Naruto e Sasuke - Caçadores de Monstros Seguir história

yukilopez2301 Val�ria Oliveira

Toneri Otsutsuki, o governador de Konoha, apaixonou-se pela líder do clã Hyuuga que nunca correspondeu ao seu amor por estar apaixonada pelo líder do clã Uzumaki. A esse simples fato Toneri incita uma intriga entre os três clãs, mas o líder do clã Uchiha descobre suas intenções e assim inicia uma guerra. Nagomo Uzumaki mata Toneri e Toneri ressuscita através de um pacto selado com uma bruxa vampira. Os únicos sobreviventes desses clãs são Naruto Uzumaki e Sasuke Uchiha. Os dois são expulsos da aldeia por conta de um mal entendido e assim vão unir-se aos Caçadores Noturnos. Retornam após treze anos como caçadores, a fim de provar sua inocência e descobrir o amor com suas amigas de infância, Hinata Hyuuga e Sakura Haruno, que sempre os amaram e nunca deixaram de acreditar em sua inocência.


Fanfiction Anime/Mangá Para maiores de 18 apenas.

#aventura #naruto #sasusaku #naruhina #hentai #ação #romanceenovela #caçaamonstros #toneri
7
5784 VISUALIZAÇÕES
Completa
tempo de leitura
AA Compartilhar

Prólogo


*País do Fogo,1453*

Já se faziam mais de dez anos que Toneri Otsutsuki causava medo e pavor na pequena aldeia de Konoha. Outrora um grande nobre, de valor e riquezas inestimáveis, Toneri governou a aldeia com mão de ferro, mas sucumbiu diante de uma única coisa: apaixonou-se pela líder de um dos três maiores clãs da vila, Himari Hyuuga. Para seu azar, ela nunca correspondeu ao seu amor, pois ela se apaixonara por Nagomo Uzumaki, o líder do primeiro maior clã de Konoha.

Uma imensa fúria tomou conta de seu ser a ponto de usar sua influência para causar intrigas entre os Hyuuga e os Uzumaki contra os Uchiha, o terceiro maior clã e seus amigos. Parecia que uma guerra de clãs iria começar, mas o líder do clã Uchiha, Satoru, conseguiu impedir a guerra antes que começasse, pois descobriu as intenções de Toneri.

Então, ao invés de lutarem entre si, os três clãs se uniram contra o próprio Toneri, enfrentando ele e os seus soldados. O nobre, por sua vez, não se intimidava, pois possuía uma arma secreta que todos, até seus mais próximos, desconheciam.

Tomomi Otsutsuki, sua irmã gêmea, era uma pura e inocente garota sem nenhum desejo subversivo ou ganâncias de poder. No entanto, escondia um segredo: era o recipiente vivo de um terrível monstro: Kurama, a Raposa das Nove Caudas, uma das feras seladas pelo Sábio dos Seis Caminhos, ou Edo-Sennin. O espírito selado em seu corpo não lhe causava dano algum; porém, caso o selo fosse rompido, libertaria a fera e esta causaria grande destruição.

Certa noite o irmão foi procurá-la na sala de estar de seu palácio e lhe contara seu plano. Tomomi assustou-se e tentou chamá-lo à voz da razão:

— Não meu irmão! Para quê me usar em um propósito tão bárbaro? Sabe muito bem que o poder da Kyuubi é destrutivo, nem eu mesma posso controlar! O nosso pai selou a criatura em mim justamente por saber que jamais seria usada para o mal!

— O nosso pai era um tolo! - vociferou - Você é a Jinchuuriki do mais poderoso ser da terra, e não usá-la seria desperdício! Não entende que esse poder irá subjugar esses malditos clãs a meu favor?

Tomomi então pegou a espada de uma armadura próxima à lareira e apontou-a para o irmão, dizendo:

— Não vou permitir que me use para causar tanto sofrimento!

— Quer mesmo me desafiar irmãzinha? - desdenhou,com um sorriso feio nos lábios - Teria coragem de me matar?

— Se for necessário para acabar com essa guerra não vou hesitar! - disse com altivez mantendo a espada tesa em sua direção.

— Pois que seja - falou, pegando outra espada de outra armadura e a brandindo contra a irmã. Apesar de nunca ter manejado uma espada antes, Tomomi soube se defender muito bem das investidas do irmão, que parecia um endemoniado, tentando golpeá-la. De repente, Tomomi escorregou e Toneri enfiou-lhe a espada na barriga, bem aonde se localizava o selo que prendia a Kurama.

Ferida, e quase sem ar, Tomomi caiu de joelhos tentando estancar o sangue que corria como um rio para o chão de pedra. Toneri retirou a espada sem demonstrar emoção alguma, como se esperasse algo acontecer. A moça de cabelos cinzentos tombou para o lado, agonizando, mas conseguiu reunir forças para pedir ao irmão que a ajudasse. Este, porém, respondeu:

— Sinto muito Tomomi-chan. Mas se não for assim, a Kyuubi nunca será minha.

No mesmo momento, o sangue que escorria formou um círculo ao redor de Tomomi, que morria lentamente enquanto sentia o espírito da fera se soltar do selo. Uma luz plasmática, de cor laranja, subiu de seu corpo e, antes que Toneri se desse conta, seu castelo se destruíra assim que a Kurama libertou-se completamente e criou forma. No lugar onde estivera o corpo de Tomomi, encontravam-se crisântemos brancos, que a Kyuubi pisoteou.

Toneri deu um longo sorriso de triunfo apesar de ter sido jogado longe após a destruição de seu castelo e ter quebrado alguns ossos na queda. Contudo, não comemorou por muito tempo, pois seu pulmão fora atravessado por uma katana.

— O quê...?

Caiu no chão agonizando rapidamente, tossindo sangue. Mas, antes de fechar totalmente seus olhos, pôde ver quem o matara. Era um homem de cabelos loiros e olhos azuis, que usava um kimono laranja onde se encontrava o símbolo de seu clã, um redemoinho vermelho.

— Uzumaki... seu... maldito...

O líder do clã Uzumaki mirou a fera enlouquecida destruindo tudo o que via pelo caminho enquanto vários soldados fiéis à Toneri e membros do clã tentavam detê-la com suas katanas, arcos e flechas e kunais sem sucesso. Correu para ajudar quando foi impedido por Himari, que chegara naquele instante com o seu clã e vira a situação.

— Não vá Nagomo-kun, esse monstro irá matá-lo!

— Me solta Himari-chan, eu preciso ajudar meu clã! - gritou, se desgarrando da morena de olhos perolados. A líder do clã Hyuuga o seguiu, puxando a sua katana e ativando o poder secreto do seu clã, o byakugan.

Por mais que tentassem se aproximar ou atacar, os Uzumaki, os Hyuuga e os soldados de Toneri não conseguiam fazer o menor dano à Kurama, que continuava a destruir a aldeia. Os Uchiha, que vieram ajudar, ainda conseguiram ferir uma das nove caudas do demônio, mas era um ferimento tão superficial, que se regenerou no mesmo instante. Subitamente, a Kyuubi abriu a bocarra cheia de dentes afiados e lançou um poderoso ataque contra os clãs, matando uma boa parte deles e destruindo também boa parte da aldeia.

Com muita sorte, os líderes dos clãs e poucos membros sobreviveram à bola gigantesca de poder lançada contra eles. Estavam todos horrívelmente feridos; porém, ninguém havia sofrido um dano tão grande quanto Satoru, que perdeu um braço.

— Satoru-san! - Himari, mesmo coxeando, foi ajudá-lo - O seu braço!

— Não se preocupe Himari-san - disse ele ofegante - Não é a falta de um braço que vai me impedir de lutar.

— Nagomo-sama, o que faremos?! - indagou um dos Uzumaki - Nossas investidas não fazem o menor efeito nesse monstro!

Nagomo não conseguia pensar em algo que pudesse deter a Kurama. Armas comuns e outros ataques não funcionavam, isso era fato; contudo, lembrou-se de um antigo selo mágico criado por seu falecido pai, o Selo Ceifeiro da Morte, cujo uso era proibido e quando usado, retirava a alma do inimigo e em consequência a de seu usuário. Não queria usá-lo, mas não via outra opção.

— Nagomo-sama?

O líder do clã Uzumaki deu atenção ao seu parente.

— Raito, quero que faça um favor para mim.

— O que quiser Nagomo-sama - disse prontamente o rapaz ruivo.

Nagomo chamou a atenção de todos os sobreviventes e falou:

— A sobrevivência da nossa aldeia, de todo o nosso país, depende de nós agora! Esse monstro, cuja origem desconhecemos, deve ser detido a qualquer custo! - apertou o punho da katana - O que farei em seguida custará a minha alma, mas o sacrifício é necessário para o bem de toda a minha aldeia e do meu clã!

— O que pretende Nagomo? - perguntou Satoru já desconfiando da resposta.

— Pretendo usar o Selo Ceifeiro da Morte criado por meu pai nesse monstro, desencarnando-o e o selando dentro de Raito - respondeu e fitou o rapaz assustado ao ouvir aquilo - Como eu disse, custará a minha alma, mas Raito irá sobreviver e será o líder do clã em meu lugar.

Himari não aguentou ter de ouvir um plano tão cruel e coxeou até Nagomo, abraçando-o com lágrimas nos olhos.

— Onegai Nagomo-kun, não faça isso! Deve... deve haver outra maneira de... destruir esse monstro sem precisar ter que sacrificar sua alma! Não faça isso!

Nagomo acariciou seu rosto e manteve-se firme.

— Gomenasai Himari-chan. Mas não há outra maneira.

Disse isso e se afastou. Himari caiu de joelhos, despedaçada com aquela resposta. Sem olhar para trás, o loiro puxou novamente sua katana e, acompanhado de Raito, foram na direção da Raposa das Nove Caudas. O resto do clã, os Hyuuga e os Uchiha foram ajudar dando cobertura, exceto Himari, que ficou para cuidar de Satoru.

Enquanto os Hyuuga cercavam a Kyuubi por cima, os Uchiha a cercavam por baixo, dando tempo para os Uzumaki se prepararem. Nagomo e Raito subiram nas costas da enorme criatura e fazendo complicados selos com as mãos, o loiro invocou o ceifeiro. Não se assustou ao ver o horripilante espírito atrás de si.

"Bem como disse meu otou-san uma vez. O ceifeiro é invisível para todos, menos para quem o invoca."

A criatura prendeu uma faca entre os dentes de navalha e atravessou a mão no corpo do loiro, que grunhiu. Essa mesma mão penetrou o corpo da criatura, e antes que a Kurama pudesse reagir, o ceifeiro retirou sua alma, cortando com a faca. Assim feito, Nagomo selou a alma da Kyuubi em Raito, que perdeu os sentidos durante o processo. O loiro sentiu sua visão escurecer e caiu para o lado, morrendo rapidamente.

* - x - *

Himari ficou desesperada quando viu o amor de sua vida morto. Raito, que já havia acordado, também chorava, assim como todo o clã Uzumaki. Enterraram o loiro quando o dia já começava a raiar; todos os habitantes da vila foram presenciar o enterro do herói.

Após o funeral, os três líderes se reuniram na mansão Uchiha para discutir o que seria feito dali em diante por Konoha e seus arredores.

— Com Toneri morto, é necessário que haja outro governante – disse Himari sem emoção.

— Poderia ser o senhor, Satoru-sama – sugeriu Raito.

— Não, não, eu não levo jeito algum para governar Konoha inteira – falou, dispensando a proposta – Mal consigo chefiar o meu clã.

— Eu também dispenso este fardo – disse Himari – O clã Hyuuga necessita de mim. E se fosse você Raito-kun, pensaria também no clã Uzumaki, agora que você é o novo líder.

— Hai, Himari-sama. Nagomo-sama com certeza diria o mesmo.

Não chegavam a um acordo. Nenhum dos três queria governar a vila, já que sentiam falta de Nagomo. Decidiram então por um dos clãs que consideravam serem mais sábios que os outros, o clã Senju. O chefe deles, Kaijou, aceitou a proposta que lhe fizeram com o intuito de ajudar a reconstruir Konoha. Com o seu governo, viveram uma boa época de paz e tranquilidade.

Por enquanto...

18 de Abril de 2018 às 01:57 0 Denunciar Insira 1
Leia o próximo capítulo Expulsos

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 21 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!