia se cansar- a última fala um grande indicativo. Abriu a boca para, quem sabe, chamar ele para algum canto onde a música não estivesse tão alta e se sentisse menos incomodado com a presença de tantas pessoas ao seu redor para poder conversar, mas foi cortado pela presença de outra pessoa.

“Naruto? O que você ‘tá fazendo aí? Tá todo mundo te esperando pro karaokê!”

Naruto?

O loiro riu e balançou as mãos, e Sasuke erguei uma sobrancelha, assistindo a interação. Então aquele não era a pessoa que Sakura queria que ele conhecesse?

Claro que não. Seria bom demais pra ser verdade. Sasuke encarou o copo, agora vazio, como se toda a culpa fosse do pedaço de plástico.

“Bem, Sasuke?” Grunhiu. “A gente vai estar na sala aqui do lado, no karaokê. Por que você não vai lá depois? Tenta se divertir um pouco, cara.” Ele deu dois tapinhas em seu braço direito e saiu.

Ele assistiu enquanto o outro rapaz se afastava, e não pôde evitar a carranca que se formou em seu rosto. Por que é que esse tipo de amigo a Haruno não queria o apresentar? Espremeu os olhos em uma expressão contrariada quando a dita cuja, em um vestidinho apertado e com os braços ao redor do braço de um outro rapaz apareceu no seu campo de visão. Ah, e lá estava aquele sorriso que significava que Sasuke se daria mal.

“ Não adianta fazer essa cara pra mim, o Naruto é hétero.” Ela riu – provavelmente da cara de descontento que Sasuke fazia-, e então apontou com a cabeça para o rapaz do seu lado. “Esse é o Neji, de quem eu te falei.”

Era um... engomadinho. Então era assim que as pessoas o enxergavam? Sasuke podia sentir o ar de ‘eu me acho melhor do que você’ vazando por todos os poros do corpo do outro, mas manteve a postura e ofereceu a mão em um cumprimento.

“Sasuke Uchiha. Sakura falou muito de você.”

Sentiu um arrepio- e não um prazeroso- com o sorriso que lhe foi oferecido. “Ela falou de você, também. É um prazer finalmente conhecê-lo.”

Não podia dizer que dividia do sentimento. Mas Sasuke tinha que fingir por pelo menos quinze minutos antes de fugir daquele lugar, então acabou seguindo com o outro para o sofá para que pudessem conversar.

Mas a conversa não era interessante. Não conseguia prestar atenção no que lhe era dito, apenas balançando a cabeça e oferecendo algumas sílabas e perguntas desinteressadas quando o silêncio era um pouco longo. Seu foco, porém, estava no pequeno canto em que o karaokê estava montado, onde o loiro cantava sem nenhum ritmo mas com um sorriso largo no rosto e balançando o corpo agitado.

Sentiu o rosto esquentar quando foi percebido encarando, mas antes que pudesse virar o rosto e fingir demência Naruto piscou um olho para si. Sasuke abriu a boca, quis dizer algo, mas logo os olhos azuis se voltaram para o karaokê e por um segundo pensou que estava a imaginar coisas.

“Bem... Eu acho que eu estou perdendo meu tempo aqui.”

“Sim.” Sasuke respondeu sem pensar, e então percebeu que era Neji quem estava falando. “Eu quero dizer, não, droga, me desculpe.” Foi automático, e a verdade era que não conseguia nem se sentir mal por não estar arrependido.

“Não tem problema. Pelo menos eu não vou ser o único a não conseguir nada hoje.” Ele deu de ombros, se levantando para ir embora, e Sasuke arregalou os olhos.

“O quê?!” Só recebeu uma risada em resposta, vendo o rapaz de cabelos longos se afastar. E só então percebeu o que ele quis dizer.

Babaca arrogante! O moreno fechou os olhos e contou até dez, lembrando de todos os nomes santos que a falecida mãe costumava invocar quando tentava se acalmar. Quando a primeira tentativa não funcionou, bufou e voltou a contar. Não queria ter que ser arrastado pra fora da primeira festa que ia como um universitário por socar o rosto de um babaca que não sabia aceitar um fora.

“Está gostando da festa?” A voz diferente o fez abrir os olhos assustado, e olhando para o lado viu que Naruto agora ocupava o lugar que antes estava vazio. Ótimo. “Desculpa, cara, não queria te assustar.”

“Acho que já deu pra mim.” Deu de ombros. “A escolha de músicas foi boa.”

O loiro riu. “Eu sempre tenho as melhores playlists. Você não parece estar se divertindo. Não deu certo com o Neji?”

“Não realmente. Não fez o meu tipo.”

“E ninguém aqui faz o seu tipo?”

Sasuke por um segundo quis acreditar que aquilo era um quase flerte, mas voz de Sakura (ele é hétero) ainda ecoava em sua mente. Infelizmente, não era o suficiente para acalmar a ansiedade que se instalara como um nó na boca de seu estômago.

“Até que sim, mas também acho que não vai rolar.” Jogou no ar, segurando o copo de bebida contra os lábios. “O que é uma pena.”

Naruto riu e o som reverberou no peito de Sasuke. Ah, maldito seja seu azar por ter ao seu lado um cara tão atraente e hétero. “ Você é interessante, Sasuke.” Ele colocou uma mão no joelho do Uchiha. “Por que não fica mais um pouco? Já já vai todo mundo embora e a gente pode conversar melhor.”

... Oh.

Okay.

Não era impressão.

Naruto realmente estava flertando.

Aquilo era... interessante. Ergueu uma sobrancelha e deu um gole em sua bebida. “Seria deselegante dizer não ao dono da festa.”

Naruto o respondeu com um sorriso e uma piscada, antes de se levantar e voltar a andar pelos cômodos, conversando com os convidados.

Não demorou muito para a festa esvaziar. Sakura voltou a aparecer, e se mostrou nada surpresa ao descobrir que Sasuke não estava mais com Neji. Perguntou se Sasuke queria companhia para ir para casa, e o mesmo a dispensou dizndo que já havia chamado um uber.

Era mentira.

E quanto mais os segundos passavam, mais Sasuke sentia aquela bolha de ansiedade se espalhando pelo peito. O que estava fazendo era loucura, ficando sozinho na casa de um estranho. Mas Naruto o atraía, e não seria louco de deixar uma oportunidade assim passar.

O apartamento, agora vazio, parecia mais abafado do que antes. Sasuke estava sentado no sofá, os primeiros botões da camisa azul escuro abertos, seguindo Naruto com o olhar enquanto ele terminava de guardar o resto das bebidas na geladeira. Quando ele voltou, se jogou sem cerimônias no sofá.

“Pronto, tudo guardado. Vou deixar pra passar um pano nesse lugar amanhã.” Virou-se de lado, apoiando um dos joelhos na almofada que estava entre ele e Sasuke. “Cansado?”

“Não.” O Uchiha balançou a cabeça. “Você?”

“Não realmente. Curioso, eu diria. Você não parece o tipo que curte festas, pelo que eu percebi. Só veio pra encontrar o Neji?”

“Sakura insistiu para que eu viesse quando eu disse pra ela que vim pra cidade sozinho e não tinha nenhum amigo. Não vim com nenhum interesse desse tipo, não faz realmente o meu estilo.”

O riso baixo de Naruto era ainda mais perigoso que sua risada. Sua voz soava mais grave, e fez com que um arrepio gostoso percorresse o corpo do Uchiha. “Entendi. Eu acho que dei sorte, então. Eu juro que nunca na minha vida vi um cara tão bonito assim.” Hah, hétero meu rabo! “Não imaginei que você fosse terminar a noite desacompanhado.”

“Sakura me disse que você é hétero. Se eu soubesse antes que não era, não teria perdido tempo.”

“Você é direto. Eu gosto disso.” Ele levou uma mão bronzeada à parte externa da coxa de Sasuke, tamborilando com os dedos sobre o jeans apertado. “Pra falar a verdade, eu ainda meio que me considero hétero. Ou pelo menos eu acho que sou. Eu nunca fiquei com outro cara antes, embora já tenha sentido atração. Mas levei como normal, sabe, não é estranho achar outro cara bonito.”

Bem, aquilo era... Diferente. “Atração é diferente de vontade, Naruto. Você já teve vontade de pegar, de transar com um cara?”

“Agora eu ‘tô.” Os olhos azuis se fixaram nos de Sasuke, e ele sentiu o ar lhe faltar por alguns segundos. “Eu nunca tinha sentido tesão em outro cara antes, Sasuke, mas quando eu te vi na porta, puta que pariu...”

Engoliu em seco. Aquilo poderia ser uma grande de uma furada. E se fosse apenas curiosidade confundida com vontade? E se começassem algo e o outro percebesse que não queria realmente aquilo, deixando Sasuke – literalmente – na mão? Tantas possibilidades daquilo dar errado se passaram em sua mente...

“Não pensa muito, não é tão complicado assim...” A mão, antes em sua coxa, subiu para fazer um carinho de leve em seu pescoço. Sasuke sentiu-se arrepiar. “Eu não costumo ir atrás de coisas se eu não tenho certeza que eu quero. Mas se for estranho pra você, pode deixar pra lá.”

Não confiava em seu cérebro pra dizer qualquer coisa naquele momento, então apenas encerrou o espaço breve que os separava e colou os lábios nos de Naruto. O primeiro contato fora quase desengonçado, apressado, mas Sasuke não sentia resistência nenhuma vinda do outro e isso fez com que fosse mais fácil se deixar entregar.

Naruto irradiava um calor que parecia o envolver, e logo já tinha os braços ao redor dos ombros largos do loiro, o querendo sentir mais perto. Se alguma vez antes já havia se atraído assim, tão rápido e tão intensamente, não conseguia lembrar. Em seus braços, o outro homem se mostrou tão acertivo quanto suas palavras. Ele levou uma mão bronzeada para a nuca de Sasuke em um carinho leve com a ponta dos dedos, como se estivesse mapeando o território antes de enrolar os dedos nos curtos fios negros e puxar sua cabeça para trás, sem que quebrasse o beijo.

Foi quando o Uchiha partiu os lábios para exalar o ar que segurava no peito, e quando Naruto aproveitou da oportunidade para deslizar a língua pela boca quente do outro e aprofundar o beijo, engolindo os pequenos sons que ele soltava.

A sensação era de que a temperatura da sala havia subido pelo menos dez graus, e os dedos finos de Sasuke seguravam com força no tecido da camiseta no ombro que usava de apoio. O beijo de Naruto, assim como ele, era intenso e quente. Ele puxou mais uma vez a cabeça do moreno para trás, sugando o lábio inferior entre os seus com força antes de mordiscar e descer com beijos pelo queixo fino para alcançar seu pomo de adão.

A mão livre, inquieta, vagou pelo sofá até se encontrar com a coxa macia de Sasuke, e sem segurar o impulso, Naruto apertou com força a carne entre os dedos. Um gemido baixo, a cabeça jogada para trás e um impulso do quadril para mais próximo daquele calor foi a resposta que obteve, e o loiro grunhiu antes de chupar com força a base do pescoço pálido.

Sasuke estava sendo devorado e não conseguia – nem queria – fazer nada para mudar a situação. Geralmente, tinha o costume de ser a pessoa a tomar as rédeas no quarto, não costumava a ceder assim, sem uma batalha. Mas com Naruto parecia fácil. Naruto, que o beijava e mordia como se ele fosse uma fonte de água no meio do deserto seco. Naruto, que o apertava, puxava para perto e marcava de uma maneira que fazia difícil que ele acreditasse que nunca havia se envolvido com outro cara antes. E Sasuke sabia que seu membro já pulsava apertado na roupa de baixo, e em qualquer outra situação teria vergonha de se sentir tão excitado com apenas um beijo. Mas era tudo tão novo e intenso que seu corpo reagia à altura. E ele queria mais. Sentir mais, consumir mais. Subiu uma das mãos pelo rosto marcado com cicatrizes para grudar no curto cabelo loiro (estranhamente macio) para que pudesse puxá-lo para outro beijo. Naruto se deixou ser guiado, feliz, o beijando mais uma vez com a mesma avidez de antes. Dessa vez foi Sasuke que segurou seu rosto no lugar e tomou controle do beijo, sugando a língua de Naruto e o fazendo gemer.

O som tirou Sasuke de seu quase estupor, e foi o gatilho para que perdesse todo o receio que tinha em afastar o loiro com seus avanços. Puxou o corpo do outro para mais perto, passando uma das pernas por cima das dele. O jeans apertado fazia a tarefa de se mover mais difícil do que deveria, mas conseguiu erguer a outra perna para que apoiasse o pé no assento do sofá. Naruto pareceu entender o convite para proximidade, e girando o corpo para que estivessem totalmente de frente um para o outro, apoiou o cotovelo esquerdo por cima do encosto do sofá e se inclinou para frente, puxando o Uchiha pela mão que ainda tinha em sua perna.

A mudança de pose colocou Sasuke de bandeja no colo de Naruto. E ele não perdeu a oportunidade de se esgueirar para mais perto até que - finalmente - pressionou o quadril contra o do outro. E foi como se os segundos tivessem se misturado em um borrão no momento em que sentiu a tão necessitada pressão de um corpo firme contra seu membro negligenciado. Naruto gemeu de novo, mais solto, e as mãos foram com pressa para as laterais do corpo esguio para o puxar de encontro ao seu quadril mais uma vez, chiando contra os lábios inchados. Sasuke escorregou a boca pela bochecha bronzeada e passou a língua pelo lóbulo da orelha direita antes de mordiscar e puxar, o corpo abaixo de si estremecendo com a carícia.

Naruto era muito responsivo, e isso fazia seu sangue ferver.

Sentiu a mão calejada puxar a barra da camisa pra fora da calça para que pudesse tocar a pele, e o moreno sabia que ali mais tarde haveria a marca dos dedos do loiro, levando em conta a força com a qual ele o segurava contra seu corpo. Beijou a coluna do pescoço forte, passando a ponta do nariz por toda a extensão, o cheiro do perfume que ele usava misturado com o da pele bronzeada lhe trazendo um suspiro prazeroso aos lábios.

A mão em suas costas o segurava com firmeza para que os corpos não se separassem, e o breve silêncio era interrompido apenas pela respiração alta e carregada dos dois. Esses momentos de pausa atenuavam todos os sentidos de Naruto, o fazendo consciente de cada detalhe, cada milímetro do corpo que tinha junto do seu. Ainda havia roupa de mais, tudo parecia se mover devagar demais e ele já não queria mais se segurar. Os beijos, os toques de reconhecimento eram bons, mas Naruto estava queimando.

Ondulou o quadril para cima em um impulso, a sensação do pênis coberto esfregando contra a bunda do Uchiha arrancando um gemido do outro, que pego desprevenido, deixou a testa cair contra o ombro do Uzumaki.

“Sasuke...” A voz soou mais grave do que antes, carregada de desejo. “Quarto, agora.”

Quase se arrependeu do que disse quando sentiu o colo vazio repentinamente. Precisou respirar fundo três vezes para se acalmar, deixar o ar mais gelado entrar no pulmão antes que pudesse confiar nas pernas para também se levantar do sofá.

Sasuke o encarava, de pé no meio da sala, e sem nenhuma cerimônia levou as mãos à barra da camiseta que usava e se livrou da peça. Olhos azuis se fixaram primeiro no abdômen bem definido, masculino, forte, engolindo em seco. Subiu analisando cada centímetro da pele leitosa, arregalando os orbes quando viu os anéis metálicos que ele tinha em ambos mamilos. E Naruto podia ouvir o divertimento na voz de Sasuke, porque não conseguia tirar os olhos dali. “Me mostra o caminho, Na-ru-to.”

O pequeno fio de auto controle dele se rompeu.

Em um movimento rápido, segurou Sasuke pelos pulsos e o empurrou de volta no sofá. Ele não viu a maneira como o sorriso provocativo nos lábios do moreno dobrou de tamanho, nem percebeu como ele separou mais as pernas e se arrastou para cima no móvel para apoiar a cabeça no braço macio. Não, Naruto se ocupou em arrancar com uma pressa desmedida a própria camiseta do corpo, a jogando no chão antes de se colocar de joelhos entre as pernas de Sasuke e se inclinar para cobrir o corpo dele com o seu.

Passou a língua pelos lábios antes de abaixar a cabeça, lambendo um dos mamilos escuros e gemendo na diferença de temperatura entre a pele e o metal que ele tinha ali, antes de envolver o botão com os lábios e chupar com força. Ele brincava com o outro mamilo, puxando o anel com cuidado antes de pressionar com o dedão.

Sasuke arqueou as costas e gemeu, levando ambas as mãos para a bunda de Naruto, apertando com força e esmagando as pélvis juntas, arrancando dele um gemido engasgado. Era difícil se concentrar para que não gozasse ali mesmo, com a maneira que Naruto esfregava os membros cobertos e brincava com os mamilos que eram mais sensíveis do que o normal depois dos piercings. Ele acariciou o cabelo louro da nuca, arranhando a base do pescoço e recebeu uma mordida em retaliação, e então Naruto ergueu o rosto para o encarar e o moreno se viu perdido no tesão que via refletido nos olhos claros pela maneira como a pupila estava dilatada.

“Eu queria tanto te chupar…” Passou o dedo indicador pelos lábios inchados do loiro, soltando um suspiro pesado. “Mas isso pode ficar pra outra oportunidade. Eu quero que você me foda agora, Naruto.”

Naruto concordou com a cabeça antes de se sentar nos joelhos para desabotoar a calça que o Uchiha usava. Antes de puxar o tecido pelas pernas, foi impedido pelo moreno que se apoiou nos cotovelos para buscar os pacotinhos que tinha no bolso traseiro. Camisinha e, se não lhe falhava a memória, lubrificante. Uma sobrancelha loira se ergueu.

“Parece que alguém veio preparado pra se dar bem.” Zombou sem nenhuma maldade por trás, enquanto puxava para baixo o jeans escuro. Não segurou o riso nasalado quando não encontrou nenhum outro tecido ali, o pênis rijo de Sasuke deitando pesado contra sua pélvis. “Comando, uh?”

O moreno deu de ombros. “Eu vim pra conhecer alguém, não foi? Não ia querer estar despreparado, mesmo com a certeza de que não ia dar em nada. Pelo menos não foi inútil.”

Outra risada, dessa vez mais sincera. O peito de Sasuke se aqueceu de um jeito estranho, mas gostoso, com o som alto e grave da voz do outro. Era prazerosa de ouvir, e não pode segurar um sorriso pequeno.

“Caralho, Sasuke, eu sei que eu já disse isso, mas puta merda…” Mãos bronzeadas subiram pela sua perna, pela coxa pálida, parando para apertar os ilíacos salientes. Sasuke era uma obra de arte, e se antes já o achava lindo, agora tinha a certeza de que era a melhor visão que já tinha visto na vida. Sasuke, no seu sofá, sem roupa alguma, com o cabelo bagunçado e os lábios inchados pelos beijos trocados, o rosto avermelhado e o membro quase implorando por atenção. “Você é tão… ugh!” Não tinha palavras para descrever, e se abaixou para depositar um beijo logo abaixo do umbigo, onde a trilha de pelos começava.

Sentiu ser cutucado no quadril com um chute fraco, e balançou a cabeça. “Ok, ok, já vou.” Ele teve que se levantar do sofá para tirar a calça e a cueca, e quase tombou na sua pressa quando viu que Sasuke levara uma mão ao membro para aperta-lo e fazer um leve vai e vem. “Porra…”

Voltou afobado ao sofá, abrindo o pacote da camisinha para que pudesse a desenrolar sobre seu membro. Enquanto fazia isso, viu que Sasuke abria o outro pacote, apertando a substância viscosa em seus dedos.

“O que você…”

“Por mais que eu goste de um pouco de dor, já faz um certo tempo e você não é um cara pequeno.”

Naruto engasgou na saliva e corou, balançando a cabeça e travado no lugar. Naquele momento, toda sua inexperiência com tudo o que envolvia o fato de que estava transando com outro cara se mostrou, e ele assistiu mudo às ministrações de Sasuke. Este, percebendo a atenção, suspirou.

“Quando você for… comer outro cara, o ideal…” Sasuke fechou os olhos e afastou vem as pernas, ficando completamente exposto para Naruto. O loiro só concordou com a cabeça, apoiando uma das pernas dele em seu ombro e a outra na lateral do corpo para que tivesse mais mobilidade. Deu um beijo estalado na coxa que tinha próxima aos lábios, um incentivo mudo. Os músculos de Sasuke pareceram relaxar um pouco. “É preparação. Assim…” E esfregou a ponta do dedo médio pela entrada enrugada antes de enfiá-lo até o primeiro nó para dentro do corpo.

Aquela era, com certeza, a visão mais erótica que o loiro já tinha visto na vida. A maneira como o corpo do Uchiha parecia sugar o dedo para dentro, os pequenos murmúrios de prazer. Sem precisar ser dito, guiado mais pela vontade de explorar, levou uma das mãos para o membro de Sasuke e começou a bombeá-lo.

Era estranha, a sensação de segurar o pau de outro cara, mas ao mesmo tempo era bom sentir as veias grossas e o calor na palma de sua mão. Ele já minava o pré-gozo pela fenda, e Naruto esfregou o dedão ali, fazendo Sasuke gemer sôfrego e enfiar um segundo dedo em sua entrada.

Havia tantas coisas que Naruto queria fazer naquele momento, e ele sabia que ter Sasuke só uma vez não ia ser capaz de saciar todas as vontades nascendo em seu peito. Mas estava contente com o que tinha agora, podia deixar o resto para que tivesse certeza que outras oportunidades viriam.

Agora, se concentrava em masturbar em uma vagarosidade torturante o pênis do Uchiha, enquanto o assistia enfiando os dedos fundo dentro de si e gemendo. Cedendo, mais uma vez, ao impulso, levou o indicador da mão livre para pressionar contra a entrada apertada do moreno, que arqueou o quadril. Encontrou certa resistência, mas já havia ali lubrificante e logo seu dedo escorregava para dentro do canal apertado junto dos dedos pálidos. Era maravilhoso e quente e Naruto não aguentava mais segurar a vontade de estar ali. Sasuke parecia dividir do sentimento, pois logo tirou os dedos de si e fechou os dedos ao redor do membro de Naruto.

“Não dá pra esperar mais.” Ele sussurrou antes de o largar e levar a mão para que se segurasse no apoio do sofá.

Entendendo o recado, Naruto segurou o quadril esguio com uma das mãos e a outra usou para segurar a base do pênis e o guiar para a entrada. A resistência era ainda maior do que a que sentiu com o dedo, e Sasuke se remexia com a pressão feita. Com um impulso para frente, começando uma penetração devagar.

Sasuke gemeu, desacostumado com a sensação de ter algo tão mais largo dentro de si, mas impaciente como era apoiou o calcanhar na lombar de Naruto e se empurrou para que o membro o preenchesse de uma só vez. O gemido foi alto, com o misto de prazer e a dor de se sentir esticado no limite.

O loiro pareceu travar, engolindo um gemido e mordendo com força o lábio inferior para tentar procurar um ponto de controle. O canal de Sasuke era quente e apertado ao redor do seu membro, de um jeito que nunca havia sentido antes, e era quase impossível se manter parado com todas as sensações ao redor de seu corpo. Mas respeitou o espaço de Sasuke, respirando fundo e devagar enquanto ele o mantinha parado pela perna agarrada em volta de sua cintura.

Foi só quando o músculo cedeu e Sasuke se mostrou relaxar um pouco que ele fez um vai e vem curto, testando as águas, e recebeu um aceno do outro para continuar. Não houve um meio termo. Naruto se retirou quase que completamente do corpo do outro e voltou em uma estocada funda, rápida, e não fez nada para segurar o movimento frenético do quadril.

O outro se remexia abaixo de si, gemendo entrecortado e arqueando as costas do sofá. Suor pingava pela linha do cabelo, e ele assistia em transe como Naruto tinha os olhos fechados, o músculo dos braços teso enquanto se segurava no sofá para conseguir manter a velocidade e força dos movimentos.

O sexo de Naruto, assim como ele, era intenso e brutal, e a posição que estavam favorecia todos os pontos sensíveis do interior de Sasuke, o fazendo gemer sem nenhuma contenção. Os movimentos fortes o atingiam em fundo e raspavam próximos demais de sua próstata, o que deixava o moreno em um misto de ansiedade e frustração. Ele chegava quase lá, mas nunca lá. E quando uma estocada mais funda tocou próximo demais, ele perdeu a paciência.

Tirando a perna de cima do ombro dourado, Sasuke espalmou as mãos no peitoral de Naruto para o empurrar para trás e voltar a sentar em seu colo. Os olhos azuis se arregalaram mas logo as pálpebras se fecharam e os lábios se partiram em um gemido alto quando Sasuke sentou, fazendo com que o pênis escorregasse fundo para dentro de si novamente.

Tomando o controle da posição, foi mais fácil fazer com que a ponta do membro de Naruto finalmente pressionasse contra sua próstata, e Sasuke viu estrelas dançando por sua visão.

“Aí, Naruto, aí!” Gemeu arrastado, tentando procurar de novo aquele toque, e Naruto segurou nas bochechas da bunda pálida, as afastando antes de empurrar o quadril pra cima com força.

Ali parecia ser o lugar certo, pois Sasuke jogou a cabeça para trás e gemeu alto, expondo os tendões tensos do pescoço. Naruto, rápido como era no aprendizado, manteve a mesma posição e começou a investir ali com precisão, com estocadas bruscas, tirando o membro quase que completamente do calor do canal do Uchiha antes de puxa-lo para baixo ao mesmo tempo em que o estocava.

Ele foi recompensado com gemidos altos, uma das mãos de Sasuke se emaranhando em cabelos loiros e puxando o rosto de Naruto para mais perto de si, perdido no que estava fazendo e nos pontos brancos que dançavam em sua visão.

Ele sentiu que o canal de apertava ao seu redor e os músculos de seu abdômen contraíram, o anunciando o orgasmo próximo. O Uzumaki fechou os olhos novamente, tentando em vão beijar e morder o pescoço do Uchiha, mas não conseguia manter os lábios fechados por muito tempo. Gemia em abandono, se empurrando cada vez mais contra o canal de Sasuke e sentindo os espasmos do corpo acima do seu. Sasuke, também, mantinha os lábios entreabertos, sussurrando coisas que não conseguia entender entre os gemidos, a expressão de puro deleite em seu rosto fazendo Naruto se perder.

Sem resistir a tentação, a mão bronzeada soltou da bochecha da bunda de Sasuke para descer um tapa estalado antes de apertar a carne com força e o puxar contra seu quadril, e isso pareceu ser o último empurrão que Sasuke precisava.

O canal se estreitou e o apertou com força, Sasuke se contorcendo de prazer, a visão ficando nublada, sem segurar os gemidos altos quando o orgasmo o atingiu, o fazendo derramar no abdômen de Naruto. Gozando assim, sem nem precisar ser tocado, enquanto o assalto em sua próstata e as estocadas de Naruto continuavam irregulares em seu interior sensível, os gemidos que ele soltava contra sua pele entrecortados até que em um último movimento, ele se enterrou por completo no Uchiha e gozou com um gemido sôfrego, a ponta dos dedos segurando com tanta força em sua bunda que com certeza deixaria ali mais marcas.

Sasuke rebolou uma vez apenas para prolongar a sensação para ambos, antes de perder completamente a força e se deixar cair nos braços de Naruto, respirando pesado.

Havia um zumbido em seu ouvido e o corpo estava mole, totalmente satisfeito. Naruto partilhava da sensação, sem conseguir se mexer por longos minutos, apenas disfrutando do calor e do peso de outro corpo em cima do seu. As costas se acomodaram no encosto do sofá, puxando o outro para se deitar em cima de si, e foi só quando o gozo começou a gelar em seu abdômen que ele teve coragem de quebrar o momento para falar algo.

“Caralho…”

Sasuke riu, abaixo de si, concordando com a cabeça.

“Caralho.” Ele imitou. “Tem certeza que nunca transou com um cara antes?”

“Quer dizer que foi bom?” Tentou um elogio, recebendo um tapa fraco no braço.

“Eu não confio nas minhas pernas pra andar agora.” Respirou fundo. E de novo. Ainda era difícil segurar o ar no peito. “Mas a gente precisa se limpar.”

Naruto concordou, e eles levaram mais alguns minutos antes de se desgrudarem. Quando Sasuke se levantou, ele tirou a camisinha e deu um nó antes de andar para o banheiro social e descartar o preservativo. Se olhou no pequeno espelho e riu com o reflexo, que mostrava o quão satisfeito e leve ele se sentia. Voltou para sala encontrando um Sasuke de olhos fechados no sofá, e cutucou seu tornozelo com o pé.

“Ei, eu não vou dar banho em você não. Se você dormir aí todo sujo de porra eu vou te largar assim.” Era uma ameaça vazia, mas fez com que Sasuke soltasse um 'tsc’ irritado e se levantasse.

Em primeiro momento, temeu que a atmosfera entre eles fosse ficar estranha. Sasuke era, afinal de contas, um cara que havia acabado de conhecer e trepado com. Mas ele parecia agir naturalmente sobre isso, e isso fez com que seu interior se acalmasse.

O moreno o seguiu até o banheiro do quarto, onde tomou um banho rápido. Dentro da cabeça giravam várias dúvidas, agora que a nuvem prazerosa que o sexo criara parecia se dissipar. Ele teria que ir embora agora? Naruto iria agir como se aquilo fosse nada?

Não eram coisas boas para se pensar, e um dos principais motivos de nunca ter se envolvido com caras que se diziam curiosos antes. Era desagradável como ele deixava que as dúvidas o comessem depois de um momento tão agradável, mas não conseguia evitar de ser tão analítico.

Saiu do banheiro ainda incerto, encontrando Naruto já banhado em sua cama, uma calça cinza de moletom dobrada ao seu lado.

“Eu acho que vai te servir.” Ele disse baixo, mostrando pela primeira vez uma incerteza e sinceridade que assustou Sasuke. “Você pode dormir aqui, se quiser. Ou no quarto de hóspedes. Eu não sou do tipo que vai chutar alguém depois de transar. Mas eu já aviso que eu gosto de abraçar enquanto durmo.” Coçou a cabeça, tentando dissipar a incerteza e deixar o ambiente leve.

O Uchiha agradeceu internamente por aquilo. Era como uma pedra colocada em cima das próprias dúvidas que surgiram em sua mente, e por enquanto, aquilo era o suficiente. Vestiu a calça emprestada, tendo que a amarrar na cintura (embora Naruto fosse um pouco mais baixo, ele tinha o corpo mais largo). Se arrastou então pela cama de casal e se instalou debaixo da coberta laranja, ao lado de Naruto.

O silêncio da madrugada era acolhedor,e mutuamente eles se aproximaram para se envolverem em um abraço. Naruto beijou seus lábios, sua bochecha, e afundou o rosto na curva de seu pescoço. Esses pequenos gestos gritando o quão carinhoso o loiro podia ser, em oposição ao quão intenso ele tinha se mostrado antes.

“A gente pode sair amanhã. Pra almoçar, sei lá. Geralmente as pessoas fazem isso antes de ir pra cama, mas acho que a ordem não importa, né?” Ele bocejou e Sasuke concordou com a cabeça, fechando os olhos e afundando o nariz nos cabelos loiros, aspirando o perfume de Naruto. “Hmmm, aí a gente pode vir aqui pra casa pra trepar de novo.”

Recebeu um tapa na nuca, que só lhe arrancou um riso.

“A ideia do almoço parece boa.” Cansado. Quase dormindo. Mas Sasuke sentia o peito aquecer com a promessa de que aquilo não tinha sido só uma transa. Era estranho, sim, já que não conhecia o outro direito. Mas ele queria. E tinha a atração, tinha a química que eles tinham, a vontade intensa que tinham um do outro, e parecia ser algo que valia à pena perseguir. “O resto a gente vê depois. Com o tempo.”

Naruto concordou. O silêncio não foi mais quebrado.



9 de Maio de 2018 às 22:58 10 Denunciar Insira 45
Fim

Conheça o autor

Sonne Oi, eu sou a Catherine, mas podem me chamar de KT. Projeto de escritora em andamento com alguns trabalhos à serem postados aqui. Hit me up with SasuNaruSasu, McHanzo 'n Promptis.

Comentar algo

Publique!
Luana Modesto Araújo Luana Modesto Araújo
Que quente...
19 de Setembro de 2018 às 14:21
Cammis Silva Cammis Silva
Adorei a one, nossa arrasou!!! Curti muito esse Naruto, sexy, divertido, carinhoso, meio mistério com ar sensual e maduro. Sei lá, ficou muito foda, eu curti demais mesmo. Você mandou muito bem, o lemon ta delicioso, fiquei com um gostinho de quero mais ❤🙆
16 de Junho de 2018 às 15:18

  • Sonne Sonne
    Ahhh eu fico feliz!! Eu geralmente, quando escrevo eles mais velhos (como nesse caso, já na faculdade) gosto de imaginar que os personagens amadurecem. Eu agradeço mt pelo comentário e fico feliz que tenha gostado! Essa história fica como oneshot mesmo, mas logo mais vou começar a postar mais algumas coisinhas. <3 16 de Junho de 2018 às 20:24
Thammi RB Thammi RB
Gente que arraso de one! Amei demais. Te certeza de que é o seu primeiro lemon?? Porque tá divino. Assim. Só acho que merece uma continuação *bate dedinhos* pensa nisso, por favorzinho? *0* De qualquer jeito, adorei a história, esses dois tem uma química do caralho e ainda tem autoras maravilhosas como vc para escrever essas coisas divosas, quem ganha somos nós. Bjooo
11 de Maio de 2018 às 15:49

  • Sonne Sonne
    Ahhhh obrigada!!! ;_; E, olha, de verdade é meu primeiro lemon, juro juradinho UHAUAHUAH antigamente eu pedia pra amigos escreverem pra mim, mas tomei vergonha na cara e enfrentei meus medos e postei. Eu juro que na minha cabeça eu pensei várias e várias vezes em fazer uma continuação, em escrever o relacionamento deles a partir daí, mas nunca houve um plot sabe? Era literalmente pra ser uma oneshot pra treinar a escrita, pra colocar outros planos em prática. Mas se a ideia continuar me consumindo vai acabar que eu não vou resistir mesmo UHEAUSHEUSAHE Mas obrigadinha pelo comentário ♥ 13 de Maio de 2018 às 14:41
Isis Isis
KT PORRA "eu não consigo escrever lemon" parafraseando meu amor, Sasuke Uchiha: "HAH, NÃO CONSEGUE MEU RABO!" Isso foi maravilhoso! 100% meu headcanon Sasuke muito gay Naruto muito a fim de experimentar e experimentando deliciosamente! É opinião que você quer? Então toma: ficou MUITO BOM! Exatamente o tipo de lemon que gosto de fazer e de ler: descrevendo as posições, os corpos, as sensações. Com momentos intensos e momentos carinhosos e, claro, umas sacanagens bem ilustradas pra gente imaginar detalhadamente. Quando o Naruto ficou todo eufórico com piercings... Eu também fiquei, Naruto, eu também fiquei. O Sasuke se preparando e o Naruto olhando... meu deus do céu, chama o bombeiro! O Sasuke por cima e o Naruto apertando a bunda dela, isso é arte. É ARTE! EU PODERIA TER UM QUADRO DISSO AO LADO DA MINHA CAMA E ACORDAR OLHANDO TODO DIA, JÁ TEM ATÉ O ESPAÇO RESERVADO AQUI! Ótimo, foi o primeiro, foi incrível, já pode me dar mais, aquele lá que a gente vinha conversando inclusive, risos.
10 de Maio de 2018 às 07:36

  • Isis Isis
    *a bunda dele 10 de Maio de 2018 às 07:38
  • Sonne Sonne
    MAS EU NÃO SEEEEEEI mentira, não vou dizer que não sei, mas é que eu nunca sinto que tá bom/tá certo/tá o suficiente? Se não tá exagerado? EU NÃO SEI EXPLICAR, pra mim ainda faltou mta coisa mesmo ficando do jeito que eu queria (no caso eu n quis seguir o padrão pega beija chupa come e quis algo mais urgente da parte dos dois/vamo logo pros porém IUEHAUISHEUASHE) MASS AAAAAAAA que bom que você gostou DE VDD MESMO OBRIGADA POR FAZER ESSE COMENTÁRIO AAAaa aa Mas sim eu tenho mt esse headcanon do Sasuke sendo o louco dos piercing principalmente em lugar que vá aumentar pra ele a sensação de prazer Punk Sasuke é a minha religiãÃO. Vou admitir qu eu também quero um quadro do Sasuke sentando no Naruto e deixando ele bobo sem ar SIM seria uma imagem bonita pra se acordar todo dia de manhã.... Mas muito obrigada aaaa.... Sobre esse outro......... Está fora das minhas capacidades................ Eu confio em suas hábeis mãos............................... eh isto........................ 10 de Maio de 2018 às 21:15
Lory Cake Lory Cake
EU VOU COMENTAR EU VOU EU TO MUITO MIJADA, VOCÊS QUEREM @OTIRRAS? primeiramente eu quero gritar aaaaaaaaaaaaaa pq eu to muito feliz que ce tenha postado, de verdade. Tem mt hino nessa sua cabeça pra você não expor (mesmo que você queira me fazer sofrer com alguns deles). Segundamente, vamo falá desse naruto que disse oi e eu berrei. Eu te mandei os reacts em tempo real, você sabe que eu tava morrendo real oficial. E O PIERCING NAS TETA, GENTE, EU NÃO TENHO SAÚDEEEEEE. Eu ADOREI ESSE CLIMA, ESSA TENSÃO, ESSE NEGÓCIO DE VAMO SE PEGA MUITO, VAMO QUE VAMO. Adorei o naruto muito na sede e aprendendo ao mesmo tempo, e o jeito como eles decidiram que UAU, METEMOS MUITO LOKAMENTE E MT GOSTOSINHO, VAMO CONTINUAR. EU AMEEEEI. Amei os meme no meio do caminho, amei esse limão gostoso, EU VOU FAZER OUTRO SCANDALO PQ EU NÃO ME CONFORMO QUE A SEM ORA TAVA COM MEDO DE NÃO SABER FAZER. ENFIM, EU AMEI TUDO, AMO VOCÊ. ME DÁ MAIS DOS NENÊ Q EU QUERO. HINO. <3
9 de Maio de 2018 às 18:07

  • Sonne Sonne
    EU TÔ MUITO MIJADA MAS EU TÔ GRITANDO COM VOCÊ AAAAAAAAAAAAA MIJADA NADA VC É O PRÓPRIO SATANÁS QUE FICA ME CUTUCANDO COM SEU TRIDENTE ME FAZENDO PRODUZIR ESSAS COISA PECAMINOSA E SEM VERGONHA Mas ai, sério, obrigada. Não só pelo comentário etc mas por continuar me incentivando tb a largar a glicose anal e não ter vergonha dos meus trabalhos, PRINCIPALMENTE DESSE LEMON QUE EU TAVA RECEOSA PRA CACETE AAAAA Sasuke com piercing nas teta é meu espírito animal Eu ia colocar no piru do Naruto também mas aí acabei esquecendo fica pra uma outra oportunidade n é mesmo Eu sempre tento deixar a escrita um misto entre leve / mais séria e acabo inserindo uns meme mas eu não sei fazer isso me perdoaaaa MAS AAAA OBRIGADA VC SABE QUE LOGO VEM MAIS FANFIC N EH MESMO CLARO QUE SABE VC EH LORYNÁS <3 10 de Maio de 2018 às 21:08
~