The travel Seguir história

SraPeroka Sra Peroka

Esperar nem sempre resulta naquilo que nós desejamos. Eu te esperei por longos e insuportaveis dias, até não poder mais aguentar. Ninguém vive de amor, ainda mais quando um amor é unilateral.. Eu me apaixonei, sim. Mas não por você. Me apaixonei pela sua imagem inventada que fiz questão de gravar em mim. Só porque eu queria muito estar apaixonada por alguém, e esse alguém calhou a ser você. Talvez, eu me sentisse assim quando você partiu, mas nada mudou dentro de mim ao ver seu olhos brilharem ao encontrarem os meus. ------ ------- Aqui veremos a tão sonhada viagem que nosso amado Masashi Kishimoto deixou para trás!


Fanfiction Para maiores de 21 anos apenas (adultos). © Os personagens originais são de minha autoria, portanto está expressamente proibido a utilização deles sem a minha concessão ou permissão.

#Fanfic #naruto #sasusaku #hentai #romance
3
6489 VISUALIZAÇÕES
Em progresso - Novo capítulo A cada 15 dias
tempo de leitura
AA Compartilhar

O início de tudo

Hoje, exatamente hoje faz dez meses que ele se foi. Gostaria de afirmar que ele não me faz falta, que não o amo mais, mas isso seria apenas uma grande e dolorosa mentira.

Suspiro pela enésima vez e me debruço sobre a mesa do refeitório do hospital de Konoha.

- Sakura nao aguento mais ouvir você se lamentar, você precisa dar um animo nessa vida. Como vai arrumar alguém se ficar assim, pensando nele a todo momento? - Ino tinha essa péssima mania de ir direto na ferida.

- Nao estou me lamentando Ino sua porca, nem abri a boca. Só estou cansada, Tsunade Sama está me fazendo trabalhar como uma escrava nesses últimos dias - arrumo meu cabelo e o prendo num coque - acredita que ela vai se aposentar de tudo isso e deixar para mim? Não sei se fico feliz ou se choro - faço uma expressão de derrota.

- Deveria ficar saltitante de tão feliz, Sakura sua testuda. Você conseguiu ser conhecida como uma das ninjas que salvou todo mundo, é discípula de uma das maiores ninjas médicas de todos os países e sem contar que é uma das ninjas lendárias. Vai ficar pobre de rica e arrumar um homem assim será mais fácil - ela gargalha e não me contenho e gargalho junto.

- Sakura-Chan, Tsunade-Sama está a sua procura - Shizune me grita ao longe, em seus bracos está uma pilha gigantesca de papéis. Ela se aproxima com cuidado para não derruba-las - Aí meu Kami! - ela para no meio do refeitório e tenta equilibra-las.

- Calma! Eu vou ajuda-la Shizune-Sama ! - corro até ela e pego metade dos papéis de suas mãos - Ino eu te ligo mais tarde!

- Haaaai! - ela grita ao longe e caminho ao lado de Shizune.

- Tsunade-Sama está terrível esses dias. Sabe qual o motivo desse desespero para se aposentar, Shizune? - ela permanece calada com uma expressão apreensiva - aconteceu algo ? - paro próximo a sala dela.

- Não, não é nada. Estou apenas muito cansada - sei que ambas estamos cansada, mas também sei que, pela sua expressão, nenhuma de nós duas está falando a verdade.

- Tudo bem então - continuo caminhando e entro na sala da diretora do hospital - Tsunade-Sama, estava me procurando?

Como sempre ela estava imponente em sua cadeira gigantesca, com sua expressão diabólica, ela me dá medo as vezes.

- Sakura, preciso que busque para mim uma encomenda de extrema importância - coloco os papeis em sua mesa - nesse envelope está o endereço que você deverá ir, o traga para mim e pode tirar o resto do dia de folga.

- Sério? Muito obrigada Tsunade-Sama! - a abraço e saiu correndo pelos corredores do hospital e sem querer esbarro em alguém - Mil perdões! Temari-San te machuquei?

- Não, aonde está a Tsunade ? - ela passa por mim rápido como se estivesse fugindo de algo.

- Deve estar em sua sala, saí de lá agora mesmo! - grito mas ela já estava longe demais, talvez não tenha me ouvido - que coisa.

Ando até sair do hospital e abro o envelope mas não tinha nada alí - Não entendi - pelo meu celular e ligo para Tsunade - Tsunade-Sama, não tem nada escrito aqui.

- Exato! Isso quer dizer que você não terá nada o que fazer, estava abusando demais de você esses dias e sei que não sairia daqui muito fácil. Hoje é sexta-feira, tire o final de semana de folga e volta revigorada na segunda - ela desliga antes que eu pudesse dizer algo. Não preciso dizer o quanto estava feliz, não tinha um mísero dia de folga a semanas.

Mando uma mensagem para a porca a avisando sobre isso, mas sei que não irá responder tão cedo, já que está com Sai. Caminho pelo rua comercial de konoha observando o local, as feições felizes, o gritos de alegria das crianças brincando. Nunca esse lugar esteve em paz como está agora.

- Sakura-Chan! - Naruto me chama ao longe junto a Hinata - Como estão as coisas? Não te vejo a séculos. A Obaa-San está te manipulando demais de novo? Ela e essas crises de meia idade.

- Naruto-Kun - Hinata o repreende - Não faça tantas perguntas de uma só vez. Como vai Sakura? - Hinata estava linda como sempre.

- Estou bem, e vocês? Como está a vida de casados ? - dou meu melhor sorriso para ambos.

Naruto é meu melhor amigo, e Hinata uma estimada amiga. Ver os dois juntos me enche o coração de felicidade.

- Estamos bem, ainda nos acostumando com tudo isso - ela cora suavemente e sorri meiga.

- Foi a melhor coisa que eu fiz na minha vida ! - Naruto grita a deixando mais sem graça ainda.

- Naruto! - Dou um cascudo em sua cabeça - Está deixando sua esposa com vergonha, como vai se tornar hokage dessa forma? Em falar nisso, e os estudos?

Ele massageia a cabeça - você está mais forte Sakura-Chan, mas os estudos estão indo bem. Kakashi disse que não aguenta ser hokage e me quer logo em seu lugar - ele sorri todo convincente, Hinata mostra algo para ele em uma loja ao longe e ambos se despedem de mim.

Continuo meu caminho e paro numa loja aonde vende tokoyaki, resolvo entrar e comprar alguns e ir comendo no caminho para casa.

- Obrigada pela preferência e volte sempre - a senhora de cabelos grisalhos e aparência cansada me da os bolinhos.

- Obrigada! - a reverencio e saiu de sua loja - que delícia - falo de boca cheia.

- SAKURA!!! - Shikamaru corre até mim e para a minha frente ofegante - Você... Por acaso... Viu.. A .. Temari.. Por aí ? - sem conseguir respirar, recuperar o folego e falar ele tenta forma uma frase.

- Por incrível que pareça, eu a vi sim, no hospital a uma hora atrás mais ou menos. Ela estava estranha - enfio mais um bolinho na boca - servido? - ele apenas recusa com a cabeça.

- Obrigado - ele respira fundo e continua sua maratona.

- O que esse povo tem hoje ? - como o último bolinho e jogo o espeto no lixo - o dia está bom para dormir e relaxar, e é isso mesmo que eu vou fazer - chego em casa e meus pais não estão, foram visitar uns amigos que agora moram em Iwagakure* e só voltariam no mês que vem ou no outro. Eles eram assim.

Subo direto para meu quarto e vou tomar um banho, escolho uma camiseta de algodão bem solta na cor verde e um shorts preto do mesmo tecido. Como não pretendia sair de casa hoje, não iria me arrumar. Seria banho, janta e cama.

Após meu banho, desço para a cozinha e coloco água num bule para esquentar - Em homenagem ao Naruto eu irei comer um Ramen - pego o macarrão estantaneo no armário. Sento na mesa da cozinha e fico mexendo no celular até a água ferver. Vejo todas as fotos de todos os casais. Ino e Sai, Temari e Shikamaru, Tenten e Rock Lee, e assim vai. Tantas fotos e eu não estou em nenhuma delas - quando minha vida ficou tão vazia ? - apago todas as fotos. A água ferve, coloco no Ramen e o fecho para cozinhar. Espero alguns minutos e me sento no sofá para comer - Itadakimasu* - ligo a televisão mas a desligou em seguida, nada me chama atenção. Acabo de comer e jogo a caixa do Ramen no lixo - hoje é dia de retirar o lixo, quase esqueço - coloco uma blusa moleton rosa de frio, pego os sacos de lixo e vou para a rua, já era noite e não havia mais ninguém andando por aquele bairro.

Atravesso a rua e jogo os sacos na caçamba - não sei como eu consigo produzir tanto lixo - fecho os olhos e o frio queima levemente minhas bochechas - melhor entrar logo - abro a porta mas paro antes de entrar. Um chakra me chama atenção, bem fraco, como se quisesse passar despercebido. Me concentro e percebo que ele vem do telhado da minha casa.

Entro correndo dente de casa sem me dar o trabalho de fechar a porta ou tirar os sapatos, corro pela escada, tropeço e continuo a correr, as escada não tenha mais do que dez degraus, mas nesse momento parecia ter uma infinidade deles - não pode ser - meu coração estava na garganta, minha cabeça doía, não tinha mais um pingo de oxigênio em meus pulmões.

Entro no meu quarto e pulo para o telhado pela janela. Meu queixo trepida ao tentar conter o choro. Tudo isso ao pensar que ele estaria alí. Um resquício de esperança acaba comigo de uma maneira cruel - devo estar ficando louca - coloco as mãos na cabeça e Analiso ao redor mais uma vez e nada. Nem mesmo uma pista, sombra ou lembrança dele alí - PORQUE VOCÊ FAZ ISSO COMIGO ?! - grito a todo pulmão - ME DEIXE EM PAZ !!! - caiu sentada e as lágrimas que estavam agarradas a minha alma, trancadas em meus olhos ha tanto tempo caem, rolam insanamente pelo meu rosto ensopando minha blusa, abrindo novamente o rombo que ele deixou em mim - isso não é justo.

- O que não é justo? - essa voz - Sabia que somente você seria capaz de sentir minha presença... Sakura....Viro bruscamente para onde a voz vem e o vejo. Meu corpo trava, simplesmente permaneço na mesmo posição o observando, o Analiso da cabeça aos pés - você não está aqui, é só mais um dos meus devaneios saudosos - mesmo que não acreditasse que ele estaria alí, não consigo evitar de encara-lo, e me odeio por acha-lo mais lindo do que jamais achei - vá embora - finalmente viro de costas para ele - para de me assombrar, já sofri demais por sua causa Sasuke - mesmo que alí seja um fantasma, dizer aquilo exige muito da minha coragem.

Ando até a beirada do telhado para pular mas sua mão me puxa. Me assusto com seu toque inesperado, e isso me prova que ele realmente está alí - Se eu não estivesse aqui, eu faria isso ? - ele me puxa grosseiramente e me abraça - me desculpe Sakura - sua voz rouca atinge como um soco meu estômago e revivem as borboletas que a muito tempo não rondavam por alí.

19 de Março de 2018 às 11:51 0 Denunciar Insira 0
Leia o próximo capítulo Sensações

Comentar algo

Publique!
Nenhum comentário ainda. Seja o primeiro a dizer alguma coisa!
~

Você está gostando da leitura?

Ei! Ainda faltam 7 capítulos restantes nesta história.
Para continuar lendo, por favor, faça login ou cadastre-se. É grátis!