Casamento forçado Seguir história

larivalk Larivalk .

Nasceram para se odiar, foram ensinados a ver os defeitos mais mínimos do outro. Agora precisavam, mais uma vez, obedecer as ordens de suas famílias.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 21 anos apenas (adultos).

#Midoriya-Seme #dekubaku #Deku-Seme #Bestial #Bakugou-Uke #bakudeku #abo #boku-no-hero-academia #bnha #Midoriya-Izuku #Bakugo-Katsuki
16
5285 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo Todas as Sextas-feiras
tempo de leitura
AA Compartilhar

Reunião

As duas famílias se odiaram desde sempre, o ódio praticamente era passado para toda nova geração que estava por vim, todos cresciam sentindo ódio de pessoas na qual nunca tiveram a chance de se conhecer de fato.

Nunca ninguém entendeu muito bem de onde havia vindo todo esse ódio, talvez pela diferença de raças dos dois, um queria se sentir mais importante e poderoso que o outro. Era de fato um mistério o motivo de tanto ódio entre as duas famílias.

Enquanto a família Bakugou era uma linhagem pura de lobos, a família de Midoriya era conhecida pela linhagem pura de panteras, dois diferentes que sempre ficavam brigando por poder. Uma antiga rivalidade entre felinos e caninos que durava até hoje.

Na família Bakugou o mais novo e primeiro ômega entre os irmãos era um belo lobo com pelagem marfim que possuía belos olhos vermelhos. Sua forma animal era tão bonita assim como sua forma humana, devido ao fato de ser um ômega, seu corpo parecia esculpido pelas mais belas curvas que alguém pudesse desejar.

Já na família Midoriya era o mais velho além de ser um alfa, um bela pantera com uma pelagem esverdeada bem escura e olhos tão verdes quanto, era um homem forte e que possuía uma liderança nata, mas que mesmo assim era muito carinhoso com os ômegas de sua família e ainda mais seus irmãos mais novos.

Era normal que os animais tivessem o mesmo tom de pelagem que seus cabelos, então não era tão anormal assim uma pantera na pelagem esverdeada. O tamanho era proporcional a classe, no caso, ômegas eram menores independente do animal que eram, assim como alfas eram mais fortes e maiores.

Bakugou parecia um cão de casa comum perto do tamanho majestoso de Midoriya em sua forma de pantera. Eram diferentes entre si em vários sentidos e assim como suas famílias, aprenderam a odiar o rival sem ao menos conhecer.

Só que suas famílias não esperavam que os dois jovens não sentissem ódio quando se conhecessem de fato, chegará a ser irônico que ambos estudavam no mesmo colégio e tinham idades próximas. Parecia até mesmo o destino juntando os dois para que já começassem logo cedo a se odiarem.

Só que Midoriya e Bakugou eram os primeiros de suas linhagens que sentiram algo diferente quando realmente se conheceram, o jovem Izuku Midoriya ficará completamente encantando ao ver Katsuki Bakugou embaixo de uma cerejeira dormindo no sono mais profundo com uma expressão serena.

Enquanto Katsuki ficará sem fôlego ao ver o esverdeado sorrir animado enquanto jogava uma partida de basquete, os dois tentavam e muito se odiar e se repudiar, tentavam ao máximo fazer o que nasceram escutando, que era odiar um ao outro.

Só que o extinto era mais forte que eles, era quase impossível ambos se odiarem, mesmo que tentassem inúmeras vezes, acabavam pedindo desculpas ou até mesmo ficavam mal por terem agido de forma grosseira ou errada com o outro.

Katsuki podia ser considerado um garoto selvagem pela sua personalidade forte, mesmo sendo um ômega, mas ficava completamente manso e carente de carinho quando Izuku estava próximo soltando todos seus feromônios próximo do ômega.

Izuku já perdia toda a compostura e a paciência caso alguém mexesse com o ômega, o semblante calmo e serio era substituído rapidamente, era uma mudança em ambos os lados que deixavam todos surpresos.

Só que eles não podiam se aproximar, o que suas famílias pensariam caso os dois rivais ficassem assim tão próximos? Então ambos chegaram em um acordo que o melhor era de fato se afastar de vez, tentar ignorar ao máximo a existência um do outro.

Mas a despedida acabou resultando em um beijo, que fez ser impossível se afastar, os toques e os beijos trocados fez com que ficasse ainda mais evidente o que cada um sentia. Então começaram a namorar escondidos, não suportavam viver um sem o outro, era quase sufocante.

Só que tudo mudará em um dia onde Bakugou havia sido informado que ele estava noivo, que em pouco tempo ele casaria para que as coisas pudessem melhorar. Aquilo deixou o loiro devastado, ele chorava pensando que ficaria longe de seu amado, pois acabaria sendo marcado o levando a nunca mais sentir o toque de seu alfa.

E como se tudo não pudesse piorar, Midoriya também fora informado que estava de casamento marcado, aquilo só piorava a situação, já estava devastado com a notícia que seu ômega possuía já um parceiro, agora ele também já tinha o destino interligado a alguém.

Era comum para que suas famílias firmassem um casamento arranjado afim de prolongar a linhagem da família ou fazer algum tipo de negocio que dê algum tipo de melhora para a imagem ou questão financeira. Mas nenhum dos dois parecia feliz com aquela novidade, queriam ficar juntos e agora não tinham como ir contra suas famílias.

Ainda se encontravam escondidos, estavam decididos a ficar juntos nem que para isso precisassem fugir o mais longe possível se seus familiares. Contanto que ficassem juntos, não se importavam com mais nada, apenas concordaram em ir na cerimônia na qual seriam apresentados aos noivos para não levantar muitas suspeitas.

Ambos estavam desanimados no dia, queriam apenas que tudo acabasse o mais rápido possível para que pudessem se encontrar e ficar juntos novamente. Bakugou sentia saudades dos toques e das palavras de carinho e amor que recebia do alfa, enquanto o mesmo sentia saudade dos olhos cheio de amor e da companhia de seu ômega.

Mas tudo aconteceu de forma inesperada, Bakugou estava indo até a residência dos Midoriya, aquilo não fazia sentido por qual motivo estava ali? Será que sua família havia descoberto seus encontros com o alfa e agora queria que o mesmo fosse castigado ou punido por se aproximar? Um frio na barriga se fez presente no ômega, não queria ser culpado por alguma fatalidade para o alfa, não entendia o motivo de estar indo ali.

Foi então que entrou numa sala onde os pais do namorado junto ao mesmo estava, viu o olhar tão surpreso quanto o seu, o que estava acontecendo ali afinal de contas? Por qual motivo estavam cara a cara?

─ Sei que durante anos falamos para que vocês se odiassem, sem ao menos se conhecerem. ─ Uma loira falará com um sorriso triste encarando o ômega, sua mãe lhe olhava com um brilho no olhar. ─ Mas depois de séculos de intrigas, resolvemos finalmente acabar com tudo isso, juntando assim nossas famílias.

─ Você está brincando com a minha cara. ─Bakugou praticamente rosnou, todo o esforço de manter o relacionamento escondido, sofrendo por não passar os cios com o amado e agora ele descobre que ele poderia ter feito as coisas sem ser por de baixo dos panos.

─ Sei que é difícil aceitar a união, temos em mente que talvez vocês possam se odiar e não querem contato um com o outro, mas isso é o melhor para nossas famílias. ─ Uma mulher de cabelos esverdeados fala com um sorriso calmo no rosto.

─ Desde quando decidiram isso? Por qual motivo esconderam isso da gente? Não tinham esse direito! ─ Midoriya rosnava irritado, estava tão irritado quanto Bakugou, se tivessem falado tudo aquilo antes, as coisas teriam sido bem mais fáceis para o casal.

─ Há um tempo, agora de alguma forma esperamos que as duas famílias possam virar uma só. ─ A loira voltou a se manifestar. ─ Fecharemos hoje o contrato do casamento e esperamos que a partir de hoje comecem a se socializar.

─ Vai ficar aqui em casa, jovem Bakugou. Para que se acostume, já que é um ômega decidimos que seria você a se mudar. Começará a dividir o quarto com meu filho. ─ Um loiro falou próximo ao esverdeado que se segurou para não demonstrar extrema felicidade com aquilo.

─ Aceitarei suas condições, meu pai. Farei meu melhor para que eu possa me acostumar a ficar com um Bakugou. ─ Midoriya falou com um sorriso de lado, como se estivesse entrando em um papel para toda aquela farsa, antes que atacasse seu ômega ali mesmo. ─ Farei meu melhor para me dar bem com ele.

─ Tsc, que seja. Vamos acabar logo com isso. ─ Bakugou falou irritado, tentando não ficar animado com a notícia que começaria a ficar constantemente ao lado do alfa.

─ Ótimo, então o leve para seu quarto, meu filho. Seria muito bom caso conseguisse marca-lo também. ─ A esverdeada falará, aquilo quase havia feito os dois gemerem em entusiasmo, tentaram parecerem o mais normal possível ao se levantarem e saírem deixando os pais sozinhos na sala para continuarem a discutir sobre o casamento.

Midoriya praticamente arrastou o loiro pela casa, com rapidez e em um quase desespero. Assim como ele, Bakugou estava completamente animado e entusiasmado, nem ao menos conseguia controlar sua orelha e cauda que já apareciam de tanto entusiasmo e ansiedade que sentia, conseguiu ver a cauda de Midoriya aparecer e lhe envolver a cintura enquanto andavam depressa.

Quando finalmente chegaram no quarto do maior, o mesmo trancou e ficou de frente ao loiro que usava a porta como apoio, ambos se encararam com expectativa. Há quanto tempo não desejavam isso? E agora tudo parecia estar como sonharam muitas vezes, parecia que o destino tinha lhes dado uma oportunidade única de serem felizes, já não precisavam mais fugir, agora poderiam ter um ao outro.

8 de Maio de 2018 às 23:33 0 Denunciar Insira 4
Leia o próximo capítulo Marca

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 1 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!